Publicidade

Blog do Guifil

por Guilherme Custódio

A noite em que o Brasil conheceu o Ferrão

Por guilhermecustodio em Copa do Brasil

17 de Fevereiro de 2018

Um dos maiores feitos da história do Ferrão! Foto: Carlos Ezequiel Vannoni/Agência Eleven/Gazeta Press

15 de fevereiro de 2018. Segunda fase da Copa do Brasil. Estádio Ilha do Retiro. Recife. O dia (noite) em que o Ferrim mostrou que também é Ferrão.

De um lado, o gigante nordestino de Série A Sport Club do Recife, na sua tradicional casa, com um orçamento 50 vezes maior que o do visitante, ganhando de 3 a 0 até os 32 minutos do segundo tempo.

Do outro lado, o Ferroviário, o Ferrim, o Ferrão, o Tubarão da Barra, como queiram, o visitante, que empatou a partida em poucos minutos e garantiu a classificação histórica nos pênaltis, com duas defesas do goleiro Bruno Colaço.

A torcida coral recebeu os jogadores nesta sexta-feira (16) após a classificação histórica. Foto: Facebook/Ferroviário AC

Com coragem, humildade e alma, o Ferrão honrou a sua história de 85 anos e já faz a sua melhor campanha na segunda principal competição nacional do país, enfrentando na terceira fase o vencedor do confronto entre Vila Nova e Joinville em sua quinta participação na Copa do Brasil.

Com a classificação sobre o Rubro-Negro da Ilha do Retiro, o Ferroviário já faturou R$ 2,5 milhões na competição, o que paga um ano de salários do clube.

Há três anos o Ferrim estava na segundona Cearense. Hoje, é o atual vice-campeão estadual, classificado na Copa do Brasil e jogará o Brasileiro da Série D deste ano. Fundado por trabalhadores do Setor de Locomoção da Rede de Viação Cearense (RVC), o Ferroviário de Valdemar Caracas, e tantos outros, ressurge, pois como diria o velho ditado do futebol cearense: “têm coisas que só acontecem com o Ferroviário”.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

A noite em que o Brasil conheceu o Ferrão

Por guilhermecustodio em Copa do Brasil

17 de Fevereiro de 2018

Um dos maiores feitos da história do Ferrão! Foto: Carlos Ezequiel Vannoni/Agência Eleven/Gazeta Press

15 de fevereiro de 2018. Segunda fase da Copa do Brasil. Estádio Ilha do Retiro. Recife. O dia (noite) em que o Ferrim mostrou que também é Ferrão.

De um lado, o gigante nordestino de Série A Sport Club do Recife, na sua tradicional casa, com um orçamento 50 vezes maior que o do visitante, ganhando de 3 a 0 até os 32 minutos do segundo tempo.

Do outro lado, o Ferroviário, o Ferrim, o Ferrão, o Tubarão da Barra, como queiram, o visitante, que empatou a partida em poucos minutos e garantiu a classificação histórica nos pênaltis, com duas defesas do goleiro Bruno Colaço.

A torcida coral recebeu os jogadores nesta sexta-feira (16) após a classificação histórica. Foto: Facebook/Ferroviário AC

Com coragem, humildade e alma, o Ferrão honrou a sua história de 85 anos e já faz a sua melhor campanha na segunda principal competição nacional do país, enfrentando na terceira fase o vencedor do confronto entre Vila Nova e Joinville em sua quinta participação na Copa do Brasil.

Com a classificação sobre o Rubro-Negro da Ilha do Retiro, o Ferroviário já faturou R$ 2,5 milhões na competição, o que paga um ano de salários do clube.

Há três anos o Ferrim estava na segundona Cearense. Hoje, é o atual vice-campeão estadual, classificado na Copa do Brasil e jogará o Brasileiro da Série D deste ano. Fundado por trabalhadores do Setor de Locomoção da Rede de Viação Cearense (RVC), o Ferroviário de Valdemar Caracas, e tantos outros, ressurge, pois como diria o velho ditado do futebol cearense: “têm coisas que só acontecem com o Ferroviário”.