Publicidade

Blog do Guifil

por Guilherme Custódio

futebol-cearense

Livro conta história de vida de ex-goleador do futebol cearense

Por guilhermecustodio em Futebol Cearense

08 de Fevereiro de 2016

Cícero Ramalho foi artilheiro no Quixadá e no Ferroviário. Foto: Arquivo Pessoal

Cícero Ramalho foi artilheiro no Quixadá e no Ferroviário. Foto: Arquivo Pessoal

Um potiguar que fez história no futebol cearense. Este é Cícero Ramalho da Rocha, 51 anos, natural da cidade de Mossoró-RN. O ex-centroavante de ótima qualidade técnica e com faro de gol apurado, começou a se destacar nos gramados cearenses em 1987, quando foi vice-artilheiro do Estadual com 17 gols marcados pelo Quixadá. No ano seguinte, marcou mais 15 gols pelo Canarinho do Sertão e terminou a competição como artilheiro.

Após ter se destacado pelo time da Região Sertão Central do estado, chegou ao Ceará para disputar a Copa União de 1987. Não teve muitas oportunidades pelo Vovô e logo partiu para novos desafios.

Outro momento marcante da carreira de Cícero Ramalho em solo cearense aconteceu no ano de 1994. Neste ano, Ramalho foi um dos grandes responsáveis dentro de campo pelo título de Campeão Cearense do Ferroviário.

Europa
O “Romário do Nordeste” também jogou no Real Múrcia-ESPANHA, Levante-ESPANHA, Sabadell-ESPANHA, Étoile du Sahel-TUNÍSIA, Potiguar de Mossoró, América de Natal, Treze-PB e Corinthians de Caicó-RN.

Feito histórico!
Toda a vida e a carreira deste potiguar é contada no livro “Cícero Ramalho, o artilheiro de Mossoró”. O dia mais importante da carreira do ex-jogador se deu bem longe de sua terra natal. Mais precisamente no Estádio de São Januário. No auge dos seus 40 anos de idade, o ex-atacante fez o gol que abriu caminho para a impiedosa vitória de 3 a 0 do modesto Baraúnas-RN diante do Vasco da Gama, pela Copa do Brasil de 2005. Na época, o clube carioca contava com um certo baixinho campeão do mundo pelo Brasil em 1994.

Saiba mais
Ferroviário: se reinventar ou viver do passado

Cícero Ramalho também atuou no futebol espanhol. Foto: Reprodução
Quixadá Futebol Clube de 1987. Cícero é o segundo agachado, da direita para a esquerda. Foto: Reprodução
O ex-atacante foi decisivo na campanha do título estadual do Ferroviário em 1994. Foto: Reprodução
3/3

O ex-atacante foi decisivo na campanha do título estadual do Ferroviário em 1994. Foto: Reprodução

O ex-atacante foi decisivo na campanha do título estadual do Ferroviário em 1994. Foto: Reprodução

Vitória do Baraúnas contra o Vasco da Gama

Golaço de Cícero Ramalho contra o Ceará

 

 

Publicidade

Espaço craques do passado: relembre a trajetória do ex-jogador Babá

Por guilhermecustodio em Sem categoria

11 de novembro de 2015

Babá é o quarto da esquerda para a direita, agachado. Foto: Guilherme Custódio/Arquivo Pessoal

Babá é o quarto da esquerda para a direita, agachado. Foto: Guilherme Custódio/Arquivo Pessoal

O Blog do Conrado abre espaço para contar histórias de jogadores cearenses que fizeram história no nosso futebol. A primeira matéria do espaço “Craques do Passado” traz a história do ex-jogador Babá, que marcou seu nome na história dos três principais clubes do futebol local. 

Em “Forte e vigoroso, jogou com destaque no Fortaleza, Ferroviário e Ceará. Integrou o selecionado cearense sete vezes”. É assim que o saudoso historiador do futebol cearense, Alfredo Sampaio (1926-2005), definia Sebastião Medeiros de Brito, ou simplesmente Babá.

Nascido na capital cearense, no dia 05 de novembro de 1916, ele faleceu aos 82 anos, na mesma cidade. Babá era lateral e encerrou a carreira após problemas no menisco do joelho esquerdo. Como treinador, foi campeão cearense pelo proletário Ferroviário Atlético Clube, em 1950.

Jogador e marceneiro
Na época, alguns anos após a profissionalização do esporte no Ceará, fato ocorrido em 1939, era comum os jogadores de futebol exercerem também outra profissão. No Ferrão, grande parte dos jogadores eram funcionários da antiga Rede de Viação Cearense (RVC), onde Babá trabalhava na marcenaria. Outros exemplos de equipes de origem proletária do futebol brasileiro são o Bangu-RJ e o Criciúma-SC.
Sobre a sua troca de clube, entre os rivais Fortaleza e Ceará, jornais do período relatam que “do Fortaleza, Babá se transferiu para o Ceará e não foi menor, talvez até maior a sua projeção vestindo a camiseta alvinegra, formando com outros talentosos jogadores uma intermediária célebre dos nossos gramados”. Por jornais que falam sobre o jogador, era descrito como “Babá era duro, sem ser desleal. Dono de um físico avantajado tinha, porém, muita velocidade, a que aliava um senso perfeito de colocação em campo”.
Para o escritor e pesquisador Airton Fontenele, “no seu tempo, meia-cancha de respeito tinha de ter Babá”. Para o jornalista Tom Barros, Babá “deixou o seu nome no futebol cearense”. Enfim, como diria o trecho do recorte de um jornal, guardado em uma velha caixa por sua filha caçula, Maria Júlia, ele foi “um craque do passado, que soube honrar o nome do futebol cearense”.* Escrito pelo jornalista Guilherme Custódio, neto do ex-jogador Babá.

Saiba mais
Pelé completa 75 anos: relembre o dia que o Rei brilhou no Castelão

Publicidade

Referência em campo, Ricardinho ganha espaço ao lado de grandes ídolos do Ceará

Por guilhermecustodio em Ceará Sporting Club

07 de novembro de 2015

Ricardinho soma 162 partidas com a camisa do Ceará. Foto:cearasc.com/Divulgação

Ricardinho soma 162 partidas com a camisa do Ceará. Foto:cearasc.com/Divulgação

O gaúcho Ricardinho, 29 anos, joga pelo Ceará há três anos. Desde que chegou ao time de Porangabussu, o camisa 8 alvinegro vem se mostrando referência dentro de campo. O meia já soma trinta gols pelo Ceará, e ainda tem dois estaduais e o título da Copa do Nordeste de 2015 pelo clube.

Ricardinho é uma espécie de termômetro da equipe alvinegra. Boa parte das principais jogadas de gols do Vovô saem ou passam pelos pés do jogador. No título regional desse ano, o atleta cruzou às duas bolas que resultaram nos gols que deram o que para muitos consideram o maior título dos 101 anos de história da equipe cearense.

Após a conquista dessa competição, o atleta doou a camisa usada na final da “Lampions League” para o Memorial do Ceará Sporting Club. O espaço conta com vários objetos de grandes ídolos da história do alvinegro, como: Sérgio Alves, Gildo Fernandes, Dimas Fílgueiras, entre outros. Os torcedores do clube e curiosos em conhecer parte da cultura do futebol cearense podem também apreciar vários troféus e outros itens históricos. No vídeo abaixo,você pode conferir uma reportagem feita pela estudante de jornalismo, Bruna Sampaio, coordenada pelo jornalista Victor Hannover, que conta um pouco desse local ainda pouco divulgado para o público fortalezense.

O Memorial do Ceará fica localizado na sede do clube, na Avenida João Pessoa, 3.532, no Bairro Porangabussu, em Fortaleza.

Saiba mais
Ceará vence ABC e dorme fora da zona de rebaixamento da Série B

 

Publicidade

Referência em campo, Ricardinho ganha espaço ao lado de grandes ídolos do Ceará

Por guilhermecustodio em Ceará Sporting Club

07 de novembro de 2015

Ricardinho soma 162 partidas com a camisa do Ceará. Foto:cearasc.com/Divulgação

Ricardinho soma 162 partidas com a camisa do Ceará. Foto:cearasc.com/Divulgação

O gaúcho Ricardinho, 29 anos, joga pelo Ceará há três anos. Desde que chegou ao time de Porangabussu, o camisa 8 alvinegro vem se mostrando referência dentro de campo. O meia já soma trinta gols pelo Ceará, e ainda tem dois estaduais e o título da Copa do Nordeste de 2015 pelo clube.

Ricardinho é uma espécie de termômetro da equipe alvinegra. Boa parte das principais jogadas de gols do Vovô saem ou passam pelos pés do jogador. No título regional desse ano, o atleta cruzou às duas bolas que resultaram nos gols que deram o que para muitos consideram o maior título dos 101 anos de história da equipe cearense.

Após a conquista dessa competição, o atleta doou a camisa usada na final da “Lampions League” para o Memorial do Ceará Sporting Club. O espaço conta com vários objetos de grandes ídolos da história do alvinegro, como: Sérgio Alves, Gildo Fernandes, Dimas Fílgueiras, entre outros. Os torcedores do clube e curiosos em conhecer parte da cultura do futebol cearense podem também apreciar vários troféus e outros itens históricos. No vídeo abaixo,você pode conferir uma reportagem feita pela estudante de jornalismo, Bruna Sampaio, coordenada pelo jornalista Victor Hannover, que conta um pouco desse local ainda pouco divulgado para o público fortalezense.

O Memorial do Ceará fica localizado na sede do clube, na Avenida João Pessoa, 3.532, no Bairro Porangabussu, em Fortaleza.

Saiba mais
Ceará vence ABC e dorme fora da zona de rebaixamento da Série B