Publicidade

Blog do Guifil

por Guilherme Custódio

goleira

Atleta de futsal da Unifor disputa prêmio de melhor goleira do mundo

Por guilhermecustodio em Futsal

13 de Fevereiro de 2016

Missi já conquistou quatro títulos mundiais pela Seleção Brasileira. Foto: Arquivo Pessoal

Missi já conquistou quatro títulos mundiais pela Seleção Brasileira. Foto: Arquivo Pessoal

De Ilhota-SC para o mundo! A atleta Missiara Luiza Papst, 26 anos, do time feminino de futsal da Nacional Gás/Unifor é uma das 10 finalistas da Premiação Futsal Planet 2015. Nesta sexta-feira (12) o tradicional site divulgou os nomes das jogadoras que disputam a primeira edição que elege a melhor goleira do mundo.

A catarinense também joga na Seleção Brasileira, tendo conquistado os últimos quatro títulos mundiais. Na sua página do facebook, Missiara contou a sua felicidade por disputar o prêmio. A eleição tem a chancela da Fifa.

“Gratidão ,realização ,felicidade e êxtase são palavras e sentimentos que definem o que sinto neste exato momento. Quando iniciei minha jornada no esporte não imaginava que o futsal me encheria de tanto orgulho, por ter o escolhido como uma das principais pulsões da minha vida”, disse. Outras duas brasileiras também estão na disputa, são elas; Patricia Moraes Faria “Giga” – Chapecó-BRA e Joziane de Oliveira “Jozi”- CD Burela FS Feminino-ESP.

Saiba mais
Amandinha concorre novamente ao prêmio de melhor jogadora de futsal do mundo

 

Publicidade

Blog do Conrado bate um papo com Missiara Papst, goleira da Unifor e da Seleção Brasileira de Futsal

Por guilhermecustodio em Futsal

23 de setembro de 2015

Missiara Papst é tricampeã mundial de futsal. Foto: Arquivo Pessoal

Missiara Papst é tricampeã mundial de futsal com a Seleção Brasileira. Foto: Arquivo Pessoal

Nesta quarta-feira (23) o Blog do Conrado bateu um papo com a atleta Missiara Luiza Papst, 25 anos, goleira da Nacional Gás/Unifor e da Seleção Brasileira de Futsal. Missi, como também é chamada, é natural da cidade de Ilhota, em Santa Catarina.

A catarinense conta como iniciou a carreira no futebol de salão, a importância do apoio da família no início da profissão, a vinda para o futsal cearense e os sonhos que almeja alcançar, entre outros assuntos.

Apesar da pouca idade, a atleta já conseguiu grandes títulos, como o tricampeonato mundial (2012/2013/2014) com a Seleção Brasileira e uma boa experiência antes de vir jogar em Fortaleza, quando foi destaque durante seis temporadas do time de futsal do Criciúma-SC.

Missi também tem outra atividade, mas fora de quadra. Ela é bacharel de educação física e está próximo de terminar a licenciatura em educação física. Além de chamar a atenção pelo desempenho nas quadras, Missi atrai atenção dos torcedores pela beleza, mas ela diz que lida com isso naturalmente e procura atender todas as pessoas da mesma forma.

Confira a entrevista
1- Quando foi que você decidiu ser jogadora?
Missiara Papst – Quando eu tinha 10 anos eu comecei a jogar futebol de campo na minha cidade, com os meninos do bairro. Só comecei no futsal aos 15 anos. Foi quando comecei a participar dos campeonatos estaduais e nacionais.

2- Quando começou a jogar futsal quis logo ser goleira?
Logo na quadra o que eu me identifiquei foi a posição de goleira. Eu sempre gostei de ir pro gol. É um posição que eu admiro muito.

3- Qual a importância do apoio dos seus pais no desenvolvimento da sua carreira?
Os meus pais sempre me apoiaram. Desde que eu comecei a jogar com os meninos no campo. Eu comecei na cidade vizinha, ai tinha que se deslocar por cerca de uma hora de ônibus para ir treinar. Desde que eu sai de casa eles sempre me apoiaram. Em nenhum momentos eles falaram pra eu desistir.

4- Quando você veio para jogar no futsal cearense?
A gente sempre enfrentava o time da Unifor nos campeonatos nacionais. E eles me conheciam pelas competições que disputei. Até que houve um desmanche no time que eu jogava (Criciúma), ai eu recebi uma proposta para vir pra cá e como eu já conhecia a Unifor e sua estrutura eu resolvi aceitar o convite.

5- Quais os objetivos que você espera alcançar com seu clube?
Eu procuro sempre a ajudar a minha equipe, sempre buscamos alcançar o topo. O objetivo de cada aleta é ir bem dentro do clube para sempre ser convocada para a Seleção Brasileira.

6- Quais as maiores dificuldades que você enfrentou durante a carreira?
A maior dificuldade foi quando eu sai de casa. Eu era muito nova. No começo é complicado a gente ficar longe da família. Tem que aprender a se virar, mas como era meu objetivo, meu sonho eu decidir seguir. Eu até pensei em desistir, mas meus pais me deram força para continuar.

7- Quais os seus ídolos no esporte?
Por ser da posição, meus ídolos são o Tiago e o Guitta (goleiros da seleção masculina).

8- Como você avalia o atual cenário do futsal cearense em termos e estrutura e organização?
Aqui no Ceará o futsal feminino ainda está se desenvolvendo. Não temos ainda muitas equipes de alto nível como a gente espera. Vejo que falta mais a apoio ao futsal, não só aqui, mas no país como um todo.

9-Você é intitulada de musa do futsal, como você lida com isso?
É muito tranquilo. A gente tem bastante contato com as pessoas por onde vamos jogar e eu procuro atender a todos com a mesma atenção. Vem muita gente falar comigo dizer que acompanha meu trabalho, eu só posso é ficar feliz com o reconhecimento.

10-Quais os conselhos para quem sonha em ser jogador(a) de futsal?
Eu acho que se esse for seu objetivo você deve seguir em frente. Vão aparecer as dificuldades, mas procure não desistir dos seus sonhos que um dia você vai consegue alcançar seus objetivos.

Ela é fã dos goleiros da Seleção Brasileira (Guitta à esquerda e Tiago (à direita). Foto: Arquivo Pessoal
1/2

Ela é fã dos goleiros da Seleção Brasileira (Guitta à esquerda e Tiago (à direita). Foto: Arquivo Pessoal

Ela é fã dos goleiros da Seleção Brasileira (Guitta à esquerda e Tiago (à direita). Foto: Arquivo Pessoal

Missiara Luiza diz que lida naturalmente com os fãs que admiram sua beleza. Foto: Arquivo Pessoal
2/2

Missiara Luiza diz que lida naturalmente com os fãs que admiram sua beleza. Foto: Arquivo Pessoal

Missiara Luiza diz que lida naturalmente com os fãs que admiram sua beleza. Foto: Arquivo Pessoal


Saiba mais
Copa do NE 2016 pode ter Ceará e Fortaleza no mesmo grupo: veja como será o sorteio

 

Publicidade

Blog do Conrado bate um papo com Missiara Papst, goleira da Unifor e da Seleção Brasileira de Futsal

Por guilhermecustodio em Futsal

23 de setembro de 2015

Missiara Papst é tricampeã mundial de futsal. Foto: Arquivo Pessoal

Missiara Papst é tricampeã mundial de futsal com a Seleção Brasileira. Foto: Arquivo Pessoal

Nesta quarta-feira (23) o Blog do Conrado bateu um papo com a atleta Missiara Luiza Papst, 25 anos, goleira da Nacional Gás/Unifor e da Seleção Brasileira de Futsal. Missi, como também é chamada, é natural da cidade de Ilhota, em Santa Catarina.

A catarinense conta como iniciou a carreira no futebol de salão, a importância do apoio da família no início da profissão, a vinda para o futsal cearense e os sonhos que almeja alcançar, entre outros assuntos.

Apesar da pouca idade, a atleta já conseguiu grandes títulos, como o tricampeonato mundial (2012/2013/2014) com a Seleção Brasileira e uma boa experiência antes de vir jogar em Fortaleza, quando foi destaque durante seis temporadas do time de futsal do Criciúma-SC.

Missi também tem outra atividade, mas fora de quadra. Ela é bacharel de educação física e está próximo de terminar a licenciatura em educação física. Além de chamar a atenção pelo desempenho nas quadras, Missi atrai atenção dos torcedores pela beleza, mas ela diz que lida com isso naturalmente e procura atender todas as pessoas da mesma forma.

Confira a entrevista
1- Quando foi que você decidiu ser jogadora?
Missiara Papst – Quando eu tinha 10 anos eu comecei a jogar futebol de campo na minha cidade, com os meninos do bairro. Só comecei no futsal aos 15 anos. Foi quando comecei a participar dos campeonatos estaduais e nacionais.

2- Quando começou a jogar futsal quis logo ser goleira?
Logo na quadra o que eu me identifiquei foi a posição de goleira. Eu sempre gostei de ir pro gol. É um posição que eu admiro muito.

3- Qual a importância do apoio dos seus pais no desenvolvimento da sua carreira?
Os meus pais sempre me apoiaram. Desde que eu comecei a jogar com os meninos no campo. Eu comecei na cidade vizinha, ai tinha que se deslocar por cerca de uma hora de ônibus para ir treinar. Desde que eu sai de casa eles sempre me apoiaram. Em nenhum momentos eles falaram pra eu desistir.

4- Quando você veio para jogar no futsal cearense?
A gente sempre enfrentava o time da Unifor nos campeonatos nacionais. E eles me conheciam pelas competições que disputei. Até que houve um desmanche no time que eu jogava (Criciúma), ai eu recebi uma proposta para vir pra cá e como eu já conhecia a Unifor e sua estrutura eu resolvi aceitar o convite.

5- Quais os objetivos que você espera alcançar com seu clube?
Eu procuro sempre a ajudar a minha equipe, sempre buscamos alcançar o topo. O objetivo de cada aleta é ir bem dentro do clube para sempre ser convocada para a Seleção Brasileira.

6- Quais as maiores dificuldades que você enfrentou durante a carreira?
A maior dificuldade foi quando eu sai de casa. Eu era muito nova. No começo é complicado a gente ficar longe da família. Tem que aprender a se virar, mas como era meu objetivo, meu sonho eu decidir seguir. Eu até pensei em desistir, mas meus pais me deram força para continuar.

7- Quais os seus ídolos no esporte?
Por ser da posição, meus ídolos são o Tiago e o Guitta (goleiros da seleção masculina).

8- Como você avalia o atual cenário do futsal cearense em termos e estrutura e organização?
Aqui no Ceará o futsal feminino ainda está se desenvolvendo. Não temos ainda muitas equipes de alto nível como a gente espera. Vejo que falta mais a apoio ao futsal, não só aqui, mas no país como um todo.

9-Você é intitulada de musa do futsal, como você lida com isso?
É muito tranquilo. A gente tem bastante contato com as pessoas por onde vamos jogar e eu procuro atender a todos com a mesma atenção. Vem muita gente falar comigo dizer que acompanha meu trabalho, eu só posso é ficar feliz com o reconhecimento.

10-Quais os conselhos para quem sonha em ser jogador(a) de futsal?
Eu acho que se esse for seu objetivo você deve seguir em frente. Vão aparecer as dificuldades, mas procure não desistir dos seus sonhos que um dia você vai consegue alcançar seus objetivos.

Ela é fã dos goleiros da Seleção Brasileira (Guitta à esquerda e Tiago (à direita). Foto: Arquivo Pessoal
1/2

Ela é fã dos goleiros da Seleção Brasileira (Guitta à esquerda e Tiago (à direita). Foto: Arquivo Pessoal

Ela é fã dos goleiros da Seleção Brasileira (Guitta à esquerda e Tiago (à direita). Foto: Arquivo Pessoal

Missiara Luiza diz que lida naturalmente com os fãs que admiram sua beleza. Foto: Arquivo Pessoal
2/2

Missiara Luiza diz que lida naturalmente com os fãs que admiram sua beleza. Foto: Arquivo Pessoal

Missiara Luiza diz que lida naturalmente com os fãs que admiram sua beleza. Foto: Arquivo Pessoal


Saiba mais
Copa do NE 2016 pode ter Ceará e Fortaleza no mesmo grupo: veja como será o sorteio