Publicidade

Blog do Guifil

por Guilherme Custódio

itapajé

Futebol cearense precisa sair do amadorismo para sobreviver

Por guilhermecustodio em Opinião

18 de Janeiro de 2016

Dez clubes participam da competição. Foto: FCF/Divulgação

Dez clubes participam da competição. Foto: FCF/Divulgação

Não é de hoje que todos nós sabemos que o futebol cearense precisa ser melhorado em vários aspectos, mas, principalmente, na organização e na estrutura que os clubes do interior têm para desempenhar a modalidade.

Todo início de campeonato é a mesma coisa.  Os times do interior saem das suas sedes para viajar centenas de quilômetros para exercer o seus mandos de campo em outras cidades. Na abertura do Estadual, entre Itapipoca e Uniclinic, no último sábado (16), o time da terra dos três climas mandou seu jogo no Estádio do Junco, em Sobral, devido o Perilo Teixeira não ter condições estruturais de receber partidas do cearense. Resultado: apenas 73 pessoas pagaram para assistir a o evento, que teve uma renda de R$ 496,00.

O Maranguape desceu a serra para jogar contra o Icasa no Estádio Presidente Vargas. Prática que se tornou comum no ano passado com o time da Região Metropolitana de Fortaleza com a falta do Estádio Moraisão, que não estar apto a receber jogos do certame. Apenas 140 pessoas pagaram para acompanhar este jogo, que teve uma renda de R$ 1.300,00.

O Quixadá fará sua estreia na competição na próxima quinta-feira (20) contra o Itapajé. O duelo acontecerá bem longe do Estádio Abilhão. Mas precisamente no bom e velho PV. Falta os clubes do nosso interior se unirem com as gestões municipais e os empresários para tentar conseguir recursos que possibilitem melhorar as condições de seus respectivos estádios. Chega a ser absurdo ver tamanha falta de visão em pleno século XXI. Hoje, o Campeonato Cearense é transmitido por três emissoras de televisão, que levam o evento para o mundo inteiro. Sem contar com os vários portais de notícias, rádios e jornal impresso. Quer melhores fontes de propaganda para seus times querem ter?

Se não bastasse os problemas estruturais, os dirigentes ainda conseguem bagunçar o campeonato antes mesmo de começar, com o sobe e desce de time via Justiça Desportiva. Já passou da hora do profissionalismo chegar no nosso futebol, não sendo apenas exclusividade de Ceará e Fortaleza.

Saiba mais
Guia do Campeonato Cearense 2016: conheça os times que desafiam Ceará e Fortaleza

Publicidade

Futebol cearense precisa sair do amadorismo para sobreviver

Por guilhermecustodio em Opinião

18 de Janeiro de 2016

Dez clubes participam da competição. Foto: FCF/Divulgação

Dez clubes participam da competição. Foto: FCF/Divulgação

Não é de hoje que todos nós sabemos que o futebol cearense precisa ser melhorado em vários aspectos, mas, principalmente, na organização e na estrutura que os clubes do interior têm para desempenhar a modalidade.

Todo início de campeonato é a mesma coisa.  Os times do interior saem das suas sedes para viajar centenas de quilômetros para exercer o seus mandos de campo em outras cidades. Na abertura do Estadual, entre Itapipoca e Uniclinic, no último sábado (16), o time da terra dos três climas mandou seu jogo no Estádio do Junco, em Sobral, devido o Perilo Teixeira não ter condições estruturais de receber partidas do cearense. Resultado: apenas 73 pessoas pagaram para assistir a o evento, que teve uma renda de R$ 496,00.

O Maranguape desceu a serra para jogar contra o Icasa no Estádio Presidente Vargas. Prática que se tornou comum no ano passado com o time da Região Metropolitana de Fortaleza com a falta do Estádio Moraisão, que não estar apto a receber jogos do certame. Apenas 140 pessoas pagaram para acompanhar este jogo, que teve uma renda de R$ 1.300,00.

O Quixadá fará sua estreia na competição na próxima quinta-feira (20) contra o Itapajé. O duelo acontecerá bem longe do Estádio Abilhão. Mas precisamente no bom e velho PV. Falta os clubes do nosso interior se unirem com as gestões municipais e os empresários para tentar conseguir recursos que possibilitem melhorar as condições de seus respectivos estádios. Chega a ser absurdo ver tamanha falta de visão em pleno século XXI. Hoje, o Campeonato Cearense é transmitido por três emissoras de televisão, que levam o evento para o mundo inteiro. Sem contar com os vários portais de notícias, rádios e jornal impresso. Quer melhores fontes de propaganda para seus times querem ter?

Se não bastasse os problemas estruturais, os dirigentes ainda conseguem bagunçar o campeonato antes mesmo de começar, com o sobe e desce de time via Justiça Desportiva. Já passou da hora do profissionalismo chegar no nosso futebol, não sendo apenas exclusividade de Ceará e Fortaleza.

Saiba mais
Guia do Campeonato Cearense 2016: conheça os times que desafiam Ceará e Fortaleza