Arquivos 26 de dezembro de 2012 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

26 de dezembro de 2012

Acre é o primeiro a receber dinheiro por deixar de emitir CO2

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

26 de dezembro de 2012

    O Estado do Acre tornou-se na última semana o primeiro estado do Brasil a realizar transações financeiras relacionadas à Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+).

Foto: Arquivo pessoal

    Conforme Agência de Notícias do Acre, por meio de um contrato assinado entre o governo do Acre e o banco alemão KfW, o Estado vai receber, nos próximos quatro anos, 16 milhões de euros – cerca de R$ 50 milhões de reais – por ter deixado de emitir 4 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) nos últimos anos.

     Interessante lembrar, por exemplo, das Conferências das Partes (COPs) promovidas pela Organização das Nações Unidas, nas quais os países têm dificuldades em entrar em consenso sobre os valores das toneladas de dióxido de carbono e, portanto, não conseguem avançar nas discussões relacionadas a este assunto. No caso do acordo entre o Acre e o banco alemão, cada tonelada de CO2 não emitida foi estimada em US$ 5.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

Publicidade

Acre é o primeiro a receber dinheiro por deixar de emitir CO2

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

26 de dezembro de 2012

    O Estado do Acre tornou-se na última semana o primeiro estado do Brasil a realizar transações financeiras relacionadas à Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+).

Foto: Arquivo pessoal

    Conforme Agência de Notícias do Acre, por meio de um contrato assinado entre o governo do Acre e o banco alemão KfW, o Estado vai receber, nos próximos quatro anos, 16 milhões de euros – cerca de R$ 50 milhões de reais – por ter deixado de emitir 4 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) nos últimos anos.

     Interessante lembrar, por exemplo, das Conferências das Partes (COPs) promovidas pela Organização das Nações Unidas, nas quais os países têm dificuldades em entrar em consenso sobre os valores das toneladas de dióxido de carbono e, portanto, não conseguem avançar nas discussões relacionadas a este assunto. No caso do acordo entre o Acre e o banco alemão, cada tonelada de CO2 não emitida foi estimada em US$ 5.

Fonte: Agência de Notícias do Acre