Arquivos Janeiro 2013 - 2/3 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Janeiro 2013

Gestão Pública Criativa e Participativa

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Governos Locais, Meio Ambiente

19 de Janeiro de 2013

    Nos próximos dias 22 e 23 de janeiro, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza, acontece o Encontro de Novos Gestores Municipais do estado do Ceará. Promovido pela Associação dos Municípios do Estado do Ceará (APRECE), a programação envolve áreas de interesse como: desenvolvimento econômico, saúde, meio ambiente, desenvolvimento econômico, educação e outros.

    A abertura, dia 22/01, às 09:30h, palestra magna “Administração Pública e Gestão por Resultado: O Caso do Estado do Ceará” com o Governador do Ceará, Cid Ferreira Gomes.

     Durante a tarde do dia 22/01 e a manhã do dia 23/01, serão realizados os Painéis de Educação, Assistência Social, Desenvolvimento Econômico, Captação de Recursos e Meio Ambiente.

     Na programação do dia 23/01, oficinas nas áreas temáticas com público alvo mais específico. Na sala 01, das 08 às 12h, sobre o tema Desenvolvimento Rural, terão as seguintes oficinas: Projeto São José III, Territórios Rurais, Defesa Agropecuária, PAA Leite e PAA Mais Alimento.

     Na sala 02, pela manhã, do dia 23/01, sobre o tema Desenvolvimento Econômico, terão as oficinas: Gestão Pública Empreendedora, Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, Identificação e Potencialização das Vocações Locais e Planejamento Municipal como fator de desenvolvimento local.

     No período da tarde do dia 23/01, dentro do tema Educação, serão realizadas as oficinas: Programa Mais Educação e Educação em tempo integral, Educação Infantil: atenção à primeira infância.

    Ainda no período da tarde, quanto à temática Meio Ambiente, para o público-alvo de gestores municipais, de secretários municipais de meio ambiente e de infraestrutura e para membros do Conselho Municipal de Meio Ambiente, tem-se a seguinte programação:

a)      Oficina: Programas e Projetos para o Fortalecimento da Gestão Ambiental Municipal

Facilitadora: Maria Dias Cavalcante – CONPAM

Conteúdo: Objetiva-se a apresentar aos gestores municipais os Programas e Projetos ambientais como: Programa Selo Município Verde, Grupo de Trabalho para elaboração do Plano Estadual e Regional de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, Projeto Orla (Plano de Gestão Integrada do Orla e Certificação Praia Limpa), Grupo de Trabalho Agrotóxico, e o Programa Estadual de Prevenção, Monitoramento, Controle de Queimadas e Combate aos Incêndios Florestais – PREVINA.

b)     Oficina: Planos Do Setor De Saneamento – Elaboração E Sustentabilidade

Facilitador: Alceu Galvão – ARCE

Conteúdo: Objetiva-se discutir os desafios postos no Estado do Ceará para elaboração dos Planos do setor de Saneamento Básico (Leis nos 11.445/2007 e 12.305/2010) e a necessidade de estruturar os municípios para a correta administração desses Planos, transformando-se em reais instrumentos para a Universalização do setor.

c)      Oficina: Financiamento e Elaboração dos Planos Municipais de Saneamento Básico e a Universalização com base nos Planos

Facilitadores: Mário Fracalosi – Ministério das Cidades, Germano Rocha Fonteles – Funasa

Conteúdo: Objetiva-se apresentar as ações dos governos estadual (SCidades) e federal (Funasa) quanto ao apoio na elaboração dos Planos Municipais de Saneamento Básico, notadamente, a programação de apoio aos municípios para o ano de 2013, haja vista que, o prazo para conclusão do Planos, ocorrerá no mês de dezembro do corrente ano.

d)     Oficina: O Papel do Ministério Público em relação ao Planejamento Setorial

Facilitadora: Dra. Vanja Fontenele – Ministério Público

Conteúdo: Objetiva-se apresentar o papel do Ministério Público como indutor do cumprimento do marco regulatório setorial, no tocante ao planejamento. Este papel ocorre mediante duas vertentes: A primeira, de natureza orientativa, visando estimular os municípios a elaborarem seus planos. A segunda vertente, de natureza legal, demandando ações públicas, em função de eventual descumprimento dos planos por parte dos gestores públicos.

     Convite feito a todos! Caríssimos gestores municipais do estado do Ceará, essa é uma excelente oportunidade de iniciar os trabalhos de gestão municipal 2013-2016, com aquisição de conhecimento, inclusive, das oportunidades para promover, em seus territórios, o desenvolvimento socioeconômico em consonância com a manutenção da qualidade ambiental.

Publicidade

Geopark Araripe – defesa do patrimônio fossilífero

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente, Preservação

17 de Janeiro de 2013

     Gente! Vocês não tem noção da minha alegria ao saber da notícia sobre a descoberta do novo crustáceo fossilizado, encontrado em Missão Velha/CE, no distrito de Jamacaru, no Geopark Araripe.

    O primeiro “post” do Blog Verde de 2013 foi sobre o Geopark Araripe/CE, pelo qual tenho admiração e respeito por sua importância dentro do aspecto de sustentabilidade e de desenvolvimento regional. (Confira aqui)

Fonte: Geopark Araripe/CE

Fonte: Geopark Araripe/CE

    O professor Álamo Feitosa, do Laboratório de Paleontologia da URCA (na foto, à direita) e outros pesquisadores, Willian Santana (SP), Allysson Pinheiro (URCA) e Caroline Mayara da Silva (URCA), divulgaram a notícia hoje.

     Conforme notícia do site do Geopark Araripe, com mais de 100 milhões de anos, o camarão foi descoberto em maio de 2012, porém apresentado apenas hoje, pois estava em análise para descrição científica. Com base na caracterização da espécie, foi possível descrever um novo gênero da família carídea, medindo 18,33 mm do rostro ao último somito abdominal.

     Quanto ao aspecto de defesa do patrimônio natural e cultural, incluindo do patrimônio fossilífero, Cabral e Silva (2012) realizaram análise da situação atual da proteção presente no Geopark Araripe/CE, identificando-se potencialidades e fragilidades com relação aos resultados de efetividade de manejo, bem como frente aos dispositivos legais brasileiros.

    Mencionados autores concluíram que as normas jurídicas que permeiam o universo de proteção do patrimônio natural e cultural do Geopark Araripe/CE são suficientes para sancionar condutas, individuais ou coletivas, que possam gerar efeitos negativos, sobretudo relacionado ao patrimônio geológico.

Fontes: Geopark Araripe (site)

           Cabral, N; Silva, A. Análise do patrimônio natural e cultural do Geopark Araripe/CE a partir da legislação ambiental pertinente. Revista Olam. Rio Claro: UNESP, 2012.

Publicidade

Resíduos sólidos e a 4ª Conferência Nacional de Meio Ambiente

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Governos Locais, Meio Ambiente

16 de Janeiro de 2013

Este ano o tema da 4ª Conferência Nacional de Meio Ambiente é sobre Resíduos Sólidos.

Temática bastante pertinente e atual, considerando as metas e prazos exíguos que nossos municípios (governos locais) têm para cumprir dispositivos legais preconizados nas políticas ambientais concernentes à referida questão.

Vocês sabiam que, para municípios que possuem destinação final inadequada dos resíduos sólidos, seus gestores tem o prazo até 2014 para extinguir lixões (vazadouros a céu aberto)? Até agosto de 2014, todos os municípios brasileiros precisam destinar adequadamente seus rejeitos.

Posso imaginar o que vocês estão pensando: Fala sério! Como resolver isso em tão pouco tempo?

Na verdade, a Política Nacional de Resíduos Sólidos foi instituída em dezembro de 2010, onde está legalmente a exigência desta obrigatoriedade. Mas se considerarmos a Política Nacional de Meio Ambiente que, em 1981 (32 anos!!!), já trazia como objetivo a possibilidade de desenvolvimento socioeconômico em consonância com a qualidade ambiental, podemos afirmar que lixão não atende aos princípios de sustentabilidade.

No caso do estado do Ceará, tem-se ainda o respaldo legal da Política Estadual de Resíduos Sólidos, que data de 2001 (12 anos!!!), em que já era exigido o destino final adequado para os resíduos sólidos dos municípios cearenses.

Em 27/12/2012, colocamos “post” sobre a 4ª Conferência Nacional de Meio Ambiente e o processo de participação social na sua Comissão Organizadora Nacional. Só lembrando, prezados leitores do Blog Verde, a data limite para inscrições é até amanhã (17/01). Para saber mais, cliquem aqui.

Nesta edição, a 4ª Conferência vai discutir a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), com foco nos seguintes temas:

produção e consumo sustentáveis;

redução dos impactos ambientais; e

geração de emprego e renda.

Todos são convidados. A participação pode ser nas conferências municipais, regionais, estaduais e na nacional. A Conferência Nacional é fruto do debate que se inicia nos municípios para construção de políticas públicas para todo o país.

Convite feito! O desafio é de todos nós!

Mais informações, acessem cartilha do MMA aqui. 

Publicidade

Convivência com o semiárido: projetos e práticas inovadoras

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Governos Locais, Meio Ambiente, Semiárido

15 de Janeiro de 2013

      Com o objetivo de promover a produção de conhecimento e o desenvolvimento de ações inovadoras e exitosas em prol da convivência solidária e sustentável com o Semiárido brasileiro foram prorrogadas as inscrições, até dia 22 de fevereiro de 2013, para o Prêmio Mandacaru – projetos e práticas inovadoras em Acesso à Água e Convivência com o semiárido.

Fonte:IABS

    A iniciativa integra o Programa Cisternas. É realizada pelo Instituto Ambiental Brasil Sustentável (IABS), em parceria com a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) e apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

    Os prêmios variam de R$ 5 mil a R$ 150 mil reais, em 4 categorias distintas em experiências exitosas na gestão de recursos hídricos no semiárido. Podem participar pessoas jurídicas de direito público ou privado, com atuação no Semiárido brasileiro.

    A premiação para a categoria Experimentação no Campo consistirá na concessão de apoio financeiro para os projetos dos dez primeiros colocados, além de diploma honorífico para os três primeiros colocados, sendo:

a) Primeiro colocado: diploma honorífico e prêmio no valor de R$ 50.000,00

b) Segundo colocado: diploma honorífico e prêmio no valor de 45.000,00

c) Terceiro colocado: diploma honorífico e prêmio no valor de 35.000,00

d) Quarto colocado: prêmio no valor de R$ 30.000,00

e) Quinto colocado: prêmio de 25.000,00

f) Sexto ao décimo colocado: prêmio no valor de 5.000,00

A premiação para a categoria Replicação de Práticas Inovadoras consistirá na concessão de diploma honorífico e de apoio financeiro, aos projetos dos três primeiros colocados, nos valores brutos máximos de R$ 100.000,00 (cem mil reais) para cada um dos premiados,

A premiação para a categoria Pesquisa Aplicada consistirá na concessão de diploma honorífico e de apoio financeiro para os três projetos de pesquisa selecionados, correspondente aos valores apresentados para o desenvolvimento dos respectivos projetos, respeitado o limite de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) para cada um dos premiados.

A premiação da categoria Gestão Inovadora consistirá na concessão de diploma honorífico para os cinco primeiros colocados.

Caríssimos chefes dos poderes executivos municipais deste meu querido País, especificamente, governos locais (municípios) que estejam no semiárido; prezados leitores do Blog Verde, que excelente oportunidade para divulgarmos as experiências que temos. As inscrições são gratuitas e, repetindo, podem ser efetuadas até o dia 22 de fevereiro de 2013. Mais informações estão disponíveis aqui.

Fonte: IABS

Publicidade

Contaminação do ar – Pequim em alerta

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

14 de Janeiro de 2013

    Este é o terceiro dia em que se constata, em Pequim (China), contaminação do ar em níveis muito mais elevados do que o máximo permitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Uma densa fumaça cobriu grandes áreas do norte da China no fim de semana, cuja visibilidade ficou em 100 metros (metros) em algumas áreas; forçando o cancelamento de voos.

Foto: AFP
Fonte: http://nz.news.yahoo.com

      A contaminação excedeu 300 microgramas de partículas de menos de 2,5 micrômetros (PM 2,5) por metro cúbico, bem acima dos níveis de 25 microgramas por metro cúbico que a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera aceitável.

      Pequim aprovou hoje medidas de emergência, tais como a redução das emissões de gases por veículos no trânsito e de fábricas, em virtude do aumento nos casos de problemas cardíacos e respiratórios, em hospitais. Deram entrada no Hospital da Criança de Pequim, ao longo da semana passada, quando os níveis de poluição começaram a subir, cerca de 7000 pacientes com problemas respiratórias, devido à má qualidade do ar.

    De acordo com o Departamento de Proteção Ambiental de Pequim, 54 empresas reduziram em 30 por cento (30%) as emissões de carbono e as escolas foram proibidas de desenvolver práticas desportivas ao ar livre.

     Os veículos oficiais não estão em circulação e houve apelação para que os moradores usassem o transporte público e deixassem seus carros em casa, para minimizar a espessa nuvem de fumaça.

Fonte: AFP

Publicidade

Frases para refletir…sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

13 de Janeiro de 2013

    Aos domingos, sempre que possível, trago reflexões sobre vida e meio ambiente. Algumas frases que nos fazem pensar um pouco sobre o que realmente nos é caro e importante.

    A vida nos prega tantas peças… Boas e não tão boas. Nos momentos mais difíceis, encontramos pessoas no caminho que são como anjos. Hoje, permitam-me dedicar esse “post” do Blog Verde a anjos do coração, que de uma maneira dedicada e comprometida, dão vida a novos corações.

    A vocês: Claudio, Acrísio, Patrícia, Marcos, Cristiane, Andreia e Lena – anjos do coração.

      “Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus”. (Mateus 5: 8)

      “Quanto mais puro for um coração, mais perto estará de Deus”.(Mahatma Gandhi)

     “Para quem tem a experiência de Deus, o mundo é uma grande mensagem”. (Leonardo Boff)

      “A filosofia de uma pessoa não é melhor expressa em palavras; ela é expressa pelas escolhas que a pessoa faz. E, as escolhas que fizemos são, no final das contas, nossa própria responsabilidade”. (Eleonor Roosevelt)

      “Um coração agradecido não é somente a maior das virtudes, ele é a origem de todas as outras”. (Marco Túlio Cícero)

Publicidade

Custos da Longevidade – preocupação global

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

11 de Janeiro de 2013

     O Relatório Riscos Globais 2013 (Global Risks 2013 Report) menciona como um dos riscos e, portanto, como emergente preocupação global os custos que a longevidade pode trazer.

     A medicina tem avançado consideravelmente e permitido, então, que pessoas vivam por mais tempo. A pergunta que os especialistas fazem é: temos condições de lidar com tantas pessoas portadoras de doenças (como artrite, doenças do coração, câncer, acidente vascular cerebral, doença de Alzheimer) e o custo elevado de seus tratamentos e os cuidados em longo prazo?

Foto: Cinthia Casagrande
Fonte: www.flickr.com

    Estima-se que na metade deste século serão 11 milhões de norte americanos portadores da doença de Alzheimer, o dobro dos dados atuais. Aumentos semelhantes são projetados para muitos países, cuja população global de portadores deve dobrar a cada 20 anos, o que deve exceder os 115 milhões de pessoas em 2050.

    O Relatório aponta que as causas são o aumento no número de idosos em relação à população geral e, ainda, as taxas de fertilidade reduzidas em países de renda média e baixa.

    Os custos de tratamento são elevados. Por exemplo, no Reino Unido se gasta £23 bilhões para tratamento da doença de Alzheimer, o que equivale, praticamente, ao somatório do que se gasta com doenças do coração (£8 bilhões) e câncer (£12 bilhões).

    Considerando o aumento na expectativa de vida da população é possível dizer que novos idosos potencialmente portadores de doenças estão a caminho. Conforme menciona o Relatório a proporção de norte americanos, entre 50 e 64 anos (que relataram precisar de cuidados pessoais, como ajuda para descer da cama ou subir 10 degraus), aumentou significativamente se comparado aos dados de 2007. A artrite foi a causa mais indicada. A diabetes também teve papel importante e crescente nestes dados.

     Algumas medidas preventivas são bem conhecidas e necessárias que podem nos ajudar a viver mais tempo com melhor qualidade: exercícios são fundamentais e possuem benefícios no sentido de afastar determinadas patologias.

     Os impactos do envelhecimento da população serão sentidos em toda a sociedade. Portanto, necessário e oportuno promover mudança para melhores soluções na área urbana, por meio de planejamento para viabilizar a readequação de cidades e ambientes construídos.

     Importante, também, investir em mais pesquisa, no sentido de favorecer o desenvolvimento de tratamentos, que possibilitem qualidade de vida e de condições de se gerar riqueza (produtividade), ao mesmo tempo.

 Fonte: WEF

Publicidade

Mercúrio – Tempo de agir

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

10 de Janeiro de 2013

     Os países em desenvolvimento enfrentam o aumento dos riscos ambientais e de saúde relacionados à exposição do mercúrio, segundo informações do novo estudo do UNEP (United Nations Environment Programme), publicado hoje.

MIneração com mercúrio
Fonte: UNEP

     Em alguns lugares da América do Sul, África e Ásia houve aumento das emissões de mercúrio no meio ambiente devido principalmente ao uso desta substância tóxica na mineração de ouro e através da queima de carvão para geração de energia elétrica.

    A publicação do UNEP, Avaliação Global de Mercúrio – 2013 (Global Mercury Assessment 2013) relata que a emissão deste metal pesado, oriunda da mineração de ouro, dobrou desde 2005, em parte devido ao aumento do preço do ouro.

    Conforme o documento, a Ásia é a região que mais emite mercúrio e responde pela metade de todas as emissões globais. O estudo, que fornece análise abrangente das emissões de mercúrio por região e por setor econômico, também destaca lançamentos significativos para o meio ambiente correlacionados a áreas contaminadas e desmatamento. O relatório diz que cerca de 260 toneladas de mercúrio – anteriormente encontradas nos solos – estão sendo lançados em rios e lagos.

    Algumas fontes de mercúrio destacadas no Relatório do UNEP (ou PNUMA) são:

produção de metal e cimento, por meio da extração de combustível e combustão de combustíveis fósseis;

• produtos de consumo, tais como aparelhos eletrônicos, interruptores, baterias, lâmpadas e cosméticos, como cremes de clareamento da pele e rímel. O mercúrio contido em tais bens também pode entrar no fluxo de resíduos.

• Odontologia: cerca de 340 toneladas de mercúrio são usadas anualmente para fazer recheios e outros produtos dentais, dos quais até 100 toneladas são suscetíveis de entrar no fluxo de resíduos

• Produção de Plástico – especialmente a fabricação de policloreto de vinil (PVC).

• A indústria do cloro e álcalis (produção de cloro e soda cáustica do sal)

mineração – embora a prática seja limitada a alguns países

     Não é a primeira vez que o UNEP produziu um Relatório a este respeito. Sua primeira Avaliação Global de Mercúrio foi publicada em 2002 e um estudo posterior, em 2007. A avaliação de 2013 é a mais abrangente e inclui informações, pela primeira vez, sobre o lançamento e os impactos do mercúrio em ambientes aquáticos.

      O Relatório Mercúrio: Tempo de Agir está disponível aqui

Fonte: UNEP

Publicidade

Participação de entidades ambientalistas – biênio 2013/2015

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

09 de Janeiro de 2013

     A participação da sociedade civil no processo de sustentabilidade é importante e necessária. Regras e normas existem para dar legitimidade ao processo de participação.

    O CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente), órgão consultivo e deliberativo, integrante do Sistema Nacional de Meio Ambiente (SISNAMA) tem a participação da sociedade civil, por meio das entidades ambientalistas.

    Está na hora de fazer a atualização dos dados cadastrais!!! O Departamento de Educação Ambiental – DEA, do MMA, solicita, então, às entidades ambientalistas que atualizem seus dados cadastrais (endereço, telefone e e-mail), em virtude da proximidade das eleições para o Conselho Nacional de Entidades Ambientalistas (CNEA)/CONAMA, para o biênio 2013/2015.

    Os representantes eleitos devem ocupar as vagas de ambientalistas como conselheiros no CONAMA. O CNEA, criado pela Resolução CONAMA n. 006/1989, foi instituído com o objetivo de manter, em banco de dados, o registro das Entidades Ambientalistas não governamentais atuantes no Brasil, cuja finalidade principal seja a defesa pela meio ambiente.

    Estar cadastrado no CNEA é o pré-requisito utilizado pelo CONAMA para eleição dos representantes das cinco regiões geográficas (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro Oeste) que ocupam vagas de Conselheiros do CONAMA, por um período de dois (02) anos.

    A atualização dos dados pode ser feita pelo e-mail: cnea@mma.gov.br. Vamos lá, prezados leitores do Blog Verde, divulguem e compartilhem a informação com os interessados. A participação da sociedade civil é condição sine qua non para territórios que almejam o desenvolvimento sustentável.

Fonte: MMA

 

Publicidade

Riscos Globais 2013 – ambientais e econômicos

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

08 de Janeiro de 2013

    O Fórum Econômico Mundial (World Economic Forum) publicou hoje o Relatório Riscos Globais 2013 (Global Risks 2013 Report – eighth edition) em que comenta que, em linhas gerais, as perspectivas econômicas e sociais são ligeiramente mais pessimistas se comparadas a 2012.

Fonte:WEF

     Mencionado Relatório é desenvolvido anualmente por um grupo de mais de 1000 especialistas oriundos das áreas de indústria, do Governo, da Academia e da sociedade civil que analisaram cenários de 50 riscos globais.

     O Relatório reflete a preocupação com o impacto da crise na zona do euro e da falta de perspectiva positiva sobre o aquecimento global da atmosfera oriunda, sobretudo, da ação industrial do ser humano.

    O Relatório considera como um dos riscos globais, cuja realização é mais provável de acontecer nos próximos 10 anos, uma grande falha no sistema financeiro.

    O aumento das emissões dos gases de efeito estufa é o terceiro maior risco apontado pelos especialistas. Dois outros riscos estão entre os cinco de maior impacto provável, conforme o Relatório: uma crise de água por causa das mudanças climáticas e inadequado manejo no processo de envelhecimento da população.

     Textualmente o Relatório Global Risks 2013 diz “a natureza dos riscos globais muda constantemente. Trinta anos atrás, os clorofluorcarbonos (CFCs) foram vistos como um risco planetário, enquanto a ameaça de um ataque cibernético em massa foi tratado por muitos como ficção científica. No mesmo período, a proliferação de armas nucleares ocuparam as mentes dos cientistas e políticos, enquanto a proliferação de detritos orbitais não.”

     Continua o Relatório “com novas informações, as percepções e realidades dos riscos mudaram, e muitas vezes em direções imprevisíveis. Por exemplo, em alguns momentos, a ameaça das emissões de gases de efeito estufa fez a energia nuclear parecer ser menos perigosa do que os combustíveis fósseis, em longo prazo. No entanto, a catástrofe nuclear em Fukushima, no Japão, mudou a percepção do público não apenas lá, mas também a política energética, quase do dia para noite, em algumas partes da Europa”.

     Aos interessados em conhecer os Riscos Globais 2013, cliquem aqui.

Fonte: WEF

Publicidade

Riscos Globais 2013 – ambientais e econômicos

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

08 de Janeiro de 2013

    O Fórum Econômico Mundial (World Economic Forum) publicou hoje o Relatório Riscos Globais 2013 (Global Risks 2013 Report – eighth edition) em que comenta que, em linhas gerais, as perspectivas econômicas e sociais são ligeiramente mais pessimistas se comparadas a 2012.

Fonte:WEF

     Mencionado Relatório é desenvolvido anualmente por um grupo de mais de 1000 especialistas oriundos das áreas de indústria, do Governo, da Academia e da sociedade civil que analisaram cenários de 50 riscos globais.

     O Relatório reflete a preocupação com o impacto da crise na zona do euro e da falta de perspectiva positiva sobre o aquecimento global da atmosfera oriunda, sobretudo, da ação industrial do ser humano.

    O Relatório considera como um dos riscos globais, cuja realização é mais provável de acontecer nos próximos 10 anos, uma grande falha no sistema financeiro.

    O aumento das emissões dos gases de efeito estufa é o terceiro maior risco apontado pelos especialistas. Dois outros riscos estão entre os cinco de maior impacto provável, conforme o Relatório: uma crise de água por causa das mudanças climáticas e inadequado manejo no processo de envelhecimento da população.

     Textualmente o Relatório Global Risks 2013 diz “a natureza dos riscos globais muda constantemente. Trinta anos atrás, os clorofluorcarbonos (CFCs) foram vistos como um risco planetário, enquanto a ameaça de um ataque cibernético em massa foi tratado por muitos como ficção científica. No mesmo período, a proliferação de armas nucleares ocuparam as mentes dos cientistas e políticos, enquanto a proliferação de detritos orbitais não.”

     Continua o Relatório “com novas informações, as percepções e realidades dos riscos mudaram, e muitas vezes em direções imprevisíveis. Por exemplo, em alguns momentos, a ameaça das emissões de gases de efeito estufa fez a energia nuclear parecer ser menos perigosa do que os combustíveis fósseis, em longo prazo. No entanto, a catástrofe nuclear em Fukushima, no Japão, mudou a percepção do público não apenas lá, mas também a política energética, quase do dia para noite, em algumas partes da Europa”.

     Aos interessados em conhecer os Riscos Globais 2013, cliquem aqui.

Fonte: WEF