Saúde ambiental – cenário cearense - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Saúde ambiental – cenário cearense

Por Nájila Cabral em Meio Ambiente, Saúde Ambiental

06 de agosto de 2012

Ontem, 05 de agosto, foi o Dia Nacional da Saúde. Então, que tal conversarmos um pouco sobre um dos indicadores de saúde ambiental? A taxa de mortalidade em crianças menores de 01 ano de idade.

Quanto mais elevada a taxa, pior a situação do município e piores as condições de saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece como admissível a taxa de mortalidade de 10 para cada 1000 nascidos vivos.

O Estado do Ceará, ao longo dos últimos 18 anos, tem tido melhoras neste indicador. A figura abaixo traz os cenários do estado do Ceará para os anos 1991, 2000 e 2009 (da esquerda para direita).

Fonte: IPECE, 2010.

Em 2009, os indicadores demonstram 41 municípios com taxa de mortalidade de 0 a 10; atendendo, assim, o que estabelece a OMS. Portanto, temos uma “batalha” importante para enfrentarmos, nos governos locais, na tentativa de reverter essa realidade. Dos 184 municípios do estado do Ceará, 143 precisam estabelecer ações nesta área para atingir patamares admissíveis.

Talvez este seja um ponto interessante de discussão para por na pauta dos programas dos postulantes a cargo de chefe do poder executivo municipal. Que acham?

 

Publicidade aqui

Saúde ambiental – cenário cearense

Por Nájila Cabral em Meio Ambiente, Saúde Ambiental

06 de agosto de 2012

Ontem, 05 de agosto, foi o Dia Nacional da Saúde. Então, que tal conversarmos um pouco sobre um dos indicadores de saúde ambiental? A taxa de mortalidade em crianças menores de 01 ano de idade.

Quanto mais elevada a taxa, pior a situação do município e piores as condições de saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece como admissível a taxa de mortalidade de 10 para cada 1000 nascidos vivos.

O Estado do Ceará, ao longo dos últimos 18 anos, tem tido melhoras neste indicador. A figura abaixo traz os cenários do estado do Ceará para os anos 1991, 2000 e 2009 (da esquerda para direita).

Fonte: IPECE, 2010.

Em 2009, os indicadores demonstram 41 municípios com taxa de mortalidade de 0 a 10; atendendo, assim, o que estabelece a OMS. Portanto, temos uma “batalha” importante para enfrentarmos, nos governos locais, na tentativa de reverter essa realidade. Dos 184 municípios do estado do Ceará, 143 precisam estabelecer ações nesta área para atingir patamares admissíveis.

Talvez este seja um ponto interessante de discussão para por na pauta dos programas dos postulantes a cargo de chefe do poder executivo municipal. Que acham?