educação científica e tecnológica Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

educação científica e tecnológica

Fomento de energia eólica no Brasil

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

25 de dezembro de 2012

     Conforme o CGEE (Centro de Gestão e Estudos Estratégicos), a matriz elétrica brasileira é predominantemente hidráulica, mas tem passado por um processo de diversificação, pela introdução de outras formas de geração de energia, como a eólica. Embora a energia eólica ainda não represente 2% da matriz de produção de eletricidade, o setor eólico nacional tem crescido com a instalação de diversos parques eólicos. O índice de importação nesta área ainda é grande, principalmente em componentes de alto valor tecnológico agregado. Este fato mostra a necessidade de ações que visem o desenvolvimento de uma tecnologia nacional para o setor eólico.

     Nesse contexto, o CGEE lançou, em 2012, o livro “Análises e percepções para o Desenvolvimento de uma política de CT &I no fomento de energia eólica no país”, que visa consolidar um conjunto de notas técnicas desenvolvidas no âmbito do CGEE, com o objetivo de apresentar sugestões de ações de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) para apoiar este segmento da indústria e o desenvolvimento do país.

     Conforme o referido documento, “no caso brasileiro, o processo de inserção da fonte eólica na matriz elétrica nacional inicialmente contou com o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), sendo este uma política de incentivos no estilo das tarifas feed-in. Com o apoio desse Programa, acelerou-se a curva de aprendizagem da energia eólica no Brasil, que, desde 2009, já tem competido nos leilões de energia do ambiente regulado com outras formas tradicionais de geração”.

     O documento traz, ainda, alguns dados interessantes, a exemplo do resultado de que a fonte de energia eólica, “no Brasil passou, nos últimos seis anos, de 22 MW de potência instalada para cerca de 1.500 MW, e já há perspectivas de se dobrar este número até o início de 2013, por meio dos projetos contratados nos últimos leilões. A partir de 2013, estima-se um acréscimo de cerca de 2 GW por ano, e projeta-se que o Brasil ocupe a 4ª ou a 5ª posição em capacidade instalada no ranking mundial em 2016. O crescimento da energia eólica no Brasil demonstra o dinamismo dessa indústria, a qual apresenta um grande potencial de geração de empregos e de desenvolvimento da economia.”

Fonte: CGEE

Publicidade

Semana da Engenharia Ambiental e Sanitária

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Educação Ambiental, Meio Ambiente

05 de dezembro de 2012

     Desde o dia 03/12, no IFCE Campus Maracanaú, com encerramento previsto para às 18:00h de hoje; está acontecendo a I Semana de Engenharia Ambiental e Sanitária, com organização dos alunos do Curso da Engenharia Ambiental.

Fonte: IFCE Maracanaú

    Na programação, minicursos: Introdução à qualidade dos recursos hídricos, com o Prof. Leonardo Feitosa, Geotecnologias aplicadas aos estudos ambientais, com Prof. Narcélio Pereira Filho; Sensoriamento remoto aplicado ao planejamento, com Prof. Davy Rabelo e Consumismo; Licenciamento e Estudos Ambientais, com a Profa. Laécia Amorim e a Geração de resíduos urbanos, com o Prof. Humberto Carvalho, dentre outros.

    Os temas das Mesas Redondas, nos dias do evento, foram as mais ricas e diversificadas, contemplando assuntos pertinentes e atuais, a exemplo dos temas: Mudanças Climáticas no Semiárido e Mundo Pós Rio+20: Entraves e Desafios.

    Muitas palestras aconteceram nestes três dias de evento, dentre estas a do Ricardo Telles intitulada Energias Renováveis e biomassa: rumo ao desenvolvimento sustentável.

Fonte: IFCE Maracanaú

    Parabéns aos organizadores do evento que, espero, tenha continuidade nos próximos anos; pois permite, indubitavelmente, troca de experiências e transmissão de conhecimentos importantes para à prática profissional.

 

Publicidade

Educação Ambiental e permacultura

    Hoje, 03/12, houve a Oficina de Permacultura,no Cambeba, dentro das atividades da CODEA/SEDUC e Comissão A3P.

Oficina de Permacultura – dez/2012
Foto: Lindalva Cruz, 2012

    O facilitador, Skye, conduziu a Oficina com 62 pessoas, das seguintes instituições: escolas públicas estaduais, SEDUC, CREDE, SEMAM, ANEDE, IFCE, SEFOR, Comitê de Bacias da Região Metropolitana, CAIC Maria Alves Carioca, dentre outras.

    Dentre os relatos, no final da Oficina, no momento de sua avaliação:

    “Apesar da atual sociedade tecnológica, essa oficina mostrou o uso de equipamentos simples, mas com excelentes resultados. Interessante se ter o conhecimento teórico repassado nesta Oficina e a prática realizada no Recanto Ecológico da SEDUC.”

    “Importante saber que o Governo está colocando em prática os conceitos de educação e meio ambiente. Assim, o Recanto Ecológico é um ponto interessante para prática de alunos.”

Publicidade

Conhecendo a caatinga

     O II Simpósio Conhecendo a Caatinga acontece em Fortaleza, durante o período de 29 de outubro até 03 de novembro, com promoção do PET do curso de Ciências Biológicas da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Fonte: Associação Caatinga e UECE

    Conforme noticia o site da Associação Caatinga, serão realizadas palestras e mesas-redondas com pesquisadores vinculados a instituições envolvidas com a preservação e conservação do bioma Caatinga, além da apresentação de experiências em pesquisas relacionadas a este bioma.

    Durante os três últimos dias (1, 2 e 3 de novembro) será realizada aula de campo na Reserva Natural Serra das Almas, em Crateús, no interior do estado do Ceará, na qual os participantes terão a oportunidade de entrar em contato com o bioma, visando uma percepção voltada para sua importância e riqueza.

    Aos interessados em saber mais, cliquem aqui.

Fonte: Associação Caatinga

Publicidade

Diversidade e Inclusão Educacional

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

18 de outubro de 2012

    Uma das mais belas riquezas do ser humano é a diversidade. A existência de seres humanos diferentes, com culturas diversas e etnias variadas é o que torna o mundo completo.

    A convivência entre todos os seres humanos só nos é possível se as diferenças forem respeitadas, em sua integridade. Conforme a Declaração Universal dos Direitos Humanos, aprovada em 10/12/1948 na Assembleia Geral da ONU, seu Art.2º traz textualmente que não deve haver, em momento nenhum, discriminação por raça, gênero, idioma, nacionalidade, opinião ou qualquer outro motivo.

     Os direitos humanos são direitos essenciais a todos. Os direitos podem ser civis ou políticos, como o direito à vida, à igualdade perante a lei e à liberdade de expressão. Podem ser econômicos, sociais e culturais, como o direito ao trabalho e à educação, e coletivos como o direito ao desenvolvimento.

     Todos os cidadãos têm direito à Educação. A educação é um dever da família e do Estado. Conforme portal do MEC, todas as pessoas têm direito à igualdade de condições para o acesso e a permanência na escola, que deve garantir o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, o respeito à liberdade e o apreço à tolerância. Portanto, a Inclusão Educacional é dever do Estado, dentro de suas diversas esferas de atuação.

     No Ceará, em nível estadual, a Coordenadoria de Desenvolvimento da Escola e da Aprendizagem/Diversidade e Inclusão Educacional está abraçando um desafio importante frente ao estabelecimento de Diretrizes Educacionais que contemplem as diversas modalidades de ensino, suas interfaces e suas especificidades.

     Em recente reunião, a Profa. Nohemy Ibanez, coordenadora de Desenvolvimento da Escola e Aprendizagem/Diversidade e Inclusão Educacional comentou da importância da garantia de direitos a todos os cidadãos do acesso ao ensino com qualidade. Sob sua responsabilidade, a SEDUC/CODEA deve elaborar uma publicação com fundamentos legais, procedimentos e diretrizes estaduais, que contemplem as modalidades: Educação do campo, Educação Indígena, Educação Ambiental, Educação de Jovens e Adultos e Educação Especial.

    Certamente a publicação será um marco na história do Ceará concernente à implementação de políticas públicas com o propósito no respeito à diferença e no compromisso com a promoção dos direitos humanos.

Fonte: Declaração Universal dos Direitos Humanos, ONU e    MEC

Publicidade

Estratégias e mudanças para a sustentabilidade

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

16 de outubro de 2012

   Com o tema Estratégias e mudanças para a sustentabilidade, o 8º. Simpósio de Saneamento Ambiental (SISAM) do IFCE iniciou ontem e prossegue até o dia 17 de outubro. A Coordenação Geral é de responsabilidade do Prof. Adeildo Silva do IFCE Campus Fortaleza, que apoia esta edição que acontece no IFCE Campus Sobral, cuja Coordenação local é do Prof. Germário Araújo.

Fonte: IFCE Campus Sobral

    O SISAM é uma iniciativa dos alunos do curso de Tecnologia em Saneamento Ambiental do IFCE com o suporte dos professores. O 8º SISAM faz parte da programação oficial da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovida pelo MCTI e apoiada, no Ceará, pela SECITECE.

     Hoje a palestra de abertura “Reuso de água: alternativa para sustentabilidade” começa às 08:30h com o Prof. Titular Suetônio Mota (UFC). A programação da manhã envolve mesa redonda intitulada “Profissionais de Tecnologia: atribuições e desafios dos tecnólogos”.

      Amanhã tem palestra “Gestão de efluentes: um aspecto fundamental na gestão de recursos hídricos” e Mesa redonda “Energias Renováveis”, com a participação do Prof. Ricardo Teles, da Universidade de Aveiro, Portugal.

     Durante o evento são oferecidos minicursos: Fossas Verdes, com a Profa. Laldiane Pinheiro (UNIFOR), Índices de Qualidade de Água Bruta: aplicação e estudos de caso, com o Prof. Maurício Barreto (IFCE) e Fonte de Energias Renováveis: produção de biogás a partir de resíduos, com o Prof. Alexandre Lopes (UFC).

     Hoje, dia 16/10, os participantes terão oportunidade de realizar Oficina: “Fabricação artesanal de briquetes”, tendo como facilitadores a aluna de Saneamento Ambiental, Marcela Albuquerque, com a supervisão do Prof. Adeildo Silva.

    Encerrando a programação, o M.Sc. Gerardo Basílio Sobrinho, da ARCE, faz palestra sobre Planos de Saneamento, às 17:30h, do dia 17/10.

    Convite feito a todos. Participem! Excelente oportunidade para ampliar os conhecimentos. Mais informações, cliquem aqui.

Publicidade

Encontros preparatórios para Fórum Mundial de Ciência -2013

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

13 de outubro de 2012

     Em 2009, houve como principal resultado de encontros sobre Ciência e Tecnologia a formalização de uma Declaração Regional sobre o tema, que foi apresentada no décimo aniversário do Fórum Mundial de Ciência – 2009, em Budapeste, Hungria. O eixo principal dessa declaração é o estabelecimento de um plano estratégico regional orientado à resolução de problemas comuns que afetam esses países e à necessidade de introdução da temática da inclusão social nas políticas nacionais de CT&I.

     Essa iniciativa resultou na indicação da cidade do Rio de Janeiro para sediar a edição 2013 do Fórum Mundial de Ciência, que terá como tema central “Ciência para o Desenvolvimento Global”.

     Com a participação de um conjunto de atores que compõem o sistema nacional de CT&I, foi então criada, no final de 2011, a Comissão Executiva Nacional do Fórum Mundial de Ciência 2013, com funções relacionadas à participação do governo brasileiro na preparação, programação temática e coordenação institucional do Fórum Mundial a ser realizado em novembro de 2013. Essa Comissão reúne representantes de 12 entidades do setor (MCTI, ABC, SBPC, MRE, MEC-CAPES, CNPq, FINEP, CGEE, ANDIFES, CONSECTI, CONFAP e Escritório da UNESCO no Brasil).

     Pela importância do evento, em diferentes capitais brasileiras. Em cada um desses encontros serão discutidos temas relacionados aos principais desafios da ciência no século XXI, nos contextos nacional e internacional. Quatro temas transversais serão, porém, comuns aos 7 Encontros: (1) Educação em ciência; (2) Difusão e acesso ao conhecimento e interesse social; (3) Ética na ciência; (4) Ciência para o desenvolvimento sustentável e inclusivo.

     Ao final desse importante debate em nível nacional sobre o papel da ciência para o desenvolvimento global, pretende-se editar uma publicação final com a consolidação das proposições e principais conclusões das discussões realizadas, a ser lançada previamente ao Fórum Mundial de novembro de 2013.

Confira o local e datas previstas para os 07 Encontros Preparatórios do Fórum Mundial de Ciência:

1º. Encontro Preparatório

São Paulo/SP, de 29 a 31/08/2012

2º. Encontro Preparatório

Belo Horizonte/MG, em 29 e 30/10/2012

3º. Encontro Preparatório

Manaus/AM, de 28 a 30/11/2012.

4º. Encontro Preparatório

Salvador/BA, previsto para dezembro/2012

5º. Encontro Preparatório

Recife/PE, em 2013

6º. Encontro Preparatório

Porto Alegre/RS, em 2013

7º. Encontro Preparatório

Brasília, DF, em 2013.

Fonte: CGEE, 2012.

Publicidade

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Governos Locais, Meio Ambiente

12 de outubro de 2012

     Acontece em todo o Brasil, de 15 a 21 de outubro de 2012, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). Esta é a nona edição promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O tema deste ano é “Economia Verde, Sustentabilidade e Erradicação da Pobreza” coincidindo com os temas-foco da UNCSD 2012, a chamada Rio+20.

Fonte: MCTI, 2012.

      A SNCT é realizada desde 2004 com o objetivo de mobilizar a população, em especial crianças e jovens em torno de temas e atividades em ciência e tecnologia. Ano passado, 2011, a participação envolveu 16.000 atividades em todo o país em 654 governos locais (municípios).

     Toda a programação é gratuita. O evento está com muitas atrações, exposições e palestras em todo o país.

    Aqui no Ceará, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior promove, dentre outras atividades, a Exposição SNCT 2012, na Praça Luiza Távora, de 16 a 19/10, das 09:00h às 18:00h. No dia 19/10, no Auditório da Assembleia Legislativa do Ceará tem palestra com Amyr Klink, às 19:00h.

    Convite feito. Procure em seu município os eventos da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Participe!

Publicidade

O debate sobre desenvolvimento passa pela educação científica e tecnológica

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

13 de setembro de 2012

      Ignacy Sachs, no meu entendimento o maior pensador e conhecedor da temática desenvolvimento, coloca que a possibilidade do desenvolvimento sustentável deve se iniciar com o gerenciamento das crises, inclusive o de se redesenhar políticas para estimular este desenvolvimento.

     Dentre as estratégias está a educação científica e tecnológica como alta prioridade. Trabalhadores qualificados certamente possuem inserção no sistema produtivo com melhor acessibilidade.

Foto: Estela Giro

     Para tanto, eventos científicos e tecnológicos que estimulem o aluno e o professor e que favoreçam a prática da pesquisa, do desenvolvimento tecnológico (de produtos e de processos) são importantes ferramentas que auxiliam na mudança necessária para o desenvolvimento includente e sustentado.

    Esta semana, marcamos presença em um evento científico e tecnológico, promovido por uma Faculdade privada. Além da salutar troca de informações sobre o legado da Rio+20, sobre seus objetivos e metas alcançados, sobre como se deu a forma de participação dos atores sociais (stakeholders) em todo o processo da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD 2012), tivemos a oportunidade de observar os trabalhos científicos desenvolvimentos, de base cientifica sólida nas áreas de ciências contábeis, administração, turismo, dentre tantas outras.

     É possível perceber que os eventos acontecem, em quantidade e qualidade, para à sociedade. Cabe a ela a escolha de participar efetivamente para ampliar o conhecimento científico e tecnológico.

Publicidade

O debate sobre desenvolvimento passa pela educação científica e tecnológica

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

13 de setembro de 2012

      Ignacy Sachs, no meu entendimento o maior pensador e conhecedor da temática desenvolvimento, coloca que a possibilidade do desenvolvimento sustentável deve se iniciar com o gerenciamento das crises, inclusive o de se redesenhar políticas para estimular este desenvolvimento.

     Dentre as estratégias está a educação científica e tecnológica como alta prioridade. Trabalhadores qualificados certamente possuem inserção no sistema produtivo com melhor acessibilidade.

Foto: Estela Giro

     Para tanto, eventos científicos e tecnológicos que estimulem o aluno e o professor e que favoreçam a prática da pesquisa, do desenvolvimento tecnológico (de produtos e de processos) são importantes ferramentas que auxiliam na mudança necessária para o desenvolvimento includente e sustentado.

    Esta semana, marcamos presença em um evento científico e tecnológico, promovido por uma Faculdade privada. Além da salutar troca de informações sobre o legado da Rio+20, sobre seus objetivos e metas alcançados, sobre como se deu a forma de participação dos atores sociais (stakeholders) em todo o processo da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD 2012), tivemos a oportunidade de observar os trabalhos científicos desenvolvimentos, de base cientifica sólida nas áreas de ciências contábeis, administração, turismo, dentre tantas outras.

     É possível perceber que os eventos acontecem, em quantidade e qualidade, para à sociedade. Cabe a ela a escolha de participar efetivamente para ampliar o conhecimento científico e tecnológico.