UNEP Archives - Página 2 de 3 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

UNEP

Fórum de Ministros de Meio Ambiente da América Latina e do Caribe

    Termina hoje, 14 de março, o 19º Encontro do Fórum de Ministros de Meio Ambiente da América Latina e do Caribe, que iniciou em 11 de março, na cidade de Los Cabos, no México.

     O Encontro reuniu ministros de meio ambiente de 31 diferentes países da América Latina e do Caribe, contando com a presença de especialistas como Rajendra Pachauri, Presidente do IPCC e Achim Steiner, Sub-Secretário Geral da ONU e Diretor do UNEP.

     O Fórum de Ministros de Meio Ambiente da América Latina e do Caribe foi criado em 1985 em resposta à necessidade de confrontar os crescentes níveis de pobreza e as preocupações sociais e ambientais. Mencionado fórum é o espaço que concede às autoridades regionais de meio ambiente oportunidade para refletir sobre os desafios das agendas ambientais, em níveis global e regional.

     As discussões deste Encontro do Fórum trazem as preocupações com as mudanças climáticas e suas consequências para os ambientes, em nível global. A preocupação diz respeito às últimas informações do IPCC que apontam um possível aumento de temperatura de mais de 4,8º C para o final deste século XXI e uma possível elevação do nível do mar entre 26 a 82 centímetros. Os desafios destes cenários são maiores para as os pequenos estados insulares.

    Aliás, este ano, 2014, é o ano Internacional dos Pequenos Estados Insulares e a UNEP resolveu dedicar o Dia Mundial do Meio Ambiente 2014 ao desenvolvimento sustentável dos Pequenos Estados Insulares e os desafios ambientais que eles enfrentam.

Fonte: UNEP

Publicidade

Oportunidade de emprego nas Nações Unidas

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

09 de Janeiro de 2014

     Até 18 de janeiro estão abertas as inscrições para processo seletivo para a vaga de Oficial de Programa (Programme Officer), nível P-3, do Programa das Nações Unidas pelo Meio Ambiente (PNUMA ou UNEP, sigla em inglês) para trabalhar em Bonn, na Alemanha.

     Os candidatos devem ter nível de Mestrado nas áreas de administração, destão ambiental, economia ou áreas afins. Devem apresentar, também, no mínimo, 5 anos de experiência em projetos ou programas de manejo, economia ou áreas afins. Experiência em organização e planejamento de eventos internacionais ou conferências é estimulada. As línguas oficiais da Secretaria das Nações Unidas são Inglês e Francês. O candidato deve apresentar fluência na escrita e oral na língua inglesa.

     Aos interessados, mais informações, cliquem aqui.

Fonte: UNEP

Publicidade

Oportunidades de emprego no PNUMA

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

25 de outubro de 2013

     Caros leitores do Blog Verde, o PNUMA (Programa das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, ou a sigla em inglês UNEP) está com vagas abertas para diversos cargos em diferentes cidades do mundo.

    Uma das vagas é para Diretor Regional, na cidade de Washington. Os interessados podem se inscrever até 26/10 aqui, onde vão encontrar, também, mais informações sobre as competências exigidas e as responsabilidades do emprego. Exige-se graduação e Mestrado em Relações Internacionais, Ciência Política, Direito ou áreas afins. A fluência no inglês é exigida, sendo desejável também o francês.

     Outra vaga é para Diretor da Divisão de Implementação de Política Ambiental, para Nairobi. Os interessados podem clicar aqui para obter mais informações e se inscrever, até 03/11. Exige-se graduação e Mestrado em Ciências Sociais, Ciências Naturais, Administração, Negócios, Direito Economia, Gestão Ambiental ou áreas afins.

Fonte: UNEP

Publicidade

Qual é o mundo que queremos?

     Desde novembro de 2012 até maio de 2013, houve consulta pública para ouvir as vozes do mundo inteiro sobre a discussão de sustentabilidade ambiental para o que se deseja na agenda pós-2015. Durante esse período, conforme UNEP, foram 1100 submissões e comentários a respeito das temáticas oriundos de 173 países.

     Está agora disponível o rascunho do Relatório O Mundo que Queremos para comentários. Este processo de visualização e de comentários ficará disponível até 26 de julho e pode ser acessado aqui.

    O Relatório (Draft Report) informa que as respostas atuais são curtas para manter o passo da multiplicidade e complexidade das atividades humanas no planeta, que estão aumentando as desigualdades e provocando mudanças ambientais. Estas, por sua vez, incrementam a vulnerabilidade humana e prejudicam o bem-estar, particularmente das mulheres, crianças e pobres.

my_world_ONU

    Ainda conforme o Relatório, muitos compartilham do otimismo de que a inovação e as soluções integradas demonstram que temos conhecimento e capacidade para redirecionar a trajetória para o desenvolvimento sustentável e fazer uma agenda universal, que reflitam os objetivos comuns e que reflitam a realidade.

    As contribuições oriundas dos 173 países convergiram para a necessidade de transformação, particularmente na governança e na responsabilidade, na ação local e no empoderamento das populações locais, na educação e em mudanças econômicas.

    Convite feito! Caros leitores do Blog Verde, participem! Este é o momento de colocar na pauta mundial o que nós queremos, o que desejamos… inclusive para nossos filhos.

Publicidade

A modelo Gisele Bündchen grava mensagem de apoio a Energia para Todos (Energy for All)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

02 de Março de 2013

    A Embaixadora da Boa Vontade do Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas (PNUMA), Gisele Bündchen, se juntou ao ex-vice-presidente Al Gore para dar apoio à iniciativa do Secretário-Geral Ban Ki-Moon, para alcançar o acesso universal a serviços de energia até 2030.

Fonte:UNEP

Fonte:UNEP

    Em mensagens de vídeo que começou a ser exibida esta semana, a modelo Gisele Bündchen e Al Gore, juntamente com o chefe das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI), Kandeh K. Yumkella, defendem a iniciativa para Energia Sustentável (Energy for All).

   Para ver o vídeo, cliquem aqui.

 Fonte: UNEP

Publicidade

Agindo por um mundo melhor – parte 1

     Escrito por jovens para jovens, a publicação “TUNZA: Agindo por um mundo melhor” é resultado da Conferência Internacional sobre Meio Ambiente, realizado em Nairóbi, de 10 a 14 de fevereiro. A palavra “Tunza” significa “tratar com cuidado e afeto” em swahili (idioma da África Oriental) e é um programa das Nações Unidas.

    Mencionada publicação examina uma variedade de tendências relacionadas com o Sistema Terra, e explora se os acordos e metas internacionais – como aqueles relacionados às mudanças climáticas, perda de biodiversidade e produtos químicos perigosos – estão sendo alcançados.

    Ban Ki-Moon, Secretário Geral da ONU, diz: “recomendo este relatório para leitores de todas as idades interessadas em assegurar a integridade do pilar ambiental do desenvolvimento sustentável. “TUNZA: Agindo por um mundo melhor” é uma publicação baseada em dados científicos sólidos – a base de informação necessária para ativistas e políticos também. Ao aprender sobre o estado do nosso ambiente e as opções disponíveis para salvaguardá-lo, todos nós podemos contribuir para as soluções eficazes que irão melhorar o estado do nosso planeta”.

    Nas palavras de Achin Steiner, Diretor Executivo do UNEP, “a publicação, inspirada nas conclusões da GEO 5 (Global Environment Outlook: Environment for the Future We Want ) também tem por objetivo inspirar os jovens a fazer mais em suas vidas e em suas carreiras, seja como empresários, cientistas, ativistas ou tomadores de decisão política”.

   Esta semana, no Blog Verde, dedicaremos a falar aos jovens do Brasil, um pouco sobre os resultados desta Conferência e sobre o teor de seu relatório (Report). O Relatório “acabou de sair do forno”; mais atual impossível. Meu dever como cidadã, professora, “blogueira” e tantos outros papéis que desempenhamos na sociedade, é transmitir a informação. O que faço com intensa alegria.

    Vocês, meus caros jovens, são os grandes atores sociais que podem transformar esse mundo. Creio nisso, com todo o meu coração.

 Fonte: UNEP

Publicidade

Jovem cearense representa o Brasil em Conferência Internacional sobre Meio Ambiente

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

23 de Janeiro de 2013

      A Conferência Internacional TUNZA sobre o Meio Ambiente 2013 será realizada na sede do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (ONU), em Nairóbi, no Quênia, de 10 a 14 de fevereiro de 2013.

     Devem participar 300 jovens de 100 países que tem papel fundamental na elaboração de propostas para temas urgentes e globais, a exemplo de: Saúde e Meio Ambiente, Juventude e Empreendedorismo, Consumo Sustentável/ Estado Ambiental da Água, considerando os documentos adotados da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a chamada Rio+20.

Fonte: Prefututo Photo Sperman

Fonte: Prefututo Photo Sperman

     O jovem cearense Iranildo de Sousa Ferreira é o Representante da Juventude Ambientalista Brasileira nas Nações Unidas e Embaixador Climático do Brasil/ Climate Generation British Council.

     Conforme Iranildo: “na Conferência a juventude mundial terá a oportunidade de ser ouvida e mostrar que esta não é uma época para pessimismo nem para fazer vista grossa diante dos problemas ambientais. É a hora para uma ação construtiva e determinada, porque o sinal de alerta já foi dado”.

 Sobre o Programa TUNZA-PNUMA

      A Estratégia de Juventude TUNZA, adotada em 2003 pelo Conselho de Governamental do Programa das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente – PNUMA, é uma estratégia em longo prazo para envolver crianças e jovens no trabalho ambiental e no trabalho do PNUMA. A palavra “Tunza” significa “tratar com cuidado e afeto” em swahili (idioma da África Oriental). A iniciativa TUNZA visa desenvolver atividades nas áreas da sensibilização ambiental e partilha de informação sobre o meio ambiente para as crianças e os jovens. Para maiores informações, sobre este Programa da ONU, clique aqui.

Publicidade

Mercúrio – Tempo de agir

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

10 de Janeiro de 2013

     Os países em desenvolvimento enfrentam o aumento dos riscos ambientais e de saúde relacionados à exposição do mercúrio, segundo informações do novo estudo do UNEP (United Nations Environment Programme), publicado hoje.

MIneração com mercúrio
Fonte: UNEP

     Em alguns lugares da América do Sul, África e Ásia houve aumento das emissões de mercúrio no meio ambiente devido principalmente ao uso desta substância tóxica na mineração de ouro e através da queima de carvão para geração de energia elétrica.

    A publicação do UNEP, Avaliação Global de Mercúrio – 2013 (Global Mercury Assessment 2013) relata que a emissão deste metal pesado, oriunda da mineração de ouro, dobrou desde 2005, em parte devido ao aumento do preço do ouro.

    Conforme o documento, a Ásia é a região que mais emite mercúrio e responde pela metade de todas as emissões globais. O estudo, que fornece análise abrangente das emissões de mercúrio por região e por setor econômico, também destaca lançamentos significativos para o meio ambiente correlacionados a áreas contaminadas e desmatamento. O relatório diz que cerca de 260 toneladas de mercúrio – anteriormente encontradas nos solos – estão sendo lançados em rios e lagos.

    Algumas fontes de mercúrio destacadas no Relatório do UNEP (ou PNUMA) são:

produção de metal e cimento, por meio da extração de combustível e combustão de combustíveis fósseis;

• produtos de consumo, tais como aparelhos eletrônicos, interruptores, baterias, lâmpadas e cosméticos, como cremes de clareamento da pele e rímel. O mercúrio contido em tais bens também pode entrar no fluxo de resíduos.

• Odontologia: cerca de 340 toneladas de mercúrio são usadas anualmente para fazer recheios e outros produtos dentais, dos quais até 100 toneladas são suscetíveis de entrar no fluxo de resíduos

• Produção de Plástico – especialmente a fabricação de policloreto de vinil (PVC).

• A indústria do cloro e álcalis (produção de cloro e soda cáustica do sal)

mineração – embora a prática seja limitada a alguns países

     Não é a primeira vez que o UNEP produziu um Relatório a este respeito. Sua primeira Avaliação Global de Mercúrio foi publicada em 2002 e um estudo posterior, em 2007. A avaliação de 2013 é a mais abrangente e inclui informações, pela primeira vez, sobre o lançamento e os impactos do mercúrio em ambientes aquáticos.

      O Relatório Mercúrio: Tempo de Agir está disponível aqui

Fonte: UNEP

Publicidade

Passos práticos após Rio+20

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

22 de dezembro de 2012

    Em 21 de dezembro, ontem, em Nairóbi, mais um passo foi dado em direção ao “Futuro que queremos”, posto em prática com a decisão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, no sentido de reforçar e melhorar o Programa das Nações Unidas sobre Meio Ambiente (PNUMA ou UNEP).

    A decisão da ONU, expressa em Resolução da Assembleia Geral, permite a plena participação de todos os 193 Estados membros da ONU no Conselho de Administração do PNUMA, em fevereiro de 2013, e segue compromissos firmados pelos líderes mundiais na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio +20), em junho passado, para melhorar o quadro institucional para o desenvolvimento sustentável.

     As disposições contidas na resolução estão entre os primeiros passos práticos por parte da Assembleia Geral da ONU para implementar os resultados da Rio +20. Referida resolução visa aumentar o papel do PNUMA como a principal autoridade ambiental que define a agenda ambiental global. Prevê, ainda, a percepção de recursos financeiros regulares da ONU de maneira segura e estável, bem como apela aos doadores de PNUMA para aumentarem seus financiamentos voluntários.

    Conforme o Secretário Adjunto Geral e Diretor Executivo do PNUMA (UNEP), Sr. Achim Steiner, “a decisão da Assembleia Geral para reforçar e melhorar o PNUMA é um divisor de águas. Os membros do Conselho do PNUMA estabeleceram uma nova plataforma totalmente representativa para fortalecer a dimensão ambiental do desenvolvimento sustentável, e para fornecer a todos os governos voz igual nas decisões e ações necessárias para suportar o ambiente global, garantindo, assim, partilha mais justa dos recursos do mundo para todos”.

Fonte: UNEP

Publicidade

Compromissos voluntários para redução de poluentes

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente, Preservação

08 de dezembro de 2012

    Um dos resultados da COP 18 (18ª Conferência da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas), que terminou ontem, dia 07/12, em Doha, Qatar, é oriundo de seis (06) países que, juntos, somaram esforços para ação rápida na redução do carbono, metano, hidrofluorcarbonos (HFCs) e outros poluentes de curta duração climática (SLCPs).

Fonte:UNEP

    O anúncio feito pelo Chile, República Dominicana, Etiópia, Ilhas Maldivas, Holanda e República da Coreia traz a quase 50 o número de parceiros da Coalizão do Clima e do Ar Limpo (CCAC), uma iniciativa voluntária que visa maximizar a saúde, agricultura e benefícios para o clima de ação rápida em SLCPs.

Fonte: UNEP

    A ação rápida sobre o carbono e o metano tem o potencial de retardar o aumento da temperatura global em até 0,5 º C até 2050. Tem potencial, também, de reduzir mortes relacionadas à poluição do ar em até 2,4 milhões e também reduzir perdas em culturas em cerca de 30 milhões de toneladas por ano.

 Fonte: UNEP

Publicidade

Compromissos voluntários para redução de poluentes

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente, Preservação

08 de dezembro de 2012

    Um dos resultados da COP 18 (18ª Conferência da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas), que terminou ontem, dia 07/12, em Doha, Qatar, é oriundo de seis (06) países que, juntos, somaram esforços para ação rápida na redução do carbono, metano, hidrofluorcarbonos (HFCs) e outros poluentes de curta duração climática (SLCPs).

Fonte:UNEP

    O anúncio feito pelo Chile, República Dominicana, Etiópia, Ilhas Maldivas, Holanda e República da Coreia traz a quase 50 o número de parceiros da Coalizão do Clima e do Ar Limpo (CCAC), uma iniciativa voluntária que visa maximizar a saúde, agricultura e benefícios para o clima de ação rápida em SLCPs.

Fonte: UNEP

    A ação rápida sobre o carbono e o metano tem o potencial de retardar o aumento da temperatura global em até 0,5 º C até 2050. Tem potencial, também, de reduzir mortes relacionadas à poluição do ar em até 2,4 milhões e também reduzir perdas em culturas em cerca de 30 milhões de toneladas por ano.

 Fonte: UNEP