Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Aquiraz aumenta exportações em 50% no primeiro semestre de 2018

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

27 de agosto de 2018

Oitavo maior município exportador do Ceará, Aquiraz, localizado na região metropolitana de Fortaleza, exibiu, no primeiro semestre de 2018, um desempenho muito significativo nas vendas ao exterior. Em relação ao mesmo período do ano passado, foi registrado aumento de 50,5%, saindo de US$ 15,4 milhões para US$ 23,2 milhões. Na ótica das importações, a cidade apresentou o sétimo maior valor, contabilizando US$ 33,6 milhões, valor esse 39,3% menor do que o de 2017. Os dados são do estudo Análise em Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC, referente ao período de janeiro a julho deste ano.
O principal subsetor responsável por esse forte aumento nas vendas externas é o que engloba os produtos da castanha de caju, com um total exportado de US$ 19,5 milhões, valor esse 55,9% maior do que o exibido no mesmo período de 2017. Holanda (US$ 3,1 milhões) e México (US$ 2,3 milhões) foram os países que exibiram maior aumento nas compras dos produtos exportados por Aquiraz, com 440% e 135% respectivamente. Ainda assim, esse ranking segue sendo liderado pelos Estados Unidos, que comprou, no primeiro semestre de 2018, US$ 7,3 milhões, quase um terço do total exportado.
No primeiro semestre de 2018, a Alemanha superou a China como principal origem das importações de Aquiraz, com US$ 12,3 milhões, valor esse 120,5% maior do que o registrado em 2017. O país asiático vem em segundo com US$ 8,8 milhões, seguido por Índia, Dinamarca e Estados Unidos. O PIB de Aquiraz, contabilizado pelo IBGE em 2015 chegou à marca de R$ 1,9 bilhão, sendo 67% desse total englobado pelo setor de serviços, visto que a cidade possui a segunda maior rede hoteleira do estado. A indústria abarca 25%, enquanto o setor primário cerca de 6%. A produção de castanha de caju, frutas e mel são os principais motores da economia local.

Sobre o CIN

Centro Internacional de Negócios auxilia as empresas na inserção no mercado internacional, promovendo a cultura exportadora no Estado do Ceará. O CIN faz parte da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC, que junto com Serviço Social da Indústria – SESI Ceará, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI Ceará e Instituto Euvaldo Lodi – IEL Ceará formam o Sistema FIEC.

Publicidade aqui

Aquiraz aumenta exportações em 50% no primeiro semestre de 2018

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

27 de agosto de 2018

Oitavo maior município exportador do Ceará, Aquiraz, localizado na região metropolitana de Fortaleza, exibiu, no primeiro semestre de 2018, um desempenho muito significativo nas vendas ao exterior. Em relação ao mesmo período do ano passado, foi registrado aumento de 50,5%, saindo de US$ 15,4 milhões para US$ 23,2 milhões. Na ótica das importações, a cidade apresentou o sétimo maior valor, contabilizando US$ 33,6 milhões, valor esse 39,3% menor do que o de 2017. Os dados são do estudo Análise em Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC, referente ao período de janeiro a julho deste ano.
O principal subsetor responsável por esse forte aumento nas vendas externas é o que engloba os produtos da castanha de caju, com um total exportado de US$ 19,5 milhões, valor esse 55,9% maior do que o exibido no mesmo período de 2017. Holanda (US$ 3,1 milhões) e México (US$ 2,3 milhões) foram os países que exibiram maior aumento nas compras dos produtos exportados por Aquiraz, com 440% e 135% respectivamente. Ainda assim, esse ranking segue sendo liderado pelos Estados Unidos, que comprou, no primeiro semestre de 2018, US$ 7,3 milhões, quase um terço do total exportado.
No primeiro semestre de 2018, a Alemanha superou a China como principal origem das importações de Aquiraz, com US$ 12,3 milhões, valor esse 120,5% maior do que o registrado em 2017. O país asiático vem em segundo com US$ 8,8 milhões, seguido por Índia, Dinamarca e Estados Unidos. O PIB de Aquiraz, contabilizado pelo IBGE em 2015 chegou à marca de R$ 1,9 bilhão, sendo 67% desse total englobado pelo setor de serviços, visto que a cidade possui a segunda maior rede hoteleira do estado. A indústria abarca 25%, enquanto o setor primário cerca de 6%. A produção de castanha de caju, frutas e mel são os principais motores da economia local.

Sobre o CIN

Centro Internacional de Negócios auxilia as empresas na inserção no mercado internacional, promovendo a cultura exportadora no Estado do Ceará. O CIN faz parte da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC, que junto com Serviço Social da Indústria – SESI Ceará, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI Ceará e Instituto Euvaldo Lodi – IEL Ceará formam o Sistema FIEC.