Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Cervejaria Ambev anuncia ONGs de Fortaleza selecionadas para receberem mentoria voluntária em gestão

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

11 de Abril de 2019

Programa VOA irá capacitar as organizações com técnicas de administração de processos, orçamentos e pessoas
Os voluntários são os próprios funcionários da cervejaria – incluindo a alta liderança

Abril de 2019 – A Cervejaria Ambev selecionou 52 ONGs brasileiras, entre mais de 300 inscritas, para participarem do VOA. Entre elas, a Edisca – Escola de Desenvolvimento e Integração Social para Criança e Adolescente, que promove o desenvolvimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, Iprede – Instituto da Primeira Infância, que tem foco na nutrição e educação da primeira infância, e Projeto Verde Vida, que busca a educação integral de crianças. O programa de mentoria em gestão da companhia é voluntário, em que seus funcionários contribuem com conhecimentos em diferentes áreas para que as organizações se desenvolvam, ajudando a se estruturarem melhor e ampliarem seu impacto na sociedade.

Os funcionários voluntários, especialistas em diferentes áreas de atuação, serão responsáveis por oferecer mentoria personalizada para as ONGs, sendo os “padrinhos” de cada uma e acompanhando sua evolução ao longo do programa. Para esse ano mais de 400 funcionários se candidataram.

A Edisca, uma das representantes do estado do Ceará no programa, nasceu em 1991, em meio a um cenário de desigualdade social em Fortaleza, com fatores que indicavam risco para crianças e adolescentes da região. Seu trabalho tem como foco a formação artística desse público, por meio da dança, o fortalecimento do ensino formal, com professores que oferecem um reforço do conteúdo aprendido na sala de aula, e formação para a cidadania, que é promovida em grupos de convivência facilitados por psicólogos que tratam sobre direitos humanos e da criança e adolescente, entrando em temas que se aplicam à realidade deles, como sexualidade e violência no ambiente familiar e em suas comunidades.

Para ingressar, a ONG recebe crianças entre 8 e 12 anos – porém, de acordo com Dora Andrade, fundadora, muitos permanecem na instituição por longo tempo, e por isso costumam seguir com as atividades até aproximadamente os 24 anos. “Antes, nós determinávamos um tempo limite para os jovens ficarem na ONG. Mas, com o tempo, vimos que isso não fazia sentido, já que a maioria deles tem vontade de permanecer por no mínimo cinco anos. Sendo assim, decidimos deixá-los livres para estarem com a gente até quando quiserem e precisarem. Afinal, nosso foco é na educação continuada, e queremos ampará-los pelo maior tempo possível”, conta Dora.

Com a participação no VOA, a expectativa da ONG é conhecer ferramentas e técnicas a que auxiliem na captação de recursos. Isso porque esse é seu principal desafio atualmente – obter mais recursos para melhorar cada vez mais seus projetos e fazer a manutenção da organização como um todo. Além disso, a meta é atender, ao final de 2019, pelo menos 400 alunos – atualmente, atendem 283. “Estamos muito empolgados com o programa e a possibilidade de nos desenvolvermos por meio dele – já que isso quer dizer que poderemos beneficiar mais crianças e adolescentes, que tanto precisam desse apoio. Temos certeza que será uma experiência única para nós”, afirma a fundadora.

As aulas, que acontecerão em encontros presenciais e por meio de módulos online, terão início em maio e trarão conteúdos sobre gestão de orçamento, gerenciamento de projetos, elaboração de metas, planos de carreira, dentre outros.

O VOA está em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 1, 4, 8 e 17 da ONU, que buscam um mundo mais inclusivo e sustentável. “Sempre tivemos vontade de participar mais ativamente no desenvolvimento das organizações sociais, mas ainda não tínhamos clareza sobre como fazer isso – até que percebemos que poderíamos compartilhar nossos conhecimentos e práticas de gestão. No final das contas, nós também aprendemos muito com elas, então foi uma troca rica para ambos os lados”, conta Richard Lee, gerente de Sustentabilidade da Cervejaria Ambev, que irá participar como voluntário do programa pela segunda vez.

Para Lee, o VOA é extremamente importante para a cervejaria e está alinhado com seu sonho de unir as pessoas por um mundo melhor. “O programa não só nos aproxima ainda mais do terceiro setor, como também une os próprios funcionários, que escolhem dedicar boa parte de seu tempo às ONGs. O saldo é sempre positivo: nós saímos mais realizados e felizes com nosso trabalho”, conta.

Na conclusão do programa, as ONGs apresentarão ao final de 2019 um projeto prático realizado com base no que aprenderam ao longo dos meses, sendo que o mais bem avaliado receberá um auxílio financeiro. Em 2018, as organizações participantes puderam impactar cerca de 2 milhões de pessoas após a participação no programa.

Neste ano, as participantes de 2018 também terão a oportunidade de seguir acompanhando as aulas e encontros e poderão, inclusive, trocar experiências com as novas selecionadas, contribuindo ainda mais com seu desenvolvimento.

A escolha das participantes de 2019 envolveu critérios como potencial de impacto social nas novas gerações, visão de futuro e comprometimento. Abaixo estão os nomes, regiões e áreas de atuação das selecionadas.

SERVIÇO – Sobre as ONGs selecionadas para o VOA 2019

Artes: Instituto Core de Música (Joinville/SC), Instituto Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (Joinville/SC), Em Cena Arte e Cidadania (Recife/PE), IECAP – Instituto de Educação, Esporte, Cultura e Artes Populares (Brasília/DF).

Assistência social: Instituto Severino Ballesteros (Belo Horizonte/MG), Instituto Apontar (Rio de Janeiro/RJ), Associação Obra do Berco (São Paulo/SP), Instituto Semear (São José dos Campos/SP), Um Teto Para o Meu País (São Paulo), Associação Cultural Pisada do Sertão (Poço de José de Moura/PB), Vivenda da Criança (São Paulo/SP).

Educação: Programa Neojiba (Salvador/BA), Projeto Verde Vida (Crato/CE), Embaixadores de Minas (Belo Horizonte/MG), Instituto Gil Nogueira (Belo Horizonte/MG), Serviço de Tecnologia Alternativa (Ibimirim/PE), Semente do Futuro (Rio de Janeiro/RJ), Instituto Omunga (Joinville/SC), Associação Fazendo História (São Paulo/SP), Associação Turma do Jiló (São Paulo/SP), Associação Vaga Lume (São Paulo/SP), Colégio Mão Amiga (Itapecerica da Serra/SP), Fly Associação para a Educação e Cultura (São Paulo/SP), Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial (São Paulo/SP), Instituto Beabá (São Paulo/SP), Instituto Rogerio Steinberg (Rio de Janeiro/RJ).

Esportes: Instituto Cidadania Através do Esporte (São Paulo/SP), Abraço Campeão (Rio de Janeiro/RJ).

Geração de emprego e renda: Cipó – Comunicação Interativa (Salvador/BA), Clara Amizade (Salvador/BA), Obras Sociais Irmã Dulce (Salvador/BA), Edisca (Fortaleza/CE), Iprede (Fortaleza/CE), FAC – Fundação Assis Chateaubriand (Brasília/DF), Instituto Moinho Cultura Sul-Americano (Corumbá/MS), AJAM – Associação Jaibense de Apoio ao Menor (Jaíba/MG), CUFA Minas – Central Única das Favelas de Minas Gerais (Belo Horizonte/MG), CEAPS – Centro de Estudos Avançados Social e Ambiental (Santarém/PA), ABFB – Aliança Bayeux Franco-Brasileira (Bayeux/PB), Elo Apoio Social e Ambiental (Curitiba/PR), Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Rio de Janeiro/RJ), Ecos do Futuro (Rio de Janeiro/RJ), Gastromotiva (Rio de Janeiro/RJ), Bairro da Juventude dos Padres Rogacionistas (Criciúma/SC), AFESU – Associação Feminina de Estudos Sociais e Universitários (São Paulo/SP), Associação Franciscana de Defesa de Direitos e Formação Popular (São Paulo/SP), CORE – Comunidade Reinventando a Educação (São Paulo/SP), Fundação Observatório do Livro e da Leitura (Ribeirão Preto/SP), Instituto Social Ser Mais (São Paulo/SP), Mater Dei Cam – Criação e Movimento (Atibaia/SP), Oficinas Quero (Santos/SP), ALIAR – Associação Aliança para um Futuro Melhor (Miracema/TO).

Sobre a Cervejaria Ambev

Unir as pessoas por um mundo melhor. Esse é o sonho da Ambev, empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, somos mais de 32 mil pessoas que dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalhamos juntos para garantir momentos de celebração e diversão. A Ambev é uma cervejaria inovadora e temos o consumidor no centro de nossas decisões e iniciativas. Nosso portfólio conta com cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos e sucos, de marcas reconhecidas como Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica, Fusion, do bem e AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro. Somente nos últimos cinco anos, investimos R$ 17,5 bilhões no país e deixamos um legado além dos investimentos com nossa ampla plataforma de sustentabilidade. Esse compromisso inclui metas claras, divulgadas publicamente, e se traduz em quatro pilares: consumo inteligente, água, resíduo zero e desenvolvimento. Esse trabalho é feito com uma rede de parceiros, pois acreditamos que a construção de um mundo melhor se torna mais rica quando feita em conjunto.

Publicidade aqui

Cervejaria Ambev anuncia ONGs de Fortaleza selecionadas para receberem mentoria voluntária em gestão

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

11 de Abril de 2019

Programa VOA irá capacitar as organizações com técnicas de administração de processos, orçamentos e pessoas
Os voluntários são os próprios funcionários da cervejaria – incluindo a alta liderança

Abril de 2019 – A Cervejaria Ambev selecionou 52 ONGs brasileiras, entre mais de 300 inscritas, para participarem do VOA. Entre elas, a Edisca – Escola de Desenvolvimento e Integração Social para Criança e Adolescente, que promove o desenvolvimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, Iprede – Instituto da Primeira Infância, que tem foco na nutrição e educação da primeira infância, e Projeto Verde Vida, que busca a educação integral de crianças. O programa de mentoria em gestão da companhia é voluntário, em que seus funcionários contribuem com conhecimentos em diferentes áreas para que as organizações se desenvolvam, ajudando a se estruturarem melhor e ampliarem seu impacto na sociedade.

Os funcionários voluntários, especialistas em diferentes áreas de atuação, serão responsáveis por oferecer mentoria personalizada para as ONGs, sendo os “padrinhos” de cada uma e acompanhando sua evolução ao longo do programa. Para esse ano mais de 400 funcionários se candidataram.

A Edisca, uma das representantes do estado do Ceará no programa, nasceu em 1991, em meio a um cenário de desigualdade social em Fortaleza, com fatores que indicavam risco para crianças e adolescentes da região. Seu trabalho tem como foco a formação artística desse público, por meio da dança, o fortalecimento do ensino formal, com professores que oferecem um reforço do conteúdo aprendido na sala de aula, e formação para a cidadania, que é promovida em grupos de convivência facilitados por psicólogos que tratam sobre direitos humanos e da criança e adolescente, entrando em temas que se aplicam à realidade deles, como sexualidade e violência no ambiente familiar e em suas comunidades.

Para ingressar, a ONG recebe crianças entre 8 e 12 anos – porém, de acordo com Dora Andrade, fundadora, muitos permanecem na instituição por longo tempo, e por isso costumam seguir com as atividades até aproximadamente os 24 anos. “Antes, nós determinávamos um tempo limite para os jovens ficarem na ONG. Mas, com o tempo, vimos que isso não fazia sentido, já que a maioria deles tem vontade de permanecer por no mínimo cinco anos. Sendo assim, decidimos deixá-los livres para estarem com a gente até quando quiserem e precisarem. Afinal, nosso foco é na educação continuada, e queremos ampará-los pelo maior tempo possível”, conta Dora.

Com a participação no VOA, a expectativa da ONG é conhecer ferramentas e técnicas a que auxiliem na captação de recursos. Isso porque esse é seu principal desafio atualmente – obter mais recursos para melhorar cada vez mais seus projetos e fazer a manutenção da organização como um todo. Além disso, a meta é atender, ao final de 2019, pelo menos 400 alunos – atualmente, atendem 283. “Estamos muito empolgados com o programa e a possibilidade de nos desenvolvermos por meio dele – já que isso quer dizer que poderemos beneficiar mais crianças e adolescentes, que tanto precisam desse apoio. Temos certeza que será uma experiência única para nós”, afirma a fundadora.

As aulas, que acontecerão em encontros presenciais e por meio de módulos online, terão início em maio e trarão conteúdos sobre gestão de orçamento, gerenciamento de projetos, elaboração de metas, planos de carreira, dentre outros.

O VOA está em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 1, 4, 8 e 17 da ONU, que buscam um mundo mais inclusivo e sustentável. “Sempre tivemos vontade de participar mais ativamente no desenvolvimento das organizações sociais, mas ainda não tínhamos clareza sobre como fazer isso – até que percebemos que poderíamos compartilhar nossos conhecimentos e práticas de gestão. No final das contas, nós também aprendemos muito com elas, então foi uma troca rica para ambos os lados”, conta Richard Lee, gerente de Sustentabilidade da Cervejaria Ambev, que irá participar como voluntário do programa pela segunda vez.

Para Lee, o VOA é extremamente importante para a cervejaria e está alinhado com seu sonho de unir as pessoas por um mundo melhor. “O programa não só nos aproxima ainda mais do terceiro setor, como também une os próprios funcionários, que escolhem dedicar boa parte de seu tempo às ONGs. O saldo é sempre positivo: nós saímos mais realizados e felizes com nosso trabalho”, conta.

Na conclusão do programa, as ONGs apresentarão ao final de 2019 um projeto prático realizado com base no que aprenderam ao longo dos meses, sendo que o mais bem avaliado receberá um auxílio financeiro. Em 2018, as organizações participantes puderam impactar cerca de 2 milhões de pessoas após a participação no programa.

Neste ano, as participantes de 2018 também terão a oportunidade de seguir acompanhando as aulas e encontros e poderão, inclusive, trocar experiências com as novas selecionadas, contribuindo ainda mais com seu desenvolvimento.

A escolha das participantes de 2019 envolveu critérios como potencial de impacto social nas novas gerações, visão de futuro e comprometimento. Abaixo estão os nomes, regiões e áreas de atuação das selecionadas.

SERVIÇO – Sobre as ONGs selecionadas para o VOA 2019

Artes: Instituto Core de Música (Joinville/SC), Instituto Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (Joinville/SC), Em Cena Arte e Cidadania (Recife/PE), IECAP – Instituto de Educação, Esporte, Cultura e Artes Populares (Brasília/DF).

Assistência social: Instituto Severino Ballesteros (Belo Horizonte/MG), Instituto Apontar (Rio de Janeiro/RJ), Associação Obra do Berco (São Paulo/SP), Instituto Semear (São José dos Campos/SP), Um Teto Para o Meu País (São Paulo), Associação Cultural Pisada do Sertão (Poço de José de Moura/PB), Vivenda da Criança (São Paulo/SP).

Educação: Programa Neojiba (Salvador/BA), Projeto Verde Vida (Crato/CE), Embaixadores de Minas (Belo Horizonte/MG), Instituto Gil Nogueira (Belo Horizonte/MG), Serviço de Tecnologia Alternativa (Ibimirim/PE), Semente do Futuro (Rio de Janeiro/RJ), Instituto Omunga (Joinville/SC), Associação Fazendo História (São Paulo/SP), Associação Turma do Jiló (São Paulo/SP), Associação Vaga Lume (São Paulo/SP), Colégio Mão Amiga (Itapecerica da Serra/SP), Fly Associação para a Educação e Cultura (São Paulo/SP), Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial (São Paulo/SP), Instituto Beabá (São Paulo/SP), Instituto Rogerio Steinberg (Rio de Janeiro/RJ).

Esportes: Instituto Cidadania Através do Esporte (São Paulo/SP), Abraço Campeão (Rio de Janeiro/RJ).

Geração de emprego e renda: Cipó – Comunicação Interativa (Salvador/BA), Clara Amizade (Salvador/BA), Obras Sociais Irmã Dulce (Salvador/BA), Edisca (Fortaleza/CE), Iprede (Fortaleza/CE), FAC – Fundação Assis Chateaubriand (Brasília/DF), Instituto Moinho Cultura Sul-Americano (Corumbá/MS), AJAM – Associação Jaibense de Apoio ao Menor (Jaíba/MG), CUFA Minas – Central Única das Favelas de Minas Gerais (Belo Horizonte/MG), CEAPS – Centro de Estudos Avançados Social e Ambiental (Santarém/PA), ABFB – Aliança Bayeux Franco-Brasileira (Bayeux/PB), Elo Apoio Social e Ambiental (Curitiba/PR), Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Rio de Janeiro/RJ), Ecos do Futuro (Rio de Janeiro/RJ), Gastromotiva (Rio de Janeiro/RJ), Bairro da Juventude dos Padres Rogacionistas (Criciúma/SC), AFESU – Associação Feminina de Estudos Sociais e Universitários (São Paulo/SP), Associação Franciscana de Defesa de Direitos e Formação Popular (São Paulo/SP), CORE – Comunidade Reinventando a Educação (São Paulo/SP), Fundação Observatório do Livro e da Leitura (Ribeirão Preto/SP), Instituto Social Ser Mais (São Paulo/SP), Mater Dei Cam – Criação e Movimento (Atibaia/SP), Oficinas Quero (Santos/SP), ALIAR – Associação Aliança para um Futuro Melhor (Miracema/TO).

Sobre a Cervejaria Ambev

Unir as pessoas por um mundo melhor. Esse é o sonho da Ambev, empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, somos mais de 32 mil pessoas que dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalhamos juntos para garantir momentos de celebração e diversão. A Ambev é uma cervejaria inovadora e temos o consumidor no centro de nossas decisões e iniciativas. Nosso portfólio conta com cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos e sucos, de marcas reconhecidas como Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica, Fusion, do bem e AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro. Somente nos últimos cinco anos, investimos R$ 17,5 bilhões no país e deixamos um legado além dos investimentos com nossa ampla plataforma de sustentabilidade. Esse compromisso inclui metas claras, divulgadas publicamente, e se traduz em quatro pilares: consumo inteligente, água, resíduo zero e desenvolvimento. Esse trabalho é feito com uma rede de parceiros, pois acreditamos que a construção de um mundo melhor se torna mais rica quando feita em conjunto.