Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

ACM

ACM e TJCE unidos pela valorização da vida

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de setembro de 2018

Entidades lançaram campanha em alusão ao Setembro Amarelo

A Associação Cearense de Magistrados (ACM) e o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) realizaram, na manhã da última segunda-feira (10), no hall de entrada do Fórum Clóvis Beviláqua, evento de lançamento para campanha de valorização da vida. A iniciativa marca a adesão do judiciário cearense ao Setembro Amarelo, mês mundial de prevenção ao suicídio. Na ocasião, houve distribuição de laços amarelos, símbolo mundial da mobilização, com a presença da Banda da Polícia Militar.

A campanha, idealizada pela desembargadora Lisete de Sousa Gadelha, vai abranger desde palestras a postagens nas redes sociais das entidades. O objetivo é convidar os membros do Judiciário a dialogarem sobre o tema, identificarem sinais, buscarem ajuda ou oferecerem apoio a um amigo ou familiar, pois com informação e diálogo muitas vidas podem ser salvas.

A juíza e diretora de comunicação da ACM, Joriza Pinheiro, destaca que há ainda muito desconhecimento e preconceito em relação ao tema. “Com a Campanha de Valorização da Vida queremos não apenas evidenciar a importância de cuidar de si, prevenir, procurar ajuda amiga e também profissional em caso de depressão, mas também mostrar a necessidade de se ter empatia com o outro, olhar atentamente, ouvir, expressar amor”, afirma.

PALESTRAS

Dentro da programação da campanha haverá, na próxima quinta-feira (13), às 09h, no Auditório Agenor Studart, no Fórum Clóvis Beviláqua, uma palestra ministrada pela psicóloga Cibele Gadelha Castelo Barros, com o tema “Dito por não dito: quebrando paradigmas. O encontro em prol da valorização à vida”.

Já no dia 14, a partir das 13h, o major José Edir vai conduzir palestra sobre “Prevenção e estratégias de ação em crise suicida”. A explanação ocorrerá no Tribunal de Justiça, no Palácio da Justiça. No dia 19, às 14h, o psicólogo do Tribunal de Justiça, José Carlos Xavier, vai falar aos servidores a respeito do assunto, no auditório do Tribunal de Justiça.

SETEMBRO AMARELO

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio, que surgiu em 2015, com o objetivo de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção.

Trata-se de um problema de saúde pública que vem causando cada vez mais vítimas. Segundo dados do Centro de Valorização à Vida (CVV), são 32 brasileiros mortos por dia em razão do suicídio, taxa superior às vítimas de doenças como a AIDS e os diversos tipos de câncer. A depressão é uma das principais doenças que resultam na causa.

leia tudo sobre

Publicidade

Fortaleza recebe primeira edição do RADSUMMIT

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

15 de Fevereiro de 2018

 

Renomados preletores internacionais participarão do congresso nos dias 13 e 14 de abril

Nos dias 13 e 14 de abril a AMC – Associação Médica Cearense, realizará no Hotel Seara Fortaleza a primeira edição do RADSUMMIT. O congresso, voltado para a área da Radiologia, contará com palestrantes nacionais e internacionais coroados na especialidade. São esperados mais de 200 participantes, com representações de toda a América Latina.

O evento será dividido em dois módulos: Neurorradiologia Adulta e Pediátrica; e é voltado para: neurologistas, radiologistas, neuroradiologistas, pediatras, neuropediatras, estudantes de medicina, neurocirurgiões, residentes e toda a população em geral.

O RADSUMMIT tem parceria com renomados hospitais internacionais e trará nomes de peso na área da Radiologia. Dentre os convidados internacionais, destacam-se: Dr. Thierry Huisman (Neurorradiologia Pediátrica) e Dr. Carlos Zamora (Neurorradiologia). A Dra. Lara Brandão (Neurorradiologia) é uma das palestrantes nacionais.

Serão ministradas aulas de anatomia, neoplasias, processos inflamatórios e degenerativos, além de doenças da substância

branca, epilepsia, anomalias vasculares e técnicas avançadas. Serão abordadas ainda novas tecnologias, técnicas e atualização de temas relevantes à sociedade, como o zika vírus.

O RADSUMMIT é uma excelente oportunidade para intensificar o conhecimento e trocar experiências com os profissionais envolvidos, de forma direta ou indireta, com a Radiologia.

Mais informações: cursoartureneas@gmail.com

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Priorização do 1º Grau impulsiona julgamentos no Ceará

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

18 de dezembro de 2017

Desde que entrou em vigor, em maio de 2017, a lei que dá prioridade às Varas e aos Juizados já resultou no aumento médio de 31,7% na produtividade

A lei (nº 16.208/2017), de iniciativa do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), promoveu a transferência de recursos do 2º (Tribunal) para o 1º Grau (Varas, Juizados e Turmas Recursais), possibilitando a criação, em maio deste ano, de 398 cargos para atuar diretamente com os juízes no desempenho da produção jurídica, sem causar aumento de gastos. Segundo a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do TJCE, a mudança já representou crescimento de 31,7%, em média, na quantidade de processos julgados.

De janeiro a abril de 2017 (antes da lei), o 1º Grau tinha média mensal de 23.592 julgamentos. Após a entrada em vigor da norma, os números passaram para 31.065 (maio a outubro). Ainda de acordo com a Seplag, no período anterior à lei (janeiro a abril) a média mensal de baixas processuais era de 24.112. Depois, passou para 31.504, acréscimo de 30,7%.

A iniciativa possibilitou ampliar o atendimento à população, em conformidade com o Conselho Nacional de Justiça, que recomenda a prioridade do 1º Grau. No Ceará, foi incrementado o número de servidores que trabalham nos fóruns da Capital e do Interior.

Camocim

Uma das unidades que representam o crescimento da produtividade é a 2ª Vara da Comarca de Camocim, distante 361 km de Fortaleza. De janeiro a abril deste ano, a média era de 23 julgamentos mensais. Após a implantação das mudanças, cresceu para 137 (maio a outubro), aumento de 507,1%.

O titular da unidade, juiz Antônio Washington Frota, destaca que o resultado foi possível “com a aprovação da Lei de Priorização do Primeiro Grau, que possibilitou o aumento do quadro de servidores”. Também é fator importante o envolvimento da equipe na prestação jurisdicional, “que proporcionou a realização de dezenas de mutirões de audiências e de expedientes, implantação de um módulo da Justiça Restaurativa e a criação de Programas Comunitários”.

Avanço necessário

Para o presidente da ACM, Ricardo Alexandre, o resultado é positivo e mostra que a justiça cearense pode fazer ainda mais se contar com os recursos adequados. “No Ceará, 25% dos processos são resolvidos por meio de acordo, o melhor índice do País. Há muito por avançar na infraestrutura, inclusive de pessoal, para que o juiz/gestor possa exercer sua função com condições adequadas para tanto. Enquanto, na maioria dos demais estados, há anos o juiz de 1º grau conta com assistentes/assessores (no Mato Grosso do Sul são dois ou três profissionais), o Ceará só dotou neste ano parte de seus magistrados com um assistente. Embora ainda não seja o cenário adequado, propiciará aumento considerável da produtividade” argumenta.

Publicidade

Priorização do 1º Grau impulsiona julgamentos no Ceará

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

18 de dezembro de 2017

Desde que entrou em vigor, em maio de 2017, a lei que dá prioridade às Varas e aos Juizados já resultou no aumento médio de 31,7% na produtividade

A lei (nº 16.208/2017), de iniciativa do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), promoveu a transferência de recursos do 2º (Tribunal) para o 1º Grau (Varas, Juizados e Turmas Recursais), possibilitando a criação, em maio deste ano, de 398 cargos para atuar diretamente com os juízes no desempenho da produção jurídica, sem causar aumento de gastos. Segundo a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do TJCE, a mudança já representou crescimento de 31,7%, em média, na quantidade de processos julgados.

De janeiro a abril de 2017 (antes da lei), o 1º Grau tinha média mensal de 23.592 julgamentos. Após a entrada em vigor da norma, os números passaram para 31.065 (maio a outubro). Ainda de acordo com a Seplag, no período anterior à lei (janeiro a abril) a média mensal de baixas processuais era de 24.112. Depois, passou para 31.504, acréscimo de 30,7%.

A iniciativa possibilitou ampliar o atendimento à população, em conformidade com o Conselho Nacional de Justiça, que recomenda a prioridade do 1º Grau. No Ceará, foi incrementado o número de servidores que trabalham nos fóruns da Capital e do Interior.

Camocim

Uma das unidades que representam o crescimento da produtividade é a 2ª Vara da Comarca de Camocim, distante 361 km de Fortaleza. De janeiro a abril deste ano, a média era de 23 julgamentos mensais. Após a implantação das mudanças, cresceu para 137 (maio a outubro), aumento de 507,1%.

O titular da unidade, juiz Antônio Washington Frota, destaca que o resultado foi possível “com a aprovação da Lei de Priorização do Primeiro Grau, que possibilitou o aumento do quadro de servidores”. Também é fator importante o envolvimento da equipe na prestação jurisdicional, “que proporcionou a realização de dezenas de mutirões de audiências e de expedientes, implantação de um módulo da Justiça Restaurativa e a criação de Programas Comunitários”.

Avanço necessário

Para o presidente da ACM, Ricardo Alexandre, o resultado é positivo e mostra que a justiça cearense pode fazer ainda mais se contar com os recursos adequados. “No Ceará, 25% dos processos são resolvidos por meio de acordo, o melhor índice do País. Há muito por avançar na infraestrutura, inclusive de pessoal, para que o juiz/gestor possa exercer sua função com condições adequadas para tanto. Enquanto, na maioria dos demais estados, há anos o juiz de 1º grau conta com assistentes/assessores (no Mato Grosso do Sul são dois ou três profissionais), o Ceará só dotou neste ano parte de seus magistrados com um assistente. Embora ainda não seja o cenário adequado, propiciará aumento considerável da produtividade” argumenta.