Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Caixa Econômica Federal

CAIXA DIVULGA CAMPANHA DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de Maio de 2019

Descontos para créditos comerciais em atraso podem chegar a 90%

A CAIXA lança nesta terça-feira (28) campanha para renegociação de dívidas de créditos comercias para pessoas físicas e empresas. A campanha Você no Azul engloba cerca de três milhões de clientes, proporcionando facilidades para regularização de débitos com atraso superior a 360 dias com descontos que variam entre 40% e 90% para liquidação à vista, conforme a situação dos contratos e o tipo de operação de crédito.

A Você no Azul abrange cerca de 2,6 milhões de clientes pessoa física, dos quais 92% poderão quitar suas dívidas à vista por valores inferiores a R$ 2.000,00, e 320 mil pessoas jurídicas, em que 65% tem possibilidade de quitar à vista com valores inferiores a R$ 5.000,00.

Segundo o presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, a ação facilita a regularização ou liquidação das dívidas em atraso dos clientes que estão com dificuldade de pagamento dos compromissos financeiros em condições especiais. “Um dos nossos principais objetivos é resgatar o poder de compra e parcelamento dos clientes, adequar seus compromissos à sua realidade financeira, e possibilitar que possa tomar novo crédito no mercado, com a exclusão da restrição em seu cadastro”, disse.

A ação estará vigente por 90 dias em todo o território nacional, e os clientes poderão receber atendimento por meio do site www.negociardividas.caixa.gov.br, pelo telefone 0800 726 8068 opção 8, nas redes sociais da CAIXA no Facebook (facebook.com/caixa), Twitter (twitter.com/caixa) e agências.

Outros canais de atendimento:
Para ampliar os canais de atendimento e proporcionar mais conveniência, algumas cidades receberão os Caminhões Você no Azul, que são agências móveis instaladas em 5 caminhões, que realizarão atendimento em grandes cidades.

Os clientes também poderão ser contatados por empresas de recuperação de crédito, contratadas pela CAIXA, além de SMS e outras formas de comunicação, que têm como objetivo divulgar as alternativas negociais disponíveis.

Publicidade

CAIXA registra lucro recorrente recorde de R$12,7 bi em 2018, 40% superior a 2017

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

29 de Março de 2019

A CAIXA ECONOMICA FEDERAL (“CAIXA” ou “Empresa”), o maior banco brasileiro em número de clientes, anuncia o resultado consolidado do quarto trimestre de 2018 (4T18) e do acumulado do ano de 2018 (12M18).

Destaques Financeiros e Operacionais:

O lucro líquido recorrente de R$12,7 bi em 2018 representa crescimento de 40,4% em relação a 2017. O resultado é fruto de medidas realizadas em 2018, como melhoria da eficiência operacional e aumento de receitas, como intermediação financeira e prestação de serviços.

O resultado bruto da intermediação financeira foi de R$36,0 bi em 2018, evolução de 15,5% em 12 meses, influenciado pela redução de 22,5% nas despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa e pelo crescimento de 1,0% na margem financeira.

As despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa totalizaram R$14,9 bi em 2018, redução de R$4,3 bi em 12 meses, reflexo do recuo de R$11,8 bi na carteira de crédito e da mudança de sua composição, com maior concentração em créditos de baixo risco.

As receitas com prestação de serviços aumentaram 7,2% em 12 meses, chegando a R$26,8 bi até dezembro de 2018, influenciadas pelas receitas de conta corrente, fundos de investimento e cartões.

O resultado operacional registrou R$16,9 bi, evolução de 16,4% em comparação ao acumulado até dez. de 2017.

O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) registrou 16,1% em 2018, evolução de 2,45 p.p. em relação a 2017. O retorno sobre o ativo médio alcançou 1,0%, aumento de 0,29 p.p. em 12 meses.

O Índice de Basileia atingiu 19,6%, superior ao mínimo de 11,0% regulamentado pelas Resoluções do CMN, que normatizam as recomendações do Comitê de Supervisão Bancária de Basileia.

O Lucro Líquido Contábil de 2018 foi de R$10,4 bi, recuo de 17,1% em relação a 2017.

Acesse release de resultado, apresentação dos executivos e demonstrações financeiras completas em: www.caixa.gov.br/sobre-a-caixa/relacoes-com-investidores/

Teleconferência 2018 e 4T18: 29 de março de 2019, 14h30 (Brasil), Telefone: (11) 3181-8565, Código: CAIXA

Relações com Investidores: relacoes.investidores@caixa.gov.br

Sobre a Caixa Econômica Federal (www.caixa.gov.br): a CAIXA é o maior banco brasileiro em número de clientes que totalizam 93 milhões, com 96 milhões de cartões de débito, responsáveis por 37% da poupança nacional e 69% do crédito habitacional.

FONTE CAIXA ECONOMICA FEDERAL

Publicidade

C. Rolim Engenharia recebe Selo Casa Azul da Caixa Econômica Federal

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

02 de outubro de 2018

A C. Rolim Engenharia é a primeira construtora cearense a receber o Selo Casa Azul Nível Ouro da Caixa Econômica Federal. A honraria, concedida a projetos habitacionais financiados pelo banco que adotam soluções sustentáveis, foi entregue nesta sexta-feira (28) em reconhecimento ao trabalho realizado no empreendimento residencial Terraços do Bosque. Na ocasião também foi firmado o financiamento da Caixa para a construção do imóvel, localizado no bairro São Gerardo.

A sustentabilidade é um dos pilares da estrutura de negócio da C. Rolim Engenharia, que realiza diversos projetos nesse sentido. “Nós não fizemos nenhum esforço adicional ou que tenha custos adicionais para nos encaixarmos nos critérios do Selo. Portanto foi uma ratificação do nosso procedimento. Nós não tivemos que criar ou refazer nossa maneira de agir, pensar e construir para se adaptar ao selo, apenas o Selo identificou que a maneira como nós efetivamente trabalhamos já merece reconhecimento”, explica Pio Rodrigues Neto, presidente da construtora.

O Selo Casa Azul soma-se a outras certificações que a C. Rolim Engenharia acumula com as ações em prol do meio ambiente realizadas ao longo dos anos. O empreendimento Paço das Águas foi o primeiro residencial do Brasil a receber a certificação LEED for Core&Shell, do U.S Green Building Council e, pelo trabalho conjunto realizado pela construtora, a C. Rolim foi a primeira empresa a receber o certificado Fator Verde Construção, concedido pela Prefeitura de Fortaleza.

Com o Selo Casa Azul, 0,5% da taxa de financiamento da Caixa para o empreendimento é abatida ao ano, o que contribui para a manutenção do ciclo sustentável da C. Rolim Engenharia. É o que explica Pio Rodrigues Neto, ao reforçar que a sustentabilidade é necessária e não é onerosa: “A C. Rolim entende a sustentabilidade não como um modismo, mas como uma tendência inexorável do mundo moderno que o cliente vai cada vez mais cobrar. E como a sustentabilidade é um dos nossos pilares enquanto empresa, esse valor abatido do Selo Casa Azul, em termos financeiros, cobre todas as despesas do ano do nosso compromisso verde com a cidade”.

Desde 2009, o programa Compromisso Verde planta uma árvore a cada metro quadrado de terreno adquirido para edificação das obras e, em comemoração ao aniversário de 40 anos da construtora, em 2017, a C. Rolim Engenharia comprometeu-se a efetuar o plantio de 40.000 árvores nativas do parque às margens do rio Cocó. Onze mil já foram plantadas. Além disso, a C. Rolim Engenharia integra o programa de adoção de espaços verdes da Prefeitura de Fortaleza, e já adotou e revitalizou diversas áreas da cidade.

O que é o Selo Casa Azul

O Selo Casa Azul CAIXA é um instrumento de classificação socioambiental de projetos de empreendimentos habitacionais, que busca reconhecer os empreendimentos que adotam soluções mais eficientes aplicadas à construção, ocupação e manutenção das edificações, objetivando incentivar o uso racional de recursos naturais e a melhoria da qualidade da habitação e de seu entorno. São avaliados critérios dentro de seis categorias, e o nível de gradação varia de acordo com a quantidade de critérios atendidos. As categorias são: Qualidade Urbana, Projeto e Conforto, Eficiência Energética, Conservação de Recursos Materiais, Gestão da Água e Práticas Sociais.

“Para a Caixa Econômica é extremamente importante ter a C. Rolim no portfólio das empresas da construção civil que trabalham com o crédito Caixa, por ser uma empresa de referência no mercado cearense e nacional. Inauguramos agora com a C. Rolim uma nova era em relação a empresas que trabalham com o conceito de sustentabilidade em suas obras, e isso tem um reflexo importante tanto para a empresa como para seus clientes futuros”, celebra George Gress, superintendente da Caixa Econômica.

Sobre o Terraços do Bosque

Com entrega prevista para 2019, o Terraços do Bosque fica localizado em um dos principais corredores de comércio da cidade, próximo à Bezerra de Menezes. Alinhada com o ideal de cuidado com o meio ambiente, a C. Rolim Engenharia trabalha a tecnologia verde no empreendimento, possibilitando, inclusive, mais economia na taxa de condomínio por meio de recursos como os medidores individuais de água e gás, sistema de irrigação automatizada, equipamentos redutores de vazão de água além da construtora trabalhar sob a filosofia Lean Construction (construção enxuta), o que permite reduzir desperdícios durante a execução da obra. O Terraços possui ainda placas de energia solar, instaladas para gerar energia para as áreas comuns do prédio.

Publicidade

Prefeito Firmo Camurça assina convênio com a Caixa Econômica para gerenciamento das contas institucionais

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

25 de Janeiro de 2017

O prefeito de Maracanaú, Firmo Camurça, assinou ontem, 24,  o convênio de cooperação com a Caixa Econômica Federal para o gerenciamento das contas institucionais da Prefeitura de Maracanaú e para pagamento dos servidores. Inicialmente, entre o fim de janeiro e início de fevereiro, a Caixa vai realizar, no Centro Administrativo do Município, no bairro Jereissati, o cadastro de todos os funcionários, que serão devidamente informados sobre o processo.

A assinatura do convênio ocorreu na Superintendência da Caixa Econômica, no Centro de Fortaleza, e contou com a presença do o superintendente Regional do Banco, George Gress, do gerente geral da Agência em Maracanaú, Antônio Deusvando Pinto Filho, e dos gerentes regionais do Banco, Gilberto Nogueira e Fran Machado. Acompanharam o prefeito de Maracanaú, o secretário de Gestão, Orçamento e Finanças, João José Pinto, a secretária de Recursos Humanos e Patrimoniais, Rita Helena Fonseca Bessa (Tia Rita), o secretário de Infraestrutura, Carlos Eduardo Borges Evangelista, o secretário de Relações Institucionais e Política Energética, Francisco Ésio de Souza Júnior, e o secretário de Cultura e Turismo, Gerson Cecchini de Souza.

A Caixa Econômica é tradicionalmente reconhecida, no mercado bancário, por operar com crédito mais barato (taxas de juros mais baixas) e taxas administrativas mais acessíveis. Isso vai beneficiar diretamente todos os servidores municipais, bem como toda população da Cidade.

 

  • por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Aquarela Condomínio Clube recebe financiamento para obras

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

26 de dezembro de 2016

 

Apartamento.Fortaleza.Fachada Aquarela

O empreendimento Aquarela Condomínio Clube, da Construtora Magis, fechou financiamento bancário com a Caixa Econômica Federal para execução das obras do imóvel. Além disso, a construtora conseguiu linha de crédito que permite aos clientes Magis, para este empreendimento em específico, a oportunidade de financiar de imediato com a Caixa todo o saldo devedor que detém junto a construtora, inclusive o previsto após a conclusão das obras.

Os clientes que financiarem de imediato sua unidade com a CEF receberão vantagens exclusivas como a possibilidade de garantir antecipadamente o crédito no mercado financeiro junto as instituições financeiras, as chaves do imóvel no ato da entrega da obra e pagamento do registro do contrato de financiamento junto ao Cartório de Registro de Imóveis.

Com essa iniciativa, a Magis oferece ainda mais segurança ao seu cliente, que tem o respaldo de uma das maiores instituições financeiras do país para que o empreendimento siga adequado às normas de contrato.

 

Sobre o Aquarela Condomínio Clube

Localizado no Benfica, uma das regiões mais tradicionais da capital, conta com apartamentos de 56,66 m², 67,94 m², 75,53 m², divididos em três torres. As unidades possuem dois e três quartos, até duas suítes e três opções de plantas, ofertando até duas vagas de garagem. Ao todo, são mais de 9.000 m² de área. O empreendimento ainda oferece fachada com vidro verde, tornando-o moderno, varandas em cerâmica e guarita elevada, blindada e eclusa.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

La Cittá Parangaba Residence inicia processo de repasse na planta

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

19 de setembro de 2016

O empreendimento La Cittá Parangaba Residence, da Construtora Magis, atinge 80% das suas obras concluídas. E a Caixa Econômica Federal (CEF) é o financiador da obra e abre o processo de “Repasse na Planta”, fase na qual é oferecida análise e aprovação de crédito para clientes que estiverem aptos e quiserem garantir seu financiamento bancário junto à instituição financeira. Assim, podem seguir com a assinatura e registro do contrato de financiamento.

 

Para mais informações o setor de Credito Imobiliário da construtora está à disposição dos clientes.

Publicidade

FEIRÃO DE IMÓVEIS CARIRI MOVIMENTA MAIS DE R$ 21 MILHÕES EM 3 DIAS

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

22 de junho de 2016

Feirão Cariri

Evento ofertou mais de duas mil unidades habitacionais

Após três dias de evento, o 9º Feirão de Imóveis Cariri se encerrou com o cadastro e encaminhamento de aproximadamente 200 unidades habitacionais para avaliação de crédito junto à Caixa Econômica Federal, o que corresponde a cerca de R$ 21 milhões em negócios movimentados. Promovido pelo Sinduscon-CE, o evento aconteceu entre os dias 16 e 18 de junho, no Cariri Garden Shopping, em Juazeiro do Norte (CE).

Esta edição recebeu mais de 200 visitantes nos 24 estandes das 10 construtoras participantes. No total, mais de 2 mil imóveis novos, usados e na planta foram ofertados, entre terrenos, casas, apartamentos e unidades comerciais, com valores a partir de R$ 90 mil. Os interessados puderam negociar diretamente com as construtoras e ter o auxílio de financiamento dos correspondentes bancários da Caixa Econômica Federal, um dos patrocinadores do evento. Senai e Governo Federal também patrocinaram a edição.

O foco deste ano foram os imóveis de habitação popular, cobertos pelo Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) e pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), cujo teto máximo é de R$ 170 mil, segundo informou o superintende Regional da Caixa, Regino Pinho.

Para o presidente do Sinduscon-CE, André Montenegro de Holanda, o evento deste ano  representou um contraponto à crise econômica nacional. “Com proatividade e trabalho provamos que podemos traçar novas estratégias e assim definir novos rumos para o setor. A criatividade é capaz de vencer os desafios desse momento difícil”, enfatizou.

 

SEMINÁRIO

Entre os dias 16 e 17 de junho, paralelo ao Feirão de Imóveis Cariri, aconteceu o Seminário “Inovação para o Mercado Imobiliário do Cariri”. O evento reuniu players do setor para debater temáticas relacionadas à inovação tecnológica e normas técnicas na construção civil. O público alvo foi composto por estudantes, engenheiros, arquitetos e demais interessados no assunto. A programação abordou o tema “Inovações tecnológicas para ganho de produtividade e superação da crise: estudos de caso”, apresentado pelo presidente do Sinduscon-CE, André Montenegro de Holanda, e o Diretor Regional do Sinduscon-CE em Juazeiro do Norte, Felipe Néri Coelho. Na sexta-feira (17), foram realizadas as palestras “As normas técnicas na construção civil” e “Análise dos critérios de atendimento à Norma de Desempenho ABNT NBR 15.575”, ministradas pelo Arquiteto e membro fundador do Comitê de Tecnologia e Qualidade do Sinduscon-SP, Salvador Benevides, e o Diretor Técnico da C. Rolim Engenharia, Alexandre Mourão, respectivamente.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti

 

Publicidade

LUCRO DA CAIXA ALCANÇA R$ 7,2 BILHÕES EM 2015

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

09 de Março de 2016

Resultado ] Ações para aumento da eficiência operacional geraram economia de R$ 2,8 bi no ano

A Caixa Econômica Federal alcançou lucro líquido de R$ 7,2 bilhões no ano de 2015, aumento de 0,9% em relação a 2014. O retorno sobre o patrimônio líquido médio nos últimos doze meses foi de 11,4%.

A margem financeira alcançou R$ 41 bilhões, avanço de 18,9% em 2015, impactada, principalmente, pelo aumento de 30,5% nas receitas de crédito e de 44,9% no resultado com títulos e valores mobiliários e derivativos.

Cumprindo o seu planejamento estratégico, a CAIXA ampliou o relacionamento com clientes, o que possibilitou o aumento das receitas com prestação de serviços e tarifas em 12,6% em 2015. Os principais destaques foram as receitas originadas pelo relacionamento com clientes nas contas correntes e cestas de serviços, que cresceram 30,7%, pelos cartões de crédito em 12% e pelos convênios e cobrança em 10,1%.

A CAIXA intensificou as ações para racionalização de gastos e aumento da produtividade, com foco na sustentabilidade dos seus resultados, o que possibilitou que as outras despesas administrativas crescessem apenas 5,6% em doze meses, significativamente abaixo da inflação observada no período, que ficou em 10,7%. O mesmo comportamento foi observado nas despesas de pessoal, que alcançaram R$ 19,8 bilhões, evolução de 10,5%.

Os índices de cobertura de despesas de pessoal e administrativa apresentaram comportamento de melhoria e aumentaram, respectivamente, 1,9 p.p. e 2,3 p.p. nos últimos doze meses e chegaram a 104,8% e 66,2%, os melhores dos últimos três anos.

A carteira de crédito ampla avançou 11,9% em 12 meses e alcançou saldo de R$ 679,5 bilhões, representando 20,9% do mercado, aumento de 1,1 p.p. no market share em 12 meses. O crédito habitacional continuou a ser o principal destaque do crédito da CAIXA, com evolução de 13% no ano e saldo de R$ 384,2 bilhões, que representa a liderança de mercado com 67,2% de participação.

O crédito comercial para pessoas físicas e jurídicas totalizou R$ 199,4 bilhões, alta de 4,8% em 12 meses. Já as operações de saneamento e infraestrutura apresentaram, ao final de 2015, saldo de R$ 70,9 bilhões e crescimento de 24,9% em relação a 2014.

Ao final de 2015, 90% da carteira de crédito da CAIXA estava classificada nos ratings de melhor qualidade, de AA-C, e o índice de inadimplência acima de 90 dias foi de 3,55%, aumento de 1 p.p. no ano, influenciado pelas operações comerciais para pessoa física e para micro e pequenas empresas. O impacto da desaceleração econômica na inadimplência desses segmentos foi atenuado pelo fortalecimento dos modelos de risco e de cobrança.

As captações alcançaram saldo de R$ 940,9 bilhões, com crescimento de 15,3% em 12 meses e em volume suficiente para cobrir 138,6% da carteira de crédito. As letras, as captações internacionais e os empréstimos e repasses foram as fontes de recursos que apresentaram maior crescimento em 2015, de respectivamente, 21%, 45,7% e 21,4%.

Os depósitos tiveram crescimento nominal de R$ 35,6 bilhões em 12 meses, e chegaram a R$ 454,7 bilhões em 2015. A poupança, com saldo de R$ 241,4 bilhões, continua sendo a fonte de recursos mais importante para o financiamento das operações habitacionais. Mesmo com o comportamento do mercado, a Poupança da CAIXA apresentou elevação de 1,9% no saldo e ampliou a sua participação no mercado em 1 p.p., chegando a 36,8% no final do ano.

Em 2015, a CAIXA era responsável pela gestão de mais R$ 2 trilhões em ativos, aumento de 12,3% em 12 meses, impulsionado principalmente pelos ativos próprios, que chegaram a R$ 1,2 trilhão, avanço de 13%.

Em doze meses, a CAIXA injetou R$ 732,7 bilhões na economia brasileira por meio de contratações de crédito, distribuição de benefícios sociais, investimentos em infraestrutura própria, remuneração de pessoal, destinação social das loterias, dentre outros.

A base de clientes da Instituição alcançou 82,9 milhões de correntistas e poupadores em 2015, alta de 5,9% em 12 meses. A carteira de pessoas físicas atingiu 80,7 milhões, e a de pessoas jurídicas, 2,2 milhões.

Carteira de Habitação:
As contratações da carteira de crédito habitacional somaram R$ 91,1 bilhões ao final de 2015, dos quais R$ 55,5 bilhões com recursos do FGTS, incluindo subsídios, e R$ 34,8 bilhões com recursos do CAIXA/SBPE, além de R$ 807 milhões contratados com outros recursos. A CAIXA continua líder nesse segmento com participação no mercado de 67,2%.

Crédito Comercial:
A carteira de crédito comercial atingiu R$ 199,5 bilhões de saldo e R$ 270,7 bilhões contratados ao final de 2015, valores 4,8% e 4,4% superiores aos registrados em 2014, respectivamente. As operações com pessoas físicas atingiram saldo de R$ 103,2 bilhões, alta de 9,8% em 12 meses. O segmento de pessoa jurídica totalizou saldo de R$ 96,2 bilhões.

O crédito consignado foi o principal destaque no segmento pessoa física, com volume contratado de R$ 30,7 bilhões e saldo de R$ 59,6 bilhões, crescimento de 12,8% em 12 meses. A participação da CAIXA no mercado de crédito consignado avançou 0,83 p.p. em 12 meses, alcançando 21,8% em dezembro de 2015.

Saneamento e infraestrutura:
As operações de saneamento e infraestrutura, que possibilitam investimentos nas áreas de mobilidade urbana, energia, logística, e saneamento básico, por exemplo, alcançaram saldo de R$ 70,9 bilhões, com evolução de 24,9% em 12 meses.

Rural:
O Crédito Rural CAIXA atingiu saldo de R$ 7,5 bilhões em 2015, evolução de 52,4% em relação ao ano anterior. As contratações em 2015 atingiram a soma de R$ 7 bilhões, avanço de 40,7% em 12 meses.

Captações de Recursos:
Uma das principais fontes de recursos para o crédito imobiliário, a poupança apresentou saldo de R$ 241,4 bilhões ao final de 2015, alta de 1,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. A CAIXA permaneceu na liderança do mercado, com 36,8% de participação, ganho de 1 p.p. em 12 meses. Ao final de 2015, a CAIXA possuía 63,8 milhões de contas de poupança, crescimento de 9,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os depósitos a prazo somaram R$ 168,9 bilhões ao final de 2015, evolução de 18,1% em 12 meses. Os recursos em CDB correspondiam a 63,3% desse total, com saldo de R$ 106,9 bilhões, alta de 19,3% em relação a 2014. Na mesma comparação, os depósitos judiciais aumentaram 16%, atingindo saldo de R$ 62 bilhões.

As Letras de Crédito Imobiliário alcançaram saldo de R$ 111,9 bilhões, avanço de 28,2% em 12 meses. As Letras Financeiras encerraram dezembro com saldo de R$ 40,7 bilhões, crescimento de 7,5% em 12 meses.

Benefícios Sociais e ao Trabalhador:
A CAIXA, como principal agente operador dos programas sociais do governo federal, contribui ativamente para a melhoria da qualidade de vida e da distribuição de renda da população brasileira. Em 2015, foram pagos cerca de 163,3 milhões de benefícios sociais, correspondendo a R$ 27,5 bilhões.

O principal programa de transferência de renda, Bolsa Família, pagou cerca de 157,7 milhões de benefícios no período, totalizando R$ 26,4 bilhões.

Em relação aos programas voltados ao trabalhador, a CAIXA foi responsável por realizar 150,1 milhões de pagamentos de benefícios em 2015, que totalizaram
R$ 208,8 bilhões. Entre eles o Seguro-Desemprego, Abono Salarial e PIS, corresponderam a R$ 39,7 bilhões.

As aposentadorias e pensões pagas aos beneficiários do INSS totalizaram 64,8 milhões, somando R$ 72,1 bilhões.

A arrecadação do FGTS atingiu R$ 113,5 bilhões e os saques, R$ 96,9 bilhões. No quarto trimestre de 2015, o Fundo era composto por 146,6 milhões de contas.

Rede de Atendimento:
A rede de atendimento CAIXA possui 63,6 mil pontos de atendimento, nos quais foram realizadas mais de 7,9 bilhões de transações bancárias. São 4,2 mil agências e postos de atendimento, 27,6 mil correspondentes CAIXA Aqui e lotéricos, e 31,7 mil máquinas distribuídas nos postos e salas de autoatendimento, além de duas agências-barco. A CAIXA conta atualmente com 97,5 mil empregados concursados, além de 15 mil estagiários e aprendizes.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

CAIXA INTEGRA CAMPANHA PARA COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

30 de Janeiro de 2016

A Caixa Econômica Federal participa, nesta sexta-feira (29), da campanha do Governo Federal para a erradicação dos focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, do vírus Zika e da Chikungunya, em todos os órgãos públicos, autarquias, agências e empresas públicas, com uma grande ação de limpeza chamada “Dia da Faxina”.

Em apoio à campanha, a CAIXA se mobilizou para verificar todas as caixas, reservatórios e depósitos de água, e assegurar que estejam ou que sejam limpos e lacrados. Além disso, o banco vai observar lajes, calhas, lonas de coberturas, depósitos de materiais e banheiros desativados, para desobstrução, limpeza e eliminação do acúmulo de água nas unidades do banco.

A presidente da CAIXA, Miriam Belchior, participará de ato simbólico, nesta sexta-feira, no qual aplicará cloro no espelho d’água do edifício Matriz do banco. Segundo a presidente, a campanha é um passo importante para a erradicação do mosquito Aedes Aegypti. “A mobilização é absolutamente necessária. A CAIXA pretende envolver todas as regiões do país, por meio da capilaridade de sua rede de agências e postos de atendimento e com engajamento dos seus empregados e clientes, para caminharmos para um Brasil livre desse mosquito”, afirma.

Além das ações citadas, será verificada ainda a correta acomodação do lixo, bem como a vedação de todas as lixeiras, com cuidados especiais para sacos de lixo, copos de plástico e outros materiais que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito. A CAIXA vai verificar também se há acúmulo de água em floreiras e jardineiras, e se espelhos d’água e fontes estão sendo limpas e cloradas nas suas unidades. O banco vai observar e registrar, em todas as inspeções, possíveis focos de larvas e mosquitos, e eliminá-los imediatamente.

 

Conscientização:

A CAIXA vai divulgar ainda, frases de informação e conscientização da campanha nos extratos bancários dos clientes, além de publicar posts e banners informativos sobre o assunto nas suas redes sociais e no site oficial, bem como promover outras ações voltadas para o público externo. Os empregados da CAIXA também serão conscientizados sobre a importância das ações de combate ao mosquito por meio de SMS, jornal institucional e outras ferramentas de comunicação interna.

 

“Dia da Faxina”:

O objetivo da ação do Governo Federal, que integra o eixo de mobilização do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, é inspecionar e eliminar possíveis focos do mosquito em todos os prédios públicos no país. A mobilização nacional vai envolver cerca de 1,6 milhão de trabalhadores federais, no total, e os possíveis focos do mosquito, que forem identificados, serão repassados à Sala Nacional de Comando e Controle.

Todos os servidores da esfera federal receberam comunicação eletrônica alertando sobre a importância e a necessidade dessa mobilização coletiva, para combater o mosquito e difundir informações no seu ambiente de trabalho, especialmente na busca e eliminação de focos do mosquito e seus criadouros.

  • postado por Oswaldo Scaliotti

 

Publicidade

CAIXA INTEGRA CAMPANHA PARA COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

30 de Janeiro de 2016

A Caixa Econômica Federal participa, nesta sexta-feira (29), da campanha do Governo Federal para a erradicação dos focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, do vírus Zika e da Chikungunya, em todos os órgãos públicos, autarquias, agências e empresas públicas, com uma grande ação de limpeza chamada “Dia da Faxina”.

Em apoio à campanha, a CAIXA se mobilizou para verificar todas as caixas, reservatórios e depósitos de água, e assegurar que estejam ou que sejam limpos e lacrados. Além disso, o banco vai observar lajes, calhas, lonas de coberturas, depósitos de materiais e banheiros desativados, para desobstrução, limpeza e eliminação do acúmulo de água nas unidades do banco.

A presidente da CAIXA, Miriam Belchior, participará de ato simbólico, nesta sexta-feira, no qual aplicará cloro no espelho d’água do edifício Matriz do banco. Segundo a presidente, a campanha é um passo importante para a erradicação do mosquito Aedes Aegypti. “A mobilização é absolutamente necessária. A CAIXA pretende envolver todas as regiões do país, por meio da capilaridade de sua rede de agências e postos de atendimento e com engajamento dos seus empregados e clientes, para caminharmos para um Brasil livre desse mosquito”, afirma.

Além das ações citadas, será verificada ainda a correta acomodação do lixo, bem como a vedação de todas as lixeiras, com cuidados especiais para sacos de lixo, copos de plástico e outros materiais que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito. A CAIXA vai verificar também se há acúmulo de água em floreiras e jardineiras, e se espelhos d’água e fontes estão sendo limpas e cloradas nas suas unidades. O banco vai observar e registrar, em todas as inspeções, possíveis focos de larvas e mosquitos, e eliminá-los imediatamente.

 

Conscientização:

A CAIXA vai divulgar ainda, frases de informação e conscientização da campanha nos extratos bancários dos clientes, além de publicar posts e banners informativos sobre o assunto nas suas redes sociais e no site oficial, bem como promover outras ações voltadas para o público externo. Os empregados da CAIXA também serão conscientizados sobre a importância das ações de combate ao mosquito por meio de SMS, jornal institucional e outras ferramentas de comunicação interna.

 

“Dia da Faxina”:

O objetivo da ação do Governo Federal, que integra o eixo de mobilização do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, é inspecionar e eliminar possíveis focos do mosquito em todos os prédios públicos no país. A mobilização nacional vai envolver cerca de 1,6 milhão de trabalhadores federais, no total, e os possíveis focos do mosquito, que forem identificados, serão repassados à Sala Nacional de Comando e Controle.

Todos os servidores da esfera federal receberam comunicação eletrônica alertando sobre a importância e a necessidade dessa mobilização coletiva, para combater o mosquito e difundir informações no seu ambiente de trabalho, especialmente na busca e eliminação de focos do mosquito e seus criadouros.

  • postado por Oswaldo Scaliotti