Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

comédia

NOW, CÂMERA E COMÉDIA!

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

20 de Fevereiro de 2018

NOW, plataforma de vídeo sob demanda da NET e Claro TV, preparou um especial para fazer a família inteira chorar de rir. O NOW, Câmera, Comédia traz mais de 50 sucessos do cinema, com 50% de desconto.

 

Entre os filmes selecionados estão lançamentos e grandes sucessos como A Noite é Delas, Bingo: O Rei das Manhãs, De Volta para Casa, Diário de um Banana: Caindo na Estrada, Doidas e Santas, Duas de Mim, O Último Legado, Paris Pode Esperar, Que Familia é Essa?, Quero Matar meu Chefe, Se Beber, Não Case!, Se Beber, Não Case! Parte II, Tô Ryca!, Um Tio Quase Perfeito e Viagem Das Loucas.

 

O NOW pode ser acessado pelos clientes da NET e Claro TV, no site nowonline.com.br ou aplicativo para tablets e smartphone.

Publicidade

Shopping Aldeota tem atrações para adultos e crianças no final de semana

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

07 de Abril de 2016

 

Este mês, o Shopping Aldeota incorpora atrações para todos os gostos à programação de seus finais de semana. Neste sábado (09), os comediantes Paulo Soares e Moisés Loureiro estreiam as apresentações de stand up comedy na praça de alimentação (piso L4), às 19h. No piso L2, a partir das 17h, acontece a Central da Beleza, um espaço onde várias marcas de cosméticos apresentarão seus produtos com demonstrações e serviços gratuitos.

No domingo (10), é a vez das crianças com o teatro musical da Cia Mix da Alegria apresentando as novas aventuras de Jake e os Piratas. A atração é gratuita e acontece às 17h, no piso L1.

 

Sobre o Shopping Aldeota

Inaugurado em dezembro de 1998, o Shopping Aldeota conquistou seu espaço no mercado pelo seu projeto arquitetônico diferenciado e o mix de lojas e serviços. Localizado no coração da Aldeota, o shopping fica numa região com forte presença de escritórios de grandes empresas e uma das áreas residenciais de maior poder aquisitivo de Fortaleza. São cinco andares climatizados, com 220 lojas das melhores marcas, cinemas, praça de alimentação, supermercado, magazine e estacionamento coberto. Tudo para unir conforto, funcionalidade, diversão e segurança.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti

leia tudo sobre

Publicidade

André Gonçalves estreia comédia “Amigas, pero no mucho” no Teatro Riomar em Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

17 de agosto de 2015

Amigas-Pero-No-Mucho-Foto-Divulgação-02

Pela pouca maquiagem, figurino minimalista e certa dificuldade de se manter sobre o salto, o espectador vai perceber logo de cara que são homens interpretando personagens femininas. Não é por falta de apuro estético, é de propósito. Assim é definida a comédia “Amigas, Pero No Mucho”, que ganhou nova montagem este ano e está em turnê nacional desde julho. Em Fortaleza, o espetáculo terá apresentação única no dia 22 de agosto (sábado), às 21h30, no Teatro RioMar Fortaleza.

A encenação, um texto da paulista Celia Forte, não tem a intenção de ser realista. Não é um drama, é uma comédia de costumes, que tem a direção de José Possi Neto, traz André Gonçalves no papel principal, que junto com os atores baianos Lucio Tranchesi, Widoto Áquila e Agnaldo Lopes, apresentam as amigas Débora, Fram, Sara e Olívia respectivamente.

 

SOBRE A NOVA MONTAGEM

Para Possi Neto, também é a oportunidade de ver surgir uma nova versão do trabalho, que está na quarta montagem sob sua direção. Desde a estreia, em 2010, a peça já passou por teatros de São Paulo e do Rio de Janeiro, sempre com diferentes atores se revezando no palco a cada temporada. A única coisa que não muda é o texto escrito pela dramaturga  Celia Regina Forte. A história mostra o encontro de quatro amigas, entre 35 e 55 anos, que destilam veneno e lavam roupa suja, ao mesmo tempo em que revelam delicadezas e expõem suas fragilidades. Mas, voltamos a lembrar, o tempo todo está claro que são homens vestindo a carapuça. “Os atores não se obrigam nem a fazer voz de mulher, a não ser quando a própria situação pede um falsete. O mais importante é o universo feminino”, reitera o diretor.

Vamos às apresentações. Lá estão Fram (Lúcio Tranchesi), ninfomaníaca que gosta de meditação e tem uns tiques nervosos. Débora (André Gonçalves) é a divorciada, inteligente e irônica, embora ainda sonhe com o príncipe encantado. Sara (Widoto Áquila) é a executiva reservada e bem-sucedida que fuma descontroladamente e não tem papas na língua. E Olívia (Agnaldo Lopes) é a ex-rica desiludida que hoje dirige uma van escolar para sustentar marido e filhos.

 

SALTOS E INTRIGAS

Lúcio Tranchesi, que recentemente interpretou um travesti na peça Salmo 91, fala de sua Fram. “Ela é a mais velha e a mais louca de todas, é uma delícia. Apesar da idade, tem uma feminilidade muito evidente. E fantasia muito as intrigas”, resume. “A primeira vez que li o texto, confesso que fiquei um pouco preocupado, não achei verossímil. Mas percebi que conheço mulheres assim. Sempre tem aquela inveja da mais jovem, da mais rica, da mais bonita”, avalia o ator.

Widoto Áquila interpreta justamente essa figura invejada que, além de tudo, ainda é a mais alta – o ator tem 1,84 e ganha mais uns 15 cm depois de subir num salto agulha. Mas tem um detalhe: Sara carrega a cruz de ser filha de um político corrupto. “O calcanhar de Aquiles dela é a história do pai, mas ela garante que o dinheiro dela não é sujo”, defende o ator. A moça também carrega o ímpeto dos mais jovens: “Ela é a sincera, que esfrega na cara. É bem o retrato dessa geração que qualquer coisa aperta o botão do f…!”, completa.

Para se colocar no lugar de Olívia, Agnaldo Lopes só fez uma exigência. “Só pedi que o sapato não fosse muito alto porque nunca andei de salto”, revela o ator, habituado a encarnar personagens másculos como cangaceiros e delegados. Para fazer sua primeira mulher, ele conta que pescou elementos da televisão e das ruas, principalmente no que diz respeito ao gestual. Mas a surpresa maior foi em relação ao comportamento. “É claro que o texto teatral é pintado com cores berrantes, mas mesmo assim fiquei intrigada (sic) com esse hábito de destilar veneno. É assim mesmo?”, questiona o ator, deixando escapar um adjetivo no feminino. “Tá vendo como pega?”, brinca.

 

HAJA VENTILADOR!

Completa o quarteto a Débora de André Gonçalves, convidado especialmente para a temporada baiana. “O texto de Célia Forte é universal, poderia ser apresentado em qualquer lugar”, elogia o ator, que compara a situação a algo bem conhecido do espectador: “Parece festa de Natal em família, sabe?”. É na casa dela que a trama se desenrola, com revelações de fazer arrepiar até os cabelos das perucas. Um dos babados vem da própria anfitriã, que resolve contar pra todo mundo que o pai é gay. E é ela também quem diz uma frase que resume bem aquele momento: “Haja merda, haja ventilador!”.

 

SINOPSE

“Amigas, Pero no Mucho” conta uma história através do encontro de quatro amigas – Débora, Olívia, Fram e Sara – em uma tarde de sábado, onde todas (ou quase todas) as roupas sujas são lavadas por elas. Com humor, ironia e irreverência, elas falam sobre suas dissimulações, devaneios, loucuras e neuroses. Quatro mulheres capazes de deixar qualquer homem desencantado com o sexo oposto. Mulheres bem-sucedidas (ou não), comuns e sofisticadas que numa única tarde fazem revelações que as surpreendem. Mulheres que se amam e se odeiam ao mesmo tempo.

A atual montagem conta com o cenário do francês Jean Pierre, coreografia de Rita Brandi e direção musical de Miguel Briamonte. Os sapatos usados em cena são assinados por Fernando Pires, que desenhou modelos exclusivos para o espetáculo.

 

PERSONAGENS

Débora (André Gonçalves), 40 anos – Divorciada, sem filhos. Inteligente, perspicaz, irônica, mas tipo “dona da verdade”. Sempre tem uma consideração a fazer, tentando que sua opinião prevaleça. Idealiza o amor. Come compulsivamente.

Fram (Lúcio Tranchesi), 50 anos – Divorciada, dois filhos que moram com o pai. É a mais velha das quatro amigas. Já passou dos 50 anos, mas quer parecer 30. Ninfomaníaca. Fala muito palavrão quando está sozinha, em público jamais. Faz meditação, mas quando está com raiva, tem tiques nervosos.

Olívia (Agnaldo Lopes), 40 anos – Casada com filhos. Foi rica e não é mais. Leva crianças para a escola na sua VAN. Julga-se sempre perseguida. Está sempre perguntando: o que vocês estão falando de mim? Exalta o marido, Alfredo, para as amigas.

Sara (Widoto Áquila), 35 anos – Solteira. Executiva. A mais reservada. Parece ser fria, mas esconde grande esperança. Fuma descontroladamente. Não perdoa as amigas, mas pouco se importa com a opinião dos outros. Desconfiada. Odeia as hipocrisias de Fram.

 

FICHA TÉCNICA

Texto: Célia Regina Forte

Direção: José Possi Neto

Direção de Produção: Fred Soares

Direção Musical: Miguel Briamonte

Cenário: Jean Pierre Tortil

Elenco: André Gonçalves, Agnaldo Lopes, Lucio Tranchesi e Widoto Aquila.

Realização: Fred Soares Produções

Classificação Etária: 16 anos

Duração: 80 minutos

 

Serviço:

Local: Teatro RioMar (Rua Lauro Nogueira, 1355) – Piso L3 (Praça de Alimentação)

Dia: 22 de agosto

Hora: 21h30

Ingressos: Na bilheteria do Teatro RioMar Fortaleza ou www.ingressorapido.com

Funcionamento da Bilheteria: Segunda-feira – FECHADA / Terça-feira à Sábado – 12h às 21h / Domingo – 14h às 20h

Valores: Platéia Baixa A: R$ 50,00 (meia) e R$ 100,00 (inteira) | Platéia Baixa B: R$ 40,00 (meia) e R$ 80,00 (inteira) | Platéia Alta: R$ 30,00 (meia) e R$ 60,00 (inteira)

* postado por Oswaldo Scaliotti

Publicidade

André Gonçalves estreia comédia “Amigas, pero no mucho” no Teatro Riomar em Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

17 de agosto de 2015

Amigas-Pero-No-Mucho-Foto-Divulgação-02

Pela pouca maquiagem, figurino minimalista e certa dificuldade de se manter sobre o salto, o espectador vai perceber logo de cara que são homens interpretando personagens femininas. Não é por falta de apuro estético, é de propósito. Assim é definida a comédia “Amigas, Pero No Mucho”, que ganhou nova montagem este ano e está em turnê nacional desde julho. Em Fortaleza, o espetáculo terá apresentação única no dia 22 de agosto (sábado), às 21h30, no Teatro RioMar Fortaleza.

A encenação, um texto da paulista Celia Forte, não tem a intenção de ser realista. Não é um drama, é uma comédia de costumes, que tem a direção de José Possi Neto, traz André Gonçalves no papel principal, que junto com os atores baianos Lucio Tranchesi, Widoto Áquila e Agnaldo Lopes, apresentam as amigas Débora, Fram, Sara e Olívia respectivamente.

 

SOBRE A NOVA MONTAGEM

Para Possi Neto, também é a oportunidade de ver surgir uma nova versão do trabalho, que está na quarta montagem sob sua direção. Desde a estreia, em 2010, a peça já passou por teatros de São Paulo e do Rio de Janeiro, sempre com diferentes atores se revezando no palco a cada temporada. A única coisa que não muda é o texto escrito pela dramaturga  Celia Regina Forte. A história mostra o encontro de quatro amigas, entre 35 e 55 anos, que destilam veneno e lavam roupa suja, ao mesmo tempo em que revelam delicadezas e expõem suas fragilidades. Mas, voltamos a lembrar, o tempo todo está claro que são homens vestindo a carapuça. “Os atores não se obrigam nem a fazer voz de mulher, a não ser quando a própria situação pede um falsete. O mais importante é o universo feminino”, reitera o diretor.

Vamos às apresentações. Lá estão Fram (Lúcio Tranchesi), ninfomaníaca que gosta de meditação e tem uns tiques nervosos. Débora (André Gonçalves) é a divorciada, inteligente e irônica, embora ainda sonhe com o príncipe encantado. Sara (Widoto Áquila) é a executiva reservada e bem-sucedida que fuma descontroladamente e não tem papas na língua. E Olívia (Agnaldo Lopes) é a ex-rica desiludida que hoje dirige uma van escolar para sustentar marido e filhos.

 

SALTOS E INTRIGAS

Lúcio Tranchesi, que recentemente interpretou um travesti na peça Salmo 91, fala de sua Fram. “Ela é a mais velha e a mais louca de todas, é uma delícia. Apesar da idade, tem uma feminilidade muito evidente. E fantasia muito as intrigas”, resume. “A primeira vez que li o texto, confesso que fiquei um pouco preocupado, não achei verossímil. Mas percebi que conheço mulheres assim. Sempre tem aquela inveja da mais jovem, da mais rica, da mais bonita”, avalia o ator.

Widoto Áquila interpreta justamente essa figura invejada que, além de tudo, ainda é a mais alta – o ator tem 1,84 e ganha mais uns 15 cm depois de subir num salto agulha. Mas tem um detalhe: Sara carrega a cruz de ser filha de um político corrupto. “O calcanhar de Aquiles dela é a história do pai, mas ela garante que o dinheiro dela não é sujo”, defende o ator. A moça também carrega o ímpeto dos mais jovens: “Ela é a sincera, que esfrega na cara. É bem o retrato dessa geração que qualquer coisa aperta o botão do f…!”, completa.

Para se colocar no lugar de Olívia, Agnaldo Lopes só fez uma exigência. “Só pedi que o sapato não fosse muito alto porque nunca andei de salto”, revela o ator, habituado a encarnar personagens másculos como cangaceiros e delegados. Para fazer sua primeira mulher, ele conta que pescou elementos da televisão e das ruas, principalmente no que diz respeito ao gestual. Mas a surpresa maior foi em relação ao comportamento. “É claro que o texto teatral é pintado com cores berrantes, mas mesmo assim fiquei intrigada (sic) com esse hábito de destilar veneno. É assim mesmo?”, questiona o ator, deixando escapar um adjetivo no feminino. “Tá vendo como pega?”, brinca.

 

HAJA VENTILADOR!

Completa o quarteto a Débora de André Gonçalves, convidado especialmente para a temporada baiana. “O texto de Célia Forte é universal, poderia ser apresentado em qualquer lugar”, elogia o ator, que compara a situação a algo bem conhecido do espectador: “Parece festa de Natal em família, sabe?”. É na casa dela que a trama se desenrola, com revelações de fazer arrepiar até os cabelos das perucas. Um dos babados vem da própria anfitriã, que resolve contar pra todo mundo que o pai é gay. E é ela também quem diz uma frase que resume bem aquele momento: “Haja merda, haja ventilador!”.

 

SINOPSE

“Amigas, Pero no Mucho” conta uma história através do encontro de quatro amigas – Débora, Olívia, Fram e Sara – em uma tarde de sábado, onde todas (ou quase todas) as roupas sujas são lavadas por elas. Com humor, ironia e irreverência, elas falam sobre suas dissimulações, devaneios, loucuras e neuroses. Quatro mulheres capazes de deixar qualquer homem desencantado com o sexo oposto. Mulheres bem-sucedidas (ou não), comuns e sofisticadas que numa única tarde fazem revelações que as surpreendem. Mulheres que se amam e se odeiam ao mesmo tempo.

A atual montagem conta com o cenário do francês Jean Pierre, coreografia de Rita Brandi e direção musical de Miguel Briamonte. Os sapatos usados em cena são assinados por Fernando Pires, que desenhou modelos exclusivos para o espetáculo.

 

PERSONAGENS

Débora (André Gonçalves), 40 anos – Divorciada, sem filhos. Inteligente, perspicaz, irônica, mas tipo “dona da verdade”. Sempre tem uma consideração a fazer, tentando que sua opinião prevaleça. Idealiza o amor. Come compulsivamente.

Fram (Lúcio Tranchesi), 50 anos – Divorciada, dois filhos que moram com o pai. É a mais velha das quatro amigas. Já passou dos 50 anos, mas quer parecer 30. Ninfomaníaca. Fala muito palavrão quando está sozinha, em público jamais. Faz meditação, mas quando está com raiva, tem tiques nervosos.

Olívia (Agnaldo Lopes), 40 anos – Casada com filhos. Foi rica e não é mais. Leva crianças para a escola na sua VAN. Julga-se sempre perseguida. Está sempre perguntando: o que vocês estão falando de mim? Exalta o marido, Alfredo, para as amigas.

Sara (Widoto Áquila), 35 anos – Solteira. Executiva. A mais reservada. Parece ser fria, mas esconde grande esperança. Fuma descontroladamente. Não perdoa as amigas, mas pouco se importa com a opinião dos outros. Desconfiada. Odeia as hipocrisias de Fram.

 

FICHA TÉCNICA

Texto: Célia Regina Forte

Direção: José Possi Neto

Direção de Produção: Fred Soares

Direção Musical: Miguel Briamonte

Cenário: Jean Pierre Tortil

Elenco: André Gonçalves, Agnaldo Lopes, Lucio Tranchesi e Widoto Aquila.

Realização: Fred Soares Produções

Classificação Etária: 16 anos

Duração: 80 minutos

 

Serviço:

Local: Teatro RioMar (Rua Lauro Nogueira, 1355) – Piso L3 (Praça de Alimentação)

Dia: 22 de agosto

Hora: 21h30

Ingressos: Na bilheteria do Teatro RioMar Fortaleza ou www.ingressorapido.com

Funcionamento da Bilheteria: Segunda-feira – FECHADA / Terça-feira à Sábado – 12h às 21h / Domingo – 14h às 20h

Valores: Platéia Baixa A: R$ 50,00 (meia) e R$ 100,00 (inteira) | Platéia Baixa B: R$ 40,00 (meia) e R$ 80,00 (inteira) | Platéia Alta: R$ 30,00 (meia) e R$ 60,00 (inteira)

* postado por Oswaldo Scaliotti