Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Delegação da Suécia

Delegação da Suécia visita a GNR Fortaleza 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

12 de novembro de 2018

A Suécia é destaque na produção de biometano. Há décadas o país direciona a maior parte do biogás produzido para o transporte público e, por isso, possui um dos sistemas mais limpos do mundo. Para conhecer melhor esse novas expertises nessa área, uma delegação sueca visitará, no dia 20/11, a GNR Fortaleza, primeira planta do Norte-Nordeste de produção de biometano. 

Inaugurada em abril deste ano, a usina GNR Fortaleza – que faz parte do portfólio da Marquise Ambiental, em parceria com a Ecometano – é autorizada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) a injetar na rede toda a sua capacidade de produção de gás, que hoje é algo em torno de 80 mil m³ por dia, o suficiente para abastecer 6.000 carros por dia. 

O biogás no Brasil é hoje majoritariamente produzido a partir de resíduos do setor agrícola, porém, existem outros potenciais, como é o caso da GNR que produz biometado a partir dos resíduos sólidos urbanos do Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia.

Durante a passagem pelo Brasil, a delegação, liderada pelo Vice Ministro da Indústria e Inovação da Suécia, Sr. Niklas Johansson, realizará a Semana de Inovação Suécia-Brasil. A sétima edição do evento terá como foco o potencial da cadeia do biometano para cidades como Fortaleza. “Este evento reforça a posição da GNR Fortaleza como fornecedor do biometano, abrindo a oportunidade de ampliarmos nossa produção através de contrato adicional de fornecimento de mais 50.000 m³/dia”, explica Thales Mota, diretor da GNR Fortaleza. 

Para Hugo Nery, diretor-presidente da Marquise Ambiental, o evento será uma oportunidade de fazer parcerias e de troca de conhecimentos. “É muito importante recebermos essa visita. O vasto conhecimento científico da Suécia e os incentivos governamentais permitem que atualmente 90% da rede de gás veicular sueca seja o biogás. A implantação da GNR Fortaleza é um importante passo para que o Brasil chegue nesse patamar”, fala.

Publicidade

Delegação da Suécia visita a GNR Fortaleza 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

12 de novembro de 2018

A Suécia é destaque na produção de biometano. Há décadas o país direciona a maior parte do biogás produzido para o transporte público e, por isso, possui um dos sistemas mais limpos do mundo. Para conhecer melhor esse novas expertises nessa área, uma delegação sueca visitará, no dia 20/11, a GNR Fortaleza, primeira planta do Norte-Nordeste de produção de biometano. 

Inaugurada em abril deste ano, a usina GNR Fortaleza – que faz parte do portfólio da Marquise Ambiental, em parceria com a Ecometano – é autorizada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) a injetar na rede toda a sua capacidade de produção de gás, que hoje é algo em torno de 80 mil m³ por dia, o suficiente para abastecer 6.000 carros por dia. 

O biogás no Brasil é hoje majoritariamente produzido a partir de resíduos do setor agrícola, porém, existem outros potenciais, como é o caso da GNR que produz biometado a partir dos resíduos sólidos urbanos do Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia.

Durante a passagem pelo Brasil, a delegação, liderada pelo Vice Ministro da Indústria e Inovação da Suécia, Sr. Niklas Johansson, realizará a Semana de Inovação Suécia-Brasil. A sétima edição do evento terá como foco o potencial da cadeia do biometano para cidades como Fortaleza. “Este evento reforça a posição da GNR Fortaleza como fornecedor do biometano, abrindo a oportunidade de ampliarmos nossa produção através de contrato adicional de fornecimento de mais 50.000 m³/dia”, explica Thales Mota, diretor da GNR Fortaleza. 

Para Hugo Nery, diretor-presidente da Marquise Ambiental, o evento será uma oportunidade de fazer parcerias e de troca de conhecimentos. “É muito importante recebermos essa visita. O vasto conhecimento científico da Suécia e os incentivos governamentais permitem que atualmente 90% da rede de gás veicular sueca seja o biogás. A implantação da GNR Fortaleza é um importante passo para que o Brasil chegue nesse patamar”, fala.