Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

diretor do Centro Fashion

Fortaleza ganha novo centro comercial popular voltado para segmento da moda

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

19 de agosto de 2015

08_LOJAS_BOXS_03

O mercado da moda movimenta em Fortaleza 67,5 mil empregos formais, com cerca de 5 mil empresas do setor de têxteis e confeccionados, segundo dados da pesquisa Polos de Moda do Brasil, realizada pelo Sebrae. Com esses números, o Estado torna-se destaque nacional, consolidando cada vez mais este setor. Dentro do amplo mercado fashion, há um nicho ascendente, que também movimenta a economia, gerando emprego e renda. Trata-se do mercado popular de moda, seguido por microempreendedores e que em alguns casos funciona em caráter informal, sem muitas estruturas, mas que representa uma significativa fatia deste ramo.

Esses pequenos empreendedores encontram na confecção uma ótima oportunidade de negócios, já que, além de vender no varejo, vendem muito mais no atacado, tanto para clientes locais como para clientes do interior e até de outros estados. Mas a não profissionalização deste setor tem se tornado um impeditivo para que estes comerciantes possam expandir os negócios e aumentar seu faturamento. Muitos atuam como “sacoleiros”, termo usado para quem revende roupas no varejo sem ter espaço físico. Também há quem atue em feiras de ruas, ocupando espaço público e sem a mínima estrutura necessária para desenvolver um trabalho digno, estando condicionado aos riscos que a rua oferece, como falta de segurança, alterações climáticas e insalubridade.

Seguindo uma proposta de contribuir para este setor que só cresce, proporcionando aos empreendedores auxílio e condições de expansão, será lançado, em Fortaleza, o Centro Fashion – centro de comércio popular com foco em moda. O Centro Fashion  chega como a opção para empreendedores que precisam de um espaço organizado, confortável e central para continuarem seu comércio e alavancarem seus negócios, com custos acessíveis. São aproximadamente 67 mil m² de área construída, localizado na Avenida Cel. Philomeno Gomes, esquina com Avenida Tenente Lisboa, nas imediações do Centro.

O equipamento contará com 6.500 boxes e 300 lojas. E além de toda estrutura para os comerciantes, haverá itens para receber clientes locais e de outras cidades com o máximo de conforto e praticidade, como praça de alimentação com 88 lanchonetes, hospedagem, estacionamento para carros e motos e mais 130 vagas exclusivas para ônibus, além de auditório, banco, escritório virtual, farmácia, salão de beleza, loja de aviamentos, ambulatório, circuito interno de tv e som e segurança.

O Centro Fashion também tem a proposta de contribuir para o pujante turismo de compra, do qual o Ceará é rota constante. O empreendimento contará com hospedagem própria para este público, com o intuito de atender aos clientes do interior e de outros estados, que vem a Fortaleza comprar mercadorias para a revenda. A hospedagem conta com 220 confortáveis leitos, banheiros, e café da manhã no local.

O equipamento conta com investimento de R$ 100 milhões, com expectativa de gerar 7,5 mil empregos, diretos e indiretos.

“Todo investimento para o mercado da moda é bem-vindo. Além de oferecer melhor estrutura com um custo acessível para comerciantes, o equipamento visa alavancar ainda mais esse mercado, atraindo muito mais clientes e dando maior visibilidade a esse comércio. Vamos incentivar a capacitação desses empreendedores, fechando parcerias que visam ainda mais o seu crescimento”, comenta Francisco Philomeno Neto, diretor do Centro Fashion.

O Centro Fashion tem previsão de entrega para 2016, e o primeiro lote já está sendo ofertado, com preços especiais de lançamento.

 

Cases de sucesso

– Moda Center, em Santa Cruz do Capibaribe (PE): Construído em 2006, o Moda Center é o maior centro comercial popular de moda da América Latina. Possui 120 mil m² de área coberta, com 707 lojas e quase 10.000 boxes, onde são comercializadas peças de pequenas e grandes confecções de Santa Cruz do Capibaribe, município distante 194 Km da capital Recife. O mercado funciona de domingo a terça, e recebe em média 30 mil pessoas por dia.

– Polo Comercial de Caruaru (PE): Possui 64 mil m² de área coberta, onde se instalam lojas, boxes, quiosques e grandes empreendimentos. São 3 mil vagas de estacionamento. O setor de lojas possui mais de 580 operações, sendo 87% destas voltadas para vestuário. Há, também, restaurantes, lanchonetes, padaria, lojas de vários produtos, um posto avançado do Detran e instituições de ensino superior.

– Shopping da Cidade, em Teresina (PI): Apesar de não ser voltado exclusivamente para o setor da moda, o Shopping da Cidade é um exemplo de empreendimento voltado para comerciantes que vendiam em feiras nas ruas do centro da cidade de Teresina, sem estrutura adequada. Com o comércio instalado no Shopping, inaugurado em 2009, muitos comerciantes puderam experimentar aumento em seus faturamentos, atraindo muito mais clientes. Estrutura conta com 1.956 boxes, distribuídos em três pavimentos, praça de alimentação, terminais de autoatendimento bancário e loteria.

* postado por Oswaldo Scaliotti

Publicidade

Fortaleza ganha novo centro comercial popular voltado para segmento da moda

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

19 de agosto de 2015

08_LOJAS_BOXS_03

O mercado da moda movimenta em Fortaleza 67,5 mil empregos formais, com cerca de 5 mil empresas do setor de têxteis e confeccionados, segundo dados da pesquisa Polos de Moda do Brasil, realizada pelo Sebrae. Com esses números, o Estado torna-se destaque nacional, consolidando cada vez mais este setor. Dentro do amplo mercado fashion, há um nicho ascendente, que também movimenta a economia, gerando emprego e renda. Trata-se do mercado popular de moda, seguido por microempreendedores e que em alguns casos funciona em caráter informal, sem muitas estruturas, mas que representa uma significativa fatia deste ramo.

Esses pequenos empreendedores encontram na confecção uma ótima oportunidade de negócios, já que, além de vender no varejo, vendem muito mais no atacado, tanto para clientes locais como para clientes do interior e até de outros estados. Mas a não profissionalização deste setor tem se tornado um impeditivo para que estes comerciantes possam expandir os negócios e aumentar seu faturamento. Muitos atuam como “sacoleiros”, termo usado para quem revende roupas no varejo sem ter espaço físico. Também há quem atue em feiras de ruas, ocupando espaço público e sem a mínima estrutura necessária para desenvolver um trabalho digno, estando condicionado aos riscos que a rua oferece, como falta de segurança, alterações climáticas e insalubridade.

Seguindo uma proposta de contribuir para este setor que só cresce, proporcionando aos empreendedores auxílio e condições de expansão, será lançado, em Fortaleza, o Centro Fashion – centro de comércio popular com foco em moda. O Centro Fashion  chega como a opção para empreendedores que precisam de um espaço organizado, confortável e central para continuarem seu comércio e alavancarem seus negócios, com custos acessíveis. São aproximadamente 67 mil m² de área construída, localizado na Avenida Cel. Philomeno Gomes, esquina com Avenida Tenente Lisboa, nas imediações do Centro.

O equipamento contará com 6.500 boxes e 300 lojas. E além de toda estrutura para os comerciantes, haverá itens para receber clientes locais e de outras cidades com o máximo de conforto e praticidade, como praça de alimentação com 88 lanchonetes, hospedagem, estacionamento para carros e motos e mais 130 vagas exclusivas para ônibus, além de auditório, banco, escritório virtual, farmácia, salão de beleza, loja de aviamentos, ambulatório, circuito interno de tv e som e segurança.

O Centro Fashion também tem a proposta de contribuir para o pujante turismo de compra, do qual o Ceará é rota constante. O empreendimento contará com hospedagem própria para este público, com o intuito de atender aos clientes do interior e de outros estados, que vem a Fortaleza comprar mercadorias para a revenda. A hospedagem conta com 220 confortáveis leitos, banheiros, e café da manhã no local.

O equipamento conta com investimento de R$ 100 milhões, com expectativa de gerar 7,5 mil empregos, diretos e indiretos.

“Todo investimento para o mercado da moda é bem-vindo. Além de oferecer melhor estrutura com um custo acessível para comerciantes, o equipamento visa alavancar ainda mais esse mercado, atraindo muito mais clientes e dando maior visibilidade a esse comércio. Vamos incentivar a capacitação desses empreendedores, fechando parcerias que visam ainda mais o seu crescimento”, comenta Francisco Philomeno Neto, diretor do Centro Fashion.

O Centro Fashion tem previsão de entrega para 2016, e o primeiro lote já está sendo ofertado, com preços especiais de lançamento.

 

Cases de sucesso

– Moda Center, em Santa Cruz do Capibaribe (PE): Construído em 2006, o Moda Center é o maior centro comercial popular de moda da América Latina. Possui 120 mil m² de área coberta, com 707 lojas e quase 10.000 boxes, onde são comercializadas peças de pequenas e grandes confecções de Santa Cruz do Capibaribe, município distante 194 Km da capital Recife. O mercado funciona de domingo a terça, e recebe em média 30 mil pessoas por dia.

– Polo Comercial de Caruaru (PE): Possui 64 mil m² de área coberta, onde se instalam lojas, boxes, quiosques e grandes empreendimentos. São 3 mil vagas de estacionamento. O setor de lojas possui mais de 580 operações, sendo 87% destas voltadas para vestuário. Há, também, restaurantes, lanchonetes, padaria, lojas de vários produtos, um posto avançado do Detran e instituições de ensino superior.

– Shopping da Cidade, em Teresina (PI): Apesar de não ser voltado exclusivamente para o setor da moda, o Shopping da Cidade é um exemplo de empreendimento voltado para comerciantes que vendiam em feiras nas ruas do centro da cidade de Teresina, sem estrutura adequada. Com o comércio instalado no Shopping, inaugurado em 2009, muitos comerciantes puderam experimentar aumento em seus faturamentos, atraindo muito mais clientes. Estrutura conta com 1.956 boxes, distribuídos em três pavimentos, praça de alimentação, terminais de autoatendimento bancário e loteria.

* postado por Oswaldo Scaliotti