Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

economista do Sistema FIEC

FIEC começa a pensar caminhos futuros do setor de Logística

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

25 de novembro de 2015

DSC_5155-met

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) reuniu na tarde desta quarta-feira, 25/11, no auditório Luis Esteves, na sede da Casa da Indústria, em Fortaleza, 50 especialistas que vão pensar coletivamente visões de futuros e caminhos estratégicos para o setor de Logística até o ano de 2025, no Ceará. As Rotas Estratégicas são a maior ferramenta e fazem parte do Programa para Desenvolvimento da Indústria, que prevê uma série de ações, atividades e projetos de inovação visando a promoção da indústria. O economista do Sistema FIEC, Guilherme Muchale, abriu o painel apresentando  o estudo socioeconômico da área de Logística e detalhes sobre o Programa para Desenvolvimento da Indústria. O painel para o setor de Logística prossegue até essa quinta-feira, 26/11.

Participam do painel como convidados, representantes da indústria, governo e academia. Entre eles, o presidente do Sindminerais e da Câmara Setorial de Logística, Marcelo Quinderé, e o presidente do Conselho Temático de Relações Internacionais (CORIN) da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Marcos Veríssimo Oliveira.  Marcelo Quinderé elogia a consolidação de informações feita pelo Núcleo de Economia no estudo sócioeconômico. ” Trabalho bem feito com dados novos. Espetacular e vai nos ajudar na Câmara Setorial de Logística”, diz entusiasmado.

Os próximos painéis com especialistas das Rotas Estratégicas acontecerão em março de 2016 e vão abranger as áreas de TI e Saúde. O prazo final para realização de todas as 13  Rotas Estratégicas será até 2017.

Sobre as Rotas Estratégicas

O objetivo é sinalizar caminhos de construção do futuro para cada um dos setores e áreas identificados como mais promissores para a indústria do Ceará até 2025. Já foram cumpridas as rotas dos setores eletrometalmecânico e de energia. As próximas áreas são: saúde, tecnologia da informação e construção, água, agroalimentar, biotecnologia, economia do mar, produtos de consumo (couro e calçados, confecções, madeira e móveis), meio ambiente e turismo e economia criativa. A iniciativa é a maior ferramenta do Projeto para Desenvolvimento da Indústria, que prevê uma série de ações, atividades e projetos de inovação visando a promoção da indústria.

As Rotas Estratégicas pensam os setores e sua orientação por áreas do estado, em uma perspectiva de longo prazo e induzem a criação de ambientes que atraiam, retenham e desenvolvam pessoas, empresas e investimentos focados na inovação e sustentabilidade. A intenção é permitir que o Ceará possua posição competitiva nacional e internacional nos setores estratégicos, contribuindo para a reorientação do desenvolvimento industrial e econômico do estado.

As contribuições dos especialistas convidados da indústria, governo e academia serão compiladas em forma de Roadmaps – mapas com o futuro desejado, desafios e propostas de ações. Para nortear o trabalho durante os paineis, foram elaborados estudos socioeconômicos com diagnósticos, levantamento de tendências tecnológicas, ativos de pesquisas, desenvolvimento e inovação.

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

FIEC começa a pensar caminhos futuros do setor de Logística

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

25 de novembro de 2015

DSC_5155-met

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) reuniu na tarde desta quarta-feira, 25/11, no auditório Luis Esteves, na sede da Casa da Indústria, em Fortaleza, 50 especialistas que vão pensar coletivamente visões de futuros e caminhos estratégicos para o setor de Logística até o ano de 2025, no Ceará. As Rotas Estratégicas são a maior ferramenta e fazem parte do Programa para Desenvolvimento da Indústria, que prevê uma série de ações, atividades e projetos de inovação visando a promoção da indústria. O economista do Sistema FIEC, Guilherme Muchale, abriu o painel apresentando  o estudo socioeconômico da área de Logística e detalhes sobre o Programa para Desenvolvimento da Indústria. O painel para o setor de Logística prossegue até essa quinta-feira, 26/11.

Participam do painel como convidados, representantes da indústria, governo e academia. Entre eles, o presidente do Sindminerais e da Câmara Setorial de Logística, Marcelo Quinderé, e o presidente do Conselho Temático de Relações Internacionais (CORIN) da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Marcos Veríssimo Oliveira.  Marcelo Quinderé elogia a consolidação de informações feita pelo Núcleo de Economia no estudo sócioeconômico. ” Trabalho bem feito com dados novos. Espetacular e vai nos ajudar na Câmara Setorial de Logística”, diz entusiasmado.

Os próximos painéis com especialistas das Rotas Estratégicas acontecerão em março de 2016 e vão abranger as áreas de TI e Saúde. O prazo final para realização de todas as 13  Rotas Estratégicas será até 2017.

Sobre as Rotas Estratégicas

O objetivo é sinalizar caminhos de construção do futuro para cada um dos setores e áreas identificados como mais promissores para a indústria do Ceará até 2025. Já foram cumpridas as rotas dos setores eletrometalmecânico e de energia. As próximas áreas são: saúde, tecnologia da informação e construção, água, agroalimentar, biotecnologia, economia do mar, produtos de consumo (couro e calçados, confecções, madeira e móveis), meio ambiente e turismo e economia criativa. A iniciativa é a maior ferramenta do Projeto para Desenvolvimento da Indústria, que prevê uma série de ações, atividades e projetos de inovação visando a promoção da indústria.

As Rotas Estratégicas pensam os setores e sua orientação por áreas do estado, em uma perspectiva de longo prazo e induzem a criação de ambientes que atraiam, retenham e desenvolvam pessoas, empresas e investimentos focados na inovação e sustentabilidade. A intenção é permitir que o Ceará possua posição competitiva nacional e internacional nos setores estratégicos, contribuindo para a reorientação do desenvolvimento industrial e econômico do estado.

As contribuições dos especialistas convidados da indústria, governo e academia serão compiladas em forma de Roadmaps – mapas com o futuro desejado, desafios e propostas de ações. Para nortear o trabalho durante os paineis, foram elaborados estudos socioeconômicos com diagnósticos, levantamento de tendências tecnológicas, ativos de pesquisas, desenvolvimento e inovação.

  • postado por Oswaldo Scaliotti