Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

em setembro

Brasilis Restaurante realiza Happy Hour em setembro

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

20 de setembro de 2018

Em todas os fins de semana até o fim do mês de setembro, o Brasilis Restaurante oferece aos seus clientes uma programação musical no shopping Iguatemi. As atrações acontecem nas sextas-feiras, a partir das 17h, e aos domingos, a partir das 13h.

Na sexta, a atração musical é de Thalissa Taynara, tocando uma seleção variada de músicas que vão desde forró antigo a MPB e funk. Já no domingo, quem se apresenta é a banda Souldiretriz, com um repertório com o melhor do samba. Além da música ao vivo, no domingo, o Brasilis oferece uma feijoada especial.

Brasilis Restaurante tem como proposta levar aos seus clientes um cardápio para transmitir a brasilidade sugerida pelo nome do restaurante. O seu menu oferece um self service completo com saladas, pratos quentes e uma variedade de carnes grelhadas e sobremesas. Além de refeições leves, como sanduíches, petiscos e comidas fitness.

Serviço:

Happy Hour no Brasilis Restaurante

Atrações:

Sexta-feira –  Thalissa Taynara

Domingo –  Souldiretriz

Local: Shopping Iguatemi – Av. Washington Soares

Informações: https://www.instagram.com/brasilis.restaurante/

Publicidade

Confiança do Consumidor cai, mas mantem tendência de recuperação

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

06 de setembro de 2018

77,8% dos entrevistados acreditam que sua situação financeira futura será melhor ou muito melhor do que a atual.

 

 

De acordo com pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio/CE), em setembro, o Índice de Confiança do Consumidor de Fortaleza (ICC) apresentou redução de -2,9%, passando de 108,7 pontos, em agosto, para 105,5 pontos neste mês. Apesar da queda, o ICC mantém a tendência de recuperação iniciada no final do ano passado.

Expectativa dos consumidores

 

A pesquisa revela que, em setembro, 42,0% dos entrevistados mostram boa disposição para a compra de bens duráveis. Dentre aqueles que demonstram maior entusiasmo, destacam-se os consumidores do sexo masculino (45,4% dos entrevistados afirmam que setembro é um bom momento para compra de bens de consumo duráveis), do grupo com idade entre 18 e 24 anos (44,8%) e com renda familiar entre cinco e dez salários mínimos (47,6%).

 

O estudo também mostra que 59,7% dos consumidores de Fortaleza consideram que sua situação financeira atual está melhor ou muito melhor do que há um ano – taxa levemente abaixo da verificada em agosto (60,2%). Já as expectativas com o futuro se mostram mais otimistas, com 77,8% dos entrevistados acreditando que sua situação financeira futura será melhor ou muito melhor do que a atual.

 

Pretensão de compra

A taxa de pretensão de compras teve declínio de -6,4 pontos percentuais, passando de 35,7%, em agosto, para 29,3% neste mês, situando-se, também, abaixo da observada no mesmo mês do ano passado (31,9%).

 

Após a Copa do Mundo de Futebol, a demanda de televisores ganhou concorrência com os artigos de vestuário, mas o calendário de promoções do varejo alimenta a procura por bens de consumo duráveis para o lar, conforme sugere a lista de produtos mais procurados: televisores, citados por 19,2% dos entrevistados; artigos de vestuário (18,6%); móveis e artigos de decoração (12,4%); calçados (12,4%); geladeiras e refrigeradores (11,9%); fogões (9,6%); e automóveis (8,1%).

 

O valor médio das compras é estimado em R$ 569,39 e a intenção de compra mostra-se mais elevada para os consumidores do sexo masculino (29,7%), mais vigorosa para o grupo com idade entre 18 a 24 anos (36,3%) e com renda familiar de até cinco salários mínimos (30,1%).

Publicidade

Setor calçadista cearense atinge superávit de US$ 207,3 milhões em setembro

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

18 de outubro de 2017

Segundo maior exportador de calçados no Brasil, o Ceará exportou de janeiro a setembro de 2017 US$ 221,8 milhões, o que representa uma alta de 8% em relação ao mesmo período de 2016. As importações sofreram um aumento de 80,1%, passando de US$ 2,5 milhões para US$ 4,5 milhões. Mesmo com a elevação das importações, o saldo da balança comercial do setor foi positivo, com um superávit US$ 207,3 milhões – um recorde para o mês de setembro nos últimos três anos, segundo o Miniestudo Setorial de Calçados realizado mensalmente pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC.

De acordo com a gerente da instituição, Karina Frota, o aumento das importações está relacionado à aquisição de componentes para a produção do produto final, como é o caso de solas, palmilhas e partes superiores, obtidos principalmente da China. “Vale destacar que se tais itens forem utilizados no produto final a ser exportado, a indústria fica desobrigada a pagar os diversos impostos da aquisição desses componentes, através do regime especial conhecido como drawback, tornando assim mais competitivas”, explica.

Apesar do bom desempenho no cenário externo, os calçados perderam, em 2017, o posto do principal setor exportador do Ceará para o metalmecânico por conta do início das atividades da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). Tal fato explica a queda na participação do setor na balança comercial cearense de 23,69% para 14,4%.

A Argentina ocupa a posição de principal destino das exportações cearenses de calçados e apresenta crescimento de 20,7% em relação a 2016. Os EUA estão em segundo, com pouca diferença na participação nas importações, porém exibem uma queda de 8,5% em comparação ao ano anterior. Colômbia e Bolívia foram outros destinos de destaque, com incremento respectivo de 24,8% e 54,0%.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Setor calçadista cearense atinge superávit de US$ 207,3 milhões em setembro

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

18 de outubro de 2017

Segundo maior exportador de calçados no Brasil, o Ceará exportou de janeiro a setembro de 2017 US$ 221,8 milhões, o que representa uma alta de 8% em relação ao mesmo período de 2016. As importações sofreram um aumento de 80,1%, passando de US$ 2,5 milhões para US$ 4,5 milhões. Mesmo com a elevação das importações, o saldo da balança comercial do setor foi positivo, com um superávit US$ 207,3 milhões – um recorde para o mês de setembro nos últimos três anos, segundo o Miniestudo Setorial de Calçados realizado mensalmente pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC.

De acordo com a gerente da instituição, Karina Frota, o aumento das importações está relacionado à aquisição de componentes para a produção do produto final, como é o caso de solas, palmilhas e partes superiores, obtidos principalmente da China. “Vale destacar que se tais itens forem utilizados no produto final a ser exportado, a indústria fica desobrigada a pagar os diversos impostos da aquisição desses componentes, através do regime especial conhecido como drawback, tornando assim mais competitivas”, explica.

Apesar do bom desempenho no cenário externo, os calçados perderam, em 2017, o posto do principal setor exportador do Ceará para o metalmecânico por conta do início das atividades da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). Tal fato explica a queda na participação do setor na balança comercial cearense de 23,69% para 14,4%.

A Argentina ocupa a posição de principal destino das exportações cearenses de calçados e apresenta crescimento de 20,7% em relação a 2016. Os EUA estão em segundo, com pouca diferença na participação nas importações, porém exibem uma queda de 8,5% em comparação ao ano anterior. Colômbia e Bolívia foram outros destinos de destaque, com incremento respectivo de 24,8% e 54,0%.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti