Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

EMBRAPII

Unidades EMBRAPII e NATURA debatem oportunidades de negócio em inovação

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

13 de junho de 2019

Representantes de dez centros de pesquisas credenciados pela EMBRAPII participam de Rodadas de Negócios na sede da empresa em São Paulo

Nesta quarta-feira (12), representantes de dez unidades EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) se reuniram com a direção de inovação da empresa de cosméticos Natura, em São Paulo, para apresentar suas competências técnicas e cases de sucesso com a indústria. O encontro teve como objetivo favorecer a geração de novos negócios para a cooperação em projetos de P,D&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação).

Profissionais do setor de inovação da empresa participaram das rodadas de negócios com as Unidades EMBRAPII para identificar potenciais parceiros comerciais no desenvolvimento de novos produtos e processos industriais.  Atualmente, a empresa tem dois projetos apoiados pela EMBRAPII: o desenvolvimento de novo produto cosmético e outro relacionado à produção do biotensoativo proveniente de oleaginosas da Amazônia.

O Brasil é o quarto mercado mundial de itens de beleza e higiene e o terceiro em lançamento de novos produtos, movimentando cerca de U$ 30 bilhões no ano passado. “A competitividade da indústria passa pela inovação e, cada vez mais, as soluções tecnológicas estão se tornando mais colaborativas. A parceria entre empresas e instituições de pesquisa é fundamental, considerando que ambos detêm muito conhecimento. As Unidades EMBRAPII estão preparadas para atender as demandas do mercado com agilidade e flexibilidade que os projetos de inovação exigem”, destaca Carlos Eduardo Pereira, diretor de operações da EMBRAPII.

Participaram do encontro representantes das unidades EMBRAPII: Fundação Certi, de Sistemas Inteligentes; o CQMED (Centro de Química Medicinal de Inovação Aberta), de fármacos e biofármacos, o DCC/UFMG (Departamento da Ciência da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais), de Software para Sistemas, a Embrapa Agroenergia, de Bioquímica de Renováveis; o  INT (Instituto Nacional de Tecnologia), de Química Industrial, IPT-Bio ( Instituto de Pesquisa Tecnológico), de Processos Biotecnológicos, o IPT-MAT , de Material de Alto Desempenho,  TecnoGreen/Poli–USP, de Química Verde, o ISI Engenharia de Polímeros e o ISI Sistemas Embarcados.

Modelo EMBRAPII

A EMBRAPII é uma organização social que tem contrato de gestão com os Ministérios de Saúde, Educação (MEC), Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e possui um modelo próprio de investimento em projetos de PD&I (Pesquisa Desenvolvimento e Inovação) inspirado em organizações internacionais.

Empresas que possuem um projeto avaliado como inovador devem se associar a uma das 42 unidades credenciadas existentes no país. Caso o projeto seja aprovado, após avaliação técnica, os gastos para o desenvolvimento são divididos em três partes. A EMBRAPII fica responsável por um terço do valor, a unidade disponibiliza mão de obra e equipamentos e a empresa financia o restante. Atualmente, já são mais de 700 projetos apoiados em um investimento que supera 1,2 bilhão.

Publicidade

Ceará leva tecnologia de monitoramento de sinais vitais para Congresso de Inovação

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

03 de junho de 2019

 

Sistema inovador desenvolvido pelo Instituto Federal do Ceará, unidade credenciada EMBRAPII, vai ser uma das atrações no maior evento do segmento da América Latina

Uma nova tecnologia desenvolvida por pesquisadores do Instituto Federal do Ceará, unidade credenciada EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), será apresentada ao público no 8º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, maior evento do segmento da América Latina, que será realizado nos próximos dias 10 e 11 de junho, em São Paulo (http://www.congressodeinovacao.com.br/).

O projeto foi desenvolvido em parceria com a empresa Integrare Health Tecnology no modelo EMBRAPII de fomento à pesquisa e inovação industrial. Trata-se do Argus, monitor de sinais vitais automático vestível. O dispositivo é acoplado em uma roupa, do tipo “top”, e será capaz de verificar informações como: frequência cardíaca e respiratória, pressão arterial e temperatura do corpo. Com os dados captados, os profissionais de saúde terão maior controle, em tempo real, sobre o estado de cada paciente.

A inovação vai contribuir com o trabalho do técnico que precisa ir, de leito em leito, para fazer a coleta dos sinais vitais dos internados. Com a tecnologia, este trabalho operacional será mais rápido, seguro e eficiente, pois os dados serão enviados automaticamente ao sistema da central médica, via wi-fi ou bluetooth, ou para o aplicativo de qualquer smartphone integrado. Em caso de variações bruscas nos sinais coletados, o aparelho emitirá alertas à equipe médica para que as medidas necessárias sejam tomadas rapidamente.

Outro diferencial é que, como a tecnologia é nacional, terá custo mais baixo em comparação aos equipamentos semelhantes oriundos do exterior, o que viabilizará a utilização tanto em leitos fora da UTI, quanto em casas, no sistema home-care. A aparelho tem autonomia de quatro dias de funcionamento no corpo do paciente.

O professor Anaxágora Maia Girão, coordenador do projeto no IF-CE, explica que, com estas características e focadas na utilização em ambientes fora de UTIs, o aparelho é pioneiro no mercado hospitalar e trará relevante contribuição com os procedimentos da equipe de saúde. “O principal objetivo é salvar vidas em hospitais, por monitorar em tempo real o estado clínico do paciente. Pesquisas mostram que esse acompanhamento, quando feito corretamente, representa uma diminuição significativa dos casos de pacientes que vão à UTI”, destaca. “Transformar uma boa ideia em produto final exige investimento e competência. Foi esse o caso. A empresa sabia o que queria, pois é formada por médicos, mas não tinha a competência nem recursos financeiros para a sua execução. A EMBRAPII foi o diferencial.”

Entenda o modelo EMBRAPII

O apoio à inovação adotado pela EMBRAPII está centrado no modelo da Tríplice Hélice, ou seja, união entre governo, empresa e universidade. Empresas que tenham um projeto avaliado como inovador devem se associar a um dos 42 centros de pesquisa e desenvolvimento que foram credenciados pela organização (Unidades EMBRAPII). Os projetos contratados contam, para seu desenvolvimento, conta com recursos divididos em três partes. A EMBRAPII fica responsável por um terço do investimento, o centro de pesquisa disponibiliza mão de obra, infraestrutura e equipamentos, e a empresa financia o restante.

Publicidade

Tecnologia vai monitorar automaticamente sinais vitais de pacientes

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

31 de Maio de 2019

 

Sistema inovador desenvolvido em unidade EMBRAPII vai prever situações de risco e alertar profissionais de saúde sobre quadro clínico de enfermos

Na área da saúde cada segundo pode ser crucial no socorro de um paciente. Pensando em agilizar cada vez mais antigos procedimentos no monitoramento de sinais vitais, a EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) e a empresa Argus desenvolveram um monitor automático vestível. O dispositivo é acoplado em uma roupa, do tipo “top”, e será capaz de verificar informações como: frequência cardíaca e respiratória, pressão arterial e temperatura do corpo. Com os dados captados, os profissionais de saúde terão maior controle, em tempo real, sobre o estado de cada paciente.

A inovação, desenvolvida pelo Instituto Federal do Ceará (IF-CE), unidade credenciada EMBRAPII, vai contribuir com o trabalho do técnico que precisa ir, de leito em leito, para fazer coletar os sinais vitais dos pacientes. Com a tecnologia, este trabalho operacional será mais rápido, seguro e eficiente, pois os dados serão enviados automaticamente ao sistema da central médica, via wi-fi ou bluetooth, ou para o aplicativo de qualquer smartphone integrado. Em caso de variações bruscas nos sinais coletados, o aparelho emitirá alertas à equipe médica para que as medidas necessárias sejam tomadas rapidamente.

Outro diferencial é que, como a tecnologia é nacional, terá custo mais baixo em comparação aos equipamentos semelhantes oriundos do exterior, o que viabilizará a utilização tanto em leitos fora da UTI, quanto em casas, no sistema home-care. A aparelho tem autonomia de quatro dias de funcionamento no corpo do paciente.

O professor Anaxágora Maia Girão, coordenador do projeto no IF-CE, explica que, com estas características e focadas na utilização em ambientes fora de UTIs, o aparelho é pioneiro no mercado hospitalar e trará relevante contribuição com os procedimentos da equipe de saúde. “O principal objetivo é salvar vidas em hospitais, por monitorar em tempo real o estado clínico do paciente. Pesquisas mostram que esse acompanhamento, quando feito corretamente, representa uma diminuição significativa dos casos de pacientes que vão à UTI”, destaca. “Transformar uma boa ideia em produto final exige investimento e competência. Foi esse o caso. A empresa sabia o que queria, pois é formada por médicos, mas não tinha a competência nem recursos financeiros para a sua execução. A EMBRAPII foi o diferencial.”

O projeto será uma das atrações apresentadas no estande da EMBRAPII no 8º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria (http://www.congressodeinovacao.com.br/), mais importante evento do segmento da América Latina, que será realizado em 10 e 11 de junho, em São Paulo.

Entenda o modelo EMBRAPII

O apoio à inovação adotado pela EMBRAPII está centrado no modelo da Tríplice Hélice, ou seja, união entre governo, empresa e universidade. Empresas que tenham um projeto avaliado como inovador devem se associar a um dos 42 centros de pesquisa e desenvolvimento que foram credenciados pela organização (Unidades EMBRAPII). Os projetos contratados contam, para seu desenvolvimento, conta com recursos divididos em três partes. A EMBRAPII fica responsável por um terço do investimento, o centro de pesquisa disponibiliza mão de obra, infraestrutura e equipamentos, e a empresa financia o restante.

Publicidade

EMBRAPII destinará R$ 150 milhões para projetos de inovação na área da saúde

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

04 de dezembro de 2017

Parceria com Ministério da Saúde incentiva a realização de projetos voltados à cura, diagnóstico e prevenção de doenças

 

Para incentivar o desenvolvimento de tecnologias inovadoras capazes de aprimorar a assistência no Sistema Único de Saúde (SUS), a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e o Ministério da Saúde firmaram parceria de R$ 150 milhões nesta sexta-feira (1/12), na sede da Confederação Nacional das Indústrias em São Paulo.

A assinatura ocorreu durante a reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação, da Confederação Nacional da Indústria, e contará com as presenças dos ministros da Saúde, Ricardo Barros; e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab. Os recursos federais ficarão disponíveis para Unidades EMBRAPII (universidades e institutos de pesquisas credenciados pela instituição) realizarem pesquisas em parcerias com empresas do Complexo Industrial da Saúde.

“A inovação cumpre papel importante na melhoria da produtividade e também da qualidade de vida das pessoas. A EMBRAPII é uma entidade com projetos muito interessantes nesse sentido, e esse convênio com o Ministério da Saúde vai gerar ótimos frutos, com foco no cidadão”, destacou Kassab.

Os R$ 150 milhões podem ser utilizados tanto no desenvolvimento de produtos e equipamentos voltados para cura, diagnóstico e prevenção de doenças, quanto em tecnologia que permitam a melhor experiência do usuário, com o desenvolvimento de software e aplicativos.

Para o diretor presidente da EMBRAPII, Jorge Guimarães, a parceria vai contribuir para o aumento da competitividade da indústria nacional no mercado global. Segundo Guimarães, o Complexo Industrial da Saúde tem uma capacidade de inovação de mercado que deve ser incentivada.

“Fortalecer o setor industrial da área da saúde com o desenvolvimento de tecnologias traz inúmeros ganhos. Primeiramente o econômico, na medida em que investimentos em inovação podem auxiliar a reverter a situação da balança comercial na área da saúde, que hoje é negativa. Além do social, já que possibilita a melhoria e a ampliação do acesso à saúde pública”, destaca o diretor-presidente.

O ministro da Saúde destacou que o modelo EMBRAPII de financiamento de pesquisa e inovação atende à demanda do setor empresarial, o motivando para investir em inovação.

“A EMBRAPII financia 1/3 dos projetos dividindo os riscos com as empresas, e permite multiplicar os recursos em inovação e ter produtos mais efetivos para o mercado, já que as empresas também estão envolvidas nos projetos. Esperamos que os recursos que estamos aportando se multipliquem e gerem produtos e tecnologias para o tratamento das pessoas”.

Atualmente, há diversos projetos sendo desenvolvidos por Unidades EMBRAPII na área da saúde. Entre eles estão: um consultório odontológico portátil, (composto por instrumentos essenciais para o tratamento dentário), um equipamento para circulação extracorpórea (para ser utilizado em cirurgias) e dispositivo eletrônico, para o tratamento e acompanhamento de enurese noturna, hábito involuntário de urinar durante o sono, o famoso “xixi na cama” que ocorrem com as crianças.

EMBRAPII – A Embrapii foi criada em 2013 com o objetivo de estimular a inovação na indústria brasileira, promovendo a interação entre instituições de pesquisa tecnológica e empresas do setor industrial. O seu modelo de atuação permite mais agilidade flexibilidade e riscos reduzidos.

A Embrapii financia 1/3 do custo total de cada projeto aprovado com recursos não reembolsáveis e o restante é dividido entre a indústrias e as unidades EMBRAPII. Ao compartilhar riscos de projetos com as empresas, espera-se estimular o setor industrial a inovar mais e com maior intensidade tecnológica para, assim, potencializar a força competitiva das empresas tanto no mercado interno como no mercado internacional. Atualmente, 42 instituições tecnológicas são credenciadas pela entidade.

Publicidade

EMBRAPII e Banco do Nordeste assinam acordo para financiamento de projetos de inovação

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

17 de novembro de 2017

Acordo beneficia empresas da região Nordeste que desejam capital de investimento em PD&I

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) firmam acordo de cooperação na próxima segunda-feira (20/11), às 11h, com o objetivo de facilitar o financiamento de projetos em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) das empresas industrias região Nordeste. Por meio do acordo, o BNB vai oferecer crédito de longo prazo para empresas aptas a receberem recursos não reembolsáveis da EMBRAPII.

A ideia é garantir recursos para que empresas possam financiar a contrapartida fianceira que o modelo EMBRAPII exige. O diretor-presidente da EMBRAPII, Jorge Guimarães, explica que as Unidades EMBRAPII identificaram projetos de PD&I muito bons, com boas perspectivas de mercado, mas que acabavam não sendo executados, em função da falta de recursos das empresas. “A EMBRAPII atua financiando um 1/3 do projeto com recursos não-reembolsáveis, mas, mesmo assim, muitas ideias não são postas em prática por falta de capital das empresas. Os empresários não dispunham do valor necessário para financiar a parte dele no projeto. Agora, com a parceria do BNB, estamos oferecemos uma oportunidade para viabilizar a execução da ideia”.

As duas instituições vão trabalhar para aproximar as empresas da região Nordeste com Unidades EMBRAPII detentoras de conhecimentos técnico-científicos e experiência no desenvolvimento tecnológico e de inovação, de modo a incrementar a geração de negócios para a diversificação econômica regional.  “Acreditamos que o acordo será um estímulo à indústria do Nordeste a inovar e a executar seus projetos e, assim, impulsionar o desenvolvimento econômico” analisou.

A parceria entre a EMBRAPII e o BNB se soma a uma série de iniciativas voltadas a aumentar a competitividade da indústria nacional e a facilitar acesso a crédito com mais agilidade e menos burocracia. Acordos semelhantes foram firmados com outras instituições financeiras, dentre elas o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), além do credenciamento da EMBRAPII no Cartão BNDES. Com isso, as micros, pequenas e médias empresas apoiadas pela EMBRAPII podem ter a contrapartida dos projetos financiada por meio do cartão.

Os empresários de micro e pequenas empresas (MPE) e o microempreendedores individuais (MEI), também contam com os benefícios do contrato entre a EMBRAPII e o Sebrae, que amplia o limite de recursos não-reembolsáveis para o desenvolvimento de projetos de inovação industrial.

Serviço:

Auditório da Presidência do Banco do Nordeste

Data:  20 de novembro, às 11 horas

Local:  Banco do Nordeste – Av. Silas Munguba 5700 – Passaré, em Fortaleza (CE)

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti

Publicidade

EMBRAPII e Banco do Nordeste assinam acordo para financiamento de projetos de inovação

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

17 de novembro de 2017

Acordo beneficia empresas da região Nordeste que desejam capital de investimento em PD&I

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) firmam acordo de cooperação na próxima segunda-feira (20/11), às 11h, com o objetivo de facilitar o financiamento de projetos em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) das empresas industrias região Nordeste. Por meio do acordo, o BNB vai oferecer crédito de longo prazo para empresas aptas a receberem recursos não reembolsáveis da EMBRAPII.

A ideia é garantir recursos para que empresas possam financiar a contrapartida fianceira que o modelo EMBRAPII exige. O diretor-presidente da EMBRAPII, Jorge Guimarães, explica que as Unidades EMBRAPII identificaram projetos de PD&I muito bons, com boas perspectivas de mercado, mas que acabavam não sendo executados, em função da falta de recursos das empresas. “A EMBRAPII atua financiando um 1/3 do projeto com recursos não-reembolsáveis, mas, mesmo assim, muitas ideias não são postas em prática por falta de capital das empresas. Os empresários não dispunham do valor necessário para financiar a parte dele no projeto. Agora, com a parceria do BNB, estamos oferecemos uma oportunidade para viabilizar a execução da ideia”.

As duas instituições vão trabalhar para aproximar as empresas da região Nordeste com Unidades EMBRAPII detentoras de conhecimentos técnico-científicos e experiência no desenvolvimento tecnológico e de inovação, de modo a incrementar a geração de negócios para a diversificação econômica regional.  “Acreditamos que o acordo será um estímulo à indústria do Nordeste a inovar e a executar seus projetos e, assim, impulsionar o desenvolvimento econômico” analisou.

A parceria entre a EMBRAPII e o BNB se soma a uma série de iniciativas voltadas a aumentar a competitividade da indústria nacional e a facilitar acesso a crédito com mais agilidade e menos burocracia. Acordos semelhantes foram firmados com outras instituições financeiras, dentre elas o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), além do credenciamento da EMBRAPII no Cartão BNDES. Com isso, as micros, pequenas e médias empresas apoiadas pela EMBRAPII podem ter a contrapartida dos projetos financiada por meio do cartão.

Os empresários de micro e pequenas empresas (MPE) e o microempreendedores individuais (MEI), também contam com os benefícios do contrato entre a EMBRAPII e o Sebrae, que amplia o limite de recursos não-reembolsáveis para o desenvolvimento de projetos de inovação industrial.

Serviço:

Auditório da Presidência do Banco do Nordeste

Data:  20 de novembro, às 11 horas

Local:  Banco do Nordeste – Av. Silas Munguba 5700 – Passaré, em Fortaleza (CE)

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti