Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Impacto Protensão

Casa Inteligente desenvolvida com apoio da Pixels estará aberta à visitação na Feira do Conhecimento

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

17 de novembro de 2018

Protótipo vai mostrar como a tecnologia pode facilitar nosso dia a dia no futuro e sem precisar investir muito

Já imaginou uma casa que conversa com você e atende aos seus comandos? Construída em plástico protendido e automatizada, a Casa Inteligente mostra como viver dia a dia com o futuro, sem precisar investir muito. A iniciativa está aberta à visitação do público durante a Feira do Conhecimento e conta com o apoio das empresas Mallory, Pixels e Impacto Protensão.

De acordo com o gerente Acadêmico da Pixels – Escola de Design e Tecnologia, Sandro Mesquita, a Casa Inteligente é controlada por comando de voz, usando o assistente virtual JARVIS. “Esse assistente interage com o usuário não apenas no controle elétrico da casa, mas também com conversação, acesso à internet, pesquisas, controle do Windows do computador, entre outras funções. É possível comandar tudo pelo celular, com um aplicativo desenvolvido por nossa escola”, explica.

A Casa Inteligente está equipada com diversos produtos da Mallory, uma das maiores empresas de eletroportáteis do Brasil e que oferece produtos das linhas Cozinha, Lar, Cuidados Pessoais e Ventilação. Cafeiteira, ventilador, liquidificador e fritadeira são alguns exemplos de equipamentos que funcionam na casa via automação.

Já a construção da Casa Inteligente, em plástico protendido, é fruto de um trabalho da empresa Impacto Protensão e que resultou em uma confortável, sustentável e criativa opção de moradia. O protótipo, desenvolvido pelo engenheiro Joaquim Antonio Caracas, proprietário da empresa cearense, visa atender à população de baixa renda. O principal enfoque na construção foi o uso de materiais e elementos construtivos de baixo impacto ambiental e integração com conceitos como desempenho (rapidez e praticidade na montagem) e qualidade.

Feira do Conhecimento | Casa Inteligente

Data: 21 a 24 de novembro

Local: Centro de Eventos do Ceará – Pavilhão Leste

Programação completa e inscrições: www.feiradoconhecimento.com.br.

Entrada franca

Realização: Governo do Ceará/Secitece e Centec

Informações: (85) 3101-6466 / 6469

Publicidade

SENAI aprova dois projetos em indústrias cearenses no Edital SENAI SESI de Inovação 2016

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

04 de agosto de 2016

Uma fibra alimentar extraída de frutos tropicais, em especial o caju, como alternativa ao uso de conservantes sintéticos em alimentos. Uma laje que permite a economia de concreto pelo aproveitamento dos espaços vazios para instalações elétricas e hidráulicas em prédios. O SENAI Ceará, por meio do Centro de Excelência em Tecnologia e Inovação do SENAI (CETIS) e do Escritório de Projetos da Unidade de Inovação e Tecnologia (UNITEC), aprovou esses dois projetos inovadores em empresas industriais cearenses no primeiro ciclo do Edital SENAI SESI de Inovação 2016.

Os projetos foram elaborados em parceria com a empresa cearense do ramo de alimentos, Natvita, localizada no Eusébio, e da empresa do segmento da construção civil, Impacto Protensão, situada em Fortaleza. Dos estados do Nordeste, apenas Ceará e Pernambuco aprovaram projetos nessa etapa do edital. Ao todo, 24 projetos foram contemplados pelo Brasil, sendo 23 do SENAI e um do SESI.

O projeto  “Fibra alimentar antioxidante e antirancificante a partir de substratos de frutos tropicais”, com a Natvita, foi aprovado na categoria B como protótipos de inovação. O valor subvencionado pelo SENAI nacional é de R$ 150 mil com contrapartida da empresa no valor de R$ 15 mil. A Natvita é associada ao Sindicato das Indústrias de Águas, Cervejas e Bebidas em Geral no Estado do Ceará(Sindbebidas).

Por sua vez, o projeto “Laje Nervurada Alveolar”, com a Impacto Protensão, foi aprovado na categoria A, como Inovação Tecnológica, com valor subvencionado pelo SENAI Nacional de R$ 450 mil e contrapartida da empresa no valor de R$ 200 mil. A empresa Impacto Protensão é filiada ao Sinduscon – Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Ceará, filiado à FIEC.

O Escritório de Projetos do SENAI fará a gestão geral para a execução dos projetos com a participação de técnicos, consultores e colaboradores da sua estrutura e do SENAI CETIS. O projeto da Natvita ainda terá a participação de outros técnicos da área de alimentos, como também, terá o apoio de laboratórios e plantas piloto da Rede SENAI Alimentos e Bebidas. Para o projeto com a Impacto Protensão, haverá a participação de outros técnicos da área de serviços técnicos especializados, como também, terá o apoio do laboratório de química e polímeros.

Os projetos serão desenvolvidos em um período de 20 meses e o início da sua execução será a partir de novembro de 2016.

Saiba mais:

Em 2016, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Serviço Social da Indústria (SESI) oferecem aporte de até R$ 400 mil para o desenvolvimento de projetos inovadores em empresas industriais e startups de base tecnológica, fortalecendo a indústria no Brasil a partir do Edital SENAI SESI de Inovação.

No Ceará, os resultados no Edital SENAI SESI de Inovação em parceria com empresas têm evoluído de 2011 a 2015. Foram seis projetos aprovados durante esse período. Já nesse primeiro ciclo desse ano foram três projetos aprovados. No entanto, apenas dois serão executados, pois, pelas regras do Edital, as empresas parceiras estão limitadas a aprovar apenas um projeto por ciclo de avaliação. A empresa Impacto Protensão obteve dois projetos aprovados nesse ciclo, no entanto, executará apenas um, ou seja, o projeto da Laje Nervurada Alveolar.


O projeto da Natvita

O desafio tecnológico desse projeto é o aproveitamento dos substratos das frutas tropicais, nesse caso o caju, como fibra antioxidante e antirancificante. A inovação consiste na aplicação dessa fibra em produtos alimentícios, substituindo os conservantes sintéticos e mantendo as mesmas propriedades de antioxidação e antirancificação, preservando as características dos alimentos em relação à cor, textura, sabor e odor.

Assim, pretende-se apresentar para as indústrias de alimentos uma alternativa ao uso de conservantes sintéticos: fibras alimentares naturais 100% nacional e de alta disponibilidade no estado do Ceará, a um baixo custo, como oportunidade estratégica de negócio para o consumidor final.

Esse aproveitamento dos substratos das frutas tropicais agrega valor à cadeia produtiva do agronegócio e da indústria alimentícia, além de estar de acordo com as tendências mundiais que pregam o consumo de uma alimentação mais saudável, a qual é composta por ingredientes frescos, orgânicos, sem modificações genéticas e com baixo índice ou sem a presença de conservantes químicos e industrializados. A Natvita se insere favoravelmente nessas tendências, pois já possui conhecimento sedimentado no segmento de alimentos, com mais de 15 anos de experiência em processamento de fruta, em especial o caju.

Outro aspecto a ser observado é que este projeto gera redução de custos, visto que menos volumes de substratos residuais serão dejetados nos aterros sanitários e passarão a ser beneficiados, transformando-se em nova solução de insumo para a indústria alimentícia.

Além da padronização da extração da fibra de caju, junto a Natvita, os técnicos do SENAI acompanharão/participarão da fabricação de linguiças adicionadas de fibra de caju para validação da eficácia das propriedades antioxidante e antirancificante dos conservantes naturais das fibras, da realização de análises físico-químicas e microbiológicas em laboratórios parceiros, dos testes sensoriais e da definição da embalagem final do produto (fibra alimentar).


O projeto da Impacto Protensão

O desafio tecnológico da Laje Nervurada Alveolar é o desenvolvimento de um produto para a construção civil que una a economia de concreto proporcionada pelas lajes nervuradas com a facilidade de realizar a passagem das instalações em uma posição diferenciada entre as nervuras, possibilitando ganho de altura útil das paredes e evitando que as instalações fiquem muito aparentes.

A Laje Nervurada Alveolar apresenta uma geometria que permite a geração de vazios no concreto da laje, além dos convencionais gerados pelas lajes nervuradas. O principal benefício do produto encontra-se na possibilidade de se realizar instalações elétricas e hidráulicas entre os vazios da laje, não havendo redução do pé direito, necessidade de instalações mais complexas ou mesmo a realização de rasgos e quebras no concreto já executado para a realização das instalações.

Os benefícios gerados pela Laje Nervurada Alveolar provêm da facilidade do transpasse da tubulação para instalações, sem que seja comprometido o pé direito do pavimento, conferindo uma maior flexibilidade ao projeto e um maior aproveitamento da área útil. Há ainda a redução significativa da geração de resíduos provenientes das atividades construtivas, uma vez que a forma plástica proporciona uma maior quantidade de utilizações quando comparada à madeira e, mesmo quando danificada ou quebrada, pode retornar ao processo de produção através da reciclagem, buscando atender aos requisitos da construção enxuta.

Serviço

Mais informações: O Escritório de Projetos do SENAI pode ser acionado através do telefone: 3293-5053 ou pelo e-mail:escritoriodeprojetos@sfiec.org.br


Site do edital: www.portaldaindustria.com.br/senai/canais/edital-senai-sesi-de-inovacao

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Mais uma empresa cearense é contemplada pelo edital SESI SENAI de Inovação

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

17 de Março de 2016

A empresa cearense Impacto Protensão, associada ao Sindicato da Construção Civil do Estado do Ceará(Sinduscon),  filiado à FIEC, foi contemplada pelo 3º ciclo do edital SESI SENAI de Inovação 2015. O projeto contemplado teve como tema ” Forma de plástico para pilar”. São R$ 400 mil de subvenção econômica para o desenvolvimento prático do Projeto. 

Essa é a segunda empresa cearense contemplada. Recentemente, a empresa cearense PISCIS Indústria e Comércio LTDA, associada ao Sindicato das Indústrias de Alimentação e Rações Balanceadas no Estado do Ceará (Sindialimentos), filiado à FIEC, foi contemplada pelo 2º ciclo do edital SESI SENAI de Inovação 2015. O projeto contemplado teve como tema “Dos resíduos da piscicultura à produção de farinha de peixe para consumo animal”.

Sobre o edital

O edital valoriza a prática de inovação ao apoiar projetos elaborados em rede, com empresas industriais brasileiras, startups e empresas de base tecnológica de todos os portes – pequeno, médio e grande . Nessa edição  foram destinados R$ 40 milhões para o desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços para o aumento da produtividade e competitividade das empresas brasileiras.

Contempla também  projetos tecnológicos ou de melhoria da qualidade de vida do trabalhador e tem como missão custear projetos de inovação tecnológica. Os projetos foram realizados em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) ou com o Serviço Social da Indústria (SESI).

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Mais uma empresa cearense é contemplada pelo edital SESI SENAI de Inovação

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

17 de Março de 2016

A empresa cearense Impacto Protensão, associada ao Sindicato da Construção Civil do Estado do Ceará(Sinduscon),  filiado à FIEC, foi contemplada pelo 3º ciclo do edital SESI SENAI de Inovação 2015. O projeto contemplado teve como tema ” Forma de plástico para pilar”. São R$ 400 mil de subvenção econômica para o desenvolvimento prático do Projeto. 

Essa é a segunda empresa cearense contemplada. Recentemente, a empresa cearense PISCIS Indústria e Comércio LTDA, associada ao Sindicato das Indústrias de Alimentação e Rações Balanceadas no Estado do Ceará (Sindialimentos), filiado à FIEC, foi contemplada pelo 2º ciclo do edital SESI SENAI de Inovação 2015. O projeto contemplado teve como tema “Dos resíduos da piscicultura à produção de farinha de peixe para consumo animal”.

Sobre o edital

O edital valoriza a prática de inovação ao apoiar projetos elaborados em rede, com empresas industriais brasileiras, startups e empresas de base tecnológica de todos os portes – pequeno, médio e grande . Nessa edição  foram destinados R$ 40 milhões para o desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços para o aumento da produtividade e competitividade das empresas brasileiras.

Contempla também  projetos tecnológicos ou de melhoria da qualidade de vida do trabalhador e tem como missão custear projetos de inovação tecnológica. Os projetos foram realizados em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) ou com o Serviço Social da Indústria (SESI).

  • postado por Oswaldo Scaliotti