Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Serviços e Turismo (CNC)

Instituições orientam empresários a abrir, e manter abertos, bares e restaurantes de Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

25 de Abril de 2017

Segundo o IBGE, seis a cada dez empresas fecham após cinco anos em funcionamento

O apelo turístico e a crescente demanda no setor alimentício são fatores que têm influenciado a abertura de novos bares e restaurantes em Fortaleza. Segundo o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), divulgado pela Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo (CNC), os comerciantes estão mais confiantes neste período, com acréscimo de 18,6% em relação a fevereiro de 2016.

Mas, é necessário atentar para alguns cuidados na hora de montar um empreendimento, para não entrar na estatística de empresas fechadas após cinco anos em funcionamento – a cada dez empresas, seis não sobrevivem, segundo pesquisa do IBGE de 2016.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Ceará (Abrasel-CE) orienta empresários do setor e pessoas interessadas em montar um empreendimento a seguir um caminho mais seguro para manter o serviço em plena atividade. “A Abrasel reúne os maiores empresários da cidade e dispões gratuitamente de apoio empresarial, que vão desde despachante, a orientações com contador, advogado, workshops e treinamentos oferecidos junto ao poder público”, afirma Rodolphe Trindade, presidente da Abrasel.

Além disso, acrescenta o presidente, a instituição tem forte parceria com o SEBRAE, que subsidia 70% nos custos de cursos de capacitação. Outro benefício que o novo empresário pode obter é uma banco de informações com: fornecedores, clientes potenciais, funcionários, entre outros.

Interessados em montar uma nova empresa também podem contar com a assessoria do Sebrae, que especifica os primeiros passos para a criação de um negócio. Alice Mesquista, Articuladora da Unidade de Atendimento do Sebrae CE, explica que o ciclo da criação de negócios é composto inicialmente por uma boa ideia, porém só ter uma boa ideia não é suficiente. “No ramo da alimentação, por exemplo, o mercado varia desde o foodbike a restaurantes finos. O desejo e necessidade para cada um desse público é diferente, o que o consumidor espera encontrar em termos de produto e serviço é totalmente diferente para cada um desses modelos de negócio”, destaca.

“Outro ponto extremamente necessário de atenção para a área de alimentação diz respeito à mão-de-obra. É necessário escolher uma boa equipe, seja para a área de preparação dos pratos ou para o atendimento, esse pode ser um dos diferencias da sua empresa”, diz Alice.

Ainda segundo a articuladora, é sempre bom lembrar: “tenha um bom projeto, ele pode ajudar a evitar gastos desnecessários. O mercado está muito competitivo, procure identificar qual é o seu diferencial, por que o cliente irá procurar a sua empresa e não a do concorrente? É o atendimento? É a forma como você entrega o produto? É o ambiente (incluindo ambiente físico, acesso, etc)? Seja inovador, seja competitivo”, reforça.

De acordo com o balanço divulgado pela Junta Comercial do Estado do Ceará (JUCEC), em 2016 o número de aberturas de empresas é maior que o dobro do número de empreendimentos fechados no mesmo ano, crescendo 1,89%. Com a modernização do processo de abertura e legalização de empreendimentos, a tendência é que o número de novos negócios evolua durante este ano de 2017.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Instituições orientam empresários a abrir, e manter abertos, bares e restaurantes de Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

25 de Abril de 2017

Segundo o IBGE, seis a cada dez empresas fecham após cinco anos em funcionamento

O apelo turístico e a crescente demanda no setor alimentício são fatores que têm influenciado a abertura de novos bares e restaurantes em Fortaleza. Segundo o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), divulgado pela Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo (CNC), os comerciantes estão mais confiantes neste período, com acréscimo de 18,6% em relação a fevereiro de 2016.

Mas, é necessário atentar para alguns cuidados na hora de montar um empreendimento, para não entrar na estatística de empresas fechadas após cinco anos em funcionamento – a cada dez empresas, seis não sobrevivem, segundo pesquisa do IBGE de 2016.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Ceará (Abrasel-CE) orienta empresários do setor e pessoas interessadas em montar um empreendimento a seguir um caminho mais seguro para manter o serviço em plena atividade. “A Abrasel reúne os maiores empresários da cidade e dispões gratuitamente de apoio empresarial, que vão desde despachante, a orientações com contador, advogado, workshops e treinamentos oferecidos junto ao poder público”, afirma Rodolphe Trindade, presidente da Abrasel.

Além disso, acrescenta o presidente, a instituição tem forte parceria com o SEBRAE, que subsidia 70% nos custos de cursos de capacitação. Outro benefício que o novo empresário pode obter é uma banco de informações com: fornecedores, clientes potenciais, funcionários, entre outros.

Interessados em montar uma nova empresa também podem contar com a assessoria do Sebrae, que especifica os primeiros passos para a criação de um negócio. Alice Mesquista, Articuladora da Unidade de Atendimento do Sebrae CE, explica que o ciclo da criação de negócios é composto inicialmente por uma boa ideia, porém só ter uma boa ideia não é suficiente. “No ramo da alimentação, por exemplo, o mercado varia desde o foodbike a restaurantes finos. O desejo e necessidade para cada um desse público é diferente, o que o consumidor espera encontrar em termos de produto e serviço é totalmente diferente para cada um desses modelos de negócio”, destaca.

“Outro ponto extremamente necessário de atenção para a área de alimentação diz respeito à mão-de-obra. É necessário escolher uma boa equipe, seja para a área de preparação dos pratos ou para o atendimento, esse pode ser um dos diferencias da sua empresa”, diz Alice.

Ainda segundo a articuladora, é sempre bom lembrar: “tenha um bom projeto, ele pode ajudar a evitar gastos desnecessários. O mercado está muito competitivo, procure identificar qual é o seu diferencial, por que o cliente irá procurar a sua empresa e não a do concorrente? É o atendimento? É a forma como você entrega o produto? É o ambiente (incluindo ambiente físico, acesso, etc)? Seja inovador, seja competitivo”, reforça.

De acordo com o balanço divulgado pela Junta Comercial do Estado do Ceará (JUCEC), em 2016 o número de aberturas de empresas é maior que o dobro do número de empreendimentos fechados no mesmo ano, crescendo 1,89%. Com a modernização do processo de abertura e legalização de empreendimentos, a tendência é que o número de novos negócios evolua durante este ano de 2017.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti