Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

UTE Pecém

Unidade administrativa da UTE Pecém recebe selo Procel Edificações A

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

01 de Abril de 2019

A unidade administrativa da UTE Pecém, termelétrica administrada pela EDP Brasil, recebeu selo Procel Edificações A. Na prática, o selo nível A garante que o empreendimento obteve uma ótima performance em eficiência energética. O prédio foi projetado para aproveitar características naturais da região, como luminosidade e ventilação, além de reutilizar água. A obra inovou ao utilizar cinzas de carvão mineral na composição (volume) de blocos de vedação, blocos calha, meio fio e piso.

O reconhecimento ocorreu após auditoria realizada pela Fundação Vanzolini, que é acreditada no Procel, no Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

“A partir de uma série de análises na arquitetura, envoltória, iluminação e condições térmicas do edifício, os auditores recomendaram a Etiqueta nível A. Esse selo é o nível de ponderação mais elevado nos critérios de eficiência energética para edifícios construídos”, explica Diego Rebouças, responsável pela área de Pesquisa & Desenvolvimento da UTE Pecém.

Dentre os motivos considerados para conceder a certificação estão a redução da necessidade de iluminação artificial e elevada participação da iluminação natural dentro do edifício. O prédio também utiliza a técnica de iluminação zenital, recurso que aproveita a luz natural das janelas de vidro na cobertura para iluminar o interior do edifício. A forma geométrica e arquitetônica do edifico favorecem a circulação interna do ar ambiente sem necessidade de sistema de ar-condicionado nas áreas de circulação.

Além disso, utilizaram-se materiais com alta eficiência no isolamento, na transmitância térmica do edifício e no sistema de climatização. A área foi pintada com uma tinta branca específica tendo SRI (Solar Reflectance Index) de alta performance. A unidade possui sistema de desligamento automático da iluminação artificial do edifício. Já os sensores de presença ligam e desligam a iluminação artificial em corredores. O prédio possui ainda sistema de desligamento automático de equipamento de ar-condicionado das salas e utiliza apenas lâmpadas de LEDs para iluminação artificial. Há ainda cogeração de energia elétrica por meio de painéis fotovoltaicos.

Sobre a EDP Brasil

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Geração, Distribuição, Transmissão, Comercialização e Serviços de Energia. Possui seis unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica, e atende cerca de 3,4 milhões de clientes em suas Distribuidoras em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, tornou-se a principal acionista da CELESC, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 13 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Publicidade

Parada de manutenção da UTE Pecém gera 750 empregos

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

21 de agosto de 2018

 

A EDP, administradora da Usina, investirá cerca de R$ 70 milhões no projeto

A UTE Pecém, usina que gera o equivalente a 45% da energia elétrica consumida no Ceará, está realizando sua primeira intervenção planejada. A parada de manutenção da unidade geradora 02, iniciada em 15 de agosto, acontece até 28 de setembro. A da unidade geradora 01 será realizada entre 13 de outubro e 26 de novembro. A iniciativa vai gerar cerca de 750 empregos em 38 empresas fornecedoras, em áreas que vão desde limpeza industrial até serviços especializados de manutenção. No total, o projeto receberá aportes de cerca de R$ 70 milhões.

A intervenção ocorre a cada 40.000 horas de funcionamento das unidades geradoras, com potência instalada de 360 MW cada. Durante o período de parada, a Usina suspende a geração e o fornecimento de energia para o Sistema Interligado Nacional (SIN) após um planejamento prévio, mediante autorização do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), de modo a evitar prejuízos ao consumidor.

 

“O objetivo principal é garantir que a eficiência da UTE Pecém seja mantida. No primeiro semestre de 2018, por exemplo, a disponibilidade média ficou em 97,7%, a melhor da história. E essa intervenção ajudará a manter nossa atuação como uma das usinas térmicas mais eficientes e de menor custo do País”, afirma Lourival Teixeira, diretor técnico da UTE Pecém.

 

Além das 750 vagas de trabalho geradas por meio da parada de manutenção, a UTE Pecém tem 370 colaboradores diretos e cerca de 1.100 indiretos.

Sobre a EDP no Brasil

 

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A Companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Soluções em Energia, e possui 15 unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,4 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, adquiriu participação na CELESC, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 12 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Publicidade

Projeto da EDP Brasil vence 14º Prêmio Fiec de Desempenho Ambiental

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

16 de agosto de 2018

A UTE Pecém, localizada em São Gonçalo do Amarante, conquistou a modalidade Reúso de Água dentre as grandes indústrias

A UTE Pecém, usina termelétrica administrada pela EDP Brasil, venceu a 14ª edição do Prêmio FIEC por Desempenho Ambiental. Os projetos voltados à redução do consumo de água e de reutilização dos efluentes gerados pela usina foram premiados dentre as grandes indústrias, na categoria Reúso de Água. Por meio das ações, 23% do resíduo gerado – o equivalente a 20 mil metros cúbicos por mês – deixaram de ser descartados e fazem parte do processo de geração de energia elétrica. O projeto recebe um investimento anual de R$ 1,2 milhão, sendo 66% por parte da EDP e 33% da Eneva – empresa que também é beneficiada pelo projeto na usina Pecém II.

O comitê de avaliação foi integrado por representantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Universidade Federal do Ceará (UFC), Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e Grupo de Interesse Ambiental (GIA).

A redução do gasto de água é uma prioridade para a Usina desde o início das suas atividades, em 2012. “Estamos muito contentes porque a conquista do Prêmio FIEC por Desempenho Ambiental demonstra que todo o esforço e investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento estão no caminho certo. A UTE Pecém é uma das mais eficientes do País – todos os anos investimos em ações para reduzir o consumo de água, diminuindo o impacto no meio ambiente”, afirma Lourival Teixeira, diretor técnico da UTE Pecém.

A água que já foi economizada desde a implementação dos projetos seria suficiente para abastecer, durante seis meses, uma cidade com cerca de 48 mil habitantes.   O reaproveitamento e tratamento de efluentes foi proporcionado por um sistema de clarificação da água moderno e compacto. Até o fim do ano, a meta da Companhia é praticamente triplicar o volume recuperado do recurso, passando de 20 mil para mais de 57 mil metros cúbicos mensais.

Outra inovação foi a implantação de um sistema de alta tecnologia, inédito no Brasil, para o tratamento da água de recirculação das torres de resfriamento, a fim de aumentar os ciclos de concentração de 3,5 para 12 vezes, e de reduzir a necessidade de descarte e reposição de água. A iniciativa gerou, ainda, uma redução de até 80 mil metros cúbicos por mês no consumo de água do sistema de resfriamento da Usina. No total, alcançou-se uma economia de 100 mil metros cúbicos mensais.

As unidades geradoras de Pecém, pertencentes ao grupo EDP, têm capacidade de produção de 720MWh, equivalente a 45% da energia consumida em todo o estado do Ceará.

Sobre a EDP no Brasil

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A Companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Soluções em Energia, e possui 15 unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,4 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, adquiriu participação na CELESC, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 12 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Publicidade

UTE Pecém reutiliza 23% do efluente na geração de energia elétrica

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

30 de julho de 2018

A EDP Brasil, companhia do setor elétrico que atua em toda a cadeia de valor, vem implementando projetos voltados à redução do consumo de água e de reuso dos efluentes gerados pela UTE Pecém, localizada em São Gonçalo do Amarante (CE). Com isso, 23% do resíduo gerado – o equivalente a 20 mil metros cúbicos por mês – deixaram de ser descartados e fazem parte do processo de geração de energia elétrica. O projeto recebe um investimento anual de R$ 1,2 milhão, sendo 66% por parte da EDP e 33% da Eneva – empresa que tem participação na produção da usina Pecém II.

O reaproveitamento e tratamento de efluentes foi proporcionado por um sistema de clarificação da água moderno e compacto. Até o fim do ano, a meta da Companhia é praticamente triplicar o volume recuperado do recurso, passando de 20 mil para mais de 57 mil metros cúbicos mensais.

Outra inovação foi a implantação de um sistema de alta tecnologia, inédito no Brasil, para o tratamento da água de recirculação das torres de resfriamento, a fim de aumentar os ciclos de concentração de 3,5 para 12 vezes, e de reduzir a necessidade de descarte e reposição de água. A iniciativa gerou, ainda, uma redução de até 80 mil metros cúbicos por mês no consumo de água do sistema de resfriamento da Usina. No total, alcançou-se uma economia de 100 mil metros cúbicos mensais.

A redução do gasto de água é uma prioridade para a Usina desde o início das suas atividades, em 2012. “A UTE Pecém é uma das mais eficientes do País. Por conta disso, todos os anos investimos em ações para reduzir o consumo de água, diminuindo o impacto no meio ambiente”, afirma Lourival Teixeira, diretor técnico da UTE Pecém. A água que já foi economizada desde a implementação dos projetos seria suficiente para abastecer, durante seis meses, uma cidade com cerca de 48 mil habitantes.

As unidades geradoras de Pecém, pertencentes ao grupo EDP, têm capacidade de produção de 720MWh, equivalente a 45% da energia consumida em todo o estado do Ceará.


Sobre a EDP no Brasil
Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A Companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Soluções em Energia, e possui 15 unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,4 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, adquiriu participação na CELESC, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 12 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Publicidade

UTE Pecém reutiliza 23% do efluente na geração de energia elétrica

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

20 de julho de 2018

A EDP Brasil, companhia do setor elétrico que atua em toda a cadeia de valor, vem implementando projetos voltados à redução do consumo de água e de reuso dos efluentes gerados pela UTE Pecém, localizada em São Gonçalo do Amarante (CE). Com isso, 23% do resíduo gerado – o equivalente a 20 mil metros cúbicos por mês – deixaram de ser descartados e fazem parte do processo de geração de energia elétrica. O projeto recebe um investimento anual de R$ 1,2 milhão, sendo 66% por parte da EDP e 33% da Eneva – empresa que tem participação na produção da usina Pecém II.

O reaproveitamento e tratamento de efluentes foi proporcionado por um sistema de clarificação da água moderno e compacto. Até o fim do ano, a meta da Companhia é praticamente triplicar o volume recuperado do recurso, passando de 20 mil para mais de 57 mil metros cúbicos mensais.

Outra inovação foi a implantação de um sistema de alta tecnologia, inédito no Brasil, para o tratamento da água de recirculação das torres de resfriamento, a fim de aumentar os ciclos de concentração de 3,5 para 12 vezes, e de reduzir a necessidade de descarte e reposição de água. A iniciativa gerou, ainda, uma redução de até 80 mil metros cúbicos por mês no consumo de água do sistema de resfriamento da Usina. No total, alcançou-se uma economia de 100 mil metros cúbicos mensais.

A redução do gasto de água é uma prioridade para a Usina desde o início das suas atividades, em 2012. “A UTE Pecém é uma das mais eficientes do País. Por conta disso, todos os anos investimos em ações para reduzir o consumo de água, diminuindo o impacto no meio ambiente”, afirma Lourival Teixeira, diretor técnico da UTE Pecém. A água que já foi economizada desde a implementação dos projetos seria suficiente para abastecer, durante seis meses, uma cidade com cerca de 48 mil habitantes.

 

As unidades geradoras de Pecém, pertencentes ao grupo EDP, têm capacidade de produção de 720MWh, equivalente a 45% da energia consumida em todo o estado do Ceará.

Sobre a EDP no Brasil

Com mais de 20 anos de atuação, a EDP é uma das maiores empresas privadas do setor elétrico a operar em toda a cadeia de valor. A Companhia, que tem mais de 10 mil colaboradores diretos e terceirizados, atua em Transmissão, Comercialização e Soluções em Energia, e possui 15 unidades de geração hidrelétrica e uma termelétrica. Em Distribuição, atende cerca de 3,4 milhões de clientes em São Paulo e no Espírito Santo. Recentemente, adquiriu participação na CELESC, em Santa Catarina. No Brasil, é referência em áreas como Inovação, Governança e Sustentabilidade, estando há 12 anos consecutivos no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3.

Publicidade

UTE Pecém atinge marca de 21mil GWh de energia elétrica gerada 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

15 de Janeiro de 2018

 

A UTE Pecém, usina termoelétrica de propriedade do grupo EDP, alcançou neste mês, a marca de 21mil GWh de energia elétrica gerada no Ceará, energia suficiente para abastecer todo o Estado durante dois anos. Para isso, foram mais de 70 mil horas de funcionamento somando seus dois geradores elétricos desde o início da operação comercial, em dezembro de 2012, o que foi o diferencial para transformar o estado em exportador de energia nos últimos anos.

 

Segundo o diretor Lourival Teixeira, durante esse período houve muitos investimentos em melhoria de processos e eficiência, o que continua em 2018 com o investimento da EDP de cerca de R$ 100 milhões em novas ações preventivas de manutenção de seus equipamentos.

 

“Terminamos o ano de 2017 com índice de disponibilidade média em 92,3%. Essa marca supera em 2,1 pontos percentuais o valor estabelecido em contrato, ou seja, entregamos ainda mais valor agregado aos consumidores. Outra importante marca alcançada em 2017 foi a taxa de falhas da UTE Pecém, já que fechamos o ano em 5,4 falhas/ano, muito abaixo do recomendado pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) que é de 12 falhas/ano para esse tipo de usina. Alguns dos motivos para esse excelente resultado foi o intenso trabalho preventivo realizado durante o ano, comprometimento e integração dos nossos colaboradores”, afirma Lourival.

 

Sobre a EDP – UTE Pecém

 

Em operação desde 2012, a UTE Pecém é um empreendimento do Grupo EDP. A Empresa gera 370 empregos diretos e 1.053 empregos indiretos. A atividade da usina é responsável pela transformação do Ceará de estado importador para estado exportador da energia elétrica.

 

A EDP Brasil atua nos segmentos de Geração, Distribuição, Transmissão, Comercialização e Soluções em Energia no País. Além do Ceará, a EDP possui ativos em outros onze estadosAmapá, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. Já nos negócios de Comercialização e Soluções em Energia, atua em todo o território nacional.

 

Controlada pela EDP Energias de Portugal S.A, uma das maiores operadoras europeias no setor energético, a EDP Brasil integra o Índice de Sustentabilidade da BM&F Bovespa (ISE) há 12 anos, que reúne empresas que adotam boas práticas corporativas no que diz respeito a aspectos ambientais, sociais e de governança corporativa.

Publicidade

EDP entre as três melhores empresas dos mercados emergentes

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

18 de dezembro de 2017

 

Avaliação foi realizada pela agência global de avaliação Vigeo Eiris 

A EDP Brasil, empresa que atua em todos os segmentos da cadeia elétrica, é a única brasileira no Top 3 do ranking da Vigeo Eiris, instituição internacional que avalia a gestão e o desempenho das companhias nas áreas ambiental, social e de governança corporativa.

No Ceará, a EDP administra a UTE Pecém, que tem capacidade instalada de 720 MW, correspondente a cerca de 45% da energia consumida no Estado. Em operação desde 2012, a UTE Pecém é um empreendimento que gera 370 empregos diretos e 1.053 empregos indiretos. A atividade da usina é responsável pela transformação do Ceará de estado importador para estado exportador da energia elétrica.

Em sua última edição, o índice “Best Emerging Market Performers Ranking” trouxe as 100 companhias dos mercados em desenvolvimento com melhor desempenho, de um total de 850 avaliadas de 37 indústrias diferentes, provenientes de 31 países. A lista leva em conta a performance das empresas em categorias como Meio Ambiente, Direitos Humanos, Recursos Humanos, Envolvimento com a Comunidade, Compliance e Governança Corporativa.

Também fazem parte deste ranking mais 11 empresas que estão presentes em diferentes setores: Finanças, Aviação, Varejo, Cosmética, Celulose, Telefonia e Energia e Automação.

“O resultado desta avaliação vem consolidar a nossa posição nos ambientes social e de governança corporativa, que em 2017 já rendeu destaque à EDP como melhor empresa do setor elétrico no Guia Exame de Sustentabilidade e pela presença da Companhia no ISE da B3”, comenta Miguel Setas, presidente da EDP Brasil.

A Vigeo Eiris é uma agência global de pesquisas voltada para investidores e organizações públicas e privadas. A entidade analisa o nível de integração de fatores sustentáveis em sua estratégia e na operação de organizações, e realiza avaliações de risco para auxiliar investidores e companhias no processo de tomada de decisões.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Nova unidade administrativa da UTE Pecém possui projeto sustentável e reutiliza cinzas de carvão mineral 

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

02 de outubro de 2017

Aproveitamento máximo da luminosidade, ventilação, reutilização da água e utilização de fontes renováveis de energia são diferenciais do prédio, que será inaugurado no próximo dia 05 de outubro

A EDP inaugura, no próximo dia 05 de outubro (quinta), o novo prédio administrativo da Usina Termelétrica do Pecém (UTE Pecém), às 09 horas. A unidade foi construída respeitando os valores adotados pela empresa como segurança no trabalho, sustentabilidade e excelência. O prédio possui 108 posições de trabalho e foi pensado para aproveitar características naturais da região, como luminosidade e ventilação, além de reutilizar água. A obra inovou ao utilizar cinzas de carvão mineral na composição (volume) de blocos de vedação, blocos calha, meio fio, piso intertravados H6 e H8.  A EDP investiu aproximadamente R$ 5,8 milhões na pesquisa de utilização de cinza de carvão mineral, em parceria com a Universidade Federal do Ceará e Faculdade de Tecnologia do Nordeste (Fatene).

A UTE Pecém, administrada pela EDP, tem capacidade instalada de 720 MW, correspondente a cerca de 45% da energia consumida no Ceará.

Sustentabilidade 

O novo prédio administrativo UTE Pecém é equipado com reservatórios para captar água da chuva e direcioná-la para uso em caixas sanitárias e irrigação de jardim. Ao todo, o sistema tem capacidade de acumular 20 mil litros de água.

Já a laje do prédio possui entradas para a luz natural no ambiente interno, reduzindo a necessidade e iluminação artificial. Para não aumentar a temperatura do ambiente, o que exigiria mais energia do sistema de refrigeração, as entradas são equipadas com anteparo reflexivo que difundir a luminosidade e impedir a entrada da carga térmica.

A unidade tem ventilação natural em algumas áreas dispensando a necessidade de aparelhos de ar-condicionado. Possui um sistema de gerenciamento de energia para aumentar a eficiência energética, gerenciar a temperatura do sistema de refrigeração e controlar os fluxos elétricos.

Reuso de cinzas

A cinza do carvão mineral foi adicionada à massa que forma os blocos de concreto utilizados na construção das paredes, na massa do meio feio e no calçamento externo da unidade (tanto de passeio quanto de circulação de veículos). A composição está sendo de 95% insumo tradicional e 5% de cinza. As peças de pré-moldado são feitas com adição de cimento e de uma série de outros componentes. Os agregados mais tradicionais são areia e pó de pedra, e uma parte desses agregados foi substituída pela cinza na proporção de 5%.

O gerente de Sustentabilidade, Márcio Aguiar, explica que os benefícios da utilização de cinzas em blocos pré-moldados são vários. “Além da transformação de resíduo em insumo, é possível a geração de receita com a comercialização de cinzas e ainda redução de impactos ambientais em decorrência da substituição de recursos naturais por resíduos na indústria de pré-moldados”, explica.

Além da pesquisa, as cinzas provenientes das usinas são direcionadas a empresas cimenteiras do Ceará e outros estados. O material é reutilizado como matéria-prima para a fabricação de cimento.

As cinzas do carvão mineral também representam uma fonte alternativa para outros segmentos. O resíduo pode ser utilizado em diversos segmentos da construção, como aterros estruturais, blocos de cinza e cal, cerâmicas, materiais para impermeabilização de bacias de contenção, remediação de solos, artesanato com argila, entre outras aplicações.

Sobre a EDP – UTE Pecém

Em operação desde 2012, a UTE Pecém é um empreendimento do Grupo EDP. A empresa gera 370 empregos diretos e 1.053 empregos indiretos. A atividade da usina é responsável pela transformação do Ceará de estado importador para estado exportador da energia elétrica.

A EDP Brasil atua nos segmentos de Geração, Distribuição e Comercialização e Soluções de energia elétrica no País. Além do Ceará, a EDP possui ativos em sete estados: Amapá, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, São Paulo e Tocantins.

Controlada pela EDP Energias de Portugal S.A, uma das maiores operadoras europeias no setor energético, a EDP Energias do Brasil S.A. integra o Índice de Sustentabilidade da BM&F Bovespa (ISE), que reúne empresas que adotam boas práticas corporativas no que diz respeito a aspectos ambientais, sociais e de governança corporativa.

Inauguração do novo prédio da EDP – UTE Pecém

Quando: 05 de outubro

Horário: 09 horas

Onde: Rodovia CE 085, KM 40,5, S/N  – São Gonçalo do Amarante/CE

Publicidade

CEO da EDP Brasil fica entre os três melhores do setor elétrico na América Latina

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

15 de setembro de 2016

 

 O diretor-presidente da EDP Brasil, Miguel Setas, foi reconhecido como um dos três melhores CEOs do setor elétrico na América Latina pelo ranking da revista Institutional Investor, que lista as mais bem avaliadas atuações corporativas na área de relações com investidores.

“Celebramos os 10 anos de IPO em 2015, um marco para nós, e avaliamos a posição no ranking como uma conquista que reflete o esforço de todos esses anos da equipe de relações com investidores da EDP Brasil e de todas as áreas da empresa, que trabalham em conjunto para garantir um atendimento de excelência aos nossos clientes e investidores”, avalia Setas.

A empresa, que atua nos segmentos de geração, distribuição, comercialização e soluções de energia elétrica, foi destaque na edição 2016 da votação. O grupo aparece em seis das sete categorias do especial, que contou com a participação de 580 investidores e 354 analistas de mercado em 16 setores distintos.

A gestora executiva de relações com investidores, Marilia Nogueira, também foi destacada entre os melhores executivos da área. O time de RI da Companhia foi selecionado como o segundo mais competente, juntamente com o canal de relacionamento com os investidores (website). Por fim, o Investor Day do grupo foi classificado como um dos mais bem organizados.

Em 2015, a EDP celebrou 20 anos de presença no Brasil e uma década da abertura de capital na BM&FBovespa, apresentando resultados sólidos aos seus acionistas. Pela primeira vez em sua história, a Companhia alcançou um EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização)  superior a R$ 3 bilhões e lucro acima de R$ 1 bilhão. As ações do grupo registraram alta de mais de 24% nos doze meses até setembro.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

CEO da EDP Brasil fica entre os três melhores do setor elétrico na América Latina

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

15 de setembro de 2016

 

 O diretor-presidente da EDP Brasil, Miguel Setas, foi reconhecido como um dos três melhores CEOs do setor elétrico na América Latina pelo ranking da revista Institutional Investor, que lista as mais bem avaliadas atuações corporativas na área de relações com investidores.

“Celebramos os 10 anos de IPO em 2015, um marco para nós, e avaliamos a posição no ranking como uma conquista que reflete o esforço de todos esses anos da equipe de relações com investidores da EDP Brasil e de todas as áreas da empresa, que trabalham em conjunto para garantir um atendimento de excelência aos nossos clientes e investidores”, avalia Setas.

A empresa, que atua nos segmentos de geração, distribuição, comercialização e soluções de energia elétrica, foi destaque na edição 2016 da votação. O grupo aparece em seis das sete categorias do especial, que contou com a participação de 580 investidores e 354 analistas de mercado em 16 setores distintos.

A gestora executiva de relações com investidores, Marilia Nogueira, também foi destacada entre os melhores executivos da área. O time de RI da Companhia foi selecionado como o segundo mais competente, juntamente com o canal de relacionamento com os investidores (website). Por fim, o Investor Day do grupo foi classificado como um dos mais bem organizados.

Em 2015, a EDP celebrou 20 anos de presença no Brasil e uma década da abertura de capital na BM&FBovespa, apresentando resultados sólidos aos seus acionistas. Pela primeira vez em sua história, a Companhia alcançou um EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização)  superior a R$ 3 bilhões e lucro acima de R$ 1 bilhão. As ações do grupo registraram alta de mais de 24% nos doze meses até setembro.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti