dezembro 2018 - News Maranguape 
Publicidade

dezembro 2018

Humor em Maranguape: Festival acontece esse final de semana

Por Dadynha Saturnino em Eventos

28 de dezembro de 2018

A X edição do Festival Nacional de Humor de Maranguape-Ceará – Uma homenagem a Chico Anysio – acontece dias 29 e 30 de dezembro, na Praça Capistrano de Abreu, no Centro da Cidade. Na programação, show dos comediantes João Claudio Moreno, Rick di Castro, Rapadura, Adamastor Pitaco, Dion Queiroz, Elton Andrade, entre outros, a partir das 19h30min. Das 17h às 23h acontece a Feira de artesanato e gastronomia e a partir das 23h, show musical da Banda Mavericks (sábado) e Banda Na base da Chinela (domingo). Grátis.

Festival Nacional de Humor de Maranguape. Divulgação

X Festival Nacional de Humor de Maranguape. Divulgação

Durante o dia, os visitantes podem conferir a realização do Humor de Feira, das 9h às 11h, no Mercado Municipal e a Exposição Chico Anysio das 8h às 18h, na Casa Chico Anysio, local onde nasceu o gênio do humor do Brasil.

Publicidade

Doe vida: HEMOCE bate recorde em campanha realizada no Maranguape Shopping Mall

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

23 de dezembro de 2018

Às vésperas do Natal, os Caçadores de Medula, o Lions Clube, o Leo Clube e o Maranguape Shopping Mall (MSM) uniram forças e juntos realizaram a Campanha Doe Vida para doação de sangue e cadastro de novos doadores voluntários de medula óssea. A ação aconteceu no sábado (22), no MSM, onde durante todo o dia a equipe do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE), formada por 15 profissionais, esteve à disposição da população.

Campanha Doe Vida é realizada em Maranguape

Campanha Doe Vida é realizada em Maranguape

Centenas de pessoas atenderam o convite dos realizadores da campanha e passaram pelo local. O número oficial de candidatos fechou em 206 e foram coletadas 123 bolsas de sangue e realizados 55 cadastros de doadores de medula, recorde obtido em campanhas de coletas externas realizadas pelo HEMOCE em Shopping Center no Estado, informou Adalise Maia, Assistente Social da Instituição.

Encerramento da Campanha Doe Vida em Maranguape

“Nossa segunda casa é dentro das vans, conhecendo locais, visitando pessoas, então a gente tem muito o que celebrar, esta é a nossa última atividade externa de 2018 e o resultado é excelente, mas, também temos outros motivos para comemorar, são muitos pacientes que são beneficiados, cada um pessoalmente teve seus motivos neste ano, a família da Maytê que nos últimos meses trabalhou junto com a gente pra conseguir o tão sonhado doador e chegou, venceu muita coisa para chegar esse momento. O Leo Clube que comemora 48 anos de serviços voluntários em Maranguape, então, são muitas coisas para celebrarmos”, pontuou Adalise Maia no encerramento da campanha.

Apoio

Nos últimos dias, aconteceu a divulgação nas redes sociais que contou com o compartilhamento do banner da Campanha e também de vídeo convite feitos voluntariamente por figuras públicas, formadores de opinião e humorista, entre eles o comediante André Lucas: “…Vai lá, para com ilsso, Chico Anysio ganhou vida no Ceará, em Maranguape e você não vai doar vida?”, destacou em sua convocação o filho do saudoso maranguapense e gênio do humor brasileiro.

O apresentador do Programa Vem Que Tem Nilson Fagata, a digital influencer Tamylle Oliveira, a youtuber Morgana Camila, o cantor Lailton Souza, a Miss Plus Size Herina Gadelha, o comunicador Ilam Gurgel, a declamadora de cordeis Samya Abreu, o presidente do Leo Clube Matheus Oliveira, o blogueiro Miguel Adler, a idealizadora da Campanha Caçadores de Medula Maytê Lins (esposa de André Torres, paciente com Leucemia que acaba de achar seu doador e em breve fará o transplante de Medula Óssea) com o seu filho Davi, conhecido como o “bebê caçador de medula” e a Jornalista Dadynha Saturnino também enviaram seus vídeos convidando as pessoas para participar da campanha e entrar para o time que ajuda a salvar vidas.

A próxima Campanha no Maranguape Shopping Mall será realizada em março de 2019.

Publicidade

Festival Maranguape de Moda acontece até sábado (15)

Por Dadynha Saturnino em Moda

14 de dezembro de 2018

Maranguape se transforma na cidade da moda com a realização da 2ª edição do Festival Maranguape de Moda – FMM 2018. O evento acontece até sábado (15), na Praça da Maranguarte, no Centro da cidade. Na programação, constam Desfiles de Moda e alternativos, feira da moda, artesanato e gastronomia e shows musicais.

Serviço

2ª edição do Festival Maranguape de Moda – FMM

14 e 15 de dezembro

Praça da Maranguarte – Centro da Cidade

Das 10h às ooh.

Publicidade

Encontrado doador de medula para Andre Torres. Transplante será feito em SP e família pede ajuda através de vakinha virtual

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

12 de dezembro de 2018

Encontrado doador de medula óssea de André Torres. Arquivo pessoal.

Diagnosticado em junho deste ano com Leucemia Aguda Indiferenciada (LAI), um tipo raro de câncer, o Executivo de vendas André Torres, de 33 anos, acaba de encontrar o seu doador compatível. O transplante de medula óssea será feito em São Paulo-SP, local que ele e sua família precisarão morar cerca de um ano, período do acompanhamento pós-transplante.

 

A felicidade da notícia que o doador foi encontrado deixou a família maranguapense em êxtase, mas, também muito preocupada com a situação financeira, que originou um pedido de ajuda através de uma Vakinha Virtual, com o objetivo de arrecadar 150mil reais, recursos inicialmente previstos para custear esta nova etapa do tratamento. O lançamento da campanha aconteceu nesta terça (11), nas redes sociais. Veja como ajudar!

 

 

Vakinha virtual

 

Vakinha virtual. Família de André Torres lança campanha com pedido de ajuda. Divulgação

O doador de medula óssea encontrado é 90% compatível com o André, e esse percentual já o possibilita seguir para a próxima etapa em busca da cura definitiva da doença. Por se tratar de um tipo de Leucemia rara, o transplante precisará ser feito num Hospital de São Paulo-SP, onde será necessário que ele, a esposa Maytê Lins, o filho Davi (conhecido como bebê caçador de medula) e a mãe, Lúcia Torres morem durante um ano, o que significa despesas de moradia, alimentação, deslocamentos, medicamentos, exames, procedimentos não cobertos pelo plano, entre outras, enfim, todos os custos de viver uma vida fora de casa. Agora, a família pede a ajuda financeira de todos, em qualquer valor, através desta VAKINHA, para André continuar o tratamento em São Paulo e assim vencer mais essa etapa. “Ajude com qualquer valor, através da vakinha virtual ou depósito bancário. Quero ver meu filho crescer”, pede André. A família também disponibilizou os dados bancários para quem desejar contribuir de outra forma:

Banco do Brasil – Agência 0675-0

CC: 32561-9
Mayte de Lima Lins (Esposa)
CPF: 018.700.153-71

Bradesco – Agência: 1579-2

CC: 45713-2
Mayte de Lima Lins (Esposa)
CPF: 018.700.153-71

 

 

 

Caçadores de Medula

 

Foi através do diagnóstico do André que sua família criou a campanha “Caçadores de Medula”, onde o filho de Davi, de 1 aninho à época, se tornou o Bebê Caçador de Medula, e a partir daí iniciaram “caçadas” por cadastros de novos doadores no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME). Em pouco mais de três meses, já foram efetuados quase 1.500 cadastros voluntários em campanhas realizadas em Empresas cearenses (Coca-Cola, Enel, Gera 3 sistemas, Casa Magalhães, Fortes tecnologia, Vector, Uninassau, Feminize, Jangadeiro Têxtil, CIALNE, Dakota, Hospital Haroldo Huaçaba – Instituto do Câncer do Ceará (ICC), Bradesco, Hemoce Praça das Flores, Parque do Cocó), com o apoio do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE) e mesmo localizando o doador do André, a Campanha continua: já estão agendadas as ações no Grupo M.Dias Branco, Hope Maranguape, Prefeitura de Paracuru, Ferrovia TRANSNORDESTINA e Maranguape Shopping Mall.

 

 

Saiba mais em

 

Instagram: cacadores de medula

Facebook: caçadores de medula

Vakinha virtal: Ajude o André Torres

 

Links de reportagens:

 

Garoto de 1 ano comove a internet por “caçar” medula para o pai que tem leucemia

 

Campanha Caçadores de Medula é realizada na Feminize, em Maranguape

 

Caçadores de Medula: cadastro de doadores é realizado na Dakota, em Maranguape

Publicidade

Caçadores de Medula: cadastro de doadores é realizado na Dakota, em Maranguape

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

05 de dezembro de 2018

A Campanha Caçadores de Medula aconteceu nesta segunda (03), na fábrica de calçados Dakota Nordeste, em Maranguape. Durante todo o dia, a equipe do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE) esteve à disposição dos funcionários e realizou um total de 191 novos cadastros de doadores voluntários de medula óssea. Instalada em Maranguape deste 1995, a Dakota é parceira de instituições públicas e privadas desta cidade na constante realização de ações sociais junto aos seus colaboradores, desde a realização de palestras preventivas sobre os mais variados tipos de doenças em homens e mulheres como o apoio a campanhas de incentivo à valorização da vida, como esta dos Caçadores de Medula.

 

Cadastro

 

8
Caçadores de Medula na DAKOTA 1
3/9

Caçadores de Medula na DAKOTA 1

Caçadores de Medula na DAKOTA. Divulgação

18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 2
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 3
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 4
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 5
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 6
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA

 

O cadastro de doador de medula óssea pode ser feito em qualquer hemocentro do país. O voluntário deve apresentar um documento oficial com foto, preencher a ficha cadastral, assinar o Termo de Consentimento e autorizar a coleta de uma pequena amostra de sangue do braço (5ml). O doador precisa ter entre 18 e 55 anos, não ter doença infecciosa ou incapacitante, não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.

 

 

Doação de Medula Óssea (transplante)

 

Segundo o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), o transplante de medula óssea pode beneficiar o tratamento de cerca de 80 doenças em diferentes estágios e faixas etárias. Além disso, o doador ideal (irmão compatível) só está disponível em cerca de 25% das famílias brasileiras – para 75% dos pacientes é necessário identificar um doador alternativo a partir dos registros de doadores voluntários, bancos públicos de sangue de cordão umbilical ou familiares parcialmente compatíveis (haploidênticos). A cada 100 mil cadastros, somente uma medula de um doador alternativo é 100% compatível com a de algum paciente que aguarda na fila do transplante. O objetivo da campanha Caçadores de Medula é aumentar o número de cadastro para aumentar as chances de compatibilidade.

 

A doação (transplante) é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação de 24 horas. A medula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções. O procedimento leva em torno de 90 minutos. A medula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana após a doação.

 

Há outro método de doação chamado coleta por aférese. Neste caso, o doador faz uso de uma medicação por cinco dias com o objetivo de aumentar o número de células-tronco (células mais importantes para o transplante de medula óssea) circulantes no seu sangue. Após esse período, a pessoa faz a doação por meio de uma máquina de aférese, que colhe o sangue da veia do doador, separa as células-tronco e devolve os elementos do sangue que não são necessários para o paciente. Não há necessidade de internação nem de anestesia, sendo todos os procedimentos feitos pela veia. A decisão sobre o método de doação mais adequado é exclusiva dos médicos assistentes, tanto do paciente quanto do doador, e será avaliada em cada caso.

 

Fonte: REDOME

 

 

Publicidade

Caçadores de Medula: cadastro de doadores é realizado na Dakota, em Maranguape

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

05 de dezembro de 2018

A Campanha Caçadores de Medula aconteceu nesta segunda (03), na fábrica de calçados Dakota Nordeste, em Maranguape. Durante todo o dia, a equipe do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE) esteve à disposição dos funcionários e realizou um total de 191 novos cadastros de doadores voluntários de medula óssea. Instalada em Maranguape deste 1995, a Dakota é parceira de instituições públicas e privadas desta cidade na constante realização de ações sociais junto aos seus colaboradores, desde a realização de palestras preventivas sobre os mais variados tipos de doenças em homens e mulheres como o apoio a campanhas de incentivo à valorização da vida, como esta dos Caçadores de Medula.

 

Cadastro

 

8
Caçadores de Medula na DAKOTA 1
3/9

Caçadores de Medula na DAKOTA 1

Caçadores de Medula na DAKOTA. Divulgação

18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 2
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 3
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 4
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 5
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 6
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA

 

O cadastro de doador de medula óssea pode ser feito em qualquer hemocentro do país. O voluntário deve apresentar um documento oficial com foto, preencher a ficha cadastral, assinar o Termo de Consentimento e autorizar a coleta de uma pequena amostra de sangue do braço (5ml). O doador precisa ter entre 18 e 55 anos, não ter doença infecciosa ou incapacitante, não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.

 

 

Doação de Medula Óssea (transplante)

 

Segundo o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), o transplante de medula óssea pode beneficiar o tratamento de cerca de 80 doenças em diferentes estágios e faixas etárias. Além disso, o doador ideal (irmão compatível) só está disponível em cerca de 25% das famílias brasileiras – para 75% dos pacientes é necessário identificar um doador alternativo a partir dos registros de doadores voluntários, bancos públicos de sangue de cordão umbilical ou familiares parcialmente compatíveis (haploidênticos). A cada 100 mil cadastros, somente uma medula de um doador alternativo é 100% compatível com a de algum paciente que aguarda na fila do transplante. O objetivo da campanha Caçadores de Medula é aumentar o número de cadastro para aumentar as chances de compatibilidade.

 

A doação (transplante) é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação de 24 horas. A medula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções. O procedimento leva em torno de 90 minutos. A medula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana após a doação.

 

Há outro método de doação chamado coleta por aférese. Neste caso, o doador faz uso de uma medicação por cinco dias com o objetivo de aumentar o número de células-tronco (células mais importantes para o transplante de medula óssea) circulantes no seu sangue. Após esse período, a pessoa faz a doação por meio de uma máquina de aférese, que colhe o sangue da veia do doador, separa as células-tronco e devolve os elementos do sangue que não são necessários para o paciente. Não há necessidade de internação nem de anestesia, sendo todos os procedimentos feitos pela veia. A decisão sobre o método de doação mais adequado é exclusiva dos médicos assistentes, tanto do paciente quanto do doador, e será avaliada em cada caso.

 

Fonte: REDOME