1 de Janeiro de 2019 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

1 de Janeiro de 2019

Ano novo e você aí não fez nada para mudar

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

01 de Janeiro de 2019

O ano é novo, mas será que a gente vai continuar com as velhas práticas do passado? Errar os mesmos erros. Cometer as mesmas tolices. Trocar os pés, pelas mãos? Se não houver decisão de cada um assumir as mudanças, não é a passagem da folhinha do calendário que vai fazer melhorar a coisa não.

Quem leva um vida desordenada, quem vive a promover desordens – não tem esperança de mudança não. Pode entrar ano e sair ano, que as coisas não mudam.

Tem gente que passa a vida toda cometendo deslizes; provocando atritos; brigando com Deus e o mundo e, quando chega o final do ano, começa a fazer promessas de “ano novo, vida nova”… Mas se não mudar o comportamento, nada muda.

Muda sim, aqueles que se propõem a evitar cometer mesmos erros. Cair na esparrela de que a mudança de ano vai mudar a vida. Quem se viciou, quem buscou só fazer o mal e não deu um passo em favor da melhoria de vida – não tem ano novo que dê jeito; vai continuar atrelado ao seu passado de erros, guardando rancor, ódio, inveja, ciúme e todo esse lixo que a gente teima em guardar na mente e no coração.

O ano é novo, sim. Mas se as suas promessas ficarem apenas no terreno das promessas, as melhorias só acontecem se houver disponibilidade de colocá-las em prática. Quem vive a prometer melhorar e não age em favor disso, parece com aquele agricultor que reza para chover, vem a chuva e ele fica de braços cruzados só olhando e dizendo: ô chuva boa! Vamos ter um bom inverno”. Mas como não planta, não vai colher nada.

Ajuda-te que o céu te ajudará – é a máxima cristã, querendo dizer que Deus ajuda a quem faz a sua parte. Do contrário, não há ano novo para quem envelhece com os meus erros e com as mesmas tolices de anos que já se foram. Só é feliz, quem busca fazer por onde sê-lo.

leia tudo sobre

Publicidade

Ano novo e você aí não fez nada para mudar

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

01 de Janeiro de 2019

O ano é novo, mas será que a gente vai continuar com as velhas práticas do passado? Errar os mesmos erros. Cometer as mesmas tolices. Trocar os pés, pelas mãos? Se não houver decisão de cada um assumir as mudanças, não é a passagem da folhinha do calendário que vai fazer melhorar a coisa não.

Quem leva um vida desordenada, quem vive a promover desordens – não tem esperança de mudança não. Pode entrar ano e sair ano, que as coisas não mudam.

Tem gente que passa a vida toda cometendo deslizes; provocando atritos; brigando com Deus e o mundo e, quando chega o final do ano, começa a fazer promessas de “ano novo, vida nova”… Mas se não mudar o comportamento, nada muda.

Muda sim, aqueles que se propõem a evitar cometer mesmos erros. Cair na esparrela de que a mudança de ano vai mudar a vida. Quem se viciou, quem buscou só fazer o mal e não deu um passo em favor da melhoria de vida – não tem ano novo que dê jeito; vai continuar atrelado ao seu passado de erros, guardando rancor, ódio, inveja, ciúme e todo esse lixo que a gente teima em guardar na mente e no coração.

O ano é novo, sim. Mas se as suas promessas ficarem apenas no terreno das promessas, as melhorias só acontecem se houver disponibilidade de colocá-las em prática. Quem vive a prometer melhorar e não age em favor disso, parece com aquele agricultor que reza para chover, vem a chuva e ele fica de braços cruzados só olhando e dizendo: ô chuva boa! Vamos ter um bom inverno”. Mas como não planta, não vai colher nada.

Ajuda-te que o céu te ajudará – é a máxima cristã, querendo dizer que Deus ajuda a quem faz a sua parte. Do contrário, não há ano novo para quem envelhece com os meus erros e com as mesmas tolices de anos que já se foram. Só é feliz, quem busca fazer por onde sê-lo.