30 de Abril de 2019 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

30 de Abril de 2019

Fortaleza, a Medelin do Atlântico

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO, SEGURANÇA

30 de Abril de 2019

Ilustração Hélio Rola

Fortaleza é uma cidade praticamente dominada pelos traficantes. Parece a Medelin de outros tempos, quando o cartel mandava e desmandava. Por aqui, o tráfico ainda manda. E não se restringe à capital. Está aí a Polícia que não me deixa mentir.

Esta manhã, a Civil revelou duas ações que resultaram na apreensão de R$ 230 mil em espécie e na desativação de um laboratório de drogas. Isso na cidade de Crateús. Em Paracuru, a Polícia fechou uma verdadeira fortaleza usada para tráfico, equipada com sistema de videomonitoramento, saídas de fuga e cães de guarda.

Voltando pra capital, a realidade é a mesma. Pra onde quer que você vá, tem gente negociando drogas. No centro da cidade tem uma cracolândia ali nas proximidades da Santa Casa de Misericórdia, há poucos metros da Décima Região Militar.

No outro lado da cidade, a Polícia descobre tráfico de cocaína e loló no entorno do Castelão. No Aeroporto, a Federal prende venezuelano que ia embarcar com mais droga.

Comunidades periféricas convivem com esse drama. Escolas se tornam reféns da ordem de traficantes. Em alguns sinais luminosos, travestidos de limpadores de carros, a gente se depara verdadeiros zumbis ambulantes esmolam uma moedinha para fazer a cabeça.

Enquanto isso, a população é que sofre a dor-de-cabeça com todo esse poderio do tráfico. E não tem farmácia nenhuma, das muitas que a cidade abriga para o comércio de outras drogas, que vá conseguir nos salvar desse inferno.

leia tudo sobre

Publicidade

Fortaleza, a Medelin do Atlântico

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO, SEGURANÇA

30 de Abril de 2019

Ilustração Hélio Rola

Fortaleza é uma cidade praticamente dominada pelos traficantes. Parece a Medelin de outros tempos, quando o cartel mandava e desmandava. Por aqui, o tráfico ainda manda. E não se restringe à capital. Está aí a Polícia que não me deixa mentir.

Esta manhã, a Civil revelou duas ações que resultaram na apreensão de R$ 230 mil em espécie e na desativação de um laboratório de drogas. Isso na cidade de Crateús. Em Paracuru, a Polícia fechou uma verdadeira fortaleza usada para tráfico, equipada com sistema de videomonitoramento, saídas de fuga e cães de guarda.

Voltando pra capital, a realidade é a mesma. Pra onde quer que você vá, tem gente negociando drogas. No centro da cidade tem uma cracolândia ali nas proximidades da Santa Casa de Misericórdia, há poucos metros da Décima Região Militar.

No outro lado da cidade, a Polícia descobre tráfico de cocaína e loló no entorno do Castelão. No Aeroporto, a Federal prende venezuelano que ia embarcar com mais droga.

Comunidades periféricas convivem com esse drama. Escolas se tornam reféns da ordem de traficantes. Em alguns sinais luminosos, travestidos de limpadores de carros, a gente se depara verdadeiros zumbis ambulantes esmolam uma moedinha para fazer a cabeça.

Enquanto isso, a população é que sofre a dor-de-cabeça com todo esse poderio do tráfico. E não tem farmácia nenhuma, das muitas que a cidade abriga para o comércio de outras drogas, que vá conseguir nos salvar desse inferno.