FÁBRICA DE CRIMINOSOS - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

FÁBRICA DE CRIMINOSOS

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

16 de outubro de 2018

Que brasileiro só fecha a porta depois de roubado, isso é uma realidade. Aliás, o ditado é antigo, mas o seu emprego atualíssimo. Vide o caso da menininha de 11 anos, estuprada domingo por um interno, dentro de um presídio em Itaitinga. Que coisa mais terrível! E não falo só da tragédia envolvendo esse preso que levou a menor para a sua cela e acabou abusando da criança, mas de um sistema penitenciário que não prima por dar o mínimo de segurança a quem vai a uma visita ao local. Agora, a Justiça proíbe o ingresso de menores às penitenciária. Antes tarde do que nunca.
É incrível como no Brasil, só se toma uma medida dessas, depois que a tragédia acontecida.
Ao sistema penitenciário falta gestão comprometida com o bom senso; com autonomia para tomar decisões firmes como a de proibir o acesso de menores a um local onde fervilha todo tipo de mentalidade doentia.
A fábrica de criminosos em que se constitui o sistema penitenciário, todo dia oferece maus exemplos e as autoridades parecem desconhecer essa realidade.
O preço que se paga pela incompetência é alto demais, principalmente quando a moeda de troca envolve crianças.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

FÁBRICA DE CRIMINOSOS

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

16 de outubro de 2018

Que brasileiro só fecha a porta depois de roubado, isso é uma realidade. Aliás, o ditado é antigo, mas o seu emprego atualíssimo. Vide o caso da menininha de 11 anos, estuprada domingo por um interno, dentro de um presídio em Itaitinga. Que coisa mais terrível! E não falo só da tragédia envolvendo esse preso que levou a menor para a sua cela e acabou abusando da criança, mas de um sistema penitenciário que não prima por dar o mínimo de segurança a quem vai a uma visita ao local. Agora, a Justiça proíbe o ingresso de menores às penitenciária. Antes tarde do que nunca.
É incrível como no Brasil, só se toma uma medida dessas, depois que a tragédia acontecida.
Ao sistema penitenciário falta gestão comprometida com o bom senso; com autonomia para tomar decisões firmes como a de proibir o acesso de menores a um local onde fervilha todo tipo de mentalidade doentia.
A fábrica de criminosos em que se constitui o sistema penitenciário, todo dia oferece maus exemplos e as autoridades parecem desconhecer essa realidade.
O preço que se paga pela incompetência é alto demais, principalmente quando a moeda de troca envolve crianças.