Confira os palpites sobre as principais categorias no Oscar 2015 - Cinema Sinergia 
Publicidade

Cinema Sinergia

por Thiago Sampaio

Confira os palpites sobre as principais categorias no Oscar 2015

Por Thiago Sampaio em Oscar

21 de Fevereiro de 2015

Foto: Divulgação/Montagem

Foto: Divulgação/Montagem

A 87ª cerimônia do Oscar será realizada neste domingo (22), no Teatro Dolby, em Los Angeles, Califórnia, com apresentação do ator e humorista Neil Patrick Harris. Em meio a muitas expectativas, o blog Cena Cultural faz uma análise geral dos favoritos para as principais categorias. E claro, com os palpites de quem deve levar o troféu!

Melhor Filme

Indicados

“Sniper Americano”
“Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)”
“Boyhood: Da Infância à Juventude”
“O Grande Hotel Budapeste”
“O Jogo da Imitação”
“Selma”
“A Teoria de Tudo”
“Whiplash: Em Busca da Perfeição”

Não tem como negar que a disputa está entre dois filmes: “Boyhood” e “Birdman”. O primeiro carrega um leve favoritismo após levar o Globo de Ouro de Melhor Filme – Drama e uma série de outros prêmios. O segundo, ganhou força perante a crítica pelo tom experimentalista, diferente de qualquer outra produção indicada. Alguns sites especializados estrangeiros apostam que “O Grande Hotel Budapeste” (ou até mesmo “Whiplash”) podem pintar como zebras e levar o Melhor Filme, porém, acho muito pouco provável.

Fato é que nunca estive tão dividido na torcida entre duas produções. Se, de fato, não houver surpresas e uma delas vencer, irei comemorar pela vencedora e lamentar pela derrotada. Por um lado, havia tempo que um filme não mexia tanto com o subconsciente como “Birdman”. Através de um protagonista paranoico, atormentado por um personagem interpretado por ele próprio no passado e buscando dar a volta por cima na carreira, o diretor Alejandro González Iñárritu traça um paralelo entre os blockbusters de Hollywood e a qualidade artística da Broadway de maneira surreal e sarcástica.

Por outro lado, “Boyhood” consegue ser leve, belo e tocante por um fator difícil na sétima arte: se aproximar tanto da vida real. Filmado ao longo de 12 anos, captando com fidelidade o processo de envelhecimento dos atores e os aspectos culturais de cada época, acompanhamos o amadurecimento do garoto Mason (Ellar Coltrane), dos 6 aos 18 anos, conferindo etapas normais da vida de uma criança e de um jovem. Não são criados climas especiais para a separação dos pais, a rejeição no colégio ou a primeira namorada…tudo acontece de uma maneira natural, assim como a vida é. Trata-se 164 minutos de um experimento cinematográfico inédito, o que conta muitos pontos a favor.

Aposta: Boyhood
Torcida: Birdman

Birdman e Boyhood

Birdman e Boyhood

Melhor Diretor

Indicados

Alejandro González Iñárritu (“Birdman”)
Richard Linklater (“Boyhood”)
Bennett Miller (“Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo”)
Wes Anderson (“O Grande Hotel Budapeste”)
Morten Tyldum (“O Jogo da Imitação”)

É um tanto comum a Academia entregar o prêmio de Melhor Diretor ao que não teve a sua obra premiada com o Melhor Filme, muitas vezes para um compensar o outro. Justo ou não, é bem provável que esse fato se repita em 2015, perante tamanho equilíbrio entre as duas produções favoritas.

A direção de Alejandro González Iñárritu em “Birdman” é, tecnicamente, bem mais visível. Rodado em demorados falsos planos sequencia, como se todo o filme tivesse sido feito em um único take, câmeras o tempo inteiro muito próximas dos rostos dos atores…o expectador consegue ser levado à mente louca do protagonista, sem nunca saber ao certo o que é real ou o que é imaginação.

Já Richard Linklater pode ter o seu esforço de 12 anos para produzir “Boyhood” recompensado com a estatueta. Não à toa, ele rodou o projeto praticamente escondido, durante pequenos espaços de tempo entre os intervalos na agenda da equipe de produção entre 2002 e 2014, para depois compilar todo o material e entregar um projeto tão único. Se na trilogia “Antes do Amanhecer”, “Antes do Pôr do Sol” e “Antes da Meia-Noite” ele já transparecia a habilidade de soar com que diálogos parecessem improvisos perante tanta naturalidade, em “Boyhood” ele repete o feito e volta a entregar uma obra profunda sob sua visão particular.

Aposta: Alejandro González Iñárritu (“Birdman”)
Torcida: Richard Linklater (“Boyhood”)

Keaton e Redmayne

Keaton e Redmayne

Melhor ator

Indicados

Steve Carell (“Foxcatcher”)
Bradley Cooper (“Sniper Americano”)
Benedict Cumberbatch (“O Jogo da Imitação”)
Michael Keaton (“Birdman”)
Eddie Redmayne (“A Teoria de Tudo”)

Nesta categoria, fica um duelo de gerações: o experiente Michael Keaton contra o jovem Eddie Redmayne. Enquanto o segundo tem um leve favoritismo, o ator de “Birdman” não será considerado nenhuma surpresa caso saia vencedor. Alguns sites apontam em possível zebra com prêmio para Benedict Cumberbatch, porém, este corre por fora.

Eddie Redmayne, vencedor do Globo de Ouro de Melhor Ator – Drama por “A Teoria de Tudo”, conta a seu favor a transformação física para viver o físico Stephen Hawking. A perda gradativa dos movimentos do corpo, a dificuldade de dicção à medida em que a doença se agrava, o sorriso de canto de rosto que é o máximo que consegue…não tem como negar que Redmayne fez um trabalho espetacular!

Por outro lado, Michael Keaton, que venceu o Globo de Ouro de Melhor Ator – Comédia ou Musical por “Birdman”, pode ter a novela da “virada na carreira” caso premiado. Assim como o seu personagem, Keaton interpretou um super-herói no fim dos anos 80 e início dos 90 (Batman), foi o Beetlejuice de “Os Fantasmans se Divertem” (1988), mas depois caiu no ostracismo atuando como coadjuvante em produções irrelevantes. No papel de Riggan Thomson, ele dá um show como o ator arrogante que busca a guinada na carreira, enquanto sua própria mente o leva à loucura.

Aposta: Eddie Redmayne (“A Teoria de Tudo”)
Torcida: Michael Keaton (“Birdman”)

Julianne Moore

Julianne Moore

Melhor Atriz

Indicados

Marion Cotillard (“Dois Dias, Uma Noite”)
Felicity Jones (“A Teoria de Tudo”)
Julianne Moore (“Para Sempre Alice”)
Rosamund Pike (“Garota Exemplar”)
Reese Witherspoon (“Livre”)

Essa é uma categoria que dificilmente terá outra destinatária: Julianne Moore. Vencedora do Globo de Ouro de Melhor Atriz – Drama por “Para Sempre Alice”, sua soberba performance como uma renomada professora de linguistica que é diagnosticada com Alzheimer finalmente deve garantir a ela o Oscar, que já viu escapar em outras quatro ocasiões (por “Boogie Nights”, “Fim de Caso”, “As Horas” e “Longe do Paraíso”).

Quem ainda pode assustar Julianne é Reese Witherspoon, que em “Livre”, também passa por uma grande transformação física ao viver uma mulher que, após a perda da mãe e um divórcio, passa por uma fase de autodestruição para depois e investir em uma nova vida junto à natureza selvagem. A espetacular performance de Rosamund Pike por “Garota Exemplar”, como uma mulher paranoica e perigosa que atormenta a vida do personagem de Ben Affleck também é digna de prêmio, porém, o desprezo da Academia pelo (ótimo!) filme de David Fincher deve tirar as chances da atriz.

Aposta: Julianne Moore (“Para Sempre Alice”)
Torcida: Julianne Moore (“Para Sempre Alice”)

JK Simmons

JK Simmons

Melhor Ator Coadjuvante

Indicados

Robert Duvall (“O Juiz”)
Ethan Hawke (“Boyhood”)
Edward Norton (“Birdman”)
Mark Ruffalo (“Foxcatcher”)
JK Simmons (“Whiplash”)

Categoria que não deve haver surpresas: JK Simmons larga com favoritismo de sobra. Aos 60 anos e com mais de 140 papéis no currículo, o ator é mais lembrado pelo papel de J. Jonah Jameson, chefe de Peter Parker na primeira trilogia “Homem-Aranha”. Mas no papel de um professor extremamente perfeccionista e abusivo (mais ainda assim, com lado humano), o veterano dá um verdadeiro show e finalmente deve ter o seu talento reconhecido.

Com a difícil missão de bater Simmons, Edward Norton tem grande destaque em “Birdman”, vivendo um ator que esbanja o ar de celebridade e só pensa em si próprio. Apesar das boas atuações, Robert Duvall, Ethan Hawke e Mark Ruffalo só devem fazer número na cerimônia de premiação.

Aposta: JK Simmons (“Whiplash”)
Torcida: JK Simmons (“Whiplash”)

Patricia Arquette

Patricia Arquette

Melhor Atriz Coadjuvante

Patricia Arquette (“Boyhood”)
Laura Dern (“Livre”)
Keira Knightley (“O Jogo da Imitação”)
Emma Stone (“Birdman”)
Meryl Streep (“Caminhos da Floresta”)

Se a missão de tirar o Oscar de JK Simmon é muito difícil, diria que bater Patricia Arquette é impossível. Na pele da mãe do menino Mason, de “Boyhood”, ela é a responsável pelos momentos mais dramáticos do longa-metragem, seja sofrendo ao lado do segundo marido, ou, principalmente, quando vê o filho que ama e tanto cuidou partindo para a faculdade.

A soberania de Arquette é ainda maior pela falta de concorrência. Laura Dern, Keira Knightley e Meryl Streep estão bem em seus respectivos papéis, porém, já apresentaram trabalhos bem mais significativos (principalmente Streep, que já virou até clichê indicá-la ao Oscar).

Aposta: Patricia Arquette (“Boyhood”)
Torcida: Patricia Arquette (“Boyhood”)

Outras categorias relevantes

Melhor Animação

Indicados

“Operação Big Hero”
“Como Treinar o Seu Dragão 2”
“Os Boxtrolls”
“Song of the Sea”
“The Tale of the Princess Kaguya”

Aposta: Como Treinar o Seu Dragão 2
Torcida: Operação Big Hero

Melhor Filme Estrangeiro

Indicados

“Ida” (Polônia)
“Leviatã” (Rússia)
“Tangerines” (Estônia)
“Timbuktu” (Mauritânia)
“Relatos Selvagens” (Argentina)

Aposta: Leviatã
Torcida: Ida

Melhor Roteiro Original

Indicados

Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando Bo (“Birdman”)
Richard Linklater (“Boyhood”)
E. Max Frye e Dan Futterman (“Foxcatcher”)
Wes Anderson e Hugo Guinness (“O Grande Hotel Budapeste”)
Dan Gilroy (“O Abutre”)

Aposta: O Grande Hotel Budapeste
Torcida: Birdman

Melhor roteiro adaptado

Indicados

Jason Hall (“Sniper Americano”)
Graham Moore (“O Jogo da Imitação”)
Paul Thomas Anderson (“Vício inerente”)
Anthony McCarten (“A Teoria de Tudo”)
Damien Chazelle (“Whiplash”)

Aposta: O Jogo da Imitação
Torcida: Whiplash

Publicidade aqui

Confira os palpites sobre as principais categorias no Oscar 2015

Por Thiago Sampaio em Oscar

21 de Fevereiro de 2015

Foto: Divulgação/Montagem

Foto: Divulgação/Montagem

A 87ª cerimônia do Oscar será realizada neste domingo (22), no Teatro Dolby, em Los Angeles, Califórnia, com apresentação do ator e humorista Neil Patrick Harris. Em meio a muitas expectativas, o blog Cena Cultural faz uma análise geral dos favoritos para as principais categorias. E claro, com os palpites de quem deve levar o troféu!

Melhor Filme

Indicados

“Sniper Americano”
“Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)”
“Boyhood: Da Infância à Juventude”
“O Grande Hotel Budapeste”
“O Jogo da Imitação”
“Selma”
“A Teoria de Tudo”
“Whiplash: Em Busca da Perfeição”

Não tem como negar que a disputa está entre dois filmes: “Boyhood” e “Birdman”. O primeiro carrega um leve favoritismo após levar o Globo de Ouro de Melhor Filme – Drama e uma série de outros prêmios. O segundo, ganhou força perante a crítica pelo tom experimentalista, diferente de qualquer outra produção indicada. Alguns sites especializados estrangeiros apostam que “O Grande Hotel Budapeste” (ou até mesmo “Whiplash”) podem pintar como zebras e levar o Melhor Filme, porém, acho muito pouco provável.

Fato é que nunca estive tão dividido na torcida entre duas produções. Se, de fato, não houver surpresas e uma delas vencer, irei comemorar pela vencedora e lamentar pela derrotada. Por um lado, havia tempo que um filme não mexia tanto com o subconsciente como “Birdman”. Através de um protagonista paranoico, atormentado por um personagem interpretado por ele próprio no passado e buscando dar a volta por cima na carreira, o diretor Alejandro González Iñárritu traça um paralelo entre os blockbusters de Hollywood e a qualidade artística da Broadway de maneira surreal e sarcástica.

Por outro lado, “Boyhood” consegue ser leve, belo e tocante por um fator difícil na sétima arte: se aproximar tanto da vida real. Filmado ao longo de 12 anos, captando com fidelidade o processo de envelhecimento dos atores e os aspectos culturais de cada época, acompanhamos o amadurecimento do garoto Mason (Ellar Coltrane), dos 6 aos 18 anos, conferindo etapas normais da vida de uma criança e de um jovem. Não são criados climas especiais para a separação dos pais, a rejeição no colégio ou a primeira namorada…tudo acontece de uma maneira natural, assim como a vida é. Trata-se 164 minutos de um experimento cinematográfico inédito, o que conta muitos pontos a favor.

Aposta: Boyhood
Torcida: Birdman

Birdman e Boyhood

Birdman e Boyhood

Melhor Diretor

Indicados

Alejandro González Iñárritu (“Birdman”)
Richard Linklater (“Boyhood”)
Bennett Miller (“Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo”)
Wes Anderson (“O Grande Hotel Budapeste”)
Morten Tyldum (“O Jogo da Imitação”)

É um tanto comum a Academia entregar o prêmio de Melhor Diretor ao que não teve a sua obra premiada com o Melhor Filme, muitas vezes para um compensar o outro. Justo ou não, é bem provável que esse fato se repita em 2015, perante tamanho equilíbrio entre as duas produções favoritas.

A direção de Alejandro González Iñárritu em “Birdman” é, tecnicamente, bem mais visível. Rodado em demorados falsos planos sequencia, como se todo o filme tivesse sido feito em um único take, câmeras o tempo inteiro muito próximas dos rostos dos atores…o expectador consegue ser levado à mente louca do protagonista, sem nunca saber ao certo o que é real ou o que é imaginação.

Já Richard Linklater pode ter o seu esforço de 12 anos para produzir “Boyhood” recompensado com a estatueta. Não à toa, ele rodou o projeto praticamente escondido, durante pequenos espaços de tempo entre os intervalos na agenda da equipe de produção entre 2002 e 2014, para depois compilar todo o material e entregar um projeto tão único. Se na trilogia “Antes do Amanhecer”, “Antes do Pôr do Sol” e “Antes da Meia-Noite” ele já transparecia a habilidade de soar com que diálogos parecessem improvisos perante tanta naturalidade, em “Boyhood” ele repete o feito e volta a entregar uma obra profunda sob sua visão particular.

Aposta: Alejandro González Iñárritu (“Birdman”)
Torcida: Richard Linklater (“Boyhood”)

Keaton e Redmayne

Keaton e Redmayne

Melhor ator

Indicados

Steve Carell (“Foxcatcher”)
Bradley Cooper (“Sniper Americano”)
Benedict Cumberbatch (“O Jogo da Imitação”)
Michael Keaton (“Birdman”)
Eddie Redmayne (“A Teoria de Tudo”)

Nesta categoria, fica um duelo de gerações: o experiente Michael Keaton contra o jovem Eddie Redmayne. Enquanto o segundo tem um leve favoritismo, o ator de “Birdman” não será considerado nenhuma surpresa caso saia vencedor. Alguns sites apontam em possível zebra com prêmio para Benedict Cumberbatch, porém, este corre por fora.

Eddie Redmayne, vencedor do Globo de Ouro de Melhor Ator – Drama por “A Teoria de Tudo”, conta a seu favor a transformação física para viver o físico Stephen Hawking. A perda gradativa dos movimentos do corpo, a dificuldade de dicção à medida em que a doença se agrava, o sorriso de canto de rosto que é o máximo que consegue…não tem como negar que Redmayne fez um trabalho espetacular!

Por outro lado, Michael Keaton, que venceu o Globo de Ouro de Melhor Ator – Comédia ou Musical por “Birdman”, pode ter a novela da “virada na carreira” caso premiado. Assim como o seu personagem, Keaton interpretou um super-herói no fim dos anos 80 e início dos 90 (Batman), foi o Beetlejuice de “Os Fantasmans se Divertem” (1988), mas depois caiu no ostracismo atuando como coadjuvante em produções irrelevantes. No papel de Riggan Thomson, ele dá um show como o ator arrogante que busca a guinada na carreira, enquanto sua própria mente o leva à loucura.

Aposta: Eddie Redmayne (“A Teoria de Tudo”)
Torcida: Michael Keaton (“Birdman”)

Julianne Moore

Julianne Moore

Melhor Atriz

Indicados

Marion Cotillard (“Dois Dias, Uma Noite”)
Felicity Jones (“A Teoria de Tudo”)
Julianne Moore (“Para Sempre Alice”)
Rosamund Pike (“Garota Exemplar”)
Reese Witherspoon (“Livre”)

Essa é uma categoria que dificilmente terá outra destinatária: Julianne Moore. Vencedora do Globo de Ouro de Melhor Atriz – Drama por “Para Sempre Alice”, sua soberba performance como uma renomada professora de linguistica que é diagnosticada com Alzheimer finalmente deve garantir a ela o Oscar, que já viu escapar em outras quatro ocasiões (por “Boogie Nights”, “Fim de Caso”, “As Horas” e “Longe do Paraíso”).

Quem ainda pode assustar Julianne é Reese Witherspoon, que em “Livre”, também passa por uma grande transformação física ao viver uma mulher que, após a perda da mãe e um divórcio, passa por uma fase de autodestruição para depois e investir em uma nova vida junto à natureza selvagem. A espetacular performance de Rosamund Pike por “Garota Exemplar”, como uma mulher paranoica e perigosa que atormenta a vida do personagem de Ben Affleck também é digna de prêmio, porém, o desprezo da Academia pelo (ótimo!) filme de David Fincher deve tirar as chances da atriz.

Aposta: Julianne Moore (“Para Sempre Alice”)
Torcida: Julianne Moore (“Para Sempre Alice”)

JK Simmons

JK Simmons

Melhor Ator Coadjuvante

Indicados

Robert Duvall (“O Juiz”)
Ethan Hawke (“Boyhood”)
Edward Norton (“Birdman”)
Mark Ruffalo (“Foxcatcher”)
JK Simmons (“Whiplash”)

Categoria que não deve haver surpresas: JK Simmons larga com favoritismo de sobra. Aos 60 anos e com mais de 140 papéis no currículo, o ator é mais lembrado pelo papel de J. Jonah Jameson, chefe de Peter Parker na primeira trilogia “Homem-Aranha”. Mas no papel de um professor extremamente perfeccionista e abusivo (mais ainda assim, com lado humano), o veterano dá um verdadeiro show e finalmente deve ter o seu talento reconhecido.

Com a difícil missão de bater Simmons, Edward Norton tem grande destaque em “Birdman”, vivendo um ator que esbanja o ar de celebridade e só pensa em si próprio. Apesar das boas atuações, Robert Duvall, Ethan Hawke e Mark Ruffalo só devem fazer número na cerimônia de premiação.

Aposta: JK Simmons (“Whiplash”)
Torcida: JK Simmons (“Whiplash”)

Patricia Arquette

Patricia Arquette

Melhor Atriz Coadjuvante

Patricia Arquette (“Boyhood”)
Laura Dern (“Livre”)
Keira Knightley (“O Jogo da Imitação”)
Emma Stone (“Birdman”)
Meryl Streep (“Caminhos da Floresta”)

Se a missão de tirar o Oscar de JK Simmon é muito difícil, diria que bater Patricia Arquette é impossível. Na pele da mãe do menino Mason, de “Boyhood”, ela é a responsável pelos momentos mais dramáticos do longa-metragem, seja sofrendo ao lado do segundo marido, ou, principalmente, quando vê o filho que ama e tanto cuidou partindo para a faculdade.

A soberania de Arquette é ainda maior pela falta de concorrência. Laura Dern, Keira Knightley e Meryl Streep estão bem em seus respectivos papéis, porém, já apresentaram trabalhos bem mais significativos (principalmente Streep, que já virou até clichê indicá-la ao Oscar).

Aposta: Patricia Arquette (“Boyhood”)
Torcida: Patricia Arquette (“Boyhood”)

Outras categorias relevantes

Melhor Animação

Indicados

“Operação Big Hero”
“Como Treinar o Seu Dragão 2”
“Os Boxtrolls”
“Song of the Sea”
“The Tale of the Princess Kaguya”

Aposta: Como Treinar o Seu Dragão 2
Torcida: Operação Big Hero

Melhor Filme Estrangeiro

Indicados

“Ida” (Polônia)
“Leviatã” (Rússia)
“Tangerines” (Estônia)
“Timbuktu” (Mauritânia)
“Relatos Selvagens” (Argentina)

Aposta: Leviatã
Torcida: Ida

Melhor Roteiro Original

Indicados

Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando Bo (“Birdman”)
Richard Linklater (“Boyhood”)
E. Max Frye e Dan Futterman (“Foxcatcher”)
Wes Anderson e Hugo Guinness (“O Grande Hotel Budapeste”)
Dan Gilroy (“O Abutre”)

Aposta: O Grande Hotel Budapeste
Torcida: Birdman

Melhor roteiro adaptado

Indicados

Jason Hall (“Sniper Americano”)
Graham Moore (“O Jogo da Imitação”)
Paul Thomas Anderson (“Vício inerente”)
Anthony McCarten (“A Teoria de Tudo”)
Damien Chazelle (“Whiplash”)

Aposta: O Jogo da Imitação
Torcida: Whiplash