colin farrell Archives - Cinema Sinergia 
Publicidade

Cinema Sinergia

por Thiago Sampaio

colin farrell

Crítica: Live-action de “Dumbo” honra o original e traz novas ideias de maneira honesta

Por Thiago Sampaio em Crítica

17 de Abril de 2019

Foto: Divulgação

Seguindo essa onda de fazerem versões live-actions de tudo o que é animação clássica da Walt Disney Pictures, chegou a vez do elefante voador “Dumbo” (idem, 1941). Apesar de dizerem por aí que a produção era a favorita do próprio Disney, o desenho não é tão idolatrado pelo público em geral e o material de apenas 64 minutos tinha pouco a ser aprofundado numa nova versão. Mas o diretor Tim Burton, famoso por ser visionário no passado, consegue atribuir o seu olhar próprio, ampliando aquela história. O novo “Dumbo” (2019) não tem nada de marcante, mas passa longe de fazer feio e honra a memória do seu criador.

Na história, ambientada em 1919, Holt Farrier (Colin Farrell) é uma ex-estrela de circo que, ao retornar da Primeira Guerra Mundial, encontra seu mundo virado de cabeça para baixo. Sua esposa faleceu enquanto estava fora e ele agora precisa criar os dois filhos. Ele recebe a função de cuidar de uma elefante que está prestes a ter bebê. Quando o filhote nasce, todos ficam surpresos com o tamanho de suas orelhas, o que faz com que de início seja desprezado. Porém, tudo muda quando o mundo descobre que as imensas orelhas permitem que Dumbo voe, atraindo os olhares do público e de um empresário inescrupuloso.
Leia mais

Publicidade

Crítica: Novo ‘O Vingador do Futuro’ funciona se ‘apagar da memória’ o original

Por Thiago Sampaio em Crítica

23 de agosto de 2012

Pôster de 'O Vingador do Futuro' (Total Recall) - Foto: Divulgação

Pôster de ‘O Vingador do Futuro’ (Total Recall) – Foto: Divulgação

Refilmar “O Vingador do Futuro”, cult da ficção científica estrelado por Arnold Schwarzenegger em 1990, foi uma ideia que nunca fez sentido. O longa marcou época pelo visual estiloso, cenas de ação bem dirigidas por Paul Verhoeven, personagens peculiares e, apesar de não atingir o status de clássico, deixou a sua marca. O lado bom é que a nova versão tem seus lados positivos e foge de ser um fracasso, mas apenas se as comparações com o original forem deixadas de lado.

A trama apresenta Doug Quaid (Colin Farrell), um trabalhador de uma fábrica atordoado por sonhos estranhos e que, apesar de viver com uma bela esposa (Kate Beckinsale), não pensa em outra coisa a não ser fugir da rotina. Sem tempo ou dinheiro para isso, procura a companhia Rekall, que oferece o serviço de inserir memórias na mente das pessoas. A experiência, no entanto, acaba dando errado e ele começa a suspeitar que é um espião. Sem saber de que lado está, Quaid se vê no meio do conflito entre as duas únicas partes do planeta Terra habitadas por humanos.

Leia mais

Publicidade

Remakes desnecessários…até quando?

Por Thiago Sampaio em Cinema

11 de Abril de 2012

Arnold Schwarzenegger estrelou “O Vingador do Futuro” em 1990

É notório que a indústria hollywoodiana há anos vive uma crise criativa, apelando exaustivamente para adaptações de livros, séries, histórias em quadrinhos, remakes e continuações. Acontece que a prática de refazer filmes que não acrescentaram muito à História do cinema já está fugindo do controle.

Se tratando do gênero terror, não há mais nem o que dizer, já que quase todo filme lançado nos anos 80 ganhou depois uma remake ou uma produção oriental ganhou uma versão estadunidense. Quer uma lista? Aí vai: “O Chamado”, “O Grito”, “Água Negra”, “A Casa de Cera”, “O Massacre da Serra Elétrica”, “A Hora do Pesadelo”, “Horror em Amityville”, “Piranha”, “A Hora do Espanto”…a lista é imensa. Agora são os filmes de ação quem estão sendo visados para serem reconstruídos.

Leia mais

Publicidade

Remakes desnecessários…até quando?

Por Thiago Sampaio em Cinema

11 de Abril de 2012

Arnold Schwarzenegger estrelou “O Vingador do Futuro” em 1990

É notório que a indústria hollywoodiana há anos vive uma crise criativa, apelando exaustivamente para adaptações de livros, séries, histórias em quadrinhos, remakes e continuações. Acontece que a prática de refazer filmes que não acrescentaram muito à História do cinema já está fugindo do controle.

Se tratando do gênero terror, não há mais nem o que dizer, já que quase todo filme lançado nos anos 80 ganhou depois uma remake ou uma produção oriental ganhou uma versão estadunidense. Quer uma lista? Aí vai: “O Chamado”, “O Grito”, “Água Negra”, “A Casa de Cera”, “O Massacre da Serra Elétrica”, “A Hora do Pesadelo”, “Horror em Amityville”, “Piranha”, “A Hora do Espanto”…a lista é imensa. Agora são os filmes de ação quem estão sendo visados para serem reconstruídos.

(mais…)