protógenes queiroz Archives - Cinema Sinergia 
Publicidade

Cinema Sinergia

por Thiago Sampaio

protógenes queiroz

Crítica: ‘Ted’ brinca com o grotesco de uma maneira inteligente e divertida

Por Thiago Sampaio em Crítica

03 de outubro de 2012

Pôster de "Ted" - Foto: Divulgação

Pôster de “Ted” – Foto: Divulgação

O humor politicamente incorreto existe há séculos, e só quem o absolve “de cabeça aberta” enxerga o seu verdadeiro valor. Levando em conta que ele não pretende denegrir a imagem de ninguém ou fazer apologias aos seus aspectos negativos, a graça ganha vez ao fugir dos padrões “bonitinhos” da sociedade. “Ted” utiliza muito bem esses conceitos (mas sempre há um Protógenes Queiroz para se ofender…) e, com uma série de outros elementos de muita categoria, surge como uma das melhores comédias do ano.

A trama começa em um Natal, quando o pequeno John Bennett, uma criança sem amigos, pede que seu ursinho de pelúcia, Ted, ganhe vida. O garoto fica surpreso ao perceber que seu pedido foi atendido e logo eles ficam muito unidos. Eles crescem juntos e o urso se torna bastante mal humorado, mulherengo e adepto de uma vida sem pudores. Já adulto, John (Mark Wahlberg) precisa decidir entre manter a amizade de infância ou o namoro com Lori Collins (Mila Kunis).

Quem vai assistir a “Ted” necessita ter um conhecimento prévio do tipo de humor do diretor/produtor/roteirista/dublador Seth McFarlane. No seriado animado “Uma Família da Pesada” (“Family Guy”), ele critica o padrão de vida americano através de uma família totalmente desprovida de inteligência, com destaque para um bebê maléfico, drogado e pervertido. Agora em seu primeiro longa para o cinema, as piadas visuais envolvendo o ursinho fofinho usando drogas (das mais fortes) e fazendo insinuações sexuais estão lá aos montes, mas nada que muitos filmes adolescentes derivados de “American Pie” já não fizeram parecido. E sim, muitas são bem divertidas, se captada a ideia do quão absurdo é tudo que está em cena.

Leia mais

Publicidade

Opinião: a perseguição ao filme ‘Ted’ não passa de uma grande estupidez

Por Thiago Sampaio em Opinião

26 de setembro de 2012

Banner de "Ted" deixa explícita a censura

Banner de “Ted” deixa explícita a censura

Um assunto que tomou conta das redes sociais na última terça-feira (25) foi a “perseguição” do deputado Protógenes Queiroz (PC do B-SP) ao filme “Ted”, em cartaz nos cinemas brasileiros, alegando que o longa-metragem induz que o estilo de vida sem pudores e consumindo drogas é positivo.

Antes de tudo, o filme conta a história de John Bennett (vivido por Mark Wahlberg), um adulto que tem uma profunda amizade com o seu ursinho de pelúcia, que ganhou vida anos atrás graças ao encanto. Acontece que o bichinho é mal-humorado, mulherengo, sem papas na línguas e adora consumir produtos ilícitos.

Voltando para Protógenes, o deputado teve a “brilhante” ideia de levar o filho de 11 anos, pensando se tratar de apenas um filme infantil sobre um bichinho fofinho. Espantado, ele não poupou críticas através do seu Twitter: “Acionarei os meios legais, a fim de impedir que o lixo do filme infanto-juvenil ‘Ted’ seja exibido nacionalmente e apurar responsabilidades”.

E ele completou: “O filme não está apropriado para nenhuma faixa etária. Incentivar o consumo de drogas é crime, usando ainda ícones infantis”. Como se não bastasse, ainda lançou uma campanha para proibir a distribuição do longa-metragem no Brasil. “#ForaFilmeTED das telas do cinema brasileiro. Não aceitamos mais esses enlatados culturais americanos no Brasil”, escreveu.

Leia mais

Publicidade

Opinião: a perseguição ao filme ‘Ted’ não passa de uma grande estupidez

Por Thiago Sampaio em Opinião

26 de setembro de 2012

Banner de "Ted" deixa explícita a censura

Banner de “Ted” deixa explícita a censura

Um assunto que tomou conta das redes sociais na última terça-feira (25) foi a “perseguição” do deputado Protógenes Queiroz (PC do B-SP) ao filme “Ted”, em cartaz nos cinemas brasileiros, alegando que o longa-metragem induz que o estilo de vida sem pudores e consumindo drogas é positivo.

Antes de tudo, o filme conta a história de John Bennett (vivido por Mark Wahlberg), um adulto que tem uma profunda amizade com o seu ursinho de pelúcia, que ganhou vida anos atrás graças ao encanto. Acontece que o bichinho é mal-humorado, mulherengo, sem papas na línguas e adora consumir produtos ilícitos.

Voltando para Protógenes, o deputado teve a “brilhante” ideia de levar o filho de 11 anos, pensando se tratar de apenas um filme infantil sobre um bichinho fofinho. Espantado, ele não poupou críticas através do seu Twitter: “Acionarei os meios legais, a fim de impedir que o lixo do filme infanto-juvenil ‘Ted’ seja exibido nacionalmente e apurar responsabilidades”.

E ele completou: “O filme não está apropriado para nenhuma faixa etária. Incentivar o consumo de drogas é crime, usando ainda ícones infantis”. Como se não bastasse, ainda lançou uma campanha para proibir a distribuição do longa-metragem no Brasil. “#ForaFilmeTED das telas do cinema brasileiro. Não aceitamos mais esses enlatados culturais americanos no Brasil”, escreveu.

(mais…)