Tom Hiddleston Archives - Cinema Sinergia 
Publicidade

Cinema Sinergia

por Thiago Sampaio

Tom Hiddleston

Crítica: “Thor: Ragnarok” diverte se encarado como uma comédia despretensiosa

Por Thiago Sampaio em Crítica

07 de novembro de 2017

Comprando essa ideia, temos uma aventura que diverte, ainda que o produto soe deslocado nesse universo já estabelecido.Dentro do mundo cinematográfico da Marvel, os dois filmes do Thor nunca foram unanimidade, sendo bem modesto, para não dizer que eles não agradaram de jeito nenhum. Mesmo com uma fórmula que mescla ação, efeitos especiais e humor já estabelecida, era preciso uma mudança radical se quisessem emplacar um terceiro longa. A solução? Transformar “Thor: Ragnarok” (idem, 2017) numa comédia assumida, beirando o pastelão, com resquícios daqueles personagens conhecidos. Comprando essa ideia, temos uma aventura que diverte, ainda que o produto soe deslocado nesse universo.

Na trama, Thor (Chris Hemsworth) retorna a Asgard, agora dominada pelo seu irmão Loki (Tom Hiddleston). Nas mãos de uma nova e poderosa ameaça, Hela (Cate Blanchett), ele acaba sendo preso no devastado planeta Sakaar, sem o seu martelo, colocando-o numa corrida contra o tempo para voltar ao seu mundo e impedir Ragnarok, a destruição total. Mas, primeiro, precisa sobreviver a uma luta mortal de gladiadores.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “A Colina Escarlate” é uma homenagem de Del Toro ao terror gótico

Por Thiago Sampaio em Crítica

03 de novembro de 2015

393485.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Foto: Divulgação

Não tem como negar que o cineasta Guillermo Del Toro tem uma visão diferenciada quando o assunto é lidar com obras sombrias ou com seres sobrenaturais. Mesmo carregando consigo o fantástico “O Labirinto do Fauno” (El Laberinto Del Fauno, 2006) como referência maior, o cineasta mexicano prova a cada novo projeto o seu talento de exprimir suas principais influências de maneira estilosa e eficiente. Com “A Colina Escarlate” (Crimson Peak, 2015) não é diferente, cumprindo o dever de prender a atração do espectador do início ao fim, ao mesmo tempo em que exibe um show visual.

Sinopse

A trama apresenta a escritora Edith Cushing (Mia Wasikowska), que desde jovem tem tendências a ter contato com mortos. Crescida, ela se apaixona pelo misterioso Sir Thomas Sharpe (Tom Hiddleston) e se muda para sua sombria mansão no alto de uma colina. Habitada também por sua fria cunhada Lucille Sharpe (Jessica Chastain), a casa tem uma história macabra e a forte presença de seres não demora a abalar a sanidade da jovem.

Leia mais

Publicidade

Crítica: Thor volta a convencer em aventura solo

Por Thiago Sampaio em Crítica

13 de novembro de 2013

Pôster de 'Thor: O Mundo Sombrio'

Foto: Divulgação

O longa metragem “Thor” (2011) foi responsável por incluir na nova fase de adaptações dos quadrinhos da Marvel Studios o teor assumidamente fantasioso, com a existência de poderes de outro mundo, diferente de Homem-de-Ferro (2008, 2010), O Incrível Hulk (2008) e Capitão América (2010), fator necessário para a trama do estrondoso sucesso “Os Vingadores” (The Avengers, 2012). De volta a “carreira-solo”, a continuação “Thor: O Mundo Sombrio” (Thor: The Dark World, 2013), mantém o alto nível e supera o original em muitos quesitos.

Na trama, Thor (Chris Hemsworth) lidera as últimas batalhas para conquistar a paz entre os Nove Reinos. Enquanto isso, na Terra, a cientista Jane Foster (Natalie Portman) descobre um paralelo entre os mundos que acaba por despertar de um longo sono o elfo negro Malekith (Christopher Eccleston), que acorda sedento por vingança e buscando levar todos para a escuridão eterna. Para salvar a amada, o Deus do Trovão acaba por ir ao seu encontro mas, para combater o inimigo, ele vai precisar da ajuda de ninguém menos do que Loki (Tom Hiddleston), o seu traiçoeiro irmão.

Leia mais

Publicidade

Crítica: Thor volta a convencer em aventura solo

Por Thiago Sampaio em Crítica

13 de novembro de 2013

Pôster de 'Thor: O Mundo Sombrio'

Foto: Divulgação

O longa metragem “Thor” (2011) foi responsável por incluir na nova fase de adaptações dos quadrinhos da Marvel Studios o teor assumidamente fantasioso, com a existência de poderes de outro mundo, diferente de Homem-de-Ferro (2008, 2010), O Incrível Hulk (2008) e Capitão América (2010), fator necessário para a trama do estrondoso sucesso “Os Vingadores” (The Avengers, 2012). De volta a “carreira-solo”, a continuação “Thor: O Mundo Sombrio” (Thor: The Dark World, 2013), mantém o alto nível e supera o original em muitos quesitos.

Na trama, Thor (Chris Hemsworth) lidera as últimas batalhas para conquistar a paz entre os Nove Reinos. Enquanto isso, na Terra, a cientista Jane Foster (Natalie Portman) descobre um paralelo entre os mundos que acaba por despertar de um longo sono o elfo negro Malekith (Christopher Eccleston), que acorda sedento por vingança e buscando levar todos para a escuridão eterna. Para salvar a amada, o Deus do Trovão acaba por ir ao seu encontro mas, para combater o inimigo, ele vai precisar da ajuda de ninguém menos do que Loki (Tom Hiddleston), o seu traiçoeiro irmão.

(mais…)