Artigo Archives - Vagas Online 
Publicidade

Vagas Online

por Márcia Catunda

Artigo

Como alcançar seu objetivo? Trace estratégias

Por Márcia Catunda em Artigo

19 de julho de 2019

Por Márcia Catunda – Jornalista

 

No conto infantil “Alice no país das maravilhas”, há uma cena em que a menina Alice está perdida na floresta e não sabe para onde ir. Até que ela encontra um gato falante e pergunta a ele como sair do local. Ele questiona a garota a fim de entender para  onde ela quer ir e ela responde que não sabe. O esperto animal então afirma: “Para quem não sabe onde vai, qualquer caminho serve”.  Não é por acaso que ele é conhecido como o “Mestre Gato”. Apesar de ser um conto de fadas, cuja história é fictícia, a resposta do Mestre Gato é uma verdadeira lição. O que você busca para sua vida? Que resultados pretende alcançar? Para realizar o seu sonho, é preciso ter planejamento.   Neste artigo vamos ajudá-lo(a) a traçar estratégias para alcançar seu objetivo, pois para atingir resultados, você precisa traçar novas estratégias. Afinal novos caminhos, novos resultados.

Plano de ação

Execute um plano de ação com os caminhos a serem traçados, o passo a passo com o máximo de detalhes possível, inclusive com o tempo necessário para realizar seu objetivo. Identifique seu estado atual e trace o caminho que será percorrido para alcançar o que deseja. Coloque em seu plano de ação o que você quer alcançar, o motivo, de que forma será feito, quem poderá te ajudar, o período necessário, local, valor financeiro, sua situação atual e o  quanto já conseguiu avançar.  Pode ser em forma de tabela ou planilha. Lembre-se de que para alcançar o sucesso é preciso avançar por etapas, cada etapa superada é um degrau que você sobe e, assim, você fica cada vez mais perto de conseguir o você quer.

Pare com as desculpas

Dificuldades existirão, mas desafios existem para serem superados. Nesse momento é preciso ter foco e não buscar desculpas ou procurar culpados quando algo não dá certo. É preciso compreender que você é o único dono da sua trajetória e que são as suas ações que determinam os seus resultados.

Entenda que procurar ou repetir desculpas não vai ajudá-lo(a) em nada, ao contrário, vai afastá-lo(a) cada vez mais da sua meta. Sempre que sentir vontade de dizer uma desculpa, substitua por  uma nova história de sucesso, aquela que vai trazer a sua realização e satisfação pessoal. Repita essa nova história consigo mesmo quantas vezes achar necessário, para que se transforme em uma verdade que vai impactar positivamente em seus comportamentos e resultados.  Ações trazem resultados, desculpas não.

Tenha atitude

Os fatores que definem uma vida de sucesso são o tamanho do sonho, a qualidade e a direção das ações e a velocidade dessas ações. O que realmente importa é o que você vai fazer para conquistar o que quer, ou seja, a quantidade e a qualidade das ações executadas. É por isso que  um planejamento bem definido e um plano de ação bem detalhado são tão importantes. E, claro, a execução das ações. Tenha foco e esqueça as distrações, elas vão atrasar o período de alcance do seu objetivo. Falhou? Leia novamente as etapas anteriores e recomece o planejamento.

Não desista

Cada erro consiste em um aprendizado. Se algo não saiu como o esperado, trace uma nova estratégia até obter o resultado almejado.  Lembre-se de que se não mudar, os resultados continuarão sendo sempre os mesmos. Cabe somente a você, autor da sua história, mudar o que não está dando certo para chegar a um objetivo desejado. Como diz Stephen Covey “ Não é o que nos acontece que mais importa e sim o que nós fazemos com o que nos acontece.

leia tudo sobre

Publicidade

Como fugir dos erros de português no currículo

Por Márcia Catunda em Artigo

04 de julho de 2019

Uma das formas mais comuns de perder pontos importantes em um processo seletivo para uma vaga de estágio é cometer falhas na utilização da língua portuguesa, principalmente na hora de montar o currículo. Independentemente do erro, muitos recrutadores encaram a situação como desatenção ou falta de domínio do idioma, o que pode prejudicar os estudantes.

 

“O currículo precisa reunir informações claras e diretas sobre qualificação profissional, formações complementares e experiências profissionais anteriores. Para isso, a utilização de maneira correta da nossa língua é fundamental”, pontuou a supervisora de Desenvolvimento Humano e Organizacional do CIEE, Juliana Malaquias.

 

O emprego do verbo ‘haver’ costuma confundir muita gente. Segundo a norma culta da língua, ele não deve ser conjugado no plural quando utilizado no sentido de existir. Portanto, ‘há uma questão’, ‘havia duas questões’ e ‘haverá três questões’. Outro escorregão recorrente é separar sujeito e verbo por vírgula. Sentenças como “Minha formação anterior, trouxe uma experiência diferente” estão erradas.

 

Por fim, vale ter atenção redobrada com o plural. Por exemplo, ao escrever uma mensagem de e-mail encaminhando o currículo e uma carta de recomendação do gestor anterior, é preciso que o verbo vá para o plural: “Seguem documentos em anexo”, e não “Segue documentos em anexo”.

 

“Recomendamos que o estudante releia o currículo e caso as dúvidas persistam, vale recorrer à ajuda de amigos ou familiares. Cursos online gratuitos do CIEE Saber Virtual, que podem ser acessados após cadastro no Portal CIEE, também são ótima opção para tirar dúvidas. O importante é ter um currículo livre de erros que podem custar uma oportunidade no mundo do trabalho”, concluiu Juliana.

leia tudo sobre

Publicidade

Levantamento do CIEE aponta que estágio e aprendizagem geraram mais de 180 mil postos de trabalho

Por Márcia Catunda em Artigo

12 de junho de 2019

Centro de Integração Empresa-Escola – CIEE, entidade filantrópica sem fins lucrativos, divulgou nesta terça-feira, 12, em coletiva de imprensa, em Brasília, os resultados da pesquisa sobre Impactos Sociais e Econômicos dos Programas de Estágio e Aprendizagem encomendada à Fundação Instituto de Pesquisa Econômicas (FIPE).

Segundo o levantamento, em 2018, foram criados mais de 180 mil postos de trabalho diretos, indiretos e induzidos, com mais de R$ 15 bilhões de valor adicionados ao Produto Interno Bruto. O relatório ainda apresenta um comparativo dos custos associados às modalidades de contratação, além de contextualizar o cenário do estágio e aprendizagem a partir de uma análise dos principais indicadores econômicos do País.

Destacam-se na pesquisa os benefícios que os programas trazem para a sociedade de modo geral. Para isso foram levantados os dados sociais, econômicos, demográficos sobre os públicos atendidos pelos dois programas. Humberto Casagrande, superintendente Geral do CIEE, ressaltou a recente marca de 500 mil aprendizes formados pelo programa Aprendiz Legal do CIEE, desde sua implantação: “Infelizmente apenas 40% das empresas no Brasil cumprem a lei e fazem a contratação dos aprendizes. Acredito que o caminho para aumentar este número é mostrar para o empresário que contratar jovens é bom para os negócios.”

Casagrande salientou que o programa jovem aprendiz tem o diferencial que desenvolve a capacitação esofts skills dos estudantes, focando na formação individual com valores de cidadania e ética para além da parte técnica.

Para apresentar os dados gerais do estudo, esteve presente o professor Hélio Zylberstain, do Departamento de Economia da USP e pesquisador da FIPE. “A população jovem é a mais afetada quando há crises. Em 2018, a taxa de desocupação era de 9% para pessoas com mais de 24 anos, enquanto entre os jovens foi de 28,8%. A ideia da pesquisa foi mostrar como pessoas com esse perfil sofrem mais e quais políticas podem ajudá-las”, explica.

A vulnerabilidade da população entre 14 e 24 anos, segundo Zylberstain, não é uma exclusividade do Brasil, mas uma recorrência global. “No entanto, temos esse programa, que é uma cota para as empresas, que tem sido bem sucedido. Se 5% das empresas contratassem, hoje teríamos um contingente muito maior de jovens inseridos no mercado de trabalho”.

leia tudo sobre

Publicidade

ARTIGO- QUANDO O GATO SAI, OS RATOS FAZEM A FESTA?

Por Márcia Catunda em Artigo

22 de Maio de 2019

Rebeca Zaupa – Consultora de Gestão de Pessoas da Gomes de Matos Consultores Associados

 

Quando você sai de casa para trabalhar, qual a sua expectativa: fazer um trabalho excelente ou um trabalho medíocre?

Fazer um trabalho excelente, diria a maior parte das pessoas perguntadas e – espero – você também. Se é assim, por que ainda acreditamos que quando o gato sai, os ratos fazem a festa?

E quando é que nós sentimos que estamos fazendo um trabalho excelente? Normalmente quando nos sentimos engajados naquela empresa e com aquela atividade, não é verdade?

Engajamento é uma palavra que já faz parte do vocabulário da área de Recursos Humanos há quase 30 anos e que significa um estado emocional no qual nos sentimos apaixonados, animados e comprometidos com nosso trabalho.

Uma pesquisa realizada pela Decision Wise com 32,2 milhões de profissionais em todo o mundo identificou que apenas 32% estão totalmente engajados, 48% estão comprometidos, atendendo às expectativas de desempenho, respondendo bem a uma boa liderança, mas raramente sentindo-se instigados pelas atividades ou se arriscando a aprender coisas novas. 16% está na empresa apenas pelo salário e 4% estão totalmente não engajados, esforçando-se ativamente para contaminar os colegas com comentários negativos sobre a empresa e os líderes.

Segundo 10.304.000 profissionais (os 32% totalmente engajados) haverá engajamento se 6 aspectos forem respeitados:

  1. O Contrato Psicológico
  2. O Significado
  3. A Autonomia
  4. O Crescimento
  5. O Impacto
  6. A Conexão

 

  1. O Contrato Psicológico

Existem três contratos entre o empregador e o empregado.

O primeiro deles é o contrato da marca, todas as promessas implícitas que a sua marca faz às pessoas que estão expostas a ela. É a sua imagem pública. É aquilo que atrai as pessoas para iniciar um relacionamento e, quando respeitado, nos faz permanecer comprometidos com esse relacionamento iniciado.

O segundo contrato é o transacional, o acordo mutuamente aceito, recíproco e explícito entre as duas partes que define os termos básicos do relacionamento. São as normas acordadas, escritas no papel e assinada pelas partes. Quando esse contrato é respeitado nós nos sentimos satisfeitos com o relacionamento.

Já o contrato psicológico, terceiro contrato entre empregador e empregado, é o conjunto de expectativas e obrigações não escritas e implícitas que definem as trocas do relacionamento. É a segurança psicológica do relacionamento. Quando honrado, aí sim há o engajamento.

  1. O Significado

Quando há o sentimento de que o seu trabalho possui um propósito além da atividade em si, quando há alinhamento entre o propósito do profissional e o propósito da organização, há engajamento.

 

  1. A Autonomia

Quando há diretrizes e expectativas claras para o resultado do trabalho, mas também há a liberdade para o profissional escolher a forma que ele utilizará para alcançar aquele resultado, ou seja, quando há o poder de alterar a forma e o ambiente de trabalho, há engajamento.

Alerta: Não ao micro gerenciamento!

 

  1. O Crescimento

Profissionais de 18 a 28 anos preferem ficar em locais que oferecem possibilidades de desenvolvimento e crescimento, ao invés de em locais que pagam 20% mais.

Ser instigado e desafiado de formas que promovem um desenvolvimento tanto pessoal quanto profissional, gera engajamento.

 

  1. O Impacto

Já entre os profissionais entre 35 e 55 anos, é o impacto que está em primeiro lugar ao avaliar que propostas de trabalho aceitar.

Quando é possível ver resultados positivos e valiosos do trabalho realizado, há engajamento.

 

  1. A Conexão

O ser humano é um ser social, portanto, o poder das conexões sociais precisa ser considerado. Sentir que faz parte de algo maior gera engajamento.

 

Como esses seis (06) aspectos se inter-relacionam nos ambientes físico, cultural e tecnológico em todas as interações entre a organização e os seus colaboradores é a Employee Experience.

Que ambientes são esses? Isso é assunto para um próximo artigo!

 

 

leia tudo sobre

Publicidade

A Importância do Profissional Especializado na área da Segurança Alimentar

Por Márcia Catunda em Artigo

24 de Abril de 2019

Por Heloisa Oliveira – Coordenadora do curso de  Pós Graduação em Vigilância Sanitária

na indústria de Alimentos da Unicorp

oliveira.heloisa@hotmail.com

 

Nos dias atuais tem crescido o número de pessoas que fazem refeições principais em restaurantes, padarias, lanchonetes, delivery, bem como a aquisição de alimentos industrializados ou Pré-processados, para consumos rápidos.

Uma questão pode ser levantada em relação ao alto consumo de alimentos preparados ou adquiridos fora do lar, onde em outro tempo tinha a mãe que ficava preparando a alimentação do marido e dos filhos que estavam em suas atividades externas e voltariam para almoçar e jantar em casa .

Com toda essa mudança de cenário, houve crescimento no segmento de profissionais na área de segurança alimentar, em que nela se enquadram profissionais como nutricionistas, engenheiros de alimentos, tecnólogo de alimentos, biólogos, veterinários, administrados e gerente de estabelecimento de alimentos. Esses profissionais, que são nomeados responsável técnico, seja a nível comercial ou industrial, tem a obrigação de produzir alimentos seguros.

Mas até que ponto estamos nos alimentando com alimentos que não sejam causadores de doenças? Para isso hoje muitas empresas têm profissionais para garantir o preparo de alimento seguro, em relação à higiene principalmente, no intuito também de diminuir seus custos e aumentar aceitabilidade e posição no mercado.

Para isso o responsável técnico deste local com conhecimento nas normas dos órgãos fiscalizados e através de ferramentas de qualidade, tais como Manual de Boas Práticas e Procedimento Operacional Padronizado através deles pode-se monitorar esses processos. O objetivo maior destas ferramentas são: prevenir as principais causas das doenças transmitidas por alimentos, que são aquelas decorrentes de infecção e toxinas liberadas por microrganismos patogênicos, a contaminação decorre muitas vezes por manipulação ou alimento armazenado e acondicionado inadequadamente; resto de alimentos em ambiente úmido favorece a formação de biofilmes, que são aglomeração de microrganismo resistente a desinfecção.

A insegurança alimentar está ligada também ao binômio tempo X temperatura, umidade, higiene pessoal do manipulador, higiene das instalações e equipamentos, saúde e capacitação dos manipuladores, controle de pragas, todas essas questões devem ser controladas por um profissional capacitado e especializado na área de alimentos, podendo ser na área de gestão de unidade de alimentação ou vigilância sanitária.

É crescente a procura das empresas por esse tipo de profissional, ao sair da graduação os profissionais devem hoje procurar o mais rápido possível ter novas formações e conhecimento nessas áreas por aumentarem as chances de serem absorvidos no mercado, que por sua vez está muito competitivo e exigente. Observa-se que com a globalização essa normas e procedimentos se tornam universal, e a cada ano novas resoluções e exigências são aumentadas.

 

leia tudo sobre

Publicidade

Permita-se realizar seus sonhos

Por Márcia Catunda em Artigo

02 de Abril de 2019

O que fazer, quando a única coisa que temos são apenas sonhos?

Por Viviane Cavalcante – Analista de RH

É justamente, por este motivo que quero conversar com você, que está do outro lado da telinha. Sabemos que hoje está bem complicado de falar acerca de projetos, metas, e sonhos em especial quando encontra-se fora do mercado de trabalho, pois tudo envolve gastos. O que vejo hoje, são pessoas com currículos e com posturas profissionais invejáveis, e mesmo com tantos méritos encontram-se sem conseguir uma recolocação profissional.

Ao conversar com diversas pessoas, vejo que existem muitos sonhos, sonhos em fazer uma faculdade, em comprar sua casa própria, trocar de carro ou comprar um novo, fazer um curso, viajar, ou simplesmente poder dá o que seus filhos precisam! Só que tais sonhos estão barrados! Barrados pelo medo, pela incerteza, pela falta de dinheiro e pela angústia de não saber até quando e o que fazer para mudar tal situação.

Mesmo assim, diante de tantas tristezas, o ser humano tem algo que o move. Que são os sonhos, sonhos de ser um pai e uma mãe, extraordinários, ser um excelente filho, um profissional competente e melhor a cada dia, e tal motivação os fazem querer alçar novos sonhos, novas trajetórias e refazer novos caminhos.

Neste momento se permitem a criar e passam a descobrir novas competências e habilidades, aprendem que podemos nos reinventar quantos vezes forem necessárias. Decorrente descobrem novas versões de si mesmos. Coisas que você jamais imaginou em fazer, se permitiu fez e continuará a fazer com perfeição pelo fato de saber que existem pessoas que dependem de você e que é bom no que faz.

Percebeu que através de seus sonhos, de seus medos, de suas responsabilidades e de suas descobertas, um novo mundo se abre a você?
Percebeu que pode estar desempregado hoje, mas, as habilidades e pontos de mudanças começam em você? Pois, se redescobrir faz parte do mais alto nível de amadurecimento pessoal.

Observou que a questão de estar atualmente fora do mercado de trabalho formal(carteira assinada+todos os benefícios) não estar relacionado em ser um profissional incapaz?

Resta-me complementar que você é capaz de alcançar seus maiores sonhos sim!
A ponte que liga sua localização atual para, onde deseja chegar, depende apenas de sua garra, motivação e perseverança.

Não estou dizendo aqui que será fácil, este percurso de atravessar esta ponte. No entanto, somos responsáveis por conseguir o que almejamos.

Não sei quais suas ferramentas hoje, não sei sua situação de vida atual, mas consigo enxergar em você um vencedor!

Faça de si um ponto de inspiração, pode ter certeza existem muitas pessoas que precisam de seu exemplo, para começarem a mudança em si.
Permita-se ser espelho!
Permita-se ser inspiração!
Alguém, conta com você!
Permita-se se redescobrir!
Simplesmente, Permita-se!

leia tudo sobre

Publicidade

Mentiras no currículo podem fechar portas, adverte gestora do CIEE

Por Márcia Catunda em Artigo

31 de Março de 2019

Com o objetivo de alcançar a tão sonhada vaga de estágio, alguns jovens acabam decidindo ‘turbinar’ o currículo da maneira menos apropriada: acrescentando experiências e competências que na verdade não possuem. De acordo com especialistas, os candidatos costumam mentir principalmente nas informações referentes à formação acadêmica e conhecimento de idiomas.

“Esse tipo de conduta pode ser facilmente identificado pelos recrutadores, fazendo com que o candidato seja eliminado do processo seletivo. No caso da língua estrangeira, por exemplo, muitas empresas estão adotando testes rápidos que comprovem o nível de conhecimento em determinada língua”, disse a supervisora de Desenvolvimento Humano e Organizacional do CIEE, Juliana Malaquias.

No caso de cursos de formação complementar, é recomendado que o candidato descreva no currículo a instituição de ensino onde estudou, além do tempo de duração do curso. Para quem está iniciando na carreira e acredita que a falta de experiência profissional pode ser um empecilho, o principal conselho é investir em qualificação.

“Há muitos cursos oferecidos de maneira gratuita, presenciais ou a distância, como os conteúdos do CIEE Saber Virtual, que podem representar um diferencial no currículo de quem está começando. O engajamento com causas sociais e ações voluntárias também são bem vistos pelos recrutadores”, completou Juliana.

leia tudo sobre

Publicidade

Como Obter Sucesso Profissional

Por Márcia Catunda em Artigo

25 de Março de 2019

Professor Dr. José Bezerra da Silva Filho
Diretor-Acadêmico do Instituto de Capacitação Business School Brasil -BSBr

O primeiro ingrediente para você ser ter sucesso em sua carreira profissional é acreditar que isso é possível.

Deixe eu contar um pouco da minha história. Eu sou alagoano, nascido na Cidade Palmeira dos Índios – AL, dista 139,8 km da Capital Maceió. Meu pai era caminhoneiro e muito otimista. Ele falava para mim que tudo que eu quisesse conseguiria pelos estudos.

Eu tinha 17 anos e, em um dia de sábado, me acordei e fui para a Rua Graciliano Ramos, em Palmeira dos Índios-AL, para brincar com os meus amigos!

Quando cheguei na rua observei que o irmão do meu amigo estava lavando um carro – Um Chevette Azul, perguntei de quem era aquele carro? Ele respondeu: -É meu!

Confesso que fiquei surpreso, e perguntei como ele conseguiu comprar aquele carro. Ele falou: -Sou funcionário do Banco do Nordeste do Brasil (BNB). Eu indaguei o que era um banco e ele me explicou.

Imediatamente, eu falei que queria trabalhar no BNB e ele me falou que era muito difícil passar no concurso do Banco.

Perguntei para ele como era o concurso e o que eu deveria fazer para passar? Ele respondeu: O concurso tem quatro provas: datilografia, matemática, português e contabilidade, e você deve ser muito bom nessas disciplinas.

Eu Tomei uma Decisão

Quando meu pai chegou de viagem fui correndo falar para ele e disse que precisava fazer um curso de datilografia porque eu queria trabalhar no BNB. Imediatamente, meu pai me matriculou em curso de datilografia.

Eu Mudei de Atitude

Depois que decidi que iria fazer o concurso do BNB mudei de atitude. Na época, eu gostava muito de brincar e os meus estudos ficavam em segundo plano, para você ter uma ideia eu sentava no fundão da sala de aula e as minhas notas não eram muito boas, em média, 5, 6.

Na ocasião, eu estudava no Colégio Estadual Humberto Mendes, cheguei na sala de aula e falei: -Bem, agora irei estudar para ser o primeiro aluno da sala porque eu quero passar no concurso do BNB. E perguntei: -Quem se candidata a ser o primeiro lugar da classe? E, por sorte minha, se levantou o meu amigo Carlos Gomes, que já era um dos melhores alunos da sala de aula, e topou o desafio.

Eu Busquei uma Motivação

A partir daquela data passei a querer tirar notas melhores do que o Carlos Gomes.

Com a nova meta mudei de atitude. Primeiro, passei a sentar na primeira fileira da sala de aula. Essa decisão de sentar na frente me perseguiu em toda a minha vida acadêmica. Inclusive ainda hoje quando vou para um evento ou para a missa eu procuro sentar na primeira fila, quando é possível.

Também, mudei os meus hábitos, eu estudava pela manhã, quando chegava em casa ia almoçar depois costumava ir jogar sinuca ou bola com os amigos. A primeira decisão foi só vou brincar nos finais de semana. E passava a maior parte do tempo disponível estudando. Consequentemente, passei a tirar boas notas. Por conta disso, passei a ser convidado para dar aulas particulares aos meus colegas. Foi a partir daí que descobri a minha vocação para ser professor!

Sucesso é Preparação mais Oportunidade

Bem, eu já estava trabalhando na Rádio Educadora Sampaio, em Palmeira dos Índios, quando saiu o Edital do Concurso do BNB. A primeira prova foi de datilografia, e mais de 50% dos candidatos foram reprovados. As demais provas tinham algumas características: matemática, você era obrigado a deixar os cálculos das questões, na prova de português também tinha uma redação com no mínimo 50 linhas. A prova de contabilidade não era eliminatória, e sim classificatória.

Fui Aprovado no Concurso do BNB na Primeira Tentativa

Saiu o resultado do concurso do BNB e eu fui aprovado. Vale assinalar que infelizmente poucas pessoas da minha cidade passaram no concurso.

Lições Aprendidas

Um Chevette Azul fez com que eu acreditasse que era possível realizar um sonho de ter o meu próprio carro. Apenas ter um sonho não foi o suficiente para eu conseguir ser aprovado no concurso do BNB.

O verdadeiro responsável pelo meu sucesso foi a mudança de comportamento que foi alimentado pelo meu sonho. Portanto, sorte é quando a oportunidade aparece e você está preparado.

Pela minha experiência tenho observado que a melhor formar de você transformar um sonho em realidade é encará-lo como um projeto. Exatamente por isso, sugiro a você fazer um MBA de Gerenciamento de Projetos. A propósito, quero te apresentar o nosso MBA em Gerenciamento de Projetos da Business School Brasil – BSBr.

Este é o único MBA de Gerenciamento de Projetos com uma metodologia única de uma empresa consolidada com seis anos de experiência no mercado.

Autor

Prof. Dr. José Bezerra da Silva Filho. Entusiasta em Gerenciamento de Projetos. Doutor em Engenharia pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG e Universiy of Maryland at College Park (EUA) e Mestre em Ciência da Computação pela UFCG. Elaborou, implantou e coordenou um curso de Mestrado em Informática Aplicada. Já coordenou dezenas de turmas de cursos de MBA/Especialização. Trabalhou no Banco do Nordeste do Brasil por mais de três décadas. É autor de seis livros, sendo os últimos dois: Tecnologia da Informação e Comunicação para Gestores; e Na Trilha dos Lucros: Prática de Gestão para Tornar sua Empresa mais lucrativa. Coordena a 17ª Turma do MBA em Gerenciamento de Projetos do Instituto de Capacitação Business School Brasil – BSBr e o Treinamento de Preparação para as Certificações PMP e CAPM, que já está na sua 41ª Turma.

Contatos do autor

(85) 9.9921-1675

E-mail: Professor.Dr.Bezerra@BSBr.com.br

leia tudo sobre

Publicidade

O RH e a nova educação corporativa

Por Márcia Catunda em Artigo

07 de dezembro de 2018

Por Rebeca Zaupa-Consultora Associada da Gomes de Matos

 

A pesquisa Panorama do Treinamento no Brasil, edição 2017-2018, realizada pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento em conjunto com a Integração Escola de Negócios, com 738 empresas e 3.561 funcionários, revela que cada profissional de Treinamento e Desenvolvimento tem gerenciado, em média, 770 colaboradores.

E este número vem crescendo sistematicamente, ano a ano, tendo quase que dobrado a quantidade de colaboradores gerenciada em 2014.

A esses 770 colaboradores têm sido facilitadas 21 horas de treinamento por ano.

Isso significa que os profissionais de T&D – afinal tudo na área de Recursos Humanos se traduz em siglas – têm atuado de forma cada vez mais operacional e menos estratégica.

Como investir 0,63% do faturamento anual bruto em treinamentos de forma realmente estratégica, que realmente se traduza em aplicação prática e resultados superiores no dia a dia de trabalho?

A resposta pode estar em se afastar dos meios tradicionais de treinamento, em que todo o grupo de treinandos é chamado a participar de momentos presenciais no estilo sala de aula da educação básica, e passar a trabalhar com novas formas de ensino, como a educação por projetos e a microaprendizagem.

 

A EDUCAÇÃO POR PROJETOS

O ambiente profissional se centra no alcance de metas organizacionais e resolução dos problemas que impedem o atingimento desses resultados. Mesmo os trabalhadores mais operacionais precisam estar atentos aos problemas que podem atrapalhá-los na execução de suas atividades e devem, portanto, buscar alternativas para solucionar esses problemas.

Ainda assim, quando falamos em educação corporativa, nós, na grande maioria das vezes, colocamos adultos sentados durante horas em sala de aula ouvindo as explanações dialogadas de uma outra pessoa.  Seria de se esperar mais do que os 12% médios de absenteísmo nas ações de desenvolvimento.

Por que não centrar o aprendizado também na busca pela solução de problemas? Essa é a proposta da educação – ou pedagogia – por projetos, onde o objetivo é a construção dos conhecimentos em torno de metas previamente estabelecidas, de forma coletiva, entre treinandos e treinadores.

Aos treinandos é proposto um desafio, um problema a solucionar e são eles quem decidem por onde começar a pesquisar, o que começar a aprender primeiro para desvendar esse mistério. Ao treinador cabe o papel de orientador, de facilitador, de mediador.

A MICROAPRENDIZAGEM

Os treinamentos no formato presencial caíram 11% e no formato EAD/ e-learning aumentaram 9% comparando 2017 com 2016. 16% das 738 empresas pesquisadas usam o e-learning ou o ensino à distância para treinar seus funcionários e 9% utilizam o sistema blended ou misto, em que são utilizadas técnicas presenciais e à distância.

Uma das estratégias equivocadas que se utiliza quando se fala sobre EAD/e-learning é, simplesmente, a gravação do conteúdo tal qual ele estivesse sendo ministrado de forma presencial.

Hoje, com a quantidade de conteúdos disponíveis em plataformas como o Youtube, por exemplo, e com a facilidade em acessar diversas informações em pouco tempo, é preciso pensar em novas estratégias, como, por exemplo, a microaprendizagem.

Microaprendizagem é uma forma de transmissão de conteúdos focados em informações específicas com não mais do que 03 a 07 minutos de duração.

Com essa metodologia é possível tornar o processo de aprendizagem corporativo mais rápido e acessível, com menos evasão e taxa de desistência, mais rápido e fácil de atualizar e com possibilidade de aplicações ainda mais amplas.

 

Que tal pensar as suas próximas estratégias de educação corporativa baseando-se na educação por projetos com o apoio da microaprendizagem que pode ser, inclusive, gamificada?

 

Referências:

https://www.integracao.com.br/pesquisa-panorama-do-treinamento-no-brasil-2017.pdf

https://www.skillbuilderlms.com/br/10-reasons-adopt-microlearning-online-training/

 

leia tudo sobre

Publicidade

Planejamento continua sendo uma boa estratégia de sucesso

Por Márcia Catunda em Artigo

05 de dezembro de 2018

Por  Simone Lima- Psicóloga e Orientadora Vocacional 

Eu sei que é clichê mas o óbvio também precisa ser dito.

Final de ano é considerado um momento chave para planejar sua carreira. Novos ciclos de oportunidades se formam. Para quem já passou pelo processo de escolha profissional e está na faculdade, a hora é propícia para mapear o caminho, definir estratégias que o ajudarão a tornar-se o profissional desejado.
Quais atividades extras precisa fazer, conhecer os professores disponíveis para a grade de disciplinas obrigatórias, buscar desenvolver competências pessoais imprescindíveis para o exercício da profissão, entrar num curso de línguas ou quem sabe aprender sobre oratória. Já para aqueles que estão no mercado de trabalho, o momento é bom para avaliar os resultados até aqui, olhar para si e compreender o nível de satisfação com o que foi alcançado.
Revisar seu planejamento, ‘afiar o machado’ ou fazer alterações estratégicas se necessário e consultar a viabilidade de buscar mais aprendizado na sua expertise; no mundo globalizado uma experiência no estrangeiro pode ser de grande valor. É no início do ano que geralmente as instituições de ensino ofertam as vagas em cursos de pós graduação nos seus diversos níveis. Depois do primeiro trimestre do ano é bem mais difícil ser aceito nas turmas, não só por falta de vagas mas pelo avanço do conteúdo.
Lembre-se de fazer a projeção de seus rendimentos e de seu tempo, pois sem recursos financeiros e disponibilidade de tempo fica difícil realizar alguns empreendimentos pessoais. Invista em autoconhecimento, pois de nada adianta planejar uma vida para alguém que não se conhece. Busque fazer sua agenda dividindo as atividades no nível pessoal e profissional. Trabalhe, desenvolva sua carreira e se dedique a seus afetos, de nada adianta o sucesso sem alguém pra compartilhar.

leia tudo sobre

Publicidade

Planejamento continua sendo uma boa estratégia de sucesso

Por Márcia Catunda em Artigo

05 de dezembro de 2018

Por  Simone Lima- Psicóloga e Orientadora Vocacional 

Eu sei que é clichê mas o óbvio também precisa ser dito.

Final de ano é considerado um momento chave para planejar sua carreira. Novos ciclos de oportunidades se formam. Para quem já passou pelo processo de escolha profissional e está na faculdade, a hora é propícia para mapear o caminho, definir estratégias que o ajudarão a tornar-se o profissional desejado.
Quais atividades extras precisa fazer, conhecer os professores disponíveis para a grade de disciplinas obrigatórias, buscar desenvolver competências pessoais imprescindíveis para o exercício da profissão, entrar num curso de línguas ou quem sabe aprender sobre oratória. Já para aqueles que estão no mercado de trabalho, o momento é bom para avaliar os resultados até aqui, olhar para si e compreender o nível de satisfação com o que foi alcançado.
Revisar seu planejamento, ‘afiar o machado’ ou fazer alterações estratégicas se necessário e consultar a viabilidade de buscar mais aprendizado na sua expertise; no mundo globalizado uma experiência no estrangeiro pode ser de grande valor. É no início do ano que geralmente as instituições de ensino ofertam as vagas em cursos de pós graduação nos seus diversos níveis. Depois do primeiro trimestre do ano é bem mais difícil ser aceito nas turmas, não só por falta de vagas mas pelo avanço do conteúdo.
Lembre-se de fazer a projeção de seus rendimentos e de seu tempo, pois sem recursos financeiros e disponibilidade de tempo fica difícil realizar alguns empreendimentos pessoais. Invista em autoconhecimento, pois de nada adianta planejar uma vida para alguém que não se conhece. Busque fazer sua agenda dividindo as atividades no nível pessoal e profissional. Trabalhe, desenvolva sua carreira e se dedique a seus afetos, de nada adianta o sucesso sem alguém pra compartilhar.