Inoportuno e sem noção - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Inoportuno e sem noção

Por Wanfil em Política

19 de Abril de 2013

Meu comentário na rádio Tribuna BandNews FM – 101.7, sobre as críticas feitas por Cid e Ciro Gomes ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos, chamado de “inoportuno” e “sem noção”, mas que terminaram por atingir, indiretamente, a presidente Dilma.

Ouça o áudio:

[haiku url=”http://tribunadoceara.com.br/blogs/wanderley-filho/files/2013/04/POLÍTICA-WANDERLEY-1904.mp3″]


Confira a transcrição:

Enquanto esperam pelas as verbas prometidas para o combate à seca, além da obras da transposição do Rio São Francisco e refinaria da Petrobras no Ceará, o governador Cid Gomes e seu irmão Ciro trabalham contra a pretensão do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, de sair candidato à Presidência da República em 2014 pelo Partido Socialista Brasileiro.

Assim, Ciro veio à público na última terça-feira (16) dizer que fará uma discussão interna no PSB para mostrar que o projeto de Campos seria inoportuno. Além disso, procurando adornar o bolo das críticas com um glacê ideológico, Ciro disse ainda que o pernambucano tem adotado um discurso mais à direita quando o assunto é economia.

No dia seguinte, segundo o jornal Folha de São Paulo, foi a vez de Cid Gomes afirmar que Eduardo Campos estaria “perdendo a noção”, por defender a alta de juros como remédio contra a inflação.

“Quem defende elevação de taxa de juro é banqueiro. Ele está encantado pela direita”, disparou Cid.

É nesse exato ponto que a declaração se mostra… inoportuna e sem noção!

Inoportuna porque atinge o próprio governo da aliada Dilma, uma vez que os juros foram elevados no mesmo dia, interrompendo uma sequência de queda. Das duas, uma: ou o governo Dilma cedeu ao receituário que, na opinião de Ciro, é de direita, para assim favorecer banqueiros, ou então o socialista Eduardo Campos tinha razão ao recomendar juros um pouco mais altos.

E é sem noção porque reforça o erro de atrelar a política de juros à vontade do governo, quando o correto é mostrar que o Banco Central age com autonomia operacional para atingir as metas estipuladas pelo próprio governo. A tentação de ganhar popularidade com a queda dos juros agora pode se transformar em fonte de insatisfação com a alta deles…

Ciro e Cid têm todo o direito, enquanto lideranças regionais no PSB, de criticar Eduardo Campos e de cerrar fileiras para buscar a reeleição da presidente Dilma. Só precisam ter mais cuidado nos argumentos que usam, enquanto continuam a esperar pelas obras prometidas pela candidata petista nas eleições passadas.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

Inoportuno e sem noção

Por Wanfil em Política

19 de Abril de 2013

Meu comentário na rádio Tribuna BandNews FM – 101.7, sobre as críticas feitas por Cid e Ciro Gomes ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos, chamado de “inoportuno” e “sem noção”, mas que terminaram por atingir, indiretamente, a presidente Dilma.

Ouça o áudio:

[haiku url=”http://tribunadoceara.com.br/blogs/wanderley-filho/files/2013/04/POLÍTICA-WANDERLEY-1904.mp3″]


Confira a transcrição:

Enquanto esperam pelas as verbas prometidas para o combate à seca, além da obras da transposição do Rio São Francisco e refinaria da Petrobras no Ceará, o governador Cid Gomes e seu irmão Ciro trabalham contra a pretensão do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, de sair candidato à Presidência da República em 2014 pelo Partido Socialista Brasileiro.

Assim, Ciro veio à público na última terça-feira (16) dizer que fará uma discussão interna no PSB para mostrar que o projeto de Campos seria inoportuno. Além disso, procurando adornar o bolo das críticas com um glacê ideológico, Ciro disse ainda que o pernambucano tem adotado um discurso mais à direita quando o assunto é economia.

No dia seguinte, segundo o jornal Folha de São Paulo, foi a vez de Cid Gomes afirmar que Eduardo Campos estaria “perdendo a noção”, por defender a alta de juros como remédio contra a inflação.

“Quem defende elevação de taxa de juro é banqueiro. Ele está encantado pela direita”, disparou Cid.

É nesse exato ponto que a declaração se mostra… inoportuna e sem noção!

Inoportuna porque atinge o próprio governo da aliada Dilma, uma vez que os juros foram elevados no mesmo dia, interrompendo uma sequência de queda. Das duas, uma: ou o governo Dilma cedeu ao receituário que, na opinião de Ciro, é de direita, para assim favorecer banqueiros, ou então o socialista Eduardo Campos tinha razão ao recomendar juros um pouco mais altos.

E é sem noção porque reforça o erro de atrelar a política de juros à vontade do governo, quando o correto é mostrar que o Banco Central age com autonomia operacional para atingir as metas estipuladas pelo próprio governo. A tentação de ganhar popularidade com a queda dos juros agora pode se transformar em fonte de insatisfação com a alta deles…

Ciro e Cid têm todo o direito, enquanto lideranças regionais no PSB, de criticar Eduardo Campos e de cerrar fileiras para buscar a reeleição da presidente Dilma. Só precisam ter mais cuidado nos argumentos que usam, enquanto continuam a esperar pelas obras prometidas pela candidata petista nas eleições passadas.