caviar Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

caviar

Cid Gomes e o socialismo caviar do PSB cearense

Por Wanfil em Ceará, Ideologia

14 de agosto de 2013

Durante alguns anos guardei alguma desconfiança sobre a adesão de Cid e Ciro Gomes à social democracia e depois ao socialismo. Seria convicção ou conveniência? Mas nada como a prova do tempo para esclarecer certas dúvidas. Hoje tenho certeza absoluta que se trata dos mais genuíno socialismo, não apenas como ideal utópico, mas como prática experimentada na vida cotidiana.

Não há líder socialista no mundo que, uma vez no poder, ao mesmo tempo em que critica a burguesia e os capitalistas e jura fidelidade aos pobres, adere sem crise de consciência aos hábitos de consumo e ao estilo de vida dessas mesmas elites.

Mansões, joias, carros de luxo, viagens em jatos, hotéis caríssimos, roupas de marca, entre outros mimos, estão na lista dos desejos que invariavelmente, excetuando-se talvez o atual presidente do Uruguai, faz a alegria desses combatentes da exclusão e da desigualdade social.

Assim, não há surpresa em saber que o Governo do Estado do Ceará firmou contrato de um ano com um buffet, ao custo de quase três milhões e meio de reais, para despesas com comidas para festas e solenidades, o que equivale a aproximadamente R$ 10 mil reais por dia.

Muito provavelmente o governador não acompanha essas miudezas, mas é evidente que quem autoriza esses contratos respeita uma concepção de poder. O gabinete do governador pode até dispor dos devidos meios para promover eventos requintados, tudo dentro da lei, no entanto, são gastos que chocam pelos contrastes que suscitam: o Estado que banca jantares refinados, festas suntuosas, viagens turísticas e shows milionários é o mesmo onde a penúria e a necessidade extrema castigam as vítimas da seca.

Ser perdulário com o dinheiro alheio não é pensar grande, como imaginam os nossos governantes, é sinal de miudeza, de deslumbre que encobre um mal disfarçado complexo de inferioridade. Esse estado psicológico, bem como a prática de ceder aos encantos do consumo de bens e serviços de alto padrão e valor às custas de terceiros foi maravilhosamente demonstrado por George Orwell em A Revolução dos Bichos, quando os porcos lideram uma revolta contra os humanos, para depois tomar-lhes o lugar na sede da fazenda, deixando os companheiros do passado na pobreza de sempre.

No campo dos simbolismos ideológicos, portanto, o governo socialista que hoje comanda o Ceará, ao esbanjar verbas oficiais com caviar e camarão, iguarias típicas das aspiração mais aristocráticas, confirma a sua natureza, com a peculiaridade de que, no ideário igualitarista do PSB cearense, o progressismo começa pela cozinha.

O apóstolo São Paulo ensinou: “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém”. A lição deveria servir também para gestores do dinheiro público.

Publicidade

Cid Gomes e o socialismo caviar do PSB cearense

Por Wanfil em Ceará, Ideologia

14 de agosto de 2013

Durante alguns anos guardei alguma desconfiança sobre a adesão de Cid e Ciro Gomes à social democracia e depois ao socialismo. Seria convicção ou conveniência? Mas nada como a prova do tempo para esclarecer certas dúvidas. Hoje tenho certeza absoluta que se trata dos mais genuíno socialismo, não apenas como ideal utópico, mas como prática experimentada na vida cotidiana.

Não há líder socialista no mundo que, uma vez no poder, ao mesmo tempo em que critica a burguesia e os capitalistas e jura fidelidade aos pobres, adere sem crise de consciência aos hábitos de consumo e ao estilo de vida dessas mesmas elites.

Mansões, joias, carros de luxo, viagens em jatos, hotéis caríssimos, roupas de marca, entre outros mimos, estão na lista dos desejos que invariavelmente, excetuando-se talvez o atual presidente do Uruguai, faz a alegria desses combatentes da exclusão e da desigualdade social.

Assim, não há surpresa em saber que o Governo do Estado do Ceará firmou contrato de um ano com um buffet, ao custo de quase três milhões e meio de reais, para despesas com comidas para festas e solenidades, o que equivale a aproximadamente R$ 10 mil reais por dia.

Muito provavelmente o governador não acompanha essas miudezas, mas é evidente que quem autoriza esses contratos respeita uma concepção de poder. O gabinete do governador pode até dispor dos devidos meios para promover eventos requintados, tudo dentro da lei, no entanto, são gastos que chocam pelos contrastes que suscitam: o Estado que banca jantares refinados, festas suntuosas, viagens turísticas e shows milionários é o mesmo onde a penúria e a necessidade extrema castigam as vítimas da seca.

Ser perdulário com o dinheiro alheio não é pensar grande, como imaginam os nossos governantes, é sinal de miudeza, de deslumbre que encobre um mal disfarçado complexo de inferioridade. Esse estado psicológico, bem como a prática de ceder aos encantos do consumo de bens e serviços de alto padrão e valor às custas de terceiros foi maravilhosamente demonstrado por George Orwell em A Revolução dos Bichos, quando os porcos lideram uma revolta contra os humanos, para depois tomar-lhes o lugar na sede da fazenda, deixando os companheiros do passado na pobreza de sempre.

No campo dos simbolismos ideológicos, portanto, o governo socialista que hoje comanda o Ceará, ao esbanjar verbas oficiais com caviar e camarão, iguarias típicas das aspiração mais aristocráticas, confirma a sua natureza, com a peculiaridade de que, no ideário igualitarista do PSB cearense, o progressismo começa pela cozinha.

O apóstolo São Paulo ensinou: “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém”. A lição deveria servir também para gestores do dinheiro público.