vergonha Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

vergonha

Acabou agosto, mas não o desgosto

Por Wanfil em Ceará, Política

02 de setembro de 2013

Dizem que agosto é o mês do desgosto. Pode ser injustiça, superstição, não sei. O fato é que agosto de 2013 foi especialmente negativo quando o assunto é política, particularmente para o governador do Ceará, Cid Gomes, para o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e principalmente para o cidadão, coitado, que sempre arca com os prejuízos.

De memória, cito alguns casos que marcaram o mês.

Acquário Ceará – as obras, tocadas pela Secretaria de Turismo do Ceará foram paralisadas devido a suspeitas de irregularidades na licitação, entre as quais, a de direcionamento do contrato para uma empresa norte-americana;

Convênios da Sesporte – O Ministério Público de Contas denunciou a Secretaria de Esportes do Estado por causa de convênios com empresas fantasmas, algo semelhante com o que ocorreu no famigerado “escândalo dos banheiros”;

Socialismo caviar (buffet de luxo) – A revelação de gastos milionários com quitutes refinados para eventos do governo estadual mediante contratação de um buffet de luxo desgastou nacionalmente a imagem da gestão;

Helicópteros sem licitação – Suspeitas levantada pela imprensa sobre a compra de helicópteros para a Secretaria da Ciência e Tecnologia sem licitação foi outro motivo de dor de cabeça para Cid Gomes;

Blitz no Detran – O Ministério Público estadual acusa o Detran de fraudar contratos com empresas prestadoras de serviços;

No Facebook – Em sua conta no Facebook, o governador cometeu duas, digamos assim, gafes: 1) anunciou o sorteio para um show da cantora Beyoncé, enquanto a população sofre com o descontrole da criminalidade; 2) postou foto em que parece cometer flagrante falta de trânsito. Os casos acabaram servindo de combustível nas redes para críticas ao estilo pessoal do gestor, quando não viraram motivo de chacota;

A novela do Parque do Cocó – A Prefeitura de Fortaleza viu agosto passar sem conseguir resolver o impasse do Parque Cocó. Foram quatro semanas perdidas, consolidado a confusão jurídica e falta de autoridade como características negativas neste início da gestão do prefeito Roberto Cláudio;

Maus exemplos – O secretário da Educação do município, Ivo Gomes, ainda atrapalhou ao se expor em brigas pela internet, com uso de palavrões – recurso amplamente utilizado em debates na Assembleia Legislativa e na Câmara de Fortaleza nos últimos 30 dias;

Patrocínio da impunidade – Como se não bastasse, o povo testemunhou os desavergonhados arquivamentos dos pedidos de cassação do vereador Leonelzinho Alencar, em Fortaleza, e do deputado federal Natan Donadon, em Brasília, com direito a ausência de sete parlamentares do Ceará na votação.

Em defesa do calendário

Em defesa do mês de agosto, diga-se que é muita corrupção e impunidade para se distribuir pelo calendário do ano. Nesse caso, o desgosto não se limita a um único mês. As datas, afinal, são meras convenções que existem independente das deliberações humanas.

Publicidade

Sobre acusações de espionagem: senhores, parem de nos envergonhar!

Por Wanfil em Política

11 de Abril de 2013

O petista Eudes Xavier usou a tribuna da Câmara dos Deputados para acusar o governador Cid Gomes, do PSB, de espionagem contra o ex-prefeito de Maracanaú Roberto Pessoa, do PR. Cid Gomes, por sua vez, usou a tribuna da Assembleia Legislativa para dizer que Eudes Xavier agia a mando da ex-prefeita Luizianne Lins, também do PT.

Voltando à Brasília, o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho, em defesa do correligionário Roberto Pessoa, usa a tribuna da Câmara dos Deputados para dizer que solicitará ao Ministério Público a quebra do sigilo telefônico e telemático das autoridades envolvidas. Em resposta, o governador Cid Gomes e o deputado federal Antônio Balhmann entrega uma representação do PSB ao presidente da Câmara dos Deputados pedindo a cassação de Eudes Xavier por quebra de decoro.

A irrelevância que nos salva de um vexame ainda maior

E o que é tudo isso? É o exercício da política na base da troca de acusações constrangedoras e da fofoca irresponsável. A rigor, não existem investigações conclusivas sobre o caso. Portanto, ninguém sabe quem tem razão. Mas é certo que toda essa turma estará reunida no palanque de Dilma em 2014. E como se não bastasse a confusão, nossos representantes levam o ridículo espetáculo ao plano nacional. Que vexame.

A nossa sorte é que atualmente ninguém no Brasil dá bola para os políticos cearenses. Houve um tempo em que o governo cearense conseguia emplacar dois ou três ministros em áreas importantes, presidentes no BNB e nas principais agências de desenvolvimento, mas agora temos somente um ex-prefeito de Sobral comandando a Secretaria Nacional dos Portos, ofertado como prêmio de consolação devido aos bons serviços prestados ao governo federal.

Se Dilma hoje faz afagos a Cid Gomes, é somente com o intuito de atingir a candidatura presidencial de Eduardo Campos, governador de Pernambuco. Nesse filme, o cearense é coadjuvante. E nem assim a presidente faz muito, somente as promessas de sempre. Inaugurar grandes obras estruturantes que é bom, isso nunca acontece.

Do Ceará importam apenas a grande votação que pode ser obtida diretamente com a exploração do Bolsa Família, dispensando a intermediação dos políticos locais. Sem peso e sem capacidade de mobilização, sem opositores externos e sem ambições maiores, a base governista estadual termina disputando entre si para ver quem tem mais espaço em seu quinhão de poder, protagonizando episódios lamentáveis como esse das acusações de espionagem, entre outros. É nesse ambiente de irrelevâncias e de mesquinharias que nossos líderes projetam o Ceará nos dias que correm.

O Ceará, que já foi modelo de políticas públicas que inspiraram, por exemplo, a Lei de Responsabilidade Fiscal, agora se notabiliza como exemplo negativo de picuinhas e trapalhadas. Que vergonha.

Publicidade

Sobre acusações de espionagem: senhores, parem de nos envergonhar!

Por Wanfil em Política

11 de Abril de 2013

O petista Eudes Xavier usou a tribuna da Câmara dos Deputados para acusar o governador Cid Gomes, do PSB, de espionagem contra o ex-prefeito de Maracanaú Roberto Pessoa, do PR. Cid Gomes, por sua vez, usou a tribuna da Assembleia Legislativa para dizer que Eudes Xavier agia a mando da ex-prefeita Luizianne Lins, também do PT.

Voltando à Brasília, o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho, em defesa do correligionário Roberto Pessoa, usa a tribuna da Câmara dos Deputados para dizer que solicitará ao Ministério Público a quebra do sigilo telefônico e telemático das autoridades envolvidas. Em resposta, o governador Cid Gomes e o deputado federal Antônio Balhmann entrega uma representação do PSB ao presidente da Câmara dos Deputados pedindo a cassação de Eudes Xavier por quebra de decoro.

A irrelevância que nos salva de um vexame ainda maior

E o que é tudo isso? É o exercício da política na base da troca de acusações constrangedoras e da fofoca irresponsável. A rigor, não existem investigações conclusivas sobre o caso. Portanto, ninguém sabe quem tem razão. Mas é certo que toda essa turma estará reunida no palanque de Dilma em 2014. E como se não bastasse a confusão, nossos representantes levam o ridículo espetáculo ao plano nacional. Que vexame.

A nossa sorte é que atualmente ninguém no Brasil dá bola para os políticos cearenses. Houve um tempo em que o governo cearense conseguia emplacar dois ou três ministros em áreas importantes, presidentes no BNB e nas principais agências de desenvolvimento, mas agora temos somente um ex-prefeito de Sobral comandando a Secretaria Nacional dos Portos, ofertado como prêmio de consolação devido aos bons serviços prestados ao governo federal.

Se Dilma hoje faz afagos a Cid Gomes, é somente com o intuito de atingir a candidatura presidencial de Eduardo Campos, governador de Pernambuco. Nesse filme, o cearense é coadjuvante. E nem assim a presidente faz muito, somente as promessas de sempre. Inaugurar grandes obras estruturantes que é bom, isso nunca acontece.

Do Ceará importam apenas a grande votação que pode ser obtida diretamente com a exploração do Bolsa Família, dispensando a intermediação dos políticos locais. Sem peso e sem capacidade de mobilização, sem opositores externos e sem ambições maiores, a base governista estadual termina disputando entre si para ver quem tem mais espaço em seu quinhão de poder, protagonizando episódios lamentáveis como esse das acusações de espionagem, entre outros. É nesse ambiente de irrelevâncias e de mesquinharias que nossos líderes projetam o Ceará nos dias que correm.

O Ceará, que já foi modelo de políticas públicas que inspiraram, por exemplo, a Lei de Responsabilidade Fiscal, agora se notabiliza como exemplo negativo de picuinhas e trapalhadas. Que vergonha.