Ex-repórter de TV abandonou o jornalismo para fazer bolos por encomenda


Ex-repórter de TV abandonou o jornalismo para fazer bolos por encomenda

Gisleine Carneiro trabalhou por 10 anos na TV Verdes Mares, afiliada da TV Globo no Ceará, e deixou a profissão para fazer bolos “fofinhos”

Por Ana Beatriz Leite em Check- In

26 de janeiro de 2016 às 06:00

Há 3 anos
Os bolos da Gis, os "fofinhos", são feitos artesanalmente pela boleira, que recebe pedidos pelo WhatsApp (FOTO: Arquivo pessoal)

Os bolos da Gis, os “fofinhos”, são feitos artesanalmente pela boleira, que recebe pedidos pelo WhatsApp (FOTO: Arquivo pessoal)

Gisleine Carneiro trabalhou por cerca de 10 anos na TV Verdes Mares, afiliada da TV Globo no Ceará na qual viveu seu grande sonho: ser repórter de televisão. Em outubro de 2015, porém, decidiu abandonar o microfone e vestir o avental.

À frente do Bem Feito da Gis, ela não é mais reconhecida na rua como aquela repórter de TV, mas sim por seus bolos “fofinhos”.

De repórter de TV a boleira

Hoje, Gis é boleira e apaixonada por seu ofício. Mas o hábito de fazer bolos veio de uma paixão ainda maior e mais antiga, a de comer bolos.

“Eu sempre gostei de fazer bolo, porque eu gostava de comer bolo bom. Quando eu chegava em aniversário eu nem olhava para os docinhos, só queria saber do bolo. Eu sempre era a primeira a provar e tinha o hábito de perguntar de onde era e ir atrás das receitas”, conta.

O hábito de cozinhar virou mais frequente após o nascimento de seu filho, há três anos e meio, quando aderiu à moda de comemorar os “mesversários”. Com o sucesso dos bolos que fazia para as festas do filho, Gis começou a fazer bolos para os amigos e, com o tempo e o aumento nos pedidos, a cobrar pelo serviço.

“Comecei a vender devagarzinho, só que quando eu vi já estava uma proporção muto grande. Tinha seis, sete bolos por dia e, ao mesmo tempo, tive que voltar ao jornalismo porque acabou a licença maternidade”, relembra.

Após um tempo afastada da cozinha, devido ao trabalho na TV, tomou a decisão de abandonar o jornalismo de vez. A ideia era dar pausa de, pelo menos, um mês antes de retomar o trabalho como boleira, para planejar a transição. Porém, a notícia se espalhou rápido. “Quando as pessoas descobriram que eu ia voltar a fazer bolo já vieram pedir, eu não tive tempo sequer de me preparar para fazer compras. No primeiro final de semana, lembro que a gente ainda nem tinha serviço de entrega e eu coloquei a família toda para entregar bolo”.

Safadão é fã

Os bolos da Gis, os “fofinhos”, logo ficaram conhecidos através da publicidade boca-a-boca e das redes sociais, ainda mais após ter conquistado como cliente fiel o cantor Wesley Safadão.

“Eu acabei conhecendo o Wesley e descobri que ele adorava bolo. E quando ele divulgou o bolo, os fãs dele ficaram tudo querendo provar, então tem fã do Wesley que vem de Manaus, do Pará, da Itália, e eles encomendam e a gente deixa nos hotéis”.

Todos os bolos são feitos em casa, em processo artesanal, e a boleira faz questão de atender cada um de seus clientes. “É uma loucura, eu não paro. Não existe essa história de que eu saí da televisão para trabalhar menos, eu estou trabalhando muito mais”, revela. O trabalho árduo, porém, é recompensado e a boleira afirma ter se realizado tanto pessoalmente quanto financeiramente após deixar o jornalismo.

O Bem Feito da Gis recebe os pedidos através do WhatsApp e telefone, e os preços variam entre R$ 49 e R$ 400, dependendo do tamanho e da elaboração do bolo. O bolo fit, um dos maiores sucessos da Gis, desenvolvido para quem não quer sair da dieta, por exemplo, custa R$ 49, enquanto o “fofinho” mais vendido, que serve cerca de dez pessoas, custa R$ 75.

Serviço
Bem Feito da Gis: Instagram
WhatsApp/pedidos: (85) 9.8879.1197

BEM FEITO DA GIS
1/6

BEM FEITO DA GIS

Wesley Safadão e a Coleguinha Simone são fãs dos “fofinhos” (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
2/6

BEM FEITO DA GIS

Os “fofinhos” da Gis são feitos em casa, em processo artesanal (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
3/6

BEM FEITO DA GIS

O bolo fit, feito com banana, aveia, óleo de coco e cacau, é um dos mais pedidos e custa R$ 49 (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
4/6

BEM FEITO DA GIS

Os bolos custam entre R$ 49 e R$ 400, de acordo com o tamanho e a elaboração. O orçamento é feito pelo WhatsApp (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
5/6

BEM FEITO DA GIS

Os pedidos são recebidos através do WhatsApp (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
6/6

BEM FEITO DA GIS

Os “fofinhos” da Gis são feitos em casa, em processo artesanal (FOTO: Reprodução/Instagram)

Publicidade

Dê sua opinião

Ex-repórter de TV abandonou o jornalismo para fazer bolos por encomenda

Gisleine Carneiro trabalhou por 10 anos na TV Verdes Mares, afiliada da TV Globo no Ceará, e deixou a profissão para fazer bolos “fofinhos”

Por Ana Beatriz Leite em Check- In

26 de janeiro de 2016 às 06:00

Há 3 anos
Os bolos da Gis, os "fofinhos", são feitos artesanalmente pela boleira, que recebe pedidos pelo WhatsApp (FOTO: Arquivo pessoal)

Os bolos da Gis, os “fofinhos”, são feitos artesanalmente pela boleira, que recebe pedidos pelo WhatsApp (FOTO: Arquivo pessoal)

Gisleine Carneiro trabalhou por cerca de 10 anos na TV Verdes Mares, afiliada da TV Globo no Ceará na qual viveu seu grande sonho: ser repórter de televisão. Em outubro de 2015, porém, decidiu abandonar o microfone e vestir o avental.

À frente do Bem Feito da Gis, ela não é mais reconhecida na rua como aquela repórter de TV, mas sim por seus bolos “fofinhos”.

De repórter de TV a boleira

Hoje, Gis é boleira e apaixonada por seu ofício. Mas o hábito de fazer bolos veio de uma paixão ainda maior e mais antiga, a de comer bolos.

“Eu sempre gostei de fazer bolo, porque eu gostava de comer bolo bom. Quando eu chegava em aniversário eu nem olhava para os docinhos, só queria saber do bolo. Eu sempre era a primeira a provar e tinha o hábito de perguntar de onde era e ir atrás das receitas”, conta.

O hábito de cozinhar virou mais frequente após o nascimento de seu filho, há três anos e meio, quando aderiu à moda de comemorar os “mesversários”. Com o sucesso dos bolos que fazia para as festas do filho, Gis começou a fazer bolos para os amigos e, com o tempo e o aumento nos pedidos, a cobrar pelo serviço.

“Comecei a vender devagarzinho, só que quando eu vi já estava uma proporção muto grande. Tinha seis, sete bolos por dia e, ao mesmo tempo, tive que voltar ao jornalismo porque acabou a licença maternidade”, relembra.

Após um tempo afastada da cozinha, devido ao trabalho na TV, tomou a decisão de abandonar o jornalismo de vez. A ideia era dar pausa de, pelo menos, um mês antes de retomar o trabalho como boleira, para planejar a transição. Porém, a notícia se espalhou rápido. “Quando as pessoas descobriram que eu ia voltar a fazer bolo já vieram pedir, eu não tive tempo sequer de me preparar para fazer compras. No primeiro final de semana, lembro que a gente ainda nem tinha serviço de entrega e eu coloquei a família toda para entregar bolo”.

Safadão é fã

Os bolos da Gis, os “fofinhos”, logo ficaram conhecidos através da publicidade boca-a-boca e das redes sociais, ainda mais após ter conquistado como cliente fiel o cantor Wesley Safadão.

“Eu acabei conhecendo o Wesley e descobri que ele adorava bolo. E quando ele divulgou o bolo, os fãs dele ficaram tudo querendo provar, então tem fã do Wesley que vem de Manaus, do Pará, da Itália, e eles encomendam e a gente deixa nos hotéis”.

Todos os bolos são feitos em casa, em processo artesanal, e a boleira faz questão de atender cada um de seus clientes. “É uma loucura, eu não paro. Não existe essa história de que eu saí da televisão para trabalhar menos, eu estou trabalhando muito mais”, revela. O trabalho árduo, porém, é recompensado e a boleira afirma ter se realizado tanto pessoalmente quanto financeiramente após deixar o jornalismo.

O Bem Feito da Gis recebe os pedidos através do WhatsApp e telefone, e os preços variam entre R$ 49 e R$ 400, dependendo do tamanho e da elaboração do bolo. O bolo fit, um dos maiores sucessos da Gis, desenvolvido para quem não quer sair da dieta, por exemplo, custa R$ 49, enquanto o “fofinho” mais vendido, que serve cerca de dez pessoas, custa R$ 75.

Serviço
Bem Feito da Gis: Instagram
WhatsApp/pedidos: (85) 9.8879.1197

BEM FEITO DA GIS
1/6

BEM FEITO DA GIS

Wesley Safadão e a Coleguinha Simone são fãs dos “fofinhos” (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
2/6

BEM FEITO DA GIS

Os “fofinhos” da Gis são feitos em casa, em processo artesanal (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
3/6

BEM FEITO DA GIS

O bolo fit, feito com banana, aveia, óleo de coco e cacau, é um dos mais pedidos e custa R$ 49 (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
4/6

BEM FEITO DA GIS

Os bolos custam entre R$ 49 e R$ 400, de acordo com o tamanho e a elaboração. O orçamento é feito pelo WhatsApp (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
5/6

BEM FEITO DA GIS

Os pedidos são recebidos através do WhatsApp (FOTO: Reprodução/Instagram)

BEM FEITO DA GIS
6/6

BEM FEITO DA GIS

Os “fofinhos” da Gis são feitos em casa, em processo artesanal (FOTO: Reprodução/Instagram)