Paulinho Leme estreia na Jangadeiro FM no Dia do Radialista


Paulinho Leme estreia na Jangadeiro FM no Dia do Radialista

Com 30 anos de rádio, o comunicador comandará a partir desta segunda-feira (21), o Jangadeiro Alto Astral, das 13h às 17h

Por Daniel Herculano em Comportamento

18 de setembro de 2015 às 07:00

Há 4 anos
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/5/2015/09/paulinho leme

Paulinho Leme estreia na Jangadeiro FM no Dia do Radialista (Foto: Daniel Herculano/Tribuna do Ceará)

Se o slogan da rádio Jangadeiro FM é o “todo mundo ama”, o novo contratado do Sistema Jangadeiro combina bem com a frase: Paulinho Leme. Com 30 anos de microfone, o radialista é a novidade que todo mundo ama, afinal são muitos anos de 1º lugar do Ibope no Ceará, que agora tem um desafio pela frente, ser campeão de audiência também com a Jangadeiro FM.

Com o carisma que costuma despejar nas ondas do rádio, Paulinho Leme recebeu o portal Tribuna do Ceará para um papo descontraído com direito a novidades, revelações e um pedido final aos seus ouvintes. Confira a entrevista:

Tribuna do Ceará: Você vai estrear na Jangadeiro FM no Dia do Radialista (segunda-feira, 21 de setembro), qual a sensação?
Paulinho Leme: São dois presentes em um dia só. Primeiro de ser presenteado de estar em uma grande família como o Sistema Jangadeiro de Comunicação, com grandes profissionais no rádio, portal e TV, muitos deles que eu já acompanhava e que agora serão meus companheiros de casa. E segundo, esse presente de estrear em uma data tão significativa para mim, para a minha profissão, que é o Dia do Radialista, que é o palco da imaginação de tanta gente. Afinal nossas vozes, e não as imagens, é que estão à frente no nosso trabalho e que chegam aos ouvidos de toda a nossa audiência.

TC: Conta um pouco da sua trajetória e de como você descobriu esse dom?
PL: Dia 3 de agosto completei 30 anos de rádio. Não que eu seja velho (risos), é que eu comecei muito novo. Aos 16 anos de idade eu não descobri meu talento, mas fui descoberto numa missa, pois eu era comentarista de igreja do meu colégio, o Santo Inácio. Da missa para o ar em poucos dia, e cmo 18 anos eu já tinha um programa da madrugada, de meia-noite às 6 da manhã. De lá para cá eu tive todas as oportunidades que um bom profissional pode sonhar. E acredito que deu tudo certo.

“Fui descoberto aos 16 anos, durante uma missa no colégio” (Paulinho Leme)

TC: O que você mais gosta no rádio?
PL: O rádio é instantâneo, não é? Temos uma comunicação direta com os nossos ouvintes e o que eu mais gosto é estar no ar, falar no rádio. Me comunicar, informar e fazer essa interatividade com o público através da voz e das músicas.

TC: Nesses 30 anos de rádio, você lembra de algum momento curioso, emocionante ou de algum notícia triste que você teve de parar a música para informar?
PL: De notícia mesmo, como o ataque às Torres Gêmeas ou a morte do Michael Jackson, eu não estava no ar para ter de falar.

Mas tem um bem curioso, que eu só não me recordo exatamente o ano, mas se deu em pleno Reveillon. Eu passei uma virada de ano dentro de um estúdio de rádio, e fui surpreendido por ouvintes que chegaram para passar a noite do dia 31 de dezembro comigo, ao vivo no rádio. Eu pensava que ia ficar sozinho, todo tristinho, abandonado, mas de repente chegou uma galera, levaram peru, tender, só não levaram a champagne para abrir no Reveillon porque a portaria não autorizou.

Em termos de emoção, em 2007, eu tinha acabado de perder meu pai, e decidi fazer um programa em homenagem a ele no Dia dos Pais daquele ano. Pra mim, acho que foi um dos dias mais emocionantes da minha vida, na rádio.

“Fazer um programa especial no Dia dos Pais em homenagem ao meu falecido pai foi um dos dias mais emocionantes da minha vida” (Paulinho Leme)

TC: Lembra de alguma música que tenha tocada tantas vezes em seus programa de rádio que não consegue mais escutá-la?
PL: A gente passa por esse processo de massificar uma canção. No momento em que essa música está sendo massificada na rádio a gente chega até a baixar o volume em alguns momentos para não ficar incomodando aos ouvidos. Mas o poder da música é tão fascinante que com o passar do tempo, aquela música massificada, o hit, torna-se na verdade um marco daquela época. É até comum se pegar cantarolando algo que já foi um grande sucesso e imediatamente bate uma nostalgia daquele tempo. Um exemplo é a música do Marquinhos Moura, “Meu Mel” (e cantalora a canção), bombou e hoje em dia eu escuto e canto junto.

TC: Qual a mensagem que deixa para os leitores do Tribuna do Ceará e seus ouvintes na Jangadeiro FM 88,90 (Fortaleza), quando e que horas eles vão poder te ouvir no ar?
PL: Quero convidar todos vocês para sintonizar na Jangadeiro FM 88,90, nesta segunda-feira (21), a partir das 13 horas estarei no ar com o Jangadeiro Alto Astral, até as 17 horas, de segunda à sábado.

Quero que vocês participem junto comigo desse grande momento da minha vida profissional. Vou ficar mais tempo ar (13h às 17h), que desde a minha estreia eu não tinha tanto tempo assim com vocês, ouvintes. A boa notícia é que vamos passar mais tempos juntos e convido vocês para participar comigo desse desafio: vencer a mim mesmo. Saiu de uma outra rádio sendo o número 1 em audiência, e quero conquistar aqui na Jangadeiro FM o 1º lugar do Ibope.

“Quero vencer a mim mesmo e ser o nº 1 de audiência na Jangadeiro FM” (Paulinho Leme)

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/5/2015/09/paulinho leme

Paulinho Leme agora é Jangadeiro FM (Fotos: Daniel Herculano/Tribuna do Ceará)

Publicidade

Dê sua opinião

Paulinho Leme estreia na Jangadeiro FM no Dia do Radialista

Com 30 anos de rádio, o comunicador comandará a partir desta segunda-feira (21), o Jangadeiro Alto Astral, das 13h às 17h

Por Daniel Herculano em Comportamento

18 de setembro de 2015 às 07:00

Há 4 anos
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/5/2015/09/paulinho leme

Paulinho Leme estreia na Jangadeiro FM no Dia do Radialista (Foto: Daniel Herculano/Tribuna do Ceará)

Se o slogan da rádio Jangadeiro FM é o “todo mundo ama”, o novo contratado do Sistema Jangadeiro combina bem com a frase: Paulinho Leme. Com 30 anos de microfone, o radialista é a novidade que todo mundo ama, afinal são muitos anos de 1º lugar do Ibope no Ceará, que agora tem um desafio pela frente, ser campeão de audiência também com a Jangadeiro FM.

Com o carisma que costuma despejar nas ondas do rádio, Paulinho Leme recebeu o portal Tribuna do Ceará para um papo descontraído com direito a novidades, revelações e um pedido final aos seus ouvintes. Confira a entrevista:

Tribuna do Ceará: Você vai estrear na Jangadeiro FM no Dia do Radialista (segunda-feira, 21 de setembro), qual a sensação?
Paulinho Leme: São dois presentes em um dia só. Primeiro de ser presenteado de estar em uma grande família como o Sistema Jangadeiro de Comunicação, com grandes profissionais no rádio, portal e TV, muitos deles que eu já acompanhava e que agora serão meus companheiros de casa. E segundo, esse presente de estrear em uma data tão significativa para mim, para a minha profissão, que é o Dia do Radialista, que é o palco da imaginação de tanta gente. Afinal nossas vozes, e não as imagens, é que estão à frente no nosso trabalho e que chegam aos ouvidos de toda a nossa audiência.

TC: Conta um pouco da sua trajetória e de como você descobriu esse dom?
PL: Dia 3 de agosto completei 30 anos de rádio. Não que eu seja velho (risos), é que eu comecei muito novo. Aos 16 anos de idade eu não descobri meu talento, mas fui descoberto numa missa, pois eu era comentarista de igreja do meu colégio, o Santo Inácio. Da missa para o ar em poucos dia, e cmo 18 anos eu já tinha um programa da madrugada, de meia-noite às 6 da manhã. De lá para cá eu tive todas as oportunidades que um bom profissional pode sonhar. E acredito que deu tudo certo.

“Fui descoberto aos 16 anos, durante uma missa no colégio” (Paulinho Leme)

TC: O que você mais gosta no rádio?
PL: O rádio é instantâneo, não é? Temos uma comunicação direta com os nossos ouvintes e o que eu mais gosto é estar no ar, falar no rádio. Me comunicar, informar e fazer essa interatividade com o público através da voz e das músicas.

TC: Nesses 30 anos de rádio, você lembra de algum momento curioso, emocionante ou de algum notícia triste que você teve de parar a música para informar?
PL: De notícia mesmo, como o ataque às Torres Gêmeas ou a morte do Michael Jackson, eu não estava no ar para ter de falar.

Mas tem um bem curioso, que eu só não me recordo exatamente o ano, mas se deu em pleno Reveillon. Eu passei uma virada de ano dentro de um estúdio de rádio, e fui surpreendido por ouvintes que chegaram para passar a noite do dia 31 de dezembro comigo, ao vivo no rádio. Eu pensava que ia ficar sozinho, todo tristinho, abandonado, mas de repente chegou uma galera, levaram peru, tender, só não levaram a champagne para abrir no Reveillon porque a portaria não autorizou.

Em termos de emoção, em 2007, eu tinha acabado de perder meu pai, e decidi fazer um programa em homenagem a ele no Dia dos Pais daquele ano. Pra mim, acho que foi um dos dias mais emocionantes da minha vida, na rádio.

“Fazer um programa especial no Dia dos Pais em homenagem ao meu falecido pai foi um dos dias mais emocionantes da minha vida” (Paulinho Leme)

TC: Lembra de alguma música que tenha tocada tantas vezes em seus programa de rádio que não consegue mais escutá-la?
PL: A gente passa por esse processo de massificar uma canção. No momento em que essa música está sendo massificada na rádio a gente chega até a baixar o volume em alguns momentos para não ficar incomodando aos ouvidos. Mas o poder da música é tão fascinante que com o passar do tempo, aquela música massificada, o hit, torna-se na verdade um marco daquela época. É até comum se pegar cantarolando algo que já foi um grande sucesso e imediatamente bate uma nostalgia daquele tempo. Um exemplo é a música do Marquinhos Moura, “Meu Mel” (e cantalora a canção), bombou e hoje em dia eu escuto e canto junto.

TC: Qual a mensagem que deixa para os leitores do Tribuna do Ceará e seus ouvintes na Jangadeiro FM 88,90 (Fortaleza), quando e que horas eles vão poder te ouvir no ar?
PL: Quero convidar todos vocês para sintonizar na Jangadeiro FM 88,90, nesta segunda-feira (21), a partir das 13 horas estarei no ar com o Jangadeiro Alto Astral, até as 17 horas, de segunda à sábado.

Quero que vocês participem junto comigo desse grande momento da minha vida profissional. Vou ficar mais tempo ar (13h às 17h), que desde a minha estreia eu não tinha tanto tempo assim com vocês, ouvintes. A boa notícia é que vamos passar mais tempos juntos e convido vocês para participar comigo desse desafio: vencer a mim mesmo. Saiu de uma outra rádio sendo o número 1 em audiência, e quero conquistar aqui na Jangadeiro FM o 1º lugar do Ibope.

“Quero vencer a mim mesmo e ser o nº 1 de audiência na Jangadeiro FM” (Paulinho Leme)

/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/5/2015/09/paulinho leme

Paulinho Leme agora é Jangadeiro FM (Fotos: Daniel Herculano/Tribuna do Ceará)