Chef cearense vence reality show de confeitaria do GNT

"QUE SEJA DOCE"

Chef cearense vence reality show de confeitaria do GNT

Marina Araújo trabalhava em marketing e decidiu mudar de ramo para fazer o que lhe torna feliz: cozinhar

Por Matheus Ribeiro em Gastronomia

28 de maio de 2016 às 07:00

Há 3 anos
Cearense Marina Araújo trabalha há dois anos com confeitaria em Fortaleza (FOTO: Arquivo Pessoal)

Cearense Marina Araújo trabalha há dois anos com confeitaria em Fortaleza (FOTO: Arquivo Pessoal)

O setor gastronômico do Ceará tem mais um motivo para comemorar. Na noite desta quarta-feira (25), a cearense Marina Araújo, de 25 anos, conquistou o primeiro lugar do programa “Que Seja Doce”, realizado pelo canal fechado GNT. Chef de cozinha há dois anos, hoje a cearense é Chef da Doceville, em Fortaleza.

Em entrevista ao Tribuna do Ceará, Marina contou que, mesmo acreditando em seu potencial, o resultado foi uma surpresa. “Foi realmente uma surpresa. Eu não tentei criar expectativa. Pra mim, só por estar lá, num programa de grande alcance, já era uma grande vitória”, comemorou a confeiteira.

Para conquistar o prêmio, a cearense admitiu que não foi fácil. “Bom, pra eu entrar no programa foi uma coisa que não estava planejada. Eu estava no Facebook e vi uma chamada, como se fosse uma propaganda, do programa. Então, resolvi me inscrever. Mandei a inscrição, e entraram em contato comigo. No começo, pensei que era trote, mas depois vi que era verdade. Passei por entrevistas, fiz uma redação e fui aprovada”, explicou. 

Apesar de o programa ter ido ao ar nesta quarta-feira (25), todo o processo aconteceu em outubro de 2015. Segundo Marina, a seleção e gravação foram realizadas ainda no ano passado. Com isso, todos os participantes tiveram de guardar segredo até a exibição do último dia do programa. “Na verdade, todo esse processo aconteceu em outubro de 2015. Tive que ficar de boca fechada para ninguém descobrir, e todos tiveram que aguardar para saber o vencedor”, conta Marina rindo.

Ainda segundo Marina Araújo, a premiação serve como reconhecimento do seu trabalho. “Ele representa um reconhecimento e mostra para as pessoas que é possível acreditar cada vez mais no que você faz. Esse prêmio é importante para eu aprender a valorizar as coisas, principalmente, do meu estado”, destacou.

Mudança de profissão

Formada em moda e trabalhando com marketing no setor, Marina não tinha tantos motivos para mudar de ramo. No entanto, o desejo de fazer o que lhe torna feliz falou mais alto. “Eu iniciei porque sempre gostei de cozinhar. Uma vez surgiu a oportunidade de fazer bolos com outras duas amigas, e eu agarrei. E, hoje, a minha vida é a cozinha. Larguei completamente a minha outra profissão para seguir a carreira gastronômica”, disse.

A mudança repentina de profissão não foi uma surpresa  para a família. “Eu sempre tive uma família muito tranquila. Existem pessoas que possuem profissões, digamos, não muito convencionais, como fotógrafos, artistas plásticos, entre outros. Então, nunca foi um problema para mim. Foi normal a decisão, foi como pintar o cabelo”, brincou a cearense.

1/2

“Que Seja Doce”

Reprise do programa deve ser exibida neste domingo às 15h30 (FOTO: Arquivo Pessoal)

2/2

“Que Seja Doce”

Reprise do programa deve ser exibida neste domingo às 15h30 (FOTO: Arquivo Pessoal)

Publicidade

Dê sua opinião

"QUE SEJA DOCE"

Chef cearense vence reality show de confeitaria do GNT

Marina Araújo trabalhava em marketing e decidiu mudar de ramo para fazer o que lhe torna feliz: cozinhar

Por Matheus Ribeiro em Gastronomia

28 de maio de 2016 às 07:00

Há 3 anos
Cearense Marina Araújo trabalha há dois anos com confeitaria em Fortaleza (FOTO: Arquivo Pessoal)

Cearense Marina Araújo trabalha há dois anos com confeitaria em Fortaleza (FOTO: Arquivo Pessoal)

O setor gastronômico do Ceará tem mais um motivo para comemorar. Na noite desta quarta-feira (25), a cearense Marina Araújo, de 25 anos, conquistou o primeiro lugar do programa “Que Seja Doce”, realizado pelo canal fechado GNT. Chef de cozinha há dois anos, hoje a cearense é Chef da Doceville, em Fortaleza.

Em entrevista ao Tribuna do Ceará, Marina contou que, mesmo acreditando em seu potencial, o resultado foi uma surpresa. “Foi realmente uma surpresa. Eu não tentei criar expectativa. Pra mim, só por estar lá, num programa de grande alcance, já era uma grande vitória”, comemorou a confeiteira.

Para conquistar o prêmio, a cearense admitiu que não foi fácil. “Bom, pra eu entrar no programa foi uma coisa que não estava planejada. Eu estava no Facebook e vi uma chamada, como se fosse uma propaganda, do programa. Então, resolvi me inscrever. Mandei a inscrição, e entraram em contato comigo. No começo, pensei que era trote, mas depois vi que era verdade. Passei por entrevistas, fiz uma redação e fui aprovada”, explicou. 

Apesar de o programa ter ido ao ar nesta quarta-feira (25), todo o processo aconteceu em outubro de 2015. Segundo Marina, a seleção e gravação foram realizadas ainda no ano passado. Com isso, todos os participantes tiveram de guardar segredo até a exibição do último dia do programa. “Na verdade, todo esse processo aconteceu em outubro de 2015. Tive que ficar de boca fechada para ninguém descobrir, e todos tiveram que aguardar para saber o vencedor”, conta Marina rindo.

Ainda segundo Marina Araújo, a premiação serve como reconhecimento do seu trabalho. “Ele representa um reconhecimento e mostra para as pessoas que é possível acreditar cada vez mais no que você faz. Esse prêmio é importante para eu aprender a valorizar as coisas, principalmente, do meu estado”, destacou.

Mudança de profissão

Formada em moda e trabalhando com marketing no setor, Marina não tinha tantos motivos para mudar de ramo. No entanto, o desejo de fazer o que lhe torna feliz falou mais alto. “Eu iniciei porque sempre gostei de cozinhar. Uma vez surgiu a oportunidade de fazer bolos com outras duas amigas, e eu agarrei. E, hoje, a minha vida é a cozinha. Larguei completamente a minha outra profissão para seguir a carreira gastronômica”, disse.

A mudança repentina de profissão não foi uma surpresa  para a família. “Eu sempre tive uma família muito tranquila. Existem pessoas que possuem profissões, digamos, não muito convencionais, como fotógrafos, artistas plásticos, entre outros. Então, nunca foi um problema para mim. Foi normal a decisão, foi como pintar o cabelo”, brincou a cearense.

1/2

“Que Seja Doce”

Reprise do programa deve ser exibida neste domingo às 15h30 (FOTO: Arquivo Pessoal)

2/2

“Que Seja Doce”

Reprise do programa deve ser exibida neste domingo às 15h30 (FOTO: Arquivo Pessoal)