Depilação pode aumentar o risco de infecção urinária e DSTs

DEPILAÇÃO ÍNTIMA

Depilação pode aumentar o risco de infecção urinária e DSTs

Os pelos funcionam como uma proteção do corpo contra doenças, explica ginecologista

Por Deborah Tavares em Mulher

18 de dezembro de 2016 às 06:45

Há 3 anos
Os pelos funcionam como uma proteção FOTO: divulgação)

Os pelos funcionam como uma proteção (FOTO: divulgação)

As brasileiras não gostam de pelos e costumam relacioná-los a falta de higiene. Não por acaso, a “depilação à brasileira” é conhecida mundo a fora. Porém, a retirada em excesso desses cabelos indesejados pode facilitar a entrada de corpos estranhos.

“Os pelos funcionam como uma proteção”, explica Kellyne Reis, ginecologista. A depilação completa e a retirada dos pelos na saída da urina, a uretra, é comum e perigosa. Eles formam uma barreira que protegem de infecções como a urinária e até mesmo de DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) transmitidas através do contato com a pele, como herpes e HPV.

A ginecologista destaca que os pelos não devem ser relacionados a sujeira. Garantir a higiene da região é muito importante, mas a doutora dá dicas de como isso pode ser feito de maneira saudável.

A limpeza precisa ser feita de forma suave com sabonetes neutros que não alterem o PH da vagina, pois o produto errado pode causar inflamações. A ducha também deve ser evitada, o jato forte acaba por limpar a região em excesso e pode tirar sua proteção natural. Ao lavar as peças íntimas também é importante usar produtos mais leves.

Quem não abre mão da depilação deve tomar cuidado. Em casa, troque o aparelho com frequência, guarde longe da umidade, para evitar a proliferação de microrganismos, e não compartilhe com ninguém. Fora de casa, atente para a higiene do local, que deve ser confiável, e permita somente materiais descartáveis.

Publicidade

Dê sua opinião

DEPILAÇÃO ÍNTIMA

Depilação pode aumentar o risco de infecção urinária e DSTs

Os pelos funcionam como uma proteção do corpo contra doenças, explica ginecologista

Por Deborah Tavares em Mulher

18 de dezembro de 2016 às 06:45

Há 3 anos
Os pelos funcionam como uma proteção FOTO: divulgação)

Os pelos funcionam como uma proteção (FOTO: divulgação)

As brasileiras não gostam de pelos e costumam relacioná-los a falta de higiene. Não por acaso, a “depilação à brasileira” é conhecida mundo a fora. Porém, a retirada em excesso desses cabelos indesejados pode facilitar a entrada de corpos estranhos.

“Os pelos funcionam como uma proteção”, explica Kellyne Reis, ginecologista. A depilação completa e a retirada dos pelos na saída da urina, a uretra, é comum e perigosa. Eles formam uma barreira que protegem de infecções como a urinária e até mesmo de DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) transmitidas através do contato com a pele, como herpes e HPV.

A ginecologista destaca que os pelos não devem ser relacionados a sujeira. Garantir a higiene da região é muito importante, mas a doutora dá dicas de como isso pode ser feito de maneira saudável.

A limpeza precisa ser feita de forma suave com sabonetes neutros que não alterem o PH da vagina, pois o produto errado pode causar inflamações. A ducha também deve ser evitada, o jato forte acaba por limpar a região em excesso e pode tirar sua proteção natural. Ao lavar as peças íntimas também é importante usar produtos mais leves.

Quem não abre mão da depilação deve tomar cuidado. Em casa, troque o aparelho com frequência, guarde longe da umidade, para evitar a proliferação de microrganismos, e não compartilhe com ninguém. Fora de casa, atente para a higiene do local, que deve ser confiável, e permita somente materiais descartáveis.