Lésbicas e bissexuais pedem fim da lesbofobia durante Parada Gay em Fortaleza


Lésbicas e bissexuais pedem fim da lesbofobia durante Parada Gay em Fortaleza

Na primeira ala do desfile da 13ª Parada pela Diversidade Sexual em Fortaleza, o grupo Tambores de Safo comandado pelas mulheres lésbicas e bissexuais fez seu apelo contra as opressões sociais.

Por em Sem categoria

25 de junho de 2012 às 09:09

Há 7 anos

Ala de lésbias e bissexuais pede paz (Foto: Renatta Pimentel)

Na primeira ala do desfile da 13ª Parada pela Diversidade Sexual em Fortaleza, o grupo Tambores de Safo comandado pelas lésbicas e bissexuais fez seu apelo contra as opressões sociais. Entre a percussão e os ritmos afronordestinos, letras que pulsam palavras de ordem e ações políticas, foram pronunciadas pelas as mulheres na Avenida Beira Mar.

Antes da Avenida Beira Mar ser tomada pela multidão, uma das representantes da ala subiu no trio oficial da parada e discursou pedindo um basta na violência. “É um dia para a gente dizer que todo o dia a gente ama, deseja, namora, mas que todo dia também a gente sofre violência”, protesta.

Confira vídeo

Assistência 

Luana Marley e outras integrantes do instituto distribuíram preservativos durante a a parada (Foto: Renatta Pimentel)

Quem esteve presente no evento, participou da ação educativa do Centro de Referência LGBT Janaína Dutra – o grupo que dá assistência a homossexuais vítimas de violência.

Luana Marley, coordenadora do Centro, explicou como funciona o apoio ao público LGBT. “Além de recebermos denúncias, disponibilizamos os serviços de advogados, psicólogos e assistentes sociais. O atendimento é gratuito para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais vítimas de discriminação, violência, omissão ou lesão de direitos”, esclarece.

Ainda de acordo com Luana, foram realizados em 2011, cerca de 536 atendimentos referentes à violência e discriminação. O Centro é um serviço da Prefeitura de Fortaleza, ligado à Coordenadoria da Diversidade Sexual e foi criado em 2005.

Outra campanha realizada pela instituição foi a entrega de preservativos para quem estava no evento.

Publicidade

Dê sua opinião

Lésbicas e bissexuais pedem fim da lesbofobia durante Parada Gay em Fortaleza

Na primeira ala do desfile da 13ª Parada pela Diversidade Sexual em Fortaleza, o grupo Tambores de Safo comandado pelas mulheres lésbicas e bissexuais fez seu apelo contra as opressões sociais.

Por em Sem categoria

25 de junho de 2012 às 09:09

Há 7 anos

Ala de lésbias e bissexuais pede paz (Foto: Renatta Pimentel)

Na primeira ala do desfile da 13ª Parada pela Diversidade Sexual em Fortaleza, o grupo Tambores de Safo comandado pelas lésbicas e bissexuais fez seu apelo contra as opressões sociais. Entre a percussão e os ritmos afronordestinos, letras que pulsam palavras de ordem e ações políticas, foram pronunciadas pelas as mulheres na Avenida Beira Mar.

Antes da Avenida Beira Mar ser tomada pela multidão, uma das representantes da ala subiu no trio oficial da parada e discursou pedindo um basta na violência. “É um dia para a gente dizer que todo o dia a gente ama, deseja, namora, mas que todo dia também a gente sofre violência”, protesta.

Confira vídeo

Assistência 

Luana Marley e outras integrantes do instituto distribuíram preservativos durante a a parada (Foto: Renatta Pimentel)

Quem esteve presente no evento, participou da ação educativa do Centro de Referência LGBT Janaína Dutra – o grupo que dá assistência a homossexuais vítimas de violência.

Luana Marley, coordenadora do Centro, explicou como funciona o apoio ao público LGBT. “Além de recebermos denúncias, disponibilizamos os serviços de advogados, psicólogos e assistentes sociais. O atendimento é gratuito para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais vítimas de discriminação, violência, omissão ou lesão de direitos”, esclarece.

Ainda de acordo com Luana, foram realizados em 2011, cerca de 536 atendimentos referentes à violência e discriminação. O Centro é um serviço da Prefeitura de Fortaleza, ligado à Coordenadoria da Diversidade Sexual e foi criado em 2005.

Outra campanha realizada pela instituição foi a entrega de preservativos para quem estava no evento.