Tire suas dúvidas sobre o que cobre o seguro viagem e os tipos existentes


Tire suas dúvidas sobre o que cobre o seguro viagem e os tipos existentes

Dependendo do valor, o pacote pode ajudar o turista na hora de problemas dentro ou fora do Brasil

Por Lucas Matos em Turismo

30 de junho de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Passageiro pode processar companhia aérea caso bagem seja danificada ou extraviada (Foto: Divulgação)

Passageiro pode processar companhia aérea caso bagem seja danificada ou extraviada (Foto: Divulgação)

Quem gosta de fazer longas viagens ou passeios turísticos sempre se preocupa com um extravio de bagagem ou acidentes pessoais. Para se manter mais tranquilo em uma dessas situações, uma boa opção é fazer um seguro viagem, seja no Brasil ou exterior.

Para não correr o risco de estragar sua viagem nas férias de julho, empresas apostam nesse tipo de pacote, sempre em prol do viajante. O preço do pacote pode custar até menos de R$ 100.

Nilton Dias, gerente comercial da Seguralta, rede de corretoras de seguro, comenta algumas questões comuns em relação à cobertura, preços e casos de obrigatoriedade da apólice.

A existência de diversos preços diferencia os vários pacotes de seguros. O plano básico cobre atendimento médico e odontológico, interrupção e cancelamento de viagem, acidentes pessoais, morte acidental, invalidez permanente parcial ou total por acidente e extravio de bagagens.

No quesito saúde, e se a viagem for para os Estados Unidos, ele ressalta alguns cuidados. “Nos Estados Unidos, onde o sistema de saúde é limitado até mesmo para quem nasceu lá, existem casos de hospitais que cobram cerca de 2 mil dólares em internações. Mesmo estando nessas cifras, o seguro pode cobrir de U$$ 6 mil a U$$ 150 mil, dependendo do que consta na apólice”, afirma.

Para o Brasil, o seguro viagem não é obrigatório. Já no caso de países estrangeiros, a exigência do seguro é obrigatória.

“Na Europa, os países que integram o Tratado de Schengen exigem seguro viagem que cubra pelo menos € 30 mil para despesas médico-hospitalares. São estes: Reino Unido, França, Irlanda, Alemanha, Espanha, Portugal, Grécia, Noruega, Holanda, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Hungria, Itália, Luxemburgo, Malta, Polônia, República Tcheca e Suécia. Cuba também exige seguro, enquanto a Austrália requer seguro-saúde especifico chamado Overseas Students Health Cover”, disse o gerente.

Bagagem

No momento de chegar ao destino, o passageiro que se depara com bagagem danificada ou extraviada deve comunicar diretamente a empresa, pois a mesma é de responsabilidade da companhia aérea. Caso a operadora negue algum apoio, o consumidor pode processar por danos materiais.

Publicidade

Dê sua opinião

Tire suas dúvidas sobre o que cobre o seguro viagem e os tipos existentes

Dependendo do valor, o pacote pode ajudar o turista na hora de problemas dentro ou fora do Brasil

Por Lucas Matos em Turismo

30 de junho de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Passageiro pode processar companhia aérea caso bagem seja danificada ou extraviada (Foto: Divulgação)

Passageiro pode processar companhia aérea caso bagem seja danificada ou extraviada (Foto: Divulgação)

Quem gosta de fazer longas viagens ou passeios turísticos sempre se preocupa com um extravio de bagagem ou acidentes pessoais. Para se manter mais tranquilo em uma dessas situações, uma boa opção é fazer um seguro viagem, seja no Brasil ou exterior.

Para não correr o risco de estragar sua viagem nas férias de julho, empresas apostam nesse tipo de pacote, sempre em prol do viajante. O preço do pacote pode custar até menos de R$ 100.

Nilton Dias, gerente comercial da Seguralta, rede de corretoras de seguro, comenta algumas questões comuns em relação à cobertura, preços e casos de obrigatoriedade da apólice.

A existência de diversos preços diferencia os vários pacotes de seguros. O plano básico cobre atendimento médico e odontológico, interrupção e cancelamento de viagem, acidentes pessoais, morte acidental, invalidez permanente parcial ou total por acidente e extravio de bagagens.

No quesito saúde, e se a viagem for para os Estados Unidos, ele ressalta alguns cuidados. “Nos Estados Unidos, onde o sistema de saúde é limitado até mesmo para quem nasceu lá, existem casos de hospitais que cobram cerca de 2 mil dólares em internações. Mesmo estando nessas cifras, o seguro pode cobrir de U$$ 6 mil a U$$ 150 mil, dependendo do que consta na apólice”, afirma.

Para o Brasil, o seguro viagem não é obrigatório. Já no caso de países estrangeiros, a exigência do seguro é obrigatória.

“Na Europa, os países que integram o Tratado de Schengen exigem seguro viagem que cubra pelo menos € 30 mil para despesas médico-hospitalares. São estes: Reino Unido, França, Irlanda, Alemanha, Espanha, Portugal, Grécia, Noruega, Holanda, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Hungria, Itália, Luxemburgo, Malta, Polônia, República Tcheca e Suécia. Cuba também exige seguro, enquanto a Austrália requer seguro-saúde especifico chamado Overseas Students Health Cover”, disse o gerente.

Bagagem

No momento de chegar ao destino, o passageiro que se depara com bagagem danificada ou extraviada deve comunicar diretamente a empresa, pois a mesma é de responsabilidade da companhia aérea. Caso a operadora negue algum apoio, o consumidor pode processar por danos materiais.