Saiba quais cuidados devem ser tomados se você é um workaholic

COMPULSÃO POR TRABALHO

Saiba quais cuidados devem ser tomados se você é um workaholic

Pessoas que trabalham demais podem gerar inúmeras consequências pessoais e profissionais

Por Lya Cardoso em Carreira

27 de fevereiro de 2018 às 07:15

Há 1 ano
Homem de terno trabalhando aparentemente em seu escritório

Alguns sintomas podem afetar até a empresa que você trabalha (FOTO:Freepick)

As características de pessoas workaholic são fáceis de perceber. São aquelas que constantemente trabalham mais de 12 horas por dia no escritório e ainda levam o serviço para casa.

Segundo o especialista em recursos humanos Celso Bazzola, diretor executivo da Bazz Consultoria, é mais fácil localizar alguém com esse problema do que tratar.

“Hoje são constantes os casos de workaholics, e isso se percebe a partir do momento em que a pessoa não consegue se desligar do trabalho, deixando de lado sua convivência social, seja com familiares ou amigos. Assim a pessoa se torna um trabalhador viciado e compulsivo”.

Alguns dos sintomas que pessoas com esse distúrbio costumam ter são autoestima exagerada, insônia, mau humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão e, muitas vezes, depressão.

Para Bazzola, a situação pode ser bastante problemática e trazer sérios prejuízos para o profissional e para a empresa. “Hoje são constantes os casos de workaholics e isso se perceber a partir do momento que a pessoa não consegue se desligar do trabalho, deixando de lado sua convivência social, seja com familiares ou amigos”.

A situação pode ser tão grave que estudos recentes de casos clínicos em consultórios psicológicos e psiquiátricos apontam que o vício de trabalho é similar a adição ao álcool ou cocaína.

O caminho para combater esse problema é assegurar o equilíbrio, entre a vida pessoal e profissional, buscar valorizar mais os momentos de lazer e perceber que o descanso é fundamental para melhoria de resultados. Portanto, tem que parar de trabalhar até para ter um melhor desempenho, enfatiza Celso.

Publicidade

Dê sua opinião

COMPULSÃO POR TRABALHO

Saiba quais cuidados devem ser tomados se você é um workaholic

Pessoas que trabalham demais podem gerar inúmeras consequências pessoais e profissionais

Por Lya Cardoso em Carreira

27 de fevereiro de 2018 às 07:15

Há 1 ano
Homem de terno trabalhando aparentemente em seu escritório

Alguns sintomas podem afetar até a empresa que você trabalha (FOTO:Freepick)

As características de pessoas workaholic são fáceis de perceber. São aquelas que constantemente trabalham mais de 12 horas por dia no escritório e ainda levam o serviço para casa.

Segundo o especialista em recursos humanos Celso Bazzola, diretor executivo da Bazz Consultoria, é mais fácil localizar alguém com esse problema do que tratar.

“Hoje são constantes os casos de workaholics, e isso se percebe a partir do momento em que a pessoa não consegue se desligar do trabalho, deixando de lado sua convivência social, seja com familiares ou amigos. Assim a pessoa se torna um trabalhador viciado e compulsivo”.

Alguns dos sintomas que pessoas com esse distúrbio costumam ter são autoestima exagerada, insônia, mau humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão e, muitas vezes, depressão.

Para Bazzola, a situação pode ser bastante problemática e trazer sérios prejuízos para o profissional e para a empresa. “Hoje são constantes os casos de workaholics e isso se perceber a partir do momento que a pessoa não consegue se desligar do trabalho, deixando de lado sua convivência social, seja com familiares ou amigos”.

A situação pode ser tão grave que estudos recentes de casos clínicos em consultórios psicológicos e psiquiátricos apontam que o vício de trabalho é similar a adição ao álcool ou cocaína.

O caminho para combater esse problema é assegurar o equilíbrio, entre a vida pessoal e profissional, buscar valorizar mais os momentos de lazer e perceber que o descanso é fundamental para melhoria de resultados. Portanto, tem que parar de trabalhar até para ter um melhor desempenho, enfatiza Celso.