Fortaleza Esporte Clube completa 95 anos - Esportes


Fortaleza Esporte Clube completa 95 anos

Portal Tribuna do Ceará presta homenagem ao Tricolor do Pici, relembrando fatos históricos, títulos, ídolos e depoimentos de torcedores

Por Thiago Sampaio em Fortaleza

18 de outubro de 2013 às 12:00

Há 6 anos
Arte: Tiago Leite

Arte: Tiago Leite

O Fortaleza Esporte Clube completa nesta sexta-feira (18) 95 anos de fundação. Apesar do momento instável, chegando ao quarto ano seguido na Série C do Brasileirão, o Tricolor do Pici coleciona diversas conquistas ao longo dos anos, impulsionado por uma torcida apaixonada e fiel.

O Leão se sagrou campeão estadual 39 vezes, além do título do Norte e Nordeste em 1970. Destaque também para as duas vezes em que foi vice Campeão Brasileiro (1960 e 1968) e duas vezes vice da Série B do Brasileirão (2002 e 2004), conquistando o acesso para a elite do futebol nacional.

Alguns marcos históricos ficaram marcados na memória do torcedor mais saudoso ao longo dos anos. No ano de 1959, no amistoso no empate de 2 a 2 em amistoso com o Santos de Pelé, o Rei do Futebol deu a volta olímpica vestido com a camisa do Fortaleza.

No ano seguinte, o Leão se sagrou o  único clube cearense a ter um artilheiro do Campeonato Brasileiro da Série A – Francisco Gervazio Filho, o Bececê -, feito que permanece até hoje.

Já em 1968, no amistoso contra o Fluminense em comemoração ao título estadual do ano anterior, no estádio Presidente Vargas, ninguém menos que Garrincha vestiu a camisa 7 do Leão por 45 minutos. O Fortaleza venceu a partida por 1 a 0, gol de Humaitá.

 

Garrincha vestiu a camisa do Leão por 45 minutos em amistoso

Garrincha vestiu a camisa do Leão por 45 minutos em amistoso – Foto: Acervo Tom Barros

Festividades

Para comemorar a data, a diretoria organizou uma programação discreta, que teve início às 6h30min desta sexta, com queima de fogos de artifíicio no estádio Alcides Santos, com apresentação em seguida da  Banda de Música da 10ª Região Militar e um café da manhã. Às 19h será realizada a Missa em Ação de Graças, seguida de um coquetel.

História

O clube fundado em 18 de outubro de 1918, por Alcides Santos (não à toa, o Centro de Treinamento do Leão leva o seu nome), um dos maiores esportistas cearenses, que se apaixonou pelo futebol durante o período em que estudou no College Stella, na França, cujas cores da bandeira inspiraram o time.

Ainda com o nome de Fortaleza Sporting Club, a primeira reunião contou com Alcides Santos (primeiro presidente), Clóvis Gaspar, Clóvis Moura, Humberto Ribeiro, Jayme Albuquerque, João Gentil, Oscar Loureiro, Pedro Riquet, Walter Olsen, Walter Barroso.

No seu primeiro ano, sagrou-se campeão de um dos torneios realizados pela extinta Liga Metropolitana Cearense.

Torcida

A principal força-motriz do Fortaleza nos últimos anos tem sido a torcida, sempre lotando os estádio para apoiar nos momentos decisivos. Em 2012, foi o décimo clube que mais levou torcedores aos estádios no Campeonato Brasileiro, incluindo as Séries A, B, C e D.

Em sua última partida oficial em 2013, no empate de 2 a 2 com o Sampaio Corrêa, levou 57.143 torcedores à Arena Castelão, recorde de público desde a reinauguração do estádio.

Entre alguns torcedores ilustres, estão nomes como o músico Fagner, o cineasta Halder Gomes (diretor de “Cine Holliúdy”), o lutador de MMA Rony Jason, os jornalistas Nonato Albuquerque e Adísia Sá e os humoristas Wellington Muniz (o Ceará do programa Pânico na Band) e Tiririca.

Paixão de torcedor

Halder Gomes expõe a paixão pelo Leão e todo lugar do mundo - Foto: Arquivo Pessoal

Halder Gomes expõe a paixão pelo Leão e todo lugar do mundo – Foto: Arquivo Pessoal

“Acredito que na minha concepção, o Fortaleza e cinema surgiram juntos. Amo este time desde o nascimento. Não, não torço outro em lugar nenhum. Nenhum outro “Barcelona” da vida me seduz. E por quê o cinema, junto? Ora, o Fortaleza é um time cinematográfico. Como numa estrutura narrativa de um thriller sensacional, nenhuma de suas conquistas deixam de passar por arcos dramáticos, repletos de curvas sinuosas e tensas, reviravoltas surpreendentes que engrandecem e enaltecem seus terceiros e gloriosos atos. Torcer Fortaleza não é pra qualquer um…Tem que ter Coração de Aço!” (Halder Gomes, cineasta).

“Fortaleza. Uma das quatro virtudes cardeais, que consiste em não se deixar abater por reveses e infortúnios. Qualidade de ser forte, vigor, robustez. Assim como a combinação do vermelho, azul e branco. Assim como todas as batalhas vencidas e também perdidas ao longo desses 95 anos. Quem é Fortaleza sabe bem o que estou falando. Só quem é Fortaleza sabe bem o que sentindo…um sentimento nobre. Fomos escolhidos pelos deuses do futebol. Bem aventurados, os tricolores de aço, os tricolores de coração…Fortaleza, clube de glória e tradição!” (Nonato Albuquerque, jornalista).

Basta ser Fortaleza para ter o que se comemorar

Hoje o dia amanheceu com um brilho especial. Não por se tratar de uma sexta-feira, mas, sim, por ser 18 de outubro, data que se comemora o aniversário da maior agremiação esportiva do estado, o Fortaleza Esporte Clube.

O Tricolor do Pici está completando 95 anos de existência. Ao longo desse quase um século de vida, a fanática torcida do Fortaleza teve o prazer de vivenciar nas arquibancadas mais alegrias do que tristezas, o que o credencia, sem dúvida, como um dos maiores expoentes do futebol nordestino e até brasileiro.

Muitas já foram as expressões de amor ao Leão no decorrer do dia nas redes sociais, ruas, televisões, jornais etc. Nossa torcida tem mesmo o que comemorar. Somos o Fortaleza de Ronaldo Angelim, Luizinho das Arábias, Amilton Rocha, Rolim, Jackson de Carvalho, entre tantos outros.

Somos o Clube da Garotada, o Parque dos Campeonatos. Amamos “aquelas camisas”. Aprendemos ao nascer que ser Fortaleza é ser escolhido para viver fortes emoções, como, por exemplo, a virada histórica de 1991 contra nosso maior rival com dois gols de Mirandinha.

Pois bem, amigos tricolores, não baixemos a cabeça e nem deixemos de comemorar os 95 anos do Tricolor. Como diz o hino mais bonito do Brasil, “nossa glória é lutar e vencer também”. E será assim, lutando “sem demonstrar cansaço” que retornaremos ao caminho das conquistas, porque esse é o clube que nasceu para ser campeão.

Parabéns, Fortaleza Esporte Clube!! (Fhilipe Augusto, jornalista)

 

Ídolos

Goleiros: Lulinha, Bosco, Cícero Capacete, Salvino, Maizena, Jorge Pinheiro
Zagueiros: Ronaldo Angelim, Pedro Basílio, Caranã, Zé Paulo, Pedro Riquet
Laterais: Louro, Babá, Albéris, Expedito, Reginaldo, Rôner, Mesquita
Volantes: Daniel Frasson, Chinesinho, João Gentil, Serginho, Erandir, Tadeu, Veras
Meias: Moésio Gomes, Paulo Isidoro, Assis Paraíba, Mimi, Airton Fraga, Bechara
Atacantes: Amilton Rocha, Amilton Melo, Mirandinha, Croinha, Bececê, Mozart Gomes, Tangerina, Clodoaldo, Beijoca, Adílton, Rinaldo, Osvaldo, Sandro “Gaúcho”, Júlio César Uri Geller, Haroldo Castelo Branco

Publicidade

Dê sua opinião

Fortaleza Esporte Clube completa 95 anos

Portal Tribuna do Ceará presta homenagem ao Tricolor do Pici, relembrando fatos históricos, títulos, ídolos e depoimentos de torcedores

Por Thiago Sampaio em Fortaleza

18 de outubro de 2013 às 12:00

Há 6 anos
Arte: Tiago Leite

Arte: Tiago Leite

O Fortaleza Esporte Clube completa nesta sexta-feira (18) 95 anos de fundação. Apesar do momento instável, chegando ao quarto ano seguido na Série C do Brasileirão, o Tricolor do Pici coleciona diversas conquistas ao longo dos anos, impulsionado por uma torcida apaixonada e fiel.

O Leão se sagrou campeão estadual 39 vezes, além do título do Norte e Nordeste em 1970. Destaque também para as duas vezes em que foi vice Campeão Brasileiro (1960 e 1968) e duas vezes vice da Série B do Brasileirão (2002 e 2004), conquistando o acesso para a elite do futebol nacional.

Alguns marcos históricos ficaram marcados na memória do torcedor mais saudoso ao longo dos anos. No ano de 1959, no amistoso no empate de 2 a 2 em amistoso com o Santos de Pelé, o Rei do Futebol deu a volta olímpica vestido com a camisa do Fortaleza.

No ano seguinte, o Leão se sagrou o  único clube cearense a ter um artilheiro do Campeonato Brasileiro da Série A – Francisco Gervazio Filho, o Bececê -, feito que permanece até hoje.

Já em 1968, no amistoso contra o Fluminense em comemoração ao título estadual do ano anterior, no estádio Presidente Vargas, ninguém menos que Garrincha vestiu a camisa 7 do Leão por 45 minutos. O Fortaleza venceu a partida por 1 a 0, gol de Humaitá.

 

Garrincha vestiu a camisa do Leão por 45 minutos em amistoso

Garrincha vestiu a camisa do Leão por 45 minutos em amistoso – Foto: Acervo Tom Barros

Festividades

Para comemorar a data, a diretoria organizou uma programação discreta, que teve início às 6h30min desta sexta, com queima de fogos de artifíicio no estádio Alcides Santos, com apresentação em seguida da  Banda de Música da 10ª Região Militar e um café da manhã. Às 19h será realizada a Missa em Ação de Graças, seguida de um coquetel.

História

O clube fundado em 18 de outubro de 1918, por Alcides Santos (não à toa, o Centro de Treinamento do Leão leva o seu nome), um dos maiores esportistas cearenses, que se apaixonou pelo futebol durante o período em que estudou no College Stella, na França, cujas cores da bandeira inspiraram o time.

Ainda com o nome de Fortaleza Sporting Club, a primeira reunião contou com Alcides Santos (primeiro presidente), Clóvis Gaspar, Clóvis Moura, Humberto Ribeiro, Jayme Albuquerque, João Gentil, Oscar Loureiro, Pedro Riquet, Walter Olsen, Walter Barroso.

No seu primeiro ano, sagrou-se campeão de um dos torneios realizados pela extinta Liga Metropolitana Cearense.

Torcida

A principal força-motriz do Fortaleza nos últimos anos tem sido a torcida, sempre lotando os estádio para apoiar nos momentos decisivos. Em 2012, foi o décimo clube que mais levou torcedores aos estádios no Campeonato Brasileiro, incluindo as Séries A, B, C e D.

Em sua última partida oficial em 2013, no empate de 2 a 2 com o Sampaio Corrêa, levou 57.143 torcedores à Arena Castelão, recorde de público desde a reinauguração do estádio.

Entre alguns torcedores ilustres, estão nomes como o músico Fagner, o cineasta Halder Gomes (diretor de “Cine Holliúdy”), o lutador de MMA Rony Jason, os jornalistas Nonato Albuquerque e Adísia Sá e os humoristas Wellington Muniz (o Ceará do programa Pânico na Band) e Tiririca.

Paixão de torcedor

Halder Gomes expõe a paixão pelo Leão e todo lugar do mundo - Foto: Arquivo Pessoal

Halder Gomes expõe a paixão pelo Leão e todo lugar do mundo – Foto: Arquivo Pessoal

“Acredito que na minha concepção, o Fortaleza e cinema surgiram juntos. Amo este time desde o nascimento. Não, não torço outro em lugar nenhum. Nenhum outro “Barcelona” da vida me seduz. E por quê o cinema, junto? Ora, o Fortaleza é um time cinematográfico. Como numa estrutura narrativa de um thriller sensacional, nenhuma de suas conquistas deixam de passar por arcos dramáticos, repletos de curvas sinuosas e tensas, reviravoltas surpreendentes que engrandecem e enaltecem seus terceiros e gloriosos atos. Torcer Fortaleza não é pra qualquer um…Tem que ter Coração de Aço!” (Halder Gomes, cineasta).

“Fortaleza. Uma das quatro virtudes cardeais, que consiste em não se deixar abater por reveses e infortúnios. Qualidade de ser forte, vigor, robustez. Assim como a combinação do vermelho, azul e branco. Assim como todas as batalhas vencidas e também perdidas ao longo desses 95 anos. Quem é Fortaleza sabe bem o que estou falando. Só quem é Fortaleza sabe bem o que sentindo…um sentimento nobre. Fomos escolhidos pelos deuses do futebol. Bem aventurados, os tricolores de aço, os tricolores de coração…Fortaleza, clube de glória e tradição!” (Nonato Albuquerque, jornalista).

Basta ser Fortaleza para ter o que se comemorar

Hoje o dia amanheceu com um brilho especial. Não por se tratar de uma sexta-feira, mas, sim, por ser 18 de outubro, data que se comemora o aniversário da maior agremiação esportiva do estado, o Fortaleza Esporte Clube.

O Tricolor do Pici está completando 95 anos de existência. Ao longo desse quase um século de vida, a fanática torcida do Fortaleza teve o prazer de vivenciar nas arquibancadas mais alegrias do que tristezas, o que o credencia, sem dúvida, como um dos maiores expoentes do futebol nordestino e até brasileiro.

Muitas já foram as expressões de amor ao Leão no decorrer do dia nas redes sociais, ruas, televisões, jornais etc. Nossa torcida tem mesmo o que comemorar. Somos o Fortaleza de Ronaldo Angelim, Luizinho das Arábias, Amilton Rocha, Rolim, Jackson de Carvalho, entre tantos outros.

Somos o Clube da Garotada, o Parque dos Campeonatos. Amamos “aquelas camisas”. Aprendemos ao nascer que ser Fortaleza é ser escolhido para viver fortes emoções, como, por exemplo, a virada histórica de 1991 contra nosso maior rival com dois gols de Mirandinha.

Pois bem, amigos tricolores, não baixemos a cabeça e nem deixemos de comemorar os 95 anos do Tricolor. Como diz o hino mais bonito do Brasil, “nossa glória é lutar e vencer também”. E será assim, lutando “sem demonstrar cansaço” que retornaremos ao caminho das conquistas, porque esse é o clube que nasceu para ser campeão.

Parabéns, Fortaleza Esporte Clube!! (Fhilipe Augusto, jornalista)

 

Ídolos

Goleiros: Lulinha, Bosco, Cícero Capacete, Salvino, Maizena, Jorge Pinheiro
Zagueiros: Ronaldo Angelim, Pedro Basílio, Caranã, Zé Paulo, Pedro Riquet
Laterais: Louro, Babá, Albéris, Expedito, Reginaldo, Rôner, Mesquita
Volantes: Daniel Frasson, Chinesinho, João Gentil, Serginho, Erandir, Tadeu, Veras
Meias: Moésio Gomes, Paulo Isidoro, Assis Paraíba, Mimi, Airton Fraga, Bechara
Atacantes: Amilton Rocha, Amilton Melo, Mirandinha, Croinha, Bececê, Mozart Gomes, Tangerina, Clodoaldo, Beijoca, Adílton, Rinaldo, Osvaldo, Sandro “Gaúcho”, Júlio César Uri Geller, Haroldo Castelo Branco