Fortaleza não sai do zero contra o Brasil de Pelotas e permanece na Série C


Fortaleza não sai do zero contra o Brasil de Pelotas e permanece na Série C

Com o estádio lotado, o time cearense não conseguiu furar a retranca Xavante e empatou a partida

Por Daniel Herculano em Fortaleza

17 de outubro de 2015 às 18:09

Há 4 anos
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/3/2015/10/brasil de pelotas

Pequena torcida do Brasil de Pelotas fez a festa (Foto: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

O roteiro poderia ser visto como um filme. As tintas de tragédia estavam ali na mesma Arena Castelão desde 2014. Com muito drama, o Fortaleza já agoniza há seis anos na Série C. E a aventura da vez foi contra o Brasil de Pelotas. E a tensão tomou de conta dos 90 minutos do jogo de volta. A partida nervosa valeu uma vaga na Série B 2016. O final foi feliz – de novo – foi para a equipe visitante.

Mesmo com as arquibancadas com sua lotação máxima (63.903 de público total), o zero a zero no placar deixa o Fortaleza pelo sétimo ano seguido na terceira divisão. 

1º tempo
No primeiro tempo só deu o time da casa. Com amplo domínio da partida, o Fortaleza criou muitas oportunidades de gol. Teve bola no travessão com chute desviado pela zaga, chute ao gol de fora da área, cabeçada de Sobralense com uma defesa espetacular de Martini, dividida em entre goleiro e centroavante, falta bem cobrada por Éverton, triangulação de Tinga e Maranhão e bolas cruzadas para ninguém complementar na pequena área. Além de controlar as ações do jogo, o Fortaleza sempre levou perigo nos contra-ataques. Mas não conseguiu furar a barreira Xavante.

Com a vantagem do empate, a primeira etapa do time gaúcho pode se resumir a muita catimba, um cartão amarelo para o seu goleiro e um chute da entrada da área que Berna defendeu com tranquilidade. Só isso.

2º tempo
Era tudo ou nada para o Fortaleza, enquanto o ritmo de jogo do Brasil de Pelotas era o de espera. O domínio cearense era evidente, contudo sem exigir do goleiro Eduardo Martini. Coube ao Leão atacar. Muitas bolas lançadas na área, cabeçada de Sobralense no travessão, vários chutes de Pio de fora da área e até para Jesus o técnico Marcelo Chamusca apelou. O atacante há tempos sem jogar, entrou aos 30 minutos de jogo para tentar mudar o filme. Mas quem obrou milagre mesmo foi o camisa 1 gaúcho. E ao final o roteiro se repetiu

Fortaleza 0 x 0 Brasil de Pelotas
Local: Arena Castelão
Arbitragem de SP: Marcelo Aparecido | Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Junior e Anderson José de Moraes Coelho

Fortaleza: Ricardo Berna; Tinga, Lima, Adalberto e Thallyson; Auremir, Corrêa, Everton, Daniel Sobralense e Maranhão;Lúcio Maranhão. Técnico: Marcelo Chamusca.

Brasil de Pelotas: Eduardo Martini; Wender, Leandro Camilo, Teco e Xaro; Leandro Leite e Washington; Felipe Garcia e Diogo Oliveira; Cleverson e Nena. Técnico: Rogério Zimmermann

Público: pagante 62.903; não pagante 1.000; público total 63.903
Renda: 2.582.575,00

Publicidade

Dê sua opinião

Fortaleza não sai do zero contra o Brasil de Pelotas e permanece na Série C

Com o estádio lotado, o time cearense não conseguiu furar a retranca Xavante e empatou a partida

Por Daniel Herculano em Fortaleza

17 de outubro de 2015 às 18:09

Há 4 anos
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/3/2015/10/brasil de pelotas

Pequena torcida do Brasil de Pelotas fez a festa (Foto: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

O roteiro poderia ser visto como um filme. As tintas de tragédia estavam ali na mesma Arena Castelão desde 2014. Com muito drama, o Fortaleza já agoniza há seis anos na Série C. E a aventura da vez foi contra o Brasil de Pelotas. E a tensão tomou de conta dos 90 minutos do jogo de volta. A partida nervosa valeu uma vaga na Série B 2016. O final foi feliz – de novo – foi para a equipe visitante.

Mesmo com as arquibancadas com sua lotação máxima (63.903 de público total), o zero a zero no placar deixa o Fortaleza pelo sétimo ano seguido na terceira divisão. 

1º tempo
No primeiro tempo só deu o time da casa. Com amplo domínio da partida, o Fortaleza criou muitas oportunidades de gol. Teve bola no travessão com chute desviado pela zaga, chute ao gol de fora da área, cabeçada de Sobralense com uma defesa espetacular de Martini, dividida em entre goleiro e centroavante, falta bem cobrada por Éverton, triangulação de Tinga e Maranhão e bolas cruzadas para ninguém complementar na pequena área. Além de controlar as ações do jogo, o Fortaleza sempre levou perigo nos contra-ataques. Mas não conseguiu furar a barreira Xavante.

Com a vantagem do empate, a primeira etapa do time gaúcho pode se resumir a muita catimba, um cartão amarelo para o seu goleiro e um chute da entrada da área que Berna defendeu com tranquilidade. Só isso.

2º tempo
Era tudo ou nada para o Fortaleza, enquanto o ritmo de jogo do Brasil de Pelotas era o de espera. O domínio cearense era evidente, contudo sem exigir do goleiro Eduardo Martini. Coube ao Leão atacar. Muitas bolas lançadas na área, cabeçada de Sobralense no travessão, vários chutes de Pio de fora da área e até para Jesus o técnico Marcelo Chamusca apelou. O atacante há tempos sem jogar, entrou aos 30 minutos de jogo para tentar mudar o filme. Mas quem obrou milagre mesmo foi o camisa 1 gaúcho. E ao final o roteiro se repetiu

Fortaleza 0 x 0 Brasil de Pelotas
Local: Arena Castelão
Arbitragem de SP: Marcelo Aparecido | Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Junior e Anderson José de Moraes Coelho

Fortaleza: Ricardo Berna; Tinga, Lima, Adalberto e Thallyson; Auremir, Corrêa, Everton, Daniel Sobralense e Maranhão;Lúcio Maranhão. Técnico: Marcelo Chamusca.

Brasil de Pelotas: Eduardo Martini; Wender, Leandro Camilo, Teco e Xaro; Leandro Leite e Washington; Felipe Garcia e Diogo Oliveira; Cleverson e Nena. Técnico: Rogério Zimmermann

Público: pagante 62.903; não pagante 1.000; público total 63.903
Renda: 2.582.575,00