Lateral-direito Valdir exalta Fortaleza e aposta no projeto tricolor em 2016


Lateral-direito Valdir exalta Fortaleza e aposta no projeto tricolor em 2016

O jogador de 28 anos falou sobre a escolha pelo Leão e do desejo de construir uma bela história pelo clube

Por Lyvia Rocha em Fortaleza

9 de janeiro de 2016 às 06:00

Há 4 anos

Vindo do Mogi Mirim (SP), o lateral-direito Valdir (28 anos), concedeu entrevista na última quarta-feira (6), e falou sobre a pré-temporada e também sobre as perspectivas para o ano de 2016 no Leão. “Estou me sentindo muito bem. Fui muito bem acolhido, a adaptação foi muito boa. Também me adaptei muito bem aos trabalhos e agora é só deixar fluir para dar tudo certo”, afirmou o atleta.

Valdir está ansiosa para retornar aos gramados (Foto: Rafael Silva/Divulgação/FortalezaEC)

Valdir está ansiosa para retornar aos gramados (Foto: Rafael Silva/Divulgação/FortalezaEC)

O atleta realizou atividades físicas intensas para concluir o período de recuperação após uma cirurgia no joelho realizada em 2015 e, no início desta semana, foi liberado para participar de trabalhos com bola sem restrições.

Com a perspectiva de retornar aos gramados em breve, Valdir apresentou suas características dentro de campo. “Meu forte é a parte ofensiva, chegar com qualidade à linha de fundo para fazer o cruzamento, mas também marco bem. Tenho muito a ajudar o Fortaleza nas partes ofensiva e defensiva”, garantiu.

Sobre ter escolhido o Tricolor do Pici como destino, o lateral-direto disse que a tradição do clube e o projeto também chamou atenção. “O que me fez escolher o Fortaleza foi tradição, história, torcida e grandeza que o clube tem, além do projeto de ser campeão cearense, campeão da Copa do Nordeste e conseguir o acesso na Série C”, exaltou.

Valdir também falou sobre o acesso com o antigo clube, mas que agora é hora de escrever outra página na sua história e na do Leão. “No Mogi, eu já tinha conseguido acesso e feito bons Paulistas, então já tinha meu currículo. Agora é hora de fazer história em outro lugar e escolhi o Fortaleza porque vejo que é um clube muito organizado, está no caminho certo e, infelizmente, vem batendo na trave. Mas esse ano vamos corrigir o que se errou no ano passado para que dê tudo certo”, disse.

Publicidade

Dê sua opinião

Lateral-direito Valdir exalta Fortaleza e aposta no projeto tricolor em 2016

O jogador de 28 anos falou sobre a escolha pelo Leão e do desejo de construir uma bela história pelo clube

Por Lyvia Rocha em Fortaleza

9 de janeiro de 2016 às 06:00

Há 4 anos

Vindo do Mogi Mirim (SP), o lateral-direito Valdir (28 anos), concedeu entrevista na última quarta-feira (6), e falou sobre a pré-temporada e também sobre as perspectivas para o ano de 2016 no Leão. “Estou me sentindo muito bem. Fui muito bem acolhido, a adaptação foi muito boa. Também me adaptei muito bem aos trabalhos e agora é só deixar fluir para dar tudo certo”, afirmou o atleta.

Valdir está ansiosa para retornar aos gramados (Foto: Rafael Silva/Divulgação/FortalezaEC)

Valdir está ansiosa para retornar aos gramados (Foto: Rafael Silva/Divulgação/FortalezaEC)

O atleta realizou atividades físicas intensas para concluir o período de recuperação após uma cirurgia no joelho realizada em 2015 e, no início desta semana, foi liberado para participar de trabalhos com bola sem restrições.

Com a perspectiva de retornar aos gramados em breve, Valdir apresentou suas características dentro de campo. “Meu forte é a parte ofensiva, chegar com qualidade à linha de fundo para fazer o cruzamento, mas também marco bem. Tenho muito a ajudar o Fortaleza nas partes ofensiva e defensiva”, garantiu.

Sobre ter escolhido o Tricolor do Pici como destino, o lateral-direto disse que a tradição do clube e o projeto também chamou atenção. “O que me fez escolher o Fortaleza foi tradição, história, torcida e grandeza que o clube tem, além do projeto de ser campeão cearense, campeão da Copa do Nordeste e conseguir o acesso na Série C”, exaltou.

Valdir também falou sobre o acesso com o antigo clube, mas que agora é hora de escrever outra página na sua história e na do Leão. “No Mogi, eu já tinha conseguido acesso e feito bons Paulistas, então já tinha meu currículo. Agora é hora de fazer história em outro lugar e escolhi o Fortaleza porque vejo que é um clube muito organizado, está no caminho certo e, infelizmente, vem batendo na trave. Mas esse ano vamos corrigir o que se errou no ano passado para que dê tudo certo”, disse.