Súmula pode punir Fortaleza com R$ 100 mil de multa e até 10 perdas de mando de campo


Súmula pode punir Fortaleza com R$ 100 mil de multa e até 10 perdas de mando de campo

Árbitro de Fortaleza x Brasil/RS relata em súmula sinalizadores, expulsão de gandulas e cadeiras quebradas na Arena Castelão

Por Lyvia Rocha em Fortaleza

20 de outubro de 2015 às 17:11

Há 4 anos
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/3/2015/10/arena castelão fernand moura

Cadeiras foram quebradas e arremessadas dentro do gramado (Foto: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

A eliminação do Fortaleza na Série C após empatar sem gols com o Brasil de Pelotas, no último sábado (17), trouxe mais uma vez cenas de quebra-quebra dentro da Arena Castelão.

Os atos de vandalismo dentro da praça esportiva foram relatados pelo árbitro da partida, Marcelo Aparecido R. de Souza, na súmula após o término do jogo que determinou o Tricolor pelo sétimo ano na Série C em 2016. A Confederação Brasileira de Futebol divulgou o documento que traz a versão do árbitro na última segunda-feira (19).

Segundo o juíz, sinalizadores foram acesos no início do segundo tempo, em dois pontos distintos dentro do Gigante da Boa Vista. Marcelo Aparecido também contou sobre as várias cadeiras (assentos e encostos) foram quebrados e arremessados para dentro do gramado da Arena Castelão.

(Foto: Reprodução/Site CBF)

(Foto: Reprodução/Site CBF)

Punição

Com a ação de parte da torcida tricolor, o Leão pode ser punido, assim como aconteceu em 2014, quando aconteceu a mesma coisa. Alguns torcedores destruíram e jogaram várias cadeiras para a relva.

De acordo com o Art. 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, deixar de tomar providências  capazes  de  prevenir e  reprimir:

I – desordens em sua praça de desporto;
II – invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo;
III – lançamento  de  objetos  no  campo  ou  local  da  disputa  do evento desportivo.

Com isso, a pena pode variar entre R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).

§ 1º – Quando a desordem, invasão ou lançamento de objeto for de elevada gravidade ou causar prejuízo ao andamento do evento desportivo, a entidade de prática poderá ser punida com a perda do mando de campo de uma a dez partidas, provas ou equivalentes, quando participante da competição oficial.

Na ocasião, o Fortaleza teve que arcar com o prejuízo e pagar R$ 7 mil pelo que aconteceu após o fim do jogo contra o Macaé. Em 2014, foram contabilizados 1.580 cadeiras quebradas.

A final do Campeonato Cearense também teve momentos para se esquecer. Logo após a confirmação do título do Fortaleza, as torcidas rivais acabaram fazendo do gramado da Arena Castelão um campo de guerra. Cadeiras arrancadas, furtos e cenas de brigas foram vistas logo após o apito do árbitro. O Fortaleza ainda cumpre punição de

Publicidade

Dê sua opinião

Súmula pode punir Fortaleza com R$ 100 mil de multa e até 10 perdas de mando de campo

Árbitro de Fortaleza x Brasil/RS relata em súmula sinalizadores, expulsão de gandulas e cadeiras quebradas na Arena Castelão

Por Lyvia Rocha em Fortaleza

20 de outubro de 2015 às 17:11

Há 4 anos
/home/tribu/public html/wp content/uploads/sites/3/2015/10/arena castelão fernand moura

Cadeiras foram quebradas e arremessadas dentro do gramado (Foto: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

A eliminação do Fortaleza na Série C após empatar sem gols com o Brasil de Pelotas, no último sábado (17), trouxe mais uma vez cenas de quebra-quebra dentro da Arena Castelão.

Os atos de vandalismo dentro da praça esportiva foram relatados pelo árbitro da partida, Marcelo Aparecido R. de Souza, na súmula após o término do jogo que determinou o Tricolor pelo sétimo ano na Série C em 2016. A Confederação Brasileira de Futebol divulgou o documento que traz a versão do árbitro na última segunda-feira (19).

Segundo o juíz, sinalizadores foram acesos no início do segundo tempo, em dois pontos distintos dentro do Gigante da Boa Vista. Marcelo Aparecido também contou sobre as várias cadeiras (assentos e encostos) foram quebrados e arremessados para dentro do gramado da Arena Castelão.

(Foto: Reprodução/Site CBF)

(Foto: Reprodução/Site CBF)

Punição

Com a ação de parte da torcida tricolor, o Leão pode ser punido, assim como aconteceu em 2014, quando aconteceu a mesma coisa. Alguns torcedores destruíram e jogaram várias cadeiras para a relva.

De acordo com o Art. 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, deixar de tomar providências  capazes  de  prevenir e  reprimir:

I – desordens em sua praça de desporto;
II – invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo;
III – lançamento  de  objetos  no  campo  ou  local  da  disputa  do evento desportivo.

Com isso, a pena pode variar entre R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).

§ 1º – Quando a desordem, invasão ou lançamento de objeto for de elevada gravidade ou causar prejuízo ao andamento do evento desportivo, a entidade de prática poderá ser punida com a perda do mando de campo de uma a dez partidas, provas ou equivalentes, quando participante da competição oficial.

Na ocasião, o Fortaleza teve que arcar com o prejuízo e pagar R$ 7 mil pelo que aconteceu após o fim do jogo contra o Macaé. Em 2014, foram contabilizados 1.580 cadeiras quebradas.

A final do Campeonato Cearense também teve momentos para se esquecer. Logo após a confirmação do título do Fortaleza, as torcidas rivais acabaram fazendo do gramado da Arena Castelão um campo de guerra. Cadeiras arrancadas, furtos e cenas de brigas foram vistas logo após o apito do árbitro. O Fortaleza ainda cumpre punição de