Retrospectiva: confira 20 personalidades esportivas que morreram em 2014


Retrospectiva: confira 20 personalidades esportivas que morreram em 2014

Após um ano sombrio, de varias perdas em todos os âmbitos, o Tribuna do Ceará listou o falecimento de 20 personalidades esportivas que nos deixaram

Por Rodrigo Cavalcante em Futebol

31 de dezembro de 2014 às 09:00

Há 5 anos

Que o ano de 2014 foi triste do ponto de vista de falecimentos, isso ninguém tem duvida. No área esportiva não foi diferente. Eusébio, eterno ídolo do futebol português; Bellini, primeiro capitão a erguer uma taça de Copa do Mundo para o Brasil no ano de 1958; e Luciano do Valle, narrador símbolo do TV Bandeirantes, foram umas das tantas baixas sofridas pelo esporte. Pensando nisso, o Tribuna do Ceará listou 20 personalidades esportivas que nos deixaram esse ano. Confira:

Eusébio (25/1/1942 — 5/1/2014)

Eusébio foi ídolo em Portugal. (Foto: Arquivo Pessoal)

Eusébio foi ídolo em Portugal. (Foto: Arquivo Pessoal)

Considerado o maior maior jogador da história da seleção portuguesa, Eusébio morreu aos 71 anos, vítima de uma parada cardiorrespiratória. O atacante, que nasceu em Moçambique, era conhecido como Pantera Negra e fez história jogando pelo Benfica.

Luis Aragonés (28/07/1938 – 01/02/2014)

Luis Aragonés (28/07/1938 - 01/02/2014)

Luis Aragonés (28/07/1938 – 01/02/2014)

Treinador da seleção espanhola entre 2004 e 2008, ano que foi campeão da Eurocopa, Luis Aragonés foi ídolo do Atlético de Madri. Após se afastar no segundo semestre de 2013, o ex-treinador faleceu em fevereiro deste ano, vítima de uma doença de sangue.

Mário Travaglini ( 30/4/1932 — 20/2/2014)

Mário Travaglini. (Foto: Uol/Band)

Mário Travaglini. (Foto: Uol/Band)

O ex-­treinador Mário Travaglini morreu aos 81 anos, devido a complicações respiratórias provenientes de um câncer. Travaglini realizou trabalhos de sucesso no Palmeiras e no Vasco, clubes onde foi campeão brasileiro (em 1967 e 1974, respectivamente). O ex-técnico também era o treinador do Corinthians na conquista do Campeonato Paulista de 1982, naquele time que ficou conhecido como Democracia Corintiana.

Chicão (63 anos) (28/2/2014)

Chicão. (FOTO: Reprodução/Instagram)

Chicão. (FOTO: Reprodução/Instagram)

Francisco Pereira dos Santos, mais conhecido como Chicão, era supervisor de futebol do Ferroviário e tinha 63 anos. Chicão trabalhava durante o dia todo na sede do Tubarão, na Barra do Ceará. O detalhe triste é que Chicão morreu dias depois do rebaixamento do Ferroviário para a 2ª divisão do Campeonato Cearense.

Bellini (7/6/1930 – 20/3/2014)

Bellini. (Foto: Arquivo pessoal)

Bellini. (Foto: Arquivo pessoal)

Capitão da Seleção Brasileira de Futebol na conquista do primeiro título mundial, em 1958, o zagueiro Hideraldo Luís Bellini imortalizou e realizou pela primeira vez o gesto de erguer uma taça de campeão mundial de futebol. Atuou por times como Vasco, São Paulo e Atlético-PR, onde se aposentou em 1969. O ex-jogador sofreu do Mal de Alzheimer por quase uma década e faleceu em 20 de março.

James Hellwig (16/6/1959 — 8/4/2014)

Hellwig. (Acervo Pessoal)

Hellwig. (Acervo Pessoal)

O ex­-lutador James Hellwig, conhecido como The Ultimate Warrior, um dos mais famosos do circuito profissional de wrestling dos Estados Unidos, morreu aos 54 anos, dias depois de entrar para o Hall da Fama da categoria. A causa da morte não foi revelada.

Luciano do Valle (04/07/1947 – 19/04/2014)

Luciano do Valle. (Uol/Band)

Luciano do Valle. (Uol/Band)

Narrador esportivo marcou época na televisão brasileira desde a década de 70. Era o principal narrador da Band, onde teve duas passagens, de 1983 a 2003 e depois de 2006 até a data da morte. Transformou a emissora em Canal do Esporte. O narrador faleceu vitimado por uma parada respiratória quando chegava a Minas Gerais para fazer a transmissão de uma partida entre Atlético-MG e Corinthians.

Rubin Carter (6/5/1937 – 20/4/2014)

Carter. (Foto: Band/Uol)

Carter. (Foto: Band/Uol)

O ex­-boxeador Rubin Carter, conhecido como “Hurricane” (furacão, em inglês), morreu aos 76 anos vítima de câncer de próstata. Em 40 lutas como peso médio, ele conquistou 27 vitórias em uma carreira que foi interrompida abruptamente aos 29 anos, quando foi preso por um assassinato que não cometeu. Após ficar 19 anos encarcerado injustamente, Carter foi solto em 1985 após a Justiça determinar a anulação da pena e a inocência do boxeador. Negro, Carter se tornou um ícone da luta contra o racismo.

Tito Villanova (17/9/1968 — 25/4/2014)

Tito Vilanova. (Foto: Divulgação/Barcelona)

Tito Vilanova. (Foto: Divulgação/Barcelona)

Jogador e treinador, o espanhol faleceu após dois anos de grande luta contra um câncer na glândula parótida em fase terminal. Como treinador, comandou o Barcelona por quase nove meses e deixou o comando técnico do time catalão em 19 de julho de 2013 devido a uma recaída na sua saúde.

Jack Brabham (2/4/1926 — 19/5/2014)

Jack Brabham. (Foto: Uol/Band)

Jack Brabham. (Foto: Uol/Band)

O tricampeão mundial de Fórmula 1 Jack Brabham morreu aos 88 anos. A família do ex-­piloto não revelou a causa da morte; apenas informou em um comunicado que Brabham morreu de “forma tranquila”. O piloto britânico foi a única pessoa na história do Mundial a conquistar um título com um carro de sua própria equipe.

Washington (3/1/1960 – 25/5/2014) e Assis (12/11/1952 — 6/6/2014)

Casal 20, Washington e Assis. (foto: divulgação/Fluminense)

Casal 20, Washington e Assis. (foto: divulgação/Fluminense)

A dupla de ataque ficou conhecida por fazer história no Atlético-PR e Fluminense, sendo conhecida como “Casal Vinte”. O curioso é que a dupla faleceu no intervalo de pouco mais de uma semana.

Maurício Torres (14/2/1971 — 31/5/2014)

Mauricio Torres. (Foto: Uol/Band)

Mauricio Torres. (Foto: Uol/Band)

O narrador Maurício Torres, da TV Record, ficou internado por quase um mês no hospital Sírio ­Libanês, em São Paulo, por problema no coração com quadro de arritmia cardíaca. Mauricio narrou Copa do Mundo, Jogos Olímpicos e Pan-Americanos. O carioca começou a se destacar, na década de 90, no Sistema Globo de Rádio e nos canais Globosat. Em 1996, entrou para a Rede Globo, onde além de fazer transmissões esportivas, apresentava o bloco esportivo do “Bom Dia Brasil”, eventualmente o Globo Esporte – além do “Espaço Aberto Esporte, da Globo News. Chegou a Record em 2005, para ser o seu primeiro nome na locução esportiva.Torres morreu aos 43 anos em consequência de uma infecção no coração.

Marinho Chagas (8/2/1952 — 1/6/2014)

Marinho Chagas. (Foto: Uol/Band)

Marinho Chagas. (Foto: Uol/Band)

Marinho era lateral-esquerdo e foi considerado pela imprensa mundial o destaque do Brasil na Copa do Mundo de 1974. Com passagem pelo Fortaleza no ano de 1984, Marinho foi um dos ídolos do Botafogo na década de 1970.O ex-jogador morreu em decorrência de uma hemorragia digestiva.

Fernandão (18/3/1978 — 7/6/2014)

Fernandão. Foto: Divulgação/InternacionalSC)

Fernandão. Foto: Divulgação/InternacionalSC)

O atacante que começou carreira no Goiás, fez carreira e conquistou vários títulos, entre eles a Libertadores e o Mundial Interclubes de 2006 pelo Internacional. Fernando Lúcio da Costa voltava de sua casa em Aruanã-GO, cidade no interior para a capital, localizada a 315km de distância quando seu helicóptero caiu vitimando ele e mais quatro amigos.

Alfredo Di Stéfano (4/7/1926 — 7/7/2014)

Alfredo Di Stefano. (Foto: divulgação/realmadrid)

Alfredo Di Stefano. (Foto: divulgação/realmadrid)

Considerado um dos maiores jogadores de todos tempos, Di Stéfano foi jogador e treinador, que, além de ter jogado pela Seleção Argentina, jogou também pela Colômbia e pela Espanha. O ex-jogador faleceu em decorrência de uma parada cardíaca.

Osmar de Oliveira (20/06/1943 -11/07/2014)

Osmar de Oliveira. (Foto: uol/band)

Osmar de Oliveira. (Foto: uol/band)

Médico, jornalista e locutor esportivo, Osmar de Oliveira apareceu na Rede Bandeirantes, e foi comentarista esportivo nos programas Jogo Aberto e Terceiro Tempo. Doutor Osmar, como era conhecido no meio esportivo, faleceu em decorrência de uma parada cardíaca.

Armando Marques (6/2/1930 — 16/7/2014)

Armando Marques. (Foto: Uol/Band)

Armando Marques. (Foto: Uol/Band)

Conhecida por ser polêmico, Armando foi considerado o melhor árbitro de futebol brasileiro enquanto esteve em atividade. Amado e odiado pelos torcedores e jogadores, o arbitro se perpetuou por seus erros históricos, principalmente em jogos de futebol de São Paulo. Anulou um gol de Leivinha do Palmeiras, pois assinalou que foi com a mão quando as imagens mostraram claramente que foi com a cabeça. Esse erro ajudou o São Paulo a ser campeão paulista de 1971, pois aconteceu na final entre os dois clubes.

Lori Sandri (29/1/1949 — 3/10/2014)

Lori Sandri. (Foto: Uol/Band)

Lori Sandri. (Foto: Uol/Band)

O ex-treinador faleceu em decorrência de um tumor cerebral. Nascido em Encantado (RS), ele tinha 65 anos e lutou contra a doença por quase um ano. Em 1998, Lori Sandri quebrou com o Juventude um tabu de 59 anos de um título para o interior gaúcho. Além do time da Serra Gaúcha, Lori passou por Inter, Criciúma, Coritiba, Goiás, Atlético-MG, Sport e Guarani, entre outros.

Salvador Barbosa (15/7/1960 – 25/11/2014)

Salvador Barbosa. (foto: arquivo pessoal)

Salvador Barbosa. (foto: arquivo pessoal)

Salvador Barbosa, ex-zagueiro e também ex-técnico do Fortaleza, foi encontrado morto em sua residência no dia 25 de novembro. A causa do óbito foi morte natural. Natural de Porto Alegre, Claudinei Barbosa de Oliveira fez dupla de zaga com Luiz Felipe Scolari no Aimoré, clube gaúcho. Atuou também por Internacional, Juventude, São Luiz-RS, Humaitá-BA, Fortaleza, Grêmio e Flamengo.

Publicidade

Dê sua opinião

Retrospectiva: confira 20 personalidades esportivas que morreram em 2014

Após um ano sombrio, de varias perdas em todos os âmbitos, o Tribuna do Ceará listou o falecimento de 20 personalidades esportivas que nos deixaram

Por Rodrigo Cavalcante em Futebol

31 de dezembro de 2014 às 09:00

Há 5 anos

Que o ano de 2014 foi triste do ponto de vista de falecimentos, isso ninguém tem duvida. No área esportiva não foi diferente. Eusébio, eterno ídolo do futebol português; Bellini, primeiro capitão a erguer uma taça de Copa do Mundo para o Brasil no ano de 1958; e Luciano do Valle, narrador símbolo do TV Bandeirantes, foram umas das tantas baixas sofridas pelo esporte. Pensando nisso, o Tribuna do Ceará listou 20 personalidades esportivas que nos deixaram esse ano. Confira:

Eusébio (25/1/1942 — 5/1/2014)

Eusébio foi ídolo em Portugal. (Foto: Arquivo Pessoal)

Eusébio foi ídolo em Portugal. (Foto: Arquivo Pessoal)

Considerado o maior maior jogador da história da seleção portuguesa, Eusébio morreu aos 71 anos, vítima de uma parada cardiorrespiratória. O atacante, que nasceu em Moçambique, era conhecido como Pantera Negra e fez história jogando pelo Benfica.

Luis Aragonés (28/07/1938 – 01/02/2014)

Luis Aragonés (28/07/1938 - 01/02/2014)

Luis Aragonés (28/07/1938 – 01/02/2014)

Treinador da seleção espanhola entre 2004 e 2008, ano que foi campeão da Eurocopa, Luis Aragonés foi ídolo do Atlético de Madri. Após se afastar no segundo semestre de 2013, o ex-treinador faleceu em fevereiro deste ano, vítima de uma doença de sangue.

Mário Travaglini ( 30/4/1932 — 20/2/2014)

Mário Travaglini. (Foto: Uol/Band)

Mário Travaglini. (Foto: Uol/Band)

O ex-­treinador Mário Travaglini morreu aos 81 anos, devido a complicações respiratórias provenientes de um câncer. Travaglini realizou trabalhos de sucesso no Palmeiras e no Vasco, clubes onde foi campeão brasileiro (em 1967 e 1974, respectivamente). O ex-técnico também era o treinador do Corinthians na conquista do Campeonato Paulista de 1982, naquele time que ficou conhecido como Democracia Corintiana.

Chicão (63 anos) (28/2/2014)

Chicão. (FOTO: Reprodução/Instagram)

Chicão. (FOTO: Reprodução/Instagram)

Francisco Pereira dos Santos, mais conhecido como Chicão, era supervisor de futebol do Ferroviário e tinha 63 anos. Chicão trabalhava durante o dia todo na sede do Tubarão, na Barra do Ceará. O detalhe triste é que Chicão morreu dias depois do rebaixamento do Ferroviário para a 2ª divisão do Campeonato Cearense.

Bellini (7/6/1930 – 20/3/2014)

Bellini. (Foto: Arquivo pessoal)

Bellini. (Foto: Arquivo pessoal)

Capitão da Seleção Brasileira de Futebol na conquista do primeiro título mundial, em 1958, o zagueiro Hideraldo Luís Bellini imortalizou e realizou pela primeira vez o gesto de erguer uma taça de campeão mundial de futebol. Atuou por times como Vasco, São Paulo e Atlético-PR, onde se aposentou em 1969. O ex-jogador sofreu do Mal de Alzheimer por quase uma década e faleceu em 20 de março.

James Hellwig (16/6/1959 — 8/4/2014)

Hellwig. (Acervo Pessoal)

Hellwig. (Acervo Pessoal)

O ex­-lutador James Hellwig, conhecido como The Ultimate Warrior, um dos mais famosos do circuito profissional de wrestling dos Estados Unidos, morreu aos 54 anos, dias depois de entrar para o Hall da Fama da categoria. A causa da morte não foi revelada.

Luciano do Valle (04/07/1947 – 19/04/2014)

Luciano do Valle. (Uol/Band)

Luciano do Valle. (Uol/Band)

Narrador esportivo marcou época na televisão brasileira desde a década de 70. Era o principal narrador da Band, onde teve duas passagens, de 1983 a 2003 e depois de 2006 até a data da morte. Transformou a emissora em Canal do Esporte. O narrador faleceu vitimado por uma parada respiratória quando chegava a Minas Gerais para fazer a transmissão de uma partida entre Atlético-MG e Corinthians.

Rubin Carter (6/5/1937 – 20/4/2014)

Carter. (Foto: Band/Uol)

Carter. (Foto: Band/Uol)

O ex­-boxeador Rubin Carter, conhecido como “Hurricane” (furacão, em inglês), morreu aos 76 anos vítima de câncer de próstata. Em 40 lutas como peso médio, ele conquistou 27 vitórias em uma carreira que foi interrompida abruptamente aos 29 anos, quando foi preso por um assassinato que não cometeu. Após ficar 19 anos encarcerado injustamente, Carter foi solto em 1985 após a Justiça determinar a anulação da pena e a inocência do boxeador. Negro, Carter se tornou um ícone da luta contra o racismo.

Tito Villanova (17/9/1968 — 25/4/2014)

Tito Vilanova. (Foto: Divulgação/Barcelona)

Tito Vilanova. (Foto: Divulgação/Barcelona)

Jogador e treinador, o espanhol faleceu após dois anos de grande luta contra um câncer na glândula parótida em fase terminal. Como treinador, comandou o Barcelona por quase nove meses e deixou o comando técnico do time catalão em 19 de julho de 2013 devido a uma recaída na sua saúde.

Jack Brabham (2/4/1926 — 19/5/2014)

Jack Brabham. (Foto: Uol/Band)

Jack Brabham. (Foto: Uol/Band)

O tricampeão mundial de Fórmula 1 Jack Brabham morreu aos 88 anos. A família do ex-­piloto não revelou a causa da morte; apenas informou em um comunicado que Brabham morreu de “forma tranquila”. O piloto britânico foi a única pessoa na história do Mundial a conquistar um título com um carro de sua própria equipe.

Washington (3/1/1960 – 25/5/2014) e Assis (12/11/1952 — 6/6/2014)

Casal 20, Washington e Assis. (foto: divulgação/Fluminense)

Casal 20, Washington e Assis. (foto: divulgação/Fluminense)

A dupla de ataque ficou conhecida por fazer história no Atlético-PR e Fluminense, sendo conhecida como “Casal Vinte”. O curioso é que a dupla faleceu no intervalo de pouco mais de uma semana.

Maurício Torres (14/2/1971 — 31/5/2014)

Mauricio Torres. (Foto: Uol/Band)

Mauricio Torres. (Foto: Uol/Band)

O narrador Maurício Torres, da TV Record, ficou internado por quase um mês no hospital Sírio ­Libanês, em São Paulo, por problema no coração com quadro de arritmia cardíaca. Mauricio narrou Copa do Mundo, Jogos Olímpicos e Pan-Americanos. O carioca começou a se destacar, na década de 90, no Sistema Globo de Rádio e nos canais Globosat. Em 1996, entrou para a Rede Globo, onde além de fazer transmissões esportivas, apresentava o bloco esportivo do “Bom Dia Brasil”, eventualmente o Globo Esporte – além do “Espaço Aberto Esporte, da Globo News. Chegou a Record em 2005, para ser o seu primeiro nome na locução esportiva.Torres morreu aos 43 anos em consequência de uma infecção no coração.

Marinho Chagas (8/2/1952 — 1/6/2014)

Marinho Chagas. (Foto: Uol/Band)

Marinho Chagas. (Foto: Uol/Band)

Marinho era lateral-esquerdo e foi considerado pela imprensa mundial o destaque do Brasil na Copa do Mundo de 1974. Com passagem pelo Fortaleza no ano de 1984, Marinho foi um dos ídolos do Botafogo na década de 1970.O ex-jogador morreu em decorrência de uma hemorragia digestiva.

Fernandão (18/3/1978 — 7/6/2014)

Fernandão. Foto: Divulgação/InternacionalSC)

Fernandão. Foto: Divulgação/InternacionalSC)

O atacante que começou carreira no Goiás, fez carreira e conquistou vários títulos, entre eles a Libertadores e o Mundial Interclubes de 2006 pelo Internacional. Fernando Lúcio da Costa voltava de sua casa em Aruanã-GO, cidade no interior para a capital, localizada a 315km de distância quando seu helicóptero caiu vitimando ele e mais quatro amigos.

Alfredo Di Stéfano (4/7/1926 — 7/7/2014)

Alfredo Di Stefano. (Foto: divulgação/realmadrid)

Alfredo Di Stefano. (Foto: divulgação/realmadrid)

Considerado um dos maiores jogadores de todos tempos, Di Stéfano foi jogador e treinador, que, além de ter jogado pela Seleção Argentina, jogou também pela Colômbia e pela Espanha. O ex-jogador faleceu em decorrência de uma parada cardíaca.

Osmar de Oliveira (20/06/1943 -11/07/2014)

Osmar de Oliveira. (Foto: uol/band)

Osmar de Oliveira. (Foto: uol/band)

Médico, jornalista e locutor esportivo, Osmar de Oliveira apareceu na Rede Bandeirantes, e foi comentarista esportivo nos programas Jogo Aberto e Terceiro Tempo. Doutor Osmar, como era conhecido no meio esportivo, faleceu em decorrência de uma parada cardíaca.

Armando Marques (6/2/1930 — 16/7/2014)

Armando Marques. (Foto: Uol/Band)

Armando Marques. (Foto: Uol/Band)

Conhecida por ser polêmico, Armando foi considerado o melhor árbitro de futebol brasileiro enquanto esteve em atividade. Amado e odiado pelos torcedores e jogadores, o arbitro se perpetuou por seus erros históricos, principalmente em jogos de futebol de São Paulo. Anulou um gol de Leivinha do Palmeiras, pois assinalou que foi com a mão quando as imagens mostraram claramente que foi com a cabeça. Esse erro ajudou o São Paulo a ser campeão paulista de 1971, pois aconteceu na final entre os dois clubes.

Lori Sandri (29/1/1949 — 3/10/2014)

Lori Sandri. (Foto: Uol/Band)

Lori Sandri. (Foto: Uol/Band)

O ex-treinador faleceu em decorrência de um tumor cerebral. Nascido em Encantado (RS), ele tinha 65 anos e lutou contra a doença por quase um ano. Em 1998, Lori Sandri quebrou com o Juventude um tabu de 59 anos de um título para o interior gaúcho. Além do time da Serra Gaúcha, Lori passou por Inter, Criciúma, Coritiba, Goiás, Atlético-MG, Sport e Guarani, entre outros.

Salvador Barbosa (15/7/1960 – 25/11/2014)

Salvador Barbosa. (foto: arquivo pessoal)

Salvador Barbosa. (foto: arquivo pessoal)

Salvador Barbosa, ex-zagueiro e também ex-técnico do Fortaleza, foi encontrado morto em sua residência no dia 25 de novembro. A causa do óbito foi morte natural. Natural de Porto Alegre, Claudinei Barbosa de Oliveira fez dupla de zaga com Luiz Felipe Scolari no Aimoré, clube gaúcho. Atuou também por Internacional, Juventude, São Luiz-RS, Humaitá-BA, Fortaleza, Grêmio e Flamengo.