Brasil perde para a Rússia na decisão da Liga Mundial de Vôlei - Esportes


Brasil perde para a Rússia na decisão da Liga Mundial de Vôlei

Por helton em Sem categoria

10 de julho de 2011 às 20:32

Há 8 anos

A seleção brasileira de vôlei foi derrotado de virada pela Rússia por 3 sets a 2 (parciais de 23/25, 27/25, 25/23, 25/22 e 15/11) e viu o adversário conquistar o título da Liga Mundial de Vôlei, em partida disputada em Gdansk, na Polônia. Foi o segundo título da Liga Mundial da História da Rússia (o outro também aconteceu contra o Brasil, em 2002).

No primeiro set, depois de abrir quatro pontos, os brasileiros deixaram os rivais empatarem em 15 a 15, mas confirmaram o ponto que levou o set à sua segunda parada técnica. A partir dali, os comandados de Bernardinho mantiveram uma vantagem de dois pontos até os instantes finais da parcial, fechando em 25 a 23 após 26 minutos de bola rolando.

No segundo set a mesma situação se repetiu, com a disputa bastante parelha até a metade do set, quando os russos abriram três pontos. Inconstantes, eles viram o Brasil empatar novamente o set em 15 a 15, a exemplo do set anterior, mas desta vez a equipe do Leste Europeu conseguiu abrir dois pontos. A vantagem persistiu até o set point, quando os brasileiros respiraram e empataram o jogo em 24 a 24. No entanto, o central Khtei marcou dois pontos seguidos e garantiu o empate para os rivais em 27 a 25, e 1 set a 1.

O empate acendeu os russos, que voltaram com o mesmo ritmo forte com o qual encerraram o set anterior. Rapidamente, os europeus conseguiram uma confortável vantagem em torno de três a quatro pontos, passando pela primeira pausa técnica com tranquilidade e abrindo cinco pontos ao fazer 14/9 no placar.

Com a maior diferença do jogo a favor dos russos, o Brasil acordou e buscou ao menos quatro pontos, fazendo 14/13. Apesar disso, os russos seguiram melhor na parcial e se mantiveram à frente pela vantagem mínima. Bernardinho acionou Dante pela primeira vez no jogo, mas a mudança não deu resultado e o time sul-americano perdeu a parcial por 25 a 23, ficando em desvantagem no placar de sets (2 a 1 para a Rússia).

O Brasil respirou bem no quarto set e, com as boas entradas de Rodrigão e Dante, o time foi melhor e superou os russos no momento mais importante do set. Desta vez, a Seleção nunca ficou atrás no placar, e fechou a parcial em um “rápido” 25 a 22, se comparado aos demais sets.

No tie-break, a disputa seguiu parelha nos três primeiros pontos. Quando o placar marcava 2 a 1, o Brasil fez um claro ponto de bloqueio, mas a arbitragem marcou a favor dos russos, deixando os jogadores e principalmente a comissão técnica bastante irritados – a ponto de Bernardinho precisar acalmar os demais integrantes do staff técnico.

Quando os ânimos se acalmaram, os russos se animaram pela marcação da arbitragem e conseguiram abrir dois pontos de vantagem, e Bernardo Rezende pediu tempo técnico com 7/5 no placar. Melhores no jogo, os russos mantiveram a diferença no placar nos pontos seguintes. Sem reação, o Brasil deixou a vitória escapar por entre os dedos e viu os rivais finalizarem em 15 a 11, faturando o título.

Com informações do portal Terra

Publicidade

Dê sua opinião

Brasil perde para a Rússia na decisão da Liga Mundial de Vôlei

Por helton em Sem categoria

10 de julho de 2011 às 20:32

Há 8 anos

A seleção brasileira de vôlei foi derrotado de virada pela Rússia por 3 sets a 2 (parciais de 23/25, 27/25, 25/23, 25/22 e 15/11) e viu o adversário conquistar o título da Liga Mundial de Vôlei, em partida disputada em Gdansk, na Polônia. Foi o segundo título da Liga Mundial da História da Rússia (o outro também aconteceu contra o Brasil, em 2002).

No primeiro set, depois de abrir quatro pontos, os brasileiros deixaram os rivais empatarem em 15 a 15, mas confirmaram o ponto que levou o set à sua segunda parada técnica. A partir dali, os comandados de Bernardinho mantiveram uma vantagem de dois pontos até os instantes finais da parcial, fechando em 25 a 23 após 26 minutos de bola rolando.

No segundo set a mesma situação se repetiu, com a disputa bastante parelha até a metade do set, quando os russos abriram três pontos. Inconstantes, eles viram o Brasil empatar novamente o set em 15 a 15, a exemplo do set anterior, mas desta vez a equipe do Leste Europeu conseguiu abrir dois pontos. A vantagem persistiu até o set point, quando os brasileiros respiraram e empataram o jogo em 24 a 24. No entanto, o central Khtei marcou dois pontos seguidos e garantiu o empate para os rivais em 27 a 25, e 1 set a 1.

O empate acendeu os russos, que voltaram com o mesmo ritmo forte com o qual encerraram o set anterior. Rapidamente, os europeus conseguiram uma confortável vantagem em torno de três a quatro pontos, passando pela primeira pausa técnica com tranquilidade e abrindo cinco pontos ao fazer 14/9 no placar.

Com a maior diferença do jogo a favor dos russos, o Brasil acordou e buscou ao menos quatro pontos, fazendo 14/13. Apesar disso, os russos seguiram melhor na parcial e se mantiveram à frente pela vantagem mínima. Bernardinho acionou Dante pela primeira vez no jogo, mas a mudança não deu resultado e o time sul-americano perdeu a parcial por 25 a 23, ficando em desvantagem no placar de sets (2 a 1 para a Rússia).

O Brasil respirou bem no quarto set e, com as boas entradas de Rodrigão e Dante, o time foi melhor e superou os russos no momento mais importante do set. Desta vez, a Seleção nunca ficou atrás no placar, e fechou a parcial em um “rápido” 25 a 22, se comparado aos demais sets.

No tie-break, a disputa seguiu parelha nos três primeiros pontos. Quando o placar marcava 2 a 1, o Brasil fez um claro ponto de bloqueio, mas a arbitragem marcou a favor dos russos, deixando os jogadores e principalmente a comissão técnica bastante irritados – a ponto de Bernardinho precisar acalmar os demais integrantes do staff técnico.

Quando os ânimos se acalmaram, os russos se animaram pela marcação da arbitragem e conseguiram abrir dois pontos de vantagem, e Bernardo Rezende pediu tempo técnico com 7/5 no placar. Melhores no jogo, os russos mantiveram a diferença no placar nos pontos seguintes. Sem reação, o Brasil deixou a vitória escapar por entre os dedos e viu os rivais finalizarem em 15 a 11, faturando o título.

Com informações do portal Terra