Atenção no Carnaval: Afogamento é a segunda causa de morte infantil


Atenção no Carnaval: Afogamento é a segunda causa de morte infantil

Com a chegada do feriadão, os pais precisam ter cuidado ao deixar as crianças perto da água

Por Marcella Ruchet em Ceará

1 de março de 2014 às 08:00

Há 5 anos

Segundo a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), o afogamento é a segunda causa de óbito em crianças de 1 a 9 anos, perdendo apenas para acidentes de trânsito. Para o feriadão de Carnaval, o dado, mais atualizado em 2011, serve de alerta. Especialmente no Ceará, onde o banho é lazer no litoral e no interior.

O que fazer em caso de afogamento (FOTO: Corpo de Bombeiros)

O que fazer em caso de afogamento (FOTO: Corpo de Bombeiros)

O estado tem cerca de 573 quilômetros de praias e conta com inúmeros rios, riachos, lagoas, açudes e barragens. No período do Carnaval, as famílias viajam para as praias e para o interior do estado e precisam ter atenção redobrada com as crianças, que costumam brincar em rios, açudes e mares, pois cerca de 40% dos afogamentos acontecem nesses lugares.

“O melhor guarda vidas de uma criança é seu próprio pai ou sua mãe”, afirma o Major Barreto, comandante de salvamento aquático de Corpo de Bombeiros. Afinal, de acordo com ele os acidentes aquáticos costumam acontecer de um minuto para o outro.

De acordo com ele, a principal causa de afogamento na Praia do Futuro, em Fortaleza, é o fato de que os pais deixam as crianças sozinhas na beira do mar, enquanto ficam observando de longe nas barracas. “Os pais esquecem dos filhos e isso gera dois problemas: o afogamento e o sumiço da criança”, pontua.

O major explica também que, se você não souber nadar, não entre para salvar alguém que esteja se afogando, mesmo que seja seu filho. “Quando a pessoa não sabe nadar e entra para fazer um salvamento, ela acaba se afogando também.”

>LEIA MAIS

O comandante explica também como proceder no caso de um afogamento. Ele diz que se a criança estiver consciente, é necessário colocá-la de lado, para que ela vomite todo o líquido que engoliu. Mas se a vítima estiver inconsciente ou não for capaz de respirar, a massagem cardíaca deve ser feita imediatamente. Outro procedimento é aquecer a vítima e levá-la para o hospital.

Publicidade

Dê sua opinião

Atenção no Carnaval: Afogamento é a segunda causa de morte infantil

Com a chegada do feriadão, os pais precisam ter cuidado ao deixar as crianças perto da água

Por Marcella Ruchet em Ceará

1 de março de 2014 às 08:00

Há 5 anos

Segundo a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), o afogamento é a segunda causa de óbito em crianças de 1 a 9 anos, perdendo apenas para acidentes de trânsito. Para o feriadão de Carnaval, o dado, mais atualizado em 2011, serve de alerta. Especialmente no Ceará, onde o banho é lazer no litoral e no interior.

O que fazer em caso de afogamento (FOTO: Corpo de Bombeiros)

O que fazer em caso de afogamento (FOTO: Corpo de Bombeiros)

O estado tem cerca de 573 quilômetros de praias e conta com inúmeros rios, riachos, lagoas, açudes e barragens. No período do Carnaval, as famílias viajam para as praias e para o interior do estado e precisam ter atenção redobrada com as crianças, que costumam brincar em rios, açudes e mares, pois cerca de 40% dos afogamentos acontecem nesses lugares.

“O melhor guarda vidas de uma criança é seu próprio pai ou sua mãe”, afirma o Major Barreto, comandante de salvamento aquático de Corpo de Bombeiros. Afinal, de acordo com ele os acidentes aquáticos costumam acontecer de um minuto para o outro.

De acordo com ele, a principal causa de afogamento na Praia do Futuro, em Fortaleza, é o fato de que os pais deixam as crianças sozinhas na beira do mar, enquanto ficam observando de longe nas barracas. “Os pais esquecem dos filhos e isso gera dois problemas: o afogamento e o sumiço da criança”, pontua.

O major explica também que, se você não souber nadar, não entre para salvar alguém que esteja se afogando, mesmo que seja seu filho. “Quando a pessoa não sabe nadar e entra para fazer um salvamento, ela acaba se afogando também.”

>LEIA MAIS

O comandante explica também como proceder no caso de um afogamento. Ele diz que se a criança estiver consciente, é necessário colocá-la de lado, para que ela vomite todo o líquido que engoliu. Mas se a vítima estiver inconsciente ou não for capaz de respirar, a massagem cardíaca deve ser feita imediatamente. Outro procedimento é aquecer a vítima e levá-la para o hospital.