Ceará é destaque negativo no El País


Ceará é destaque negativo no El País

O estado apresentou a segunda maior taxa de homicídios por mês no Brasil

Por Tribuna do Ceará em Ceará

1 de dezembro de 2013 às 17:27

Há 6 anos
el-pais

Jornal El País (El País/divulgação)

O Ceará foi destaque negativo no El País, jornal espanhol com correspondente no Brasil. Dessa vez, o estado apresentou a segunda maior taxa de homicídios por mês no Brasil (40,6), ficando atrás somente de Alagoas (64,5) no ano de 2012.

> LEIA MAIS:
Ceará é o 3º estado com maior taxa de homicídios do Brasil
Interior do estado registra 625 homicídios em oito meses

A cada 100 mil habitantes, 40,6 pessoas são assassinadas no Ceará a cada mês. Esse número vem crescendo, já que, de 2011 para 2012, o aumento foi de 32,2%. Esse total de mortes é maior que a média brasileira, de 24,3.

Além disso, os gastos com segurança no estado também aumentaram. Em 2011, foram gastos R$ 964,1 milhões, enquanto em 2012 foram 1.476,5 milhões. Isso significa que o investimento em segurança está 53,1% maior.

Publicidade

Dê sua opinião

Ceará é destaque negativo no El País

O estado apresentou a segunda maior taxa de homicídios por mês no Brasil

Por Tribuna do Ceará em Ceará

1 de dezembro de 2013 às 17:27

Há 6 anos
el-pais

Jornal El País (El País/divulgação)

O Ceará foi destaque negativo no El País, jornal espanhol com correspondente no Brasil. Dessa vez, o estado apresentou a segunda maior taxa de homicídios por mês no Brasil (40,6), ficando atrás somente de Alagoas (64,5) no ano de 2012.

> LEIA MAIS:
Ceará é o 3º estado com maior taxa de homicídios do Brasil
Interior do estado registra 625 homicídios em oito meses

A cada 100 mil habitantes, 40,6 pessoas são assassinadas no Ceará a cada mês. Esse número vem crescendo, já que, de 2011 para 2012, o aumento foi de 32,2%. Esse total de mortes é maior que a média brasileira, de 24,3.

Além disso, os gastos com segurança no estado também aumentaram. Em 2011, foram gastos R$ 964,1 milhões, enquanto em 2012 foram 1.476,5 milhões. Isso significa que o investimento em segurança está 53,1% maior.