Cid Gomes participa de obras após rompimento de adutora em Itapipoca


Cid Gomes participa de obras após rompimento de adutora em Itapipoca

Diante do problema, Cid Gomes, que chegou de surpresa por volta do meio-dia desta segunda, passou a noite no canteiro de obras.

Por Tribuna do Ceará em Ceará

24 de dezembro de 2013 às 11:18

Há 6 anos

Uma adutora que deveria ter começado a funcionar nesta segunda-feira (23), em Itapipoca, no interior do Ceará, apresentou vazamentos após ser acionada. Na ocasião, os canos de PVC não suportaram a força da água e romperam em vários trechos. O caso aconteceu na presença do governado do Ceará, Cid Gomes.

A população da cidade aguardava o funcionamento da adutora, que tem 32 quilômetros, para acabar com os transtornos da falta d’água que já dura duas semanas. Cid Gomes chegou de surpresa, por volta de meio-dia, nesta segunda.

A adutora vai transpor água do açude Gameleira, que foi inaugurado em Itapipoca no mês de setembro deste ano. Diante do problema, Cid Gomes, que chegou de surpresa por volta do meio-dia desta segunda, passou a noite no canteiro de obras. De acordo com moradores, o governador carregou pedra e até escavou buracos com enxada.

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
1/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
2/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
3/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
4/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
5/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
6/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
7/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
8/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
9/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
10/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
11/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
12/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
13/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
14/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
15/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
16/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra).

Segundo o prefeito de Itapipoca, Dagmauro Moreira, 80 mil pessoas estão sendo prejudicadas com a falta de água. O prazo inicial para a entrega da adutora era final de outubro, mas foi adiado para esta segunda.

> LEIA MAIS:

Apenas quatro carros pipas, sendo dois da prefeitura e dois contratados, estavam abastecendo a cidade. Após a visita do governador, o abastecimento foi reforçado, nesta terça-feira (24), com mais 12 carros-pipa. Além disso, veículos que abastecem cidades vizinhas passaram a dar reforço emergencial à Itapipoca.

Já na manhã desta terça, o presidente da Cagece, André Facó, e o superintendente da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), Rennys Frota, foram até a cidade para acompanhar a situação.

Publicidade

Dê sua opinião

Cid Gomes participa de obras após rompimento de adutora em Itapipoca

Diante do problema, Cid Gomes, que chegou de surpresa por volta do meio-dia desta segunda, passou a noite no canteiro de obras.

Por Tribuna do Ceará em Ceará

24 de dezembro de 2013 às 11:18

Há 6 anos

Uma adutora que deveria ter começado a funcionar nesta segunda-feira (23), em Itapipoca, no interior do Ceará, apresentou vazamentos após ser acionada. Na ocasião, os canos de PVC não suportaram a força da água e romperam em vários trechos. O caso aconteceu na presença do governado do Ceará, Cid Gomes.

A população da cidade aguardava o funcionamento da adutora, que tem 32 quilômetros, para acabar com os transtornos da falta d’água que já dura duas semanas. Cid Gomes chegou de surpresa, por volta de meio-dia, nesta segunda.

A adutora vai transpor água do açude Gameleira, que foi inaugurado em Itapipoca no mês de setembro deste ano. Diante do problema, Cid Gomes, que chegou de surpresa por volta do meio-dia desta segunda, passou a noite no canteiro de obras. De acordo com moradores, o governador carregou pedra e até escavou buracos com enxada.

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
1/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
2/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
3/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
4/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
5/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
6/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
7/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
8/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
9/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
10/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
11/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
12/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
13/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
14/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
15/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA
16/16

ROMPIMENTO DE ADUTORA EM ITAPIPOCA

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) (FOTO: Eldem Martins)

O governador determinou a abertura de inquérito administrativo e policial para investigar o caso. A adutora custou R$ 19,8 milhões e foi construída sob a responsabilidade da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra).

Segundo o prefeito de Itapipoca, Dagmauro Moreira, 80 mil pessoas estão sendo prejudicadas com a falta de água. O prazo inicial para a entrega da adutora era final de outubro, mas foi adiado para esta segunda.

> LEIA MAIS:

Apenas quatro carros pipas, sendo dois da prefeitura e dois contratados, estavam abastecendo a cidade. Após a visita do governador, o abastecimento foi reforçado, nesta terça-feira (24), com mais 12 carros-pipa. Além disso, veículos que abastecem cidades vizinhas passaram a dar reforço emergencial à Itapipoca.

Já na manhã desta terça, o presidente da Cagece, André Facó, e o superintendente da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), Rennys Frota, foram até a cidade para acompanhar a situação.